Tempo Real

Petrobras (PETR4) sobe mais de 6% e puxa alta do Ibovespa na guinada dos mercados; Marfrig (MRFG3) e JBS (JBSS3) lideraram as perdas

Confira o que movimentou os mercados

Por  Equipe InfoMoney -

21h15 – Encerramos nossa cobertura. Confira o que movimentou a bolsa hoje



Acessa o tempo real do InfoMoney todos os dias? Adicione este link aos favoritos do seu navegador!



21h14 – Copom deixa porta aberta para continuar subindo juros

Autoridade monetária sinaliza com mais uma elevação em junho, mas não indicou desfecho para o ciclo de aperto monetário.



21h11 – CSN Mineração (CMIN3) reporta lucro líquido de R$ 739 milhões no 1T22

O valor representa uma queda de 68,7% na comparação com os R$ 2,3 bilhões registrados no mesmo período do ano passado.

A receita líquida caiu 30%, para R$ 3,838 bilhões, contra os R$ 5,474 bilhões do mesmo período de 2021.

O Ebitda ajustado caiu 34%, para R$ 2,415 bilhões no 1T22, na comparação com os R$ 3,665 bilhões do mesmo período do ano passado. A margem Ebitda ajustado caiu 4,1 pontos percentuais, para 62,9%.



20h50 – Totvs (TOTS3) tem lucro líquido consolidado de R$ 85 milhões no 1º trimestre de 2022, alta de 5,4%

O Ebitda ajustado cresceu 17,5%, para R$ 223,3 milhões no 1T22, na comparação com os R$ 190,0 milhões do mesmo período do ano passado. A margem Ebitda ajustado caiu 3,3 pontos percentuais, para 23,6%.

A receita líquida consolidada avançou 33,8%, para R$ 945,6 milhões, contra os R$ 706,9 milhões do mesmo período de 2021.



20h42 – Energias do Brasil (ENBR3) tem lucro líquido ajustado de R$ 386 milhões no 1º trimestre de 2022



20h18 – CSN (CSNA3) lucra R$ 1,364 bilhão no 1º trimestre, queda de 76%



19h58 – Energias do Brasil (ENBR3) tem lucro líquido ajustado de R$ 386 milhões no 1º trimestre de 2022, alta de 20,4% na base anual

A receita operacional líquida no primeiro trimestre de 2022 subiu 11%, para R$ 2,23 bilhões, contra os R$ 2,1 bilhões do mesmo período de 2021.

O Ebitda ajustado pelos efeitos não-recorrentes e não-caixa subiu 31,9%, chegando a R$ 1,064 bilhão no 1T22, na comparação com os R$ 807,472 milhões do mesmo período do ano passado.



19h44 – BRF (BRFS3) reverte lucro em prejuízo de R$ 1,5 bilhão no 1º trimestre



19h21 – Ambipar (AMBP3) aprova dividendos no valor de R$ 34,2 milhões

O montante equivale a R$ 0,3031707 por ação ordinária de emissão da companhia. O pagamento de dividendos será efetuado, em uma única parcela, em 5 de julho de 2022.

Farão jus aos dividendos os acionistas detentores de ações em 04 de maio de 2022.



19h16 – Banco Central vê como “provável” uma nova alta da Selic em junho, embora de menor magnitude



19h13 – Banco Central eleva a taxa Selic em um ponto percentual, para 12,75%, em linha com o consenso



19h13 – Copom encerra reunião. Decisão sai em instantes.



18h49 – GPA (PCAR3) reporta lucro líquido de R$ 1,39 bilhão no 1º trimestre de 2022; operações continuadas apresenta prejuízo de R$ 11 milhões

O lucro líquido dos Controladores, com operações descontinuadas, o que inclui resultado dos hipermercados Extras, subiu de R$ 10 milhões no primeiro trimestre de 2021 para R$ 1,5 bilhão no primeiro trimestre de 2022.



18h36 – PetroRio (PRIO3) reverte prejuízo e tem lucro de R$ 223,4 milhões no 1º trimestre



18h34 – Suzano (SUZB3) aprova novo programa de recompra de ações

O Programa de Recompra objetiva “maximizar a geração de valor para os acionistas, por permitir que a companhia faça alocação de capital eficiente considerando o potencial de rentabilidade de suas ações.”

A Suzano poderá adquirir até 20 milhões de SUZB3, sem redução de capital social, pelo prazo máximo de 18 meses. Esse limite de compra representa 2,8% das ações em circulação.

A empresa informa que, com base na posição acionária de 31 de março de 2022, detém 726.823.001 ações ordinárias, e já mantém em tesouraria 11.911.569 ações, representativas de, aproximadamente, 1,6% do total.



18h33 – PetroRio (PRIO3) reverte prejuízo e tem lucro de R$ 223,4 milhões no 1º trimestre

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado cresceu 179% no 1T22, totalizando R$ 228,6 milhões.

Já a margem Ebitda ajustado atingiu 74% no período, alta de 5 p.p. frente a margem registrada em 1T21.

A receita líquida somou R$ 309,6 milhões entre janeiro e março deste ano, alta de 159% na comparação com igual etapa de 2021.



18h21 – Fleury (FLRY3) conclui compra do Laboratório Marcelo Magalhães

A aquisição do Laboratório de Pernambuco foi anunciada em outubro de 2021 e aprovada pela Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária da Fleury em 29 de abril de 2022, mas concluída agora.

O valor acordado em outubro não sofreu alteração e ficou em R$ 384,5 milhões.



