Glossário: Termos com a letra T

arrow_forwardMais sobre

Tábua de Mortalidade

Tabela usada no cálculo atuarial de planos de previdência e seguros de vida, que apresenta para um determinado número de indivíduos a sua probabilidade de morte ou sobrevida em várias idades.
Quanto mais recente for a tábua de mortalidade, maior é a expectativa de vida da população. Portanto, para um mesmo indivíduo, a mudança para uma tábua mais nova implicaria na necessidade de se aumentar o valor das contribuições para se manter o valor dos benefícios a serem resgatados.

Tábua de Sobrevivência

Funciona de maneira semelhante a tábua de mortalidade básica, mas com as margens de segurança (carregamento de segurança) empregadas em sentido oposto ao da tábua de seguros para os casos de morte.
Assim sendo, a tábua de sobrevivência superestima a duração da vida dos expostos ao risco. Um exemplo de Tábua de Sobrevivência utilizada no Brasil (também para casos de morte) é a AT-49 (Annuity Table for 1949).

Tag along

Direito dos outros acionistas de receber um percentual do valor pago pelas ações dos controladores em caso de venda do controle da empresa.

Tape reading

Técnica usada por “traders” para analisar o fluxo de ordens e tomar decisões de investimento. É uma espécie de leitura do fluxo para identificar comportamentos de agentes de mercado, direção dos preços, intensidade das ofertas, entre outras variáveis

Tarifa por Extrato

Termo usado na indústria de cartão de crédito e se refere à uma taxa cobrada pelas operadoras de cartão pelo envio do extrato, alegando como justificativa que incorre em gastos de envio, confeccção e compensação do extrato.

Taxa de Adesão

É a taxa cobrada do consorciado quando do seu ingresso no grupo, quando for o caso, que corresponde ‘a antecipação de parte da taxa de administração devida à administradora.

Taxa de Administração

Uma das formas de remuneração do gestor pela administração dos recursos do fundo de investimento, que também incide sobre os rendimentos dos planos de previdência complementar aberta, do tipo PGBL, VGBL etc.
A taxa é cobrada sobre o valor aplicado, sendo apropriada diariamente e cobrada mensalmente. O valor da cota do fundo já vem descontado da taxa de administração e o percentual informado no regulamento é anual. Assim, se o regulamento informar um percentual de 2%, trata-se da taxa anual. O valor da taxa varia com o perfil do fundo de investimento.
Termo também usado na indústria de cartões que é cobrada pelas administradoras por cada operação com o cartão.

Taxa de Carregamento

Ver carregamento.

Taxa de Custódia

Nome dado à taxa cobrada por um custodiante, em geral um banco ou corretora de valores mobiliários, pela manutenção das ações ou outros valores mobiliários de seus clientes. Quando o investidor compra uma ação ou outro ativo no mercado ele acaba não recebendo o título representativo, que fica sob a custódia do custodiante, que, por este serviço, cobra a taxa de custódia.

Taxa de Desconto

Termo usado para definir a taxa usada para descontar uma série de fluxos futuros de caixa, de forma a obter o valor presente destes fluxos.

Taxa de Distribuição de Dividendos

Indicador de análise financeira que denomina a porcentagem do lucro líquido da empresa paga aos acionistas na forma de dividendos. Em geral, empresas em crescimento tendem a reinvestir grande parte do seu lucro líquido e, portanto, apresentam um índice mais baixo que empresas já estabelecidas.

Taxa de Juro

Remuneração que o tomador de um empréstimo deve pagar ao proprietário do capital emprestado. Pode ser definida, portanto, como a remuneração do capital. Uma taxa de juro, quando eficiente, deve remunerar:

  • O risco envolvido no investimento. De investimentos mais arriscados deve-se exigir taxas de juros proporcionalmente maiores;
  • As expectativas inflacionárias, que representam a perda do poder aquisitivo;
  • Compensação pela não aplicação do dinheiro em outro investimento;
  • Os diversos custos administrativos envolvidos na operação.

Taxa de juros de equilíbrio

Termo usado em economia para definir a taxa de juros que equilibra o mercado de moeda. Uma vez descontada a inflação essa taxa mantém o nível de preços constante e a economia a pleno emprego.