18h12 – Suzano (SUZB3) reverte prejuízo e lucra R$ 10,3 bilhões no 1º trimestre



FECHAMENTO

17h54 – Petrobras (PETR4) sobe mais de 6% e puxa alta do Ibovespa na guinada dos mercados; Marfrig (MRFG3) e JBS (JBSS3) lideraram as perdas

A fala do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, deu uma guinada nas Bolsas, no dólar e também nos juros futuros, o que deu impulso extra às ações de varejo e consumo, maiores altas do Ibovespa no dia. Os destaques positivos ficaram com as ações da Magazine Luiza (MGLU3) e do Americanas (AMER3) que subiram, respectivamente, 7,61% e 7,54%, seguidas pelas ações da GPA (PCAR3), com ganho de 7,52%.

Analistas da Ativa explicam que os papéis do GPA subiram com a possibilidade de sinergia entre Abílio Diniz e Pão de Açúcar, além da expectativa pelo seu resultado agora depois do pregão. As ações da Marfrig (MRFG3) e da JBS (JBSS) foram os destaques negativos da sessão, recuando, respectivamente, 7,76% e 3,04%, seguidas das ações da Natura (NTCO3), que não acompanharam seus pares na Bolsa e fecharam em queda de 1,71%.

Entre as blue chips, destaque para os papéis da Petrobras, que também divulgará seus resultados. O balanço vai ser publicado amanhã, após o fechamento do mercado. Os papéis da estatal também foram impulsionados pelo preço do petróleo, que voltou a subir forte no mercado internacional, com novos embargos ao óleo russo, em retaliação à guerra na Ucrânia. As ações PETR3 fecharam em alta de 4,72% enquanto PETR4 subiu ainda mais, fechando com ganhos de 6,02%.

Os papéis da Vale (VALE3) não conseguiram acompanhar a guinada no mercado e fecharam em baixa de 0,84%, a R$ 81,81.

Confira as maiores altas e baixas do Ibovespa hoje:

 



17h23 – Ibovespa fecha em alta de 1,7%, aos 108.343 pontos, próximo das máximas do dia

Volume negociado no dia superou R$ 30 bilhões e ficou acima da média.



17h16 – Mercado esperava que Fed anunciasse alta de 75 pontos-base na próxima reunião, diz analista

Para Pedro Tiezzi, analista de investimentos da SVN, o discurso de Jerome Powell foi dovish, ainda que ele tenha sinalizado que os juros podem vir a adentrar o território contracionista se os preços não se estabilizarem. “O mercado inteiro esperava uma remuneração mais alta das taxas de juros americanas. Logo, houve uma fuga desses ativos para ativos de maior risco e até outras moedas”, explica Tiezzi.

O analista também destaca a redução do balanço do Fed, o que diminui a liquidez do mercado, e a postura “agnóstica” da autoridade monetária em relação aos mercados. “O Fed está realmente focado em liquidez e inflação”, afirma.



17h08 – Fed poderia acelerar ritmo de alta de juros se taxa de desemprego continuar caindo, diz economista

Para Luciano Costa, economista e sócio da Monte Bravo Investimentos, a necessidade de aceleração em ritmo de alta de juros em 75 pontos base está com uma “barra bem alta” para acontecer, após a fala de Jerome Powell. O presidente do Federal Reserve disse que a autoridade monetária deve continuar manter o ritmo de aperto em 50 pontos-base.

“Uma queda adicional da taxa de desemprego, demonstrando aquecimento do mercado e de salários, poderia ser uma das razões para o Fed acelerar”, diz Costa. A guerra na Ucrânia e impactos dos lockdowns na China também podem gerar uma nova rodada de pressão de inflação. O próprio Federal usou um termo bem duro no comunicado, dizendo que estaria altamente atento a esse risco.

“Não dá para descartar os 75 pontos-base, mas parece bem menos provável depois da própria declaração do Powell”, afirmou.



17h02 – Bolsas em Nova York fecham em disparada após fala dovish de Jerome Powell

  • Dow Jones avançou 2,82%, aos 34.061 pontos
  • S&P 500 subiu 2,99%, aos 4.300 pontos
  • Nasdaq fechou em alta de 3,19%, aos 12.964 pontos


17h02 – Dólar comercial fecha em queda de 1,21%, a R$ 4,903 na compra e R$ 4,904 na venda



16h55 – Ibovespa sobe 1,56%, aos 108.191 pontos, no fechamento preliminar



16h53 – Nasdaq sobe 3,33% próximo ao fechamento; S&P 500 avança 3,17% e Dow Jones opera em alta de 2,96%



16h50 – Iguatemi (IGTI11) espera momento oportuno para participar do movimento de fusões e aquisições, diz CEO



16h37 – Ibovespa amplia ganhos e sobe 1,21%, aos 107.828 pontos



16h31 – Federal Reserve poderá ter dificuldades para manter ritmo de alta de juros em 0,5 ponto percentual, diz economista

Para Gustavo Cruz, estrategista da RB Investimentos, ainda que o Federal Reserve deseje fazer um ciclo monetário maior, sem dar um choque no mercado financeiro, é possível que os juros subam sim em ritmo mais acelerado

“Jerome Powell abriu [a coletiva de imprensa] quase que fazendo um pedido de desculpas para a população americana por conta da inflação elevada e diz que vai combater isso. Na minha visão já é uma mensagem que a taxa de juros vai para um patamar mais elevado do que está sendo precificado”, afirma.

Para Cruz, com a taxa de desemprego baixa, o Fed “não vai ficar preocupado em levar a atividade para um nível mais baixo e priorizar, sim, elevar a taxa de juros para patamares elevados e levar a inflação para perto da meta”.

Na coletiva após elevar os juros em 0,5 ponto percentual, Jerome Powell disse que o Federal Reserve não está “considerando ativamente” elevar os juros em 0,75. A tendência é que o ritmo de alta em 0,5 ponto seja mantido por mais tempo. Porém, o presidente do BC americano deixou claro que os juros podem ser elevados a níveis restritivos se for assim for necessário para estabilizar os preços.



16h18 – Termina coletiva com Jerome Powell, presidente do Federal Reserve



16h16 – Ibovespa renova máxima do dia, subindo 0,85%, aos 107.436 pontos



16h12 – Bolsas em Nova York avançam mais de 2% com falas de Jerome Powell



16h11 – Powell diz que efeito de redução de balanços é incerto



16h07 – Powell: Esperamos manter um patamar neutro para juros, mas se for apropriado ir além disso, não hesitaremos 



16h05 – Powell: Restaurar estabilidade de preços é absolutamente essencial para o Fed



16h03 – Powell: Federal Reserve poderá levar política monetária para níveis restritivos 



16h – Powell: Elevar juros não vai ser agradável, mas precisamos restaurar a estabilidade dos preços



15h59 – Powell diz que economia pode sofrer “alguma desaceleração”, mas nada sugere uma recessão



15h59 – Juros futuros recuam em bloco após declarações de Jerome Powell

DIF23, -0,03 7p, a 13,04%; DIF25, – 0,12 pp, a 12,08%; DIF27, -12 pp, a 11,92%; DIF29 -0,13 pp, a 12,03%



15h56 – Tesouro americano: rendimento do título de 10 anos recua para 2,925% após fala de Powell



15h53 – Bolsas em Nova York viram e ampliam ganhos após Powell dizer que alta de 0,75 ponto não está sendo considerada 

  • Dow Jones avança 1,51%
  • S&P 500 sobe 1,47%
  • Nasdaq opera em alta de 1,28%


15h52 – Dólar comercial inverte sinal e passa cair 0,56%, a R$ 4,934 na compra e R$ 4,935 na venda



15h51 – Powell: expectativas para inflação de curto prazo estão bastante elevadas



14h48 – Ibovespa zera perdas após fala de Powell e tem ligeira alta de 0,01%, aos 106.543 pontos



15h47 – Powell afirma que alta de 75 pontos base na taxa de juros não está sendo “ativamente considerada”



15h44 – Ibovespa volta a reduzir perdas e recua 0,57%, aos 105.907 pontos



15h42 – Powell: É possível reduzir demanda do mercado de trabalho sem gerar desemprego



15h40 – Powell: Os Estados Unidos estão preparados para lidar com uma política monetária mais apertada



15h37 – Powell: Existe uma percepção do colegiado de que um ajuste de 0,5 ponto percentual deve ser apropriado para as próximas reuniões



15h34 – Powell volta a falar de desequilíbrio entre oferta e demanda de empregos



15h33 – Powell: Começamos uma redução significativa do nosso balanço de ativos



15h32 – Powell: O mercado de trabalho segue muito apertado e a inflação muito alta



15h31 – Powell: Temos as ferramentas necessárias para controlar a inflação pelo bem das famílias americanas



15h30 – Presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, comenta decisão de elevar juros em 0,5 ponto percentual



15h21 – Ibovespa amplia perdas e recua 1,27%, aos 105.178 pontos



15h20 – Bolsas em Nova York têm repique após decisão do Fed, mas seguem com ganhos moderados 

  • Dow Jones avança 0,35%
  • S&P 500 sobe 0,16%
  • Nasdaq acentuou perdas e cai 0,31%


15h17 – Ibovespa oscila e recua 0,87%, aos 105.600 pontos, após Fed anunciar alta de juros

O índice chegou a reduzir perdas e operar acima dos 106 mil pontos, logo após o anúncio da nova taxa.



15h15 – Fed dará início à redução de balanço em 1º de junho

“O Comitê decidiu começar a reduzir suas participações em títulos do Tesouro e dívida de agências e títulos lastreados em hipotecas de agências em 1º de junho”, diz o Fed em comunicado.

“O Comitê busca alcançar o máximo de emprego e inflação à taxa de 2% no longo prazo”, ressalta no mesmo comunicado, reafirmando a máxima das últimas reuniões. “Com o adequado fortalecimento da política monetária, o Comitê espera que a inflação volte ao seu objetivo de 2% e o mercado de trabalho continue forte”.

“Em apoio a essas metas, o Comitê decidiu aumentar a faixa-alvo para a taxa dos fundos federais para 3/4 a 1% e prevê que os aumentos contínuos na faixa-alvo serão apropriados”, conclui.

Para títulos do Tesouro, o limite será inicialmente fixado em US$ 30 bilhões por mês (entre junho e agosto) e, a partir de setembro de 2022, aumentará para US$ 60 bilhões por mês.

Para hipotecas, o limite será inicialmente fixado em US$ 17,5 bilhões por mês, começando em junho e indo até agosto, e, a partir de setembro de 2022, aumentará para US$ 35 bilhões por mês.



15h12 – Federal Reserve vai reduzir balanço em até US$ 35 bilhões por mês em hipotecas



15h12 – Federal Reserve vai reduzir balanço em até US$ 60 bilhões por mês em títulos do Tesouro



15h11 – Fomc: implicações da guerra na Ucrânia são “altamente incertas” e bloqueios na China “exacerbam interrupções na cadeia de suprimentos

Assim como na última reunião, de março, os membros do Federal Reserve dizem que “a invasão da Ucrânia pela Rússia está causando enormes dificuldades humanas e econômicas” e que “as implicações para a economia dos EUA são altamente incertas”.