Taxa de Performance

Além da taxa de administração, alguns gestores também cobram um taxa pelo seu desempenho, ou performance, que é cobrada sobre a parcela da rentabilidade do fundo que excede a variação de um índice pré-determinado (benchmark). Os períodos de cálculo da taxa de perfomance variam de acordo com o tipo do fundo.

Taxa de Retenção

Indicador de análise financeira que mede a capacidade que uma empresa tem de garantir o crescimento sustentado de suas atividades sem ter que levantar novos empréstimos. Em outras palavras, expressa a porcentagem do lucro líquido da empresa que não é paga aos acionistas na forma de proventos. Exatamente por isto a soma da taxa de retenção de lucro e taxa de distribuição de dividendos deve ser igual a 1, quando expressas em percentual. Em geral, empresas em fase de crescimento ou com baixo grau de capitalização tendem a ter uma taxa alta de retenção. Contudo, um número cada vez maior de empresas está aumentando a sua taxa de retenção de forma a manter uma estrutura de capital suficientemente flexível para aproveitar possíveis oportunidades de crescimento (aquisição, fusão etc) que venham a surgir. Também conhecida como taxa de retenção de lucro.

Taxa de Retenção de Lucro

Indicador de análise financeira que mede a capacidade que uma empresa tem de garantir o crescimento sustentado de suas atividades sem ter que levantar novos empréstimos. A soma da taxa de retenção de lucro e taxa de distribuição de dividendos deve ser igual a 1, quando expressas em percentual.

Taxa DI

Taxa média diária das operações no mercado interfinanceiro, que é formada a partir da taxa Selic projetada para o dia D+1 e que embute os custos operacionais da instituição, sua margem de lucro e o custo dos impostos incidentes na operação.

Taxa Efetiva (impostos)

Termo usado, em geral, para se referir à alíquota final de imposto cobrada sobre um determinado resultado, depois de ajustado o imposto a pagar dos possíveis abatimentos permitidos por lei. Assim sendo, uma empresa pode ter uma alíquota de imposto de renda de 30%, mas depois de ajustar seu resultado antes de imposto para todas as deduções ou reversões, é possível que acabe pagando um percentual menor do que 30% sobre seu resultado antes de imposto. Este percentual é conhecido como taxa efetiva.

Taxa Interna de Retorno

Usada na análise de investimentos, a taxa interna de retorno (TIR) nada mais é do que a taxa de retorno de um projeto. A TIR é a taxa de desconto que faz com que o valor atual do projeto seja zero. Um projeto é atrativo quando sua TIR for maior do que o custo de capital do projeto, e vice-versa.

Taxa Líquida

Termo que se refere à rentabilidade final de uma determinada aplicação, depois de descontadas as taxas e os impostos necessários. Assim, se uma aplicação rende 2% ao mês e a alíquota do IR é de 20%, então sua taxa líquida será de 1,6%.

Taxa Livre de Risco

Essa taxa é utilizada como referência para análise de risco relativo, ou seja, é a taxa que utilizamos para calcular o retorno relativo do ativo financeiro. No Brasil a taxa livre de risco adotada é em geral o CDI.

Taxa Over

Remanescente da época hiper-inflacionária, trata-se de uma metodologia de cálculo de taxa de juros usada somente no Brasil, que é usada como referência para empréstimos entre bancos.

Taxa para saque

Em geral os cartões também podem ser usados para saque em caixa automático conveniado à bandeira dele. O saque via cartão funciona como empréstimo, de forma que sobre ele incidem juros, que são corrigidos diariamente. O valor dos encargos cobrados neste tipo de operação deve estar incluído na fatura, e em geral são mais altos do que aqueles cobrados no crédito rotativo.

Taxa Referencial (TR)

Ver em TR.

Taxas de Remuneração

O gestor do fundo de investimento é remunerado através da cobrança de duas taxas (administração e performance), que são descontadas diretamente do valor da cota do fundo. Estas duas taxas são denominadas taxas de remuneração e são pagas pelos investidores aos gestores de recursos em troca da sua capacidade enquanto gestor.

TBC/TBAN

Siglas que denominam a Taxa Básica do Banco Central (taxa mínima) e a Taxa de Assistência do Banco Central (taxa máxima). Trata-se de taxas utilizadas para financiamento de instituições financeiras junto ao BACEN. Essas taxas são definidas no mês anterior durante as reuniões do COPOM (Comitê de Política Monetária).

TBF

Sigla usada para denominar a Taxa Básica Financeira, que foi criada com o intuito de alongar o perfil de aplicações em títulos, através da oferta de uma taxa superior à TR. É calculada da mesma forma que a TR, mas não se aplica o redutor.

TDA – Título de Dívida Agrária

Título de responsabilidade do Tesouro Nacional emitido para a promoção da reforma agrária, que é emitido de forma escritural na Cetip e cuja rentabilidade é pós-fixada e indexada à variação da TR.

Telemarketing

Termo que vem do inglês e engloba um conjunto de estratégias de divulgação e vendas de produtos e serviços pelo telefone. O telemarketing pode ser ativo e receptivo, sendo que no telemarketing ativo, o vendedor do produto ou serviço entra em contato com o cliente para oferecer-lhe algo, enquanto no telemarketing receptivo limita-se ao recebimento de ligações e é feito normalmente por meio de números 0800.

Tendência

Termo usado no mercado financeiro para se referir a um movimento consistente e ordenado do preço de um ativo, representando uma mudança nas expectativas dos investidores. Um dos princípios da análise técnica afirma que os preços movem-se em tendências, e as tendências persistem. Bastante usado também para identificar qual será o movimento de alguns indicadores econômicos, como por exemplo, os de inflação, ou simplesmente as taxas de juros, entre outros.

Terceirização

Forma de transferir para outras empresas a realização de tarefas e/ou serviços, ou a fabricação de produtos dos quais uma empresa necessita.

Tesouro Direto

Criado em janeiro de 2002, trata-se de um sistema de negociação de títulos públicos federais em mercado de varejo, diretamente com o investidor. O sistema permite a compra de LFTs, LTN e três tipos de NTN: as NTN-C, NTN-B e NTN-F. Para mais informações, acesse: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/

Timing

Termo usado com freqüência no mercado financeiro para se referir ao momento mais indicado para realizar uma determinada transação financeira, que pode ser comprar ou resgatar um título.

Titular

  1. Em seguros. Denomina a pessoa física (ou jurídica) proprietária do título, a quem devem ser pagos os benefícios garantidos nas condições gerais do plano. O titular também pode ser o próprio subscritor, ou então pode ser outra pessoa por ele indicada. 2. Em opções. Pessoa física (ou jurídica) que tem o direito de exercer ou negociar uma opção.

Títulos de Capitalização

Também conhecidos como planos de capitalização, esses títulos não devem ser vistos como uma forma de investimento propriamente dita, mas como uma poupança programada, e seu grande atrativo está nos sorteios mensais.
O dinheiro que você investe no título de capitalização é dividido em duas partes, uma vai para a conta de investimento que é corrigida com base na poupança (TR+0,5%) e outra paga a taxa de carregamento, que é utilizada para financiar as quantias sorteadas. A taxa de carregamento varia muito entre instituições, mas sempre deve estar explícita no contrato.
Apesar de serem corrigidos com base na poupança esses títulos não estão isentos do pagamento de imposto de renda. Em caso de sorteio e resgate do prêmio o investidor deverá pagar uma alíquota de 25% de imposto de renda, enquanto se decidir continuar participando do plano a alíquota sobe para 30%. O saque antes do prazo pode implicar na restituição apenas parcial do valor aplicado.

Títulos de Dívida Externa

Títulos de dívida pública colocados no mercado internacional, em geral denominados em moeda estrangeira. Existem vários títulos de dívida externa, dentre os quais os Bradies e os bônus globais são os mais conhecidos.

Títulos de Dívida Pública

Termo que denomina os títulos financeiros com variadas taxas de juros, métodos de atualização monetária e prazos de vencimento, que são utilizados como instrumentos de endividamento interno e externo.

Títulos e Valores

Conta de ativo do balanço patrimonial de uma empresa que engloba a soma de todos os seus investimentos em títulos e valores mobiliários, independente de se tratar de títulos para retorno próprio (carteira própria), vinculados ao Banco Central ou a compromissos de recompra. Em geral, o valor incluído no balanço patrimonial da empresa já inclui deduções das provisões para possíveis desvalorizações desses títulos.

Títulos Pós-fixados

Os títulos pós-fixados funcionam de forma diferente. Quando você investe em um pós-fixado você saberá o quanto irá receber somente no final da aplicação . Isso ocorre porque o rendimento é determinado pela variação de um certo índice mais uma taxa de juros determinada no início. Vamos assumir, por exemplo, um título que rende a variação da inflação pelo IGP-M mais uma taxa de juros pré-determinada (digamos 6%). Se a inflação for 7%, a taxa bruta (excluindo impostos) será de 13%, porém se a inflação for de 9%, a taxa bruta será 15%.