“A invasão e os eventos relacionados estão criando uma pressão ascendente adicional sobre a inflação nos EUA e provavelmente pesarão sobre a atividade econômica”, voltam a dizer.

Também como na reunião de março, o Fed lembra que os bloqueios relacionados à pandemia implementados na China “provavelmente exacerbarão as interrupções na cadeia de suprimentos. O Comitê está altamente atento aos riscos inflacionários”, relacionados ao tema.



15h06 – Fomc: atividade econômica geral diminuiu no primeiro trimestre, mas gastos das famílias e investimento das empresas permaneceram fortes

Segundo os formuladores de política monetária dos EUA, “os ganhos de emprego foram robustos nos últimos meses e a taxa de desemprego diminuiu substancialmente”.

Além disso, afirmam que a inflação “permanece elevada, refletindo desequilíbrios de oferta e demanda relacionados à pandemia”, com preços mais altos de energia causando pressões mais amplas sobre os preços.



15h01 – Federal Reserve: Decisão de elevar juros em 0,5 ponto percentual foi unânime



15h – Federal Reserve eleva juros em 0,5 ponto percentual, para 0,75%-1%

Veja aqui a íntegra da decisão.



14h56 – Tesouro americano: rendimento do título de 10 anos sobe para 2,987% antes da decisão do Fed



14h54 – Bolsas em Nova York operam com ganhos moderados antes de decisão do Fed sobre juros

  • Dow Jones avança 0,27%
  • S&P 500 sobe 0,24%
  • Nasdaq tem ligeira queda de 0,02%


14h52 – Juros futuros têm alta na ponta mais curta e queda, na mais longa, antes de decisão do Fed

DIF23, +0,03 pp, a 13,14%; DIF25, + 0,03 pp, a 12,23%; DIF27, estável, a 12,04%; DIF29 -0,02 pp, a 12,14%



14h51 – Dólar comercial sobe 0,94%, a R$ 5,009 na comopra e R$ 5010 na venda, antes de decisão do Fed



14h50 – Ibovespa cai 0,95%, aos 105.516 pontos, antes de decisão sobre juros nos Estados Unidos



14h49 – 3R Petroleum (RRRP3) prevê crescimento da geração de caixa no 2T22

Durante teleconferência de resultados trimestraris, Rodrigo Pizarro, CFO da 3R Petroleum (RRRP3), comentou que a geração de caixa no segundo trimestre do ano está apoiada no aumento da produção nos Polos Macau e Rio Ventura durante o 2T22 e preços mais altos do brent projetados, para 2022.



14h42 – 3R Petroleum (RRRP3): hedge de brent e dólar refletiram no prejuízo trimestral de R$ 335,2 milhões, diz CFO

Segundo Rodrigo Pizarro, CFO da 3R Petroleum (RRRP3), “as despesas financeiras foram de R$ 525 milhões, sendo R$ 230 milhões em função do caixa aplicado em dólar e a apreciação do real em relação ao trimestre anterior; R$ 82 milhões de despesas realizadas de hedge (de Brent) e R$ 172 milhões de (efeito negativo) de marcação a mercado de contratos futuros”.

A companhia teve lucro líquido de 19,8 milhões no 4T21.



14h35 – Copom inicia segunda sessão de reuniões do dia, antes da decisão de juros



14h25 – MRV (MRVE3) pretende reduzir tempo de construção da subsidiária AHS e Bradesco BBI entende como um bom movimento

A MRV pretende reduzir pela segunda vez o tempo de construção de sua subsidiária norte-americana, AHS, para 5,5 meses. O prazo já havia sido reduzido anteriormente, de 18 para 11 meses, segundo matéria do Valor.

“Outra redução nos tempos de construção da AHS será importante, pois os ativos poderão atingir a estabilidade em um período mais curto, reduzindo ainda mais o ciclo de caixa da empresa”, explica o BBI.

No momento, MRVE3 cai 4,04%, a R$ 9,97.



14h12 – Principais bolsas europeias devolvem ganhos do dia anterior e fecham sessão no vermelho

O sexto pacote de sanções da União Europeia à Rússia inclui finalmente o embargo total ao petróleo exportado por Moscou, o que pode impactar economias como da Alemanha, Hungria e Polônia.

As vendas no varejo da zona do euro caíram em março, com a queda na confiança do consumidor e o aumento da inflação comprimindo os gastos das famílias. Os volumes de vendas caíram 0,4% em março em relação ao mês anterior. O consenso era de alta de 0,1%.

Além disso, os investidores estão hoje de olho no Federal Reserve, que deve subir em 50 pontos base a taxa de juros dos EUA.

  • Stoxx 600: -1,08%
  • DAX (Frankfurt): -0,49%
  • FTSE 100 (Londres): -0,90%
  • CAC 40 (Paris): -1,24%
  • IBEX 35 (Madri): -1,04%
  • FTSE MIB (Milão): -1,40%
  • MOEX (Moscou): -2,94%


13h57 – TIM (TIMS3) prevê concluir sinergias com Oi (OIBR3) em 1 ano e ampliar dividendos



13h49 – Região de Lugansk acusa Rússia de roubar safra de grãos e tentar vendê-la para o Egito

A acusação foi feita pela Administração Militar Regional de Lugansk, que afirma que cerca de 100 mil toneladas de grãos foram roubados pelos russos, durante a invasão. A administração diz também que a região de Lugansk é a única que não começou a plantar a próxima safra.

Há preocupações sobre insegurança alimentar na região, após o roubo. A demanda anual da região de Lugansk é calculada em 60 mil toneladas de grãos.

A carga foi oferecida para o Egito, de acordo com o Pravda ucraniano, mas o país não aceitou a compra, que acabou sendo redirecionada para a Síria e Líbano.



13h46 – RADAR INFOMONEY: – Gringos tiram R$ 7,6 bilhões da Bolsa em abril; Dividendos: TAEE11 vai pagar mais de R$ 2 p/ ação



13h44 – Fed precisa ser “hábil” e “sortudo” para conseguir pouso suave, diz Janet Yellen

Em uma conferência do Wall Street Journal, secretária do Tesouro dos EUA disse que tem grande confiança na saúde atual da economia dos EUA, mas a inflação, atualmente a mais alta em quatro décadas, é um problema e controlá-la é trabalho principalmente do Fed.

Os comentários dela foram feitos horas antes do esperado anúncio de um aumento de 0,50 ponto percentual na taxa de juros por parte do banco central do país. (com Reuters)



13h37 – Petrobras (PETR3; PETR4) confirma que PetroReconcavo (RECV3) e Eneva (ENEV3) apresentaram “melhor proposta” pelo Polo Bahia Terra

“O consórcio formado pelas empresas PetroRecôncavo (60%) e Eneva (40%) apresentou a melhor proposta, em valor superior a US$ 1,4 bilhão, considerando pagamentos firmes e contingentes, e foi convidado para a fase de negociação”, confirma a estatal (veja mais na nota das 13h06).

Entretanto, a Petrobras ressalva que “a assinatura do contrato de compra e venda ainda está sujeita à conclusão das negociações e à aprovação dos órgãos competentes da Petrobras”.



13h30 – PMI brasileiro da Indústria foi “mais suave” e o de Serviços “mais firme” em abril, segundo o Goldman Sachs

O PMI da Indústria caiu 0,5 ponto em abril, interrompendo uma sequência de dois ganhos mensais. O índice principal está agora em 51,8, ainda ligeiramente em território expansionista, mas significativamente abaixo da alta cíclica de 66,7 de outubro de 2020.

O PMI de Serviços, por outro lado, subiu 2,5 pontos em abril (além do aumento de 5,4 pontos nos dois meses anteriores), para 60,6, sinalizando uma expansão acelerada no setor. Já o Composto subiu 1,9 ponto em abril, para 58,5.

“O PMI de Manufatura diminuiu impulsionado por quedas na produção, novos pedidos e índices de novos pedidos para exportação. Por outro lado, o PMI de Serviços se firmou ainda mais em abril, com aumentos nos índices de novos negócios, negócios pendentes e emprego”, diz o Goldman Sachs.

“As pressões sobre os preços de insumos e produtos nos setores de indústria e serviços ainda são intensas, particularmente perceptíveis nos insumos de produção. As pressões inflacionárias no setor manufatureiro parecem ter diminuído ligeiramente em abril, mas se intensificaram para níveis recordes nos serviços”, avalia.



13h25 – Isa Cteep  diz ter custos sob controle; política de dividendos deve se manter



HORA DO MERCADO

13h17 – Ibovespa tem queda de 1,30%, a 105.139 pontos; dólar avança e volta a rondar os R$ 5

O principal índice acionário da Bolsa brasileira registra mais uma sessão de expressiva queda, ameaçando perder os ganhos do ano, em uma sessão negativa para o exterior, mas em menor intensidade. Já o dólar comercial avança 0,67%, a R$ 4,996 na compra e R$ 4,997 na venda.

Os investidores seguem à espera de dois grandes eventos: a decisão de juros do Federal Reserve às 15h nos EUA, e a do Banco Central do Brasil a partir das 18h30. Mais do que as decisões em si, uma vez que são esperadas altas respectivas de 0,5 ponto e 1 ponto nas taxas básicas por EUA e Brasil, os investidores estarão atentos às sinalizações sobre os novos passos da política monetária.

A temporada de resultados corporativos também movimenta a sessão, com as ações da Marfrig (MRFG3) em baixa de cerca de 8% apesar de um resultado considerado forte.

Na sequência, Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4) têm um novo dia de queda, com baixas respectivas de 7% e 5%. O movimento ocorre em meio aos avanços do dólar e do petróleo. A commodity registra uma sessão de forte alta, com o contrato do brent para julho tendo avanço de cerca de 3,50%, a US$ 108,62 o barril, em meio às sinalizações da União Europeia para sanções mais duras contra os russos.

A Petrobras (PETR4), por sua vez, avançava seguindo o movimento do petróleo, com PETR4 tendo ganhos de cerca de 2%, assim como PetroRio (PRIO3) e 3R Petroleum (RRRP3), essa última que divulgou resultados considerados fortes.

A Vale (VALE3), por sua vez, tinha queda de cerca de 3% e siderúrgicas também cediam. Parte das bolsas com negociações de commodities na Ásia seguiam fechadas.

Entre as maiores altas, estão os papéis ON do GPA (PCAR3), que publica seu resultado hoje após o fechamento do pregão; os ativos sobem cerca de 5%. No início da semana, os ativos subiram com a notícia de Lauro Jardim, do jornal O Globo, de um possível interesse de Abilio Diniz na companhia. As units da Klabin (KLBN11) avançam forte, cerca e 4%, em meio à alta do dólar e em dia de teleconferência após a companhia divulgar seu balanço ontem.