Títulos Pré-fixados

São aqueles cuja remuneração é determinada no momento da aplicação. Assim quando o gerente do seu banco lhe oferece um CDB pré-fixado de 30 dias rendendo 18%, isto significa que você já sabe o quanto receberá dentro de um ano – o valor investido mais juros pelo período (30 dias) em que o dinheiro foi investido. A mais conhecida forma de investimento pré-fixada no Brasil é a caderneta de poupança

Títulos Privados

Todos os títulos de renda fixa, que são emitidos por bancos e empresas são conhecidos como títulos de dívida privada, ou títulos privados. De maneira geral, as aplicações em renda fixa podem ser organizadas de acordo com seus emissores. Existem basicamente três emissores de títulos de renda fixa, que são:

  • o Governo (LTNs, NTNs, etc.);
  • os bancos (CDBs, RDBs, letras hipotecárias, letras cambiais);
  • as empresas (debêntures, commercial papers)

Títulos Públicos

Assim como as empresas e os bancos, os governos federal, estadual e municipal precisam de dinheiro para financiar suas obras e cobrir suas despesas. Os títulos emitidos por estas entidades são chamados de títulos de dívida pública e podem ser pré ou pós-fixados. No caso do Governo federal, os títulos também podem ser emitidos com intuito de sinalizar política monetária, como aconteceu nos últimos meses com o Governo, emitindo títulos cambiais para controlar a alta do dólar.

TJLP – Taxa de Juros de Longo Prazo

A TJLP foi criada em dezembro de 1994 com a finalidade de estimular os investimentos nos setores de infra-estrutura e consumo. Ela remunera três fundos compulsórios, o PIS/PASEP, o FAT e o Fundo de Marinha Mercante. Em 1995, a TJLP passou a incidir sobre os financiamentos concedidos pelo BNDES, como Finame, Finem e BNDES automático. Ela é válida para empréstimos de longo prazo. Apesar de seu custo ser variável, ela permanece fixa a cada trimestre civil. A TJLP é calculada a partir dos seguintes parâmetros:

  • Meta de inflação calculada pro rata para os doze meses seguintes ao primeiro mês de vigência da taxa, inclusive, baseada nas metas anuais fixadas pelo Conselho Monetário Nacional;
  • Prêmio de risco.

TMS – Taxa Média SELIC

Sigla usada para determinar a taxa média ajustada dos financiamentos diários apurados na SELIC, praticada nas operações compromissadas por um dia, tendo como lastro títulos públicos federais, estaduais e municipais negociados no mercado secundário.

Top Pick

Dentro de um universo de ações, os papéis top pick são aqueles que apresentam melhor recomendação por parte dos analistas. Embora não exista padronização nos termos utilizados pelos diversos analistas, que trabalham com metodologias diferentes de recomendação ou montagem de carteiras recomendadas, aqueles que utilizam esta expressão classificam como top picks somente os papéis que recebem as melhores recomendações.

TP – Tabela Price

A tabela price é um dos tipos de amortização utilizado em financiamentos imobiliários, os outros sendo SAC e SACRE. Nesse sistema é a parcela (amortização + juros) que é constante, de forma que ao contrário do SAC, o saldo devedor não se reduz desde o início do financiamento, mas apenas do meio para o final do contrato.

TR – Taxa Referencial de Juros

Criada em fevereiro de 1991, a taxa referencial serve como uma referência para o juro praticado no mercado financeiro. A TR é uma taxa de juros básica calculada a partir do rendimento mensal médio dos CDBs e RDBs. Embora seja usada como indexador dos contratos, a TR é uma taxa de juro e não pode ser confundida com inflação. É divulgada diariamente, no final da tarde, mas com um dia de defasagem. É usada para a correção das aplicações da caderneta de poupança e das prestações dos empréstimos do Sistema Financeiro da Habitação. Neste último caso, passou a ser facultativa para as instituições financeiras em setembro de 2006.

Trade Balance

O Departamento de Comércio dos EUA divulga mensalmente relatório contendo o resultado final da balança comercial, ou seja, valor das exportações menos importações dos EUA num período pré-determinado. Esse índice é importante, pois é bastante acompanhado pelo mercado, muitas vezes afetando a cotação do dólar frente às demais moedas internacionais.