13h06 – PetroReconcavo (RECV3) e Eneva (ENEV3) iniciam fase de negociação dos termos de aquisição do Polo Bahia Terra

Em fato relevante, ambas as empresas avisam que a Petrobras (PETR3; PETR4) selecionou a oferta vinculante das duas e que, em relação ao processo de desinvestimento do Polo Bahia Terra, será iniciada a fase de negociação dos termos e condições para a potencial aquisição do conjunto de concessões de campos terrestres e instalações associadas, localizadas nas Bacias do Recôncavo e de Tucano, na Bahia.

A Petroreconcavo apresentou oferta em conjunto com a Eneva, com respectivas participações de 60% e 40%.

“A efetiva realização da potencial aquisição, assim como seus termos e condições e montante envolvido, estão sujeitas à aceitação da oferta pela Petrobras, à negociação e celebração do contrato de compra e venda e outros instrumentos relacionados à aquisição”, e aprovação pelo CADE e pela ANP, informa as empresas.

No momento, RECV3 sobe 2,56% e ENEV3 avança 0,44%.



12h51 – Todos índices setoriais trabalham no vermelho neste momento

Imobiliário (IMOB) puxa as quedas, com menos 3,09%; seguido de Consumo (ICON), com menos 2,07%; Financeiro (IFNC), que perde 1,58%; Industrial (INDX), caindo 1,34%; Utilidade Pública (UTIL), perdendo 1,07%; Materiais Básicos (IMAT), com menos 1,04%; e Energia Elétrica (IEE), caindo 0,94%.



12h43 – Hungria não deve apoiar embargo ao petróleo russo anunciado pela UE

Segundo a Reuters, citando vídeo em uma rede social do ministro das Relações Exteriores, Peter Szijjarto, isso destruiria sua segurança energética.

“O pacote de sanções de Bruxelas proibiria embarques de petróleo da Rússia para a Europa, com um prazo bastante curto, no caso da Hungria no final do próximo ano”.

A Hungria só poderia concordar com essas medidas se as importações de petróleo bruto da Rússia via gasoduto fossem isentas das sanções, disse o ministro, criando uma fratura na pretensa unidade da União Europeia.



12h38 – EUA estão “abertos a sanções adicionais” à Rússia

O presidente dos EUA afirmou que país pode avançar sobre o tema, após União Europeia e Reino Unido anunciarem nova rodada de sanções hoje.

“Falarei com os membros do G7 esta semana sobre o que vamos fazer ou não fazer”, disse Biden a repórteres na Casa Branca, conforme noticiado pela CNN internacional.



12h28 – Sell in may and go away? Cautela com mercado americano é caminho para maio, com volatilidade no radar



12h21 – Rendimentos de 2 anos sobem ao maior nível desde novembro de 2018 antes do Fed

É amplamente esperado um aperto de 0,5 ponto percentual nos juros pelo Federal Reserve, para entre 0,75% e 1%,  em meio a sua tentativa de controlar a inflação.

Desde o início do ano, a taxa de dois anos, a mais sensível à perspectiva dos juros, ganha mais de 2 pontos percentuais. O yield desse vencimento subiu para 2,844% nesta quarta-feira, maior patamar desde novembro de 2018, não muito longe do nível psicologicamente importante de 3%. A última vez que o rendimento de dois anos dos EUA atingiu 3% foi em junho de 2008.

Além de aumentar os juros, o Fed também deve anunciar nesta quarta-feira o início da redução de seu balanço de US$ 9 trilhões, com expectativa de ritmo de aperto quantitativo de até US$ 95 bilhões por mês. (com Reuters)



12h13 – Ações da Marfrig (MRFG3) estão entre maiores quedas da bolsa, mesmo após balanço forte; cia vê demanda firme



12h06 – TIM (TIMS3): expectativa é concluir sinergias com a Oi em 12 meses

A integração da TIM com os ativos da Oi será feita em duas etapas, que são contabilizadas a partir de abril. A primeira fase é de integração de redes e, depois, a migração dos clientes da Oi para a TIM.

Segundo Leonardo Capdeville, Chief Technology Information Officer da TIM, a primeira fase deve ser concluída em 3 meses e deve resultar em melhor cobertura e melhor qualidade da rede para os clientes. A segunda fase de integração, de migração sistêmica da Oi para a TIM, está prevista para durar 12 meses, a partir de abril, e começa com a integração de cliente pré-pago até pós-pago e B2B.



12h04 – Credit Suisse acredita que resultados da Raia Drogasil (RADL3) devem melhorar no 2T22

“É verdade que os resultados medíocres do 1T22 para drogarias podem impedi-las de superar o desempenho no curtíssimo prazo”, analisa o Credit Suisse. “Ainda assim, acreditamos que o 1T22 deve marcar o fundo e, portanto, esperamos a retomada gradual tanto da aceleração do faturamento quanto da normalização das margens a partir do 2T22, quando os reajustes anuais dos preços dos medicamentos entrarem em vigor (10,9% este ano)”.

A classificação é neutra para a ação: “não vemos o preço/lucro atual de 37x 2022 como um ponto de entrada atraente em termos de avaliação”. O preço-alvo sugerido é de R$ 27,00. No momento, RADL3 cai 3,73%, a R$ 19,37.



11h57 – Diretor-geral da Klabin, Cristiano Teixeira, (KLBN11) diz que “nunca foi tão complexo operar”

Ele afirmou ainda que “o mercado internacional está sofrendo efeito” do momento complexo. “O corte de gás na Polônia (por conta do Conflito Rússia-Ucrânia), por exemplo, reduz ou para a produção de produtos, que competem com o Brasil. Os próprios produtos da Rússia têm deixado de embarcar para o mundo”, explica.

“Então, tem uma dinâmica de demanda, com essa influencia do conflito, mas majorado pelas questões logísticas, que os preços sobem, e não necessariamente as margens, por questões logísticas”.

Para o executivo, “nunca foi tão complexo operar Klabin nessa dinâmica de flexibilidade, porque não necessariamente os maiores preços



11h55 – Iguatemi (IGT11) apresentou resultado forte com destaque para aluguéis, apesar do prejuízo, apontam analistas



11h54 – Morgan Stanley vê “muito valor a ser desbloqueado nos próximos anos” da 3R Petroleum (RRRP3)

“Apoiados pelos preços mais altos do Brent, os resultados (do 1T22) vieram fortes e em linha com nossas estimativas”, diz o Morgan Stanley. “A 3R está migrando para execução após intensas fusões e aquisições, e vemos muito valor a ser desbloqueado nos próximos anos, à medida que a empresa assume as operações de seus próximos ativos”.

Os analistas deixam claro que a 3R é a principal escolha em energia da América Latina.

A classificação é overweight, com preço-alvo de R$ 96,00. No momento, o ativo é negociado a R$ 43,68, alta de 0,28%.



11h45 – Cegás recebe propostas de quatro fornecedores

A Cegás, distribuidora de gás canalizado do Ceará, recebeu propostas de fornecimento de quatro empresas diferentes no concurso público aberto pela concessionária para contratação de gás natural: PetroReconcavo (RECV3), Shell, Galp e Excelerate.

A busca por novos fornecedores tornou-se uma prioridade para o Ceará, que trava uma disputa com a Petrobras (PETR3; PETR4) pelos preços do gás vendido pela petroleira. Atualmente, a Petrobras é responsável por 85% do gás natural adquirido pela Cegás. Os outros 15% vêm da produção de biometano.

“Muitos distribuidores estaduais de gás estão agora contratando seu fornecimento de players do setor privado, após a abertura dos mercados de gás. Esta deve ser uma tendência para o futuro, positiva para players menores que vendem gás natural”, diz o BBI.



11h43 – AMBEV (ABEV3) deve ter margens pressionadas no 1º trimestre, mas continua avançando em iniciativas digitais



11h38 – Klabin (KLBN11) vê mercador resiliente, apesar do lockdown na China

Marcos Ivo, diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Klabin (KLBN11), comentou a analistas de mercado nesta quarta, durante teleconferência de apresentação de resultados do 1T22, que o mercador está resiliente, com destaque para regiões maduras.

“Na China, mais delicada por causa do lockdown. Ainda sim, não sentimos arrefecimento, embora nossa exposição aquele país tenha diminuído de 2021 para 2022”, disse o executivo.

Sobre custo, Ivo disse anda que “tem um processo de inflação colocado. A gente tem os itens dentro de nossa matriz de insumo, como combustível e químicos, que são commodities de preço global, e esses preços subiram e estão refletidos no nosso resultado”.



11h36 – “O início de um ano de transição”, diz Credit Suisse , sobre CCR (CCRO3) e Ecorodovias (ECOR3)

CCR e Ecorodovias terão um ano de transição, após o término de algumas concessões (Rodonorte, ViaDutra para CCR e Ecovia Caminho do Mar e Ecocataratas para ECOR) e o início de novas (ViaCosteira, CPTM Linhas 8 e 9, Blocos Sul e Central de aeroportos para CCR e Ecovias do Araguaia para ECOR), lembra o Credit Suisse.

“Durante este período de transição, esperamos que ambas as empresas atinjam Ebitda mais elevados ao implantarem o capex inicial para as novas concessões, que contribuem com um Ebitda menor no início”, pondera.

O Credit Suisse prevê Ebitda 35% menor para a CCR no 1T22, para R$ 1,667 bilhão, enquanto a da Ecorodovias deve recuar 17%, para R$ 475 milhões. A CCR deve divulgar seu balanço 1T22 em 12 de maio e a Ecorodovias, em 5 de maio, ambas após o fechamento do mercado.



11h30 – Vulcabras (VULC3) vê risco de desabastecimento de importados no 2º semestre por China

O presidente da companhia, Pedro Bartelle, disse em teleconferência com analistas que é possível faltar produtos do exterior por conta do lockdown chinês. Segundo ele, para o 2º trimestre, não há expectativa de problemas, pois os pedidos foram feitos com antecedência.

“Pelo nosso mapeamento, pode faltar produtos no 2º semestre. Nesse agora estamos vindo alinhados com o que planejamos”, disse, ressaltando, porém, que cerca de 90% dos insumos utilizados pela empresa são nacionais.

“Temos uma quantidade de fornecedores no Brasil suficientes para evitar desabastecimento (de insumo)”, acrescentou.



11h26 – Iguatemi (IGTI11) diz que vem retirando descontos no aluguel por pandemia e que preços deverão ser maiores que em 2019

Em março houve retirada agressiva de descontos sobre o aluguel. Ele afirmou que a empresa acompanha todos os segmentos para observar a recuperação, com escritórios e praças de alimentação vendo uma volta forte e cinemas e academias também apresentando recuperação. Ele ressaltou que o aluguel também vem crescendo em cerca de 50%, e que deverá ser maior do que o patamar de 2019.



11h24 – TIM (TIMS3) entra em nova era de distribuição de dividendos, diz CFO

Com novas avenidas de crescimento pela frente, foco em eficiência e rentabilidade, crescimento sustentável e geração de mais caixa, a TIM quer se posicionar entre os melhores pagadores de dividendos do setor na América Latina.

Segundo Camille Faria, CFO e diretora de relações com investidores da TIM, a companhia estava adotando uma postura de preservar liquidez até 2022, mas agora uma nova era começa em relação à remuneração dos acionistas.