Transações Correntes

Termo usado em economia e que determina a soma do resultado da balança comercial (que inclui exportações e importações de bens) e a balança de serviços (que inclui as chamadas mercadorias invisíveis, como turismo, seguro, etc).
O saldo em transações correntes é, desta forma, um importante indicador das relações comerciais de um país com o resto do mundo.

Transferência

Direito do segurado de pedir, durante o período de diferimento, para que a seguradora transfira, parcial ou totalmente, dos recursos da Provisão Matemática de Benefícios a Conceder.

Transferência de saldo

Situação na qual o portador do cartão opta por transferir o saldo devedor de um emissor para outro. Na maioria dos casos isso acontece porque o segundo emissor oferece condições mais atrativas ao portador do cartão como uma taxa mais reduzida por um determinado período.

Transferências Unilaterais

Termo usado para determinar um dos componentes da balança de pagamentos de um país, que inclui os valores ingressados no país através de doações, heranças, etc.

Trava de baixa

Estratégia utilizada para minimizar perdas no mercado de opções através da qual o investidor combina a venda de uma opção de compra (call) com a compra de uma outra opção de compra (call).

TRD – Taxa Referencial Diária

Corresponde ao valor diário da TR fixada para o mês corrente, sendo calculada de forma pro rata tempore.

Treasuries (Títulos do Tesouro norte-americano)

Obrigações de dívida negociáveis do governo norte-americano que são emitidas com vários prazos. Podemos dividir os Tresuries em três grupos, de acordo com o prazo: Treasury Bills (até um ano),Treasury Notes (de um a dez anos) e Treasury Bonds (dez anos ou de prazo mais longo). Os Treasuries são considerados dentre os investimentos mais seguros do mundo, e são constantemente usados como referência para outros investimentos.

Treasury Bill

Obrigações de dívida do governo americano de curto prazo, com prazo de um ano, ou menos, e emitidas com desconto sobre o seu valor de face. A compra e venda de Treasury Bills é o principal instrumento que o Fed, banco central norte-americano, usa para regular a oferta de moeda da economia. Muitos empréstimos de juros variáveis e hipotecas têm as suas taxas de juros em linha com essas obrigações.

Treasury Bond

Obrigações de dívida de longo prazo do governo norte-americano (pelo menos 10 anos), que são emitidas através do sistema de leilão em datas determinadas, e que normalmente efetuam pagamento de cupom semestral e têm preço de emissão próximo ao par (100). O prazo mais comum é o de 10 anos.

Treasury Bond de 30 anos

Obrigações de dívida de longo prazo (30 anos), emitidas pelo governo norte-americano. Também conhecido no mercado internacional como “Long Bond”.

Treasury Budget

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos divulga mensalmente relatório sobre resultado fiscal, ou necessidades de financiamento, do Governo Federal dos EUA.
Dessa forma, esse relatório mede o resultado entre receitas totais, incluindo impostos e outras receitas, e despesas totais, incluindo gastos correntes e despesas de juros, entre outras.

Treasury Note

Obrigações de dívida do governo norte-americano com prazo entre um e dez anos, que são emitidas através do sistema de leilão em datas determinadas, normalmente com pagamento de coupon semestral e preço de emissão próximo ao par (100). Os prazos mais comuns são 2 e 5 anos.

Tributo

Termo que se refere a uma receita instituída pela União, pelos Estados, Distrito Federal e Municípios, que inclui impostos, taxas e contribuições de melhoria, nos termos da Constituição e das leis vigentes em matéria financeira. A Constituição de 1988 colocou as contribuições sob o mesmo regime constitucional dos tributos em geral, sobre as quais são aplicadas as normas gerais de legislação tributária, assim como os princípios da legalidade, da irretroatividade e da anterioridade.

Turnover

Indicador fundamentalista que mede o grau de liquidez das ações de uma empresa no mercado. Expressa a relação entre a média de volume diário negociado no último mês e o free float da empresa, ambos medidos em números de ações. Free float é definido como a porcentagem do capital numa empresa que não se encontra em mãos de acionistas estratégicos (com participação superior a 5% do capital total da empresa). Assim a fórmula de cálculo do indicador é: Turnover = Volume Médio Diário (30 dias)/ Free float (em número de ações)