“A intenção é, já referente a 2022, começar a distribuir o dobro do caixa do que já havia sido distribuído nos últimos 4 anos em forma de juros sobre capital próprio e dividendos se confirmadas as expectativas de geração da caixa”, destaca Faria.



11h23 – Iguatemi (IGTI11) diz que trabalha em aplicativo e fala em lançá-lo no segundo trimestre

Em teleconferência de apresentação de resultados, a CEO do Iguatemi, Cristina Betts, afirma que a companhia continua trabalhando em seu app e solucionando todas as questões relativas à ferramenta para lançá-la. “Se conseguirmos lançar no segundo trimestre vamos começar esse novo approach com os consumidores”, afirmou.



11h22 – Vulcabras (VULC3) diz que abril mantém bom ritmo do 1º trimestre, com carteiras de pedido “cheias”

Segundo o presidente da companhia, Pedro Bartelle, após os problemas do início do ano, por conta da nova onda da Covid, há tendência de manutenção de ganhos de rentabilidade.

“Até abril estamos com as carteiras cheias e o ritmo do primeiro trimestre segue no segundo trimestre”, disse, durante teleconferência com analistas.

Conforme o CFO da companhia, Wagner Dantas, os problemas com a Ômicron trouxeram desorganização da produção nas fábricas.



11h21 – JSL (JSLG3) registra margens resilientes apesar da pressão de custos no 1T22, diz BBA

Os resultados da JSL ficaram em linha com as estimativas do Itaú BBA, refletindo a capacidade da empresa em superar a pressão do cenário inflacionário severo. A empresa registrou uma expansão orgânica substancial em relação ao ano anterior em suas empresas adquiridas, bem como em sua própria base de clientes.

O banco reitera recomendação outperform para JSL e preço-alvo de R$ 13,50.



11h20 – Vulcabras (VULC3) destaca que grosso de aumento de custos ocorreu ao longo de 2021 

O presidente da companhia, Pedro Bartelle, destacou em teleconferência com analistas que os custos aumentaram ano passado, mas foram acompanhando de altas dos preços e adaptações das coleções.

Segundo ele, essa adaptação possibilitou à empresa obter ganhos de margens. “Existe uma demanda reprimida no mercado”, disse, acrescentando que a empresa vem sendo “agressiva em sua atuação”, possibilitando ganhos de fatia de mercado.



11h17 – Clientes de luxo têm visto condições melhores para comprar no Brasil do que no exterior, diz Iguatemi (IGTI11)

Em teleconferência de apresentação de resultados, a CEO do Iguatemi, Cristina Betts, afirmou que há uma mudança no mercado de luxo, com clientes compreendendo que podem comprar os mesmos produtos que compravam no exterior, mas com condições melhores. Assim, há marcas estrangeiras interessadas em acessar os clientes dentro do Brasil, e o Iguatemi busca capturar uma parcela maior desse público.

Ela disse ver força no interesse dos clientes. Em Ribeirão Preto e Rio Preto, por exemplo, houve início de cobrança de estacionamento em janeiro, sem que houvesse queda nas vendas, mesmo com o impacto da pandemia.

A executiva também afirmou que o efeito da remoção das máscaras e fim da tirada de temperatura foram fortes. Assim, ao longo do ano espera retomada da normalidade no mercado de luxo e em geral. Ela afirmou que o setor de cinema “sofreu demais” na pandemia, mas agora vê lançamentos de blockbusters e as salas voltando a lotar, assim como academias e cabeleireiros, por exemplo.



HORA DO MERCADO

11h15 – Ibovespa cai 1,37%, aos 105.070 pontos

O principal índice da bolsa brasileira volta a cair nesta quarta-feira, dia marcado por decisões sobre políticas monetárias por parte do Federal Reserve e do Banco Central brasileiro.

Os índices americanos também recuam, após chegarem a abrir em alta – o Dow Jones cai 0,01%, o S&P 500, 0,41%, e o Nasdaq, 1,20%.

A curva de juros, por aqui, avança em bloco. O DI para 2023 vê sua taxa subir dois pontos-base, a 13,13%, e o para 2025 vê a sua subir sete pontos, para 12,26%. Na ponta longa, os DIs para 2027 e 2029 têm seus rendimentos avançando seis e cinco pontos, respectivamente, para 12,10% e 12,21%.

Além das decisões monetárias, pesa hoje sobre a curva o fato de o dólar avançar, com o contrato futuro subindo 1,11%, a R$  5,057, a divulgação dos PMIs de serviços e composto, que mostraram uma economia mais aquecida em abril do que em março, e a alta do petróleo –  com o Brent subindo 3,46%, a US$ 108,60 o barril.

Com a alta do dólar e do petróleo, companhias aéreas são destaques entre as quedas do Ibovespa – as ações preferenciais da Azul (AZUL4) e da Gol (GOLL4) caem, respectivamente, 4,70% e 4,20%.  Além delas, a Marfrig (MRFG3) vê suas ações ordinárias recuarem quase 5% após publicar seu balanço na noite de ontem.

Já entre as maiores altas, estão os papéis ON do GPA (PCAR3), que publica seu resultado hoje após o fechamento do pregão, com mais 4,68%, e os da Klabin (KLBN11), que sobem 2,97% após a companhia divulgar seu balanço ontem.



11h10 – JSL (JSLG3) registra margens resilientes apesar da pressão de custos no 1T22, diz BBA

Os resultados da JSL ficaram em linha com as estimativas do Itaú BBA, refletindo a capacidade da empresa em superar a pressão do cenário inflacionário severo. A empresa registrou uma expansão orgânica substancial em relação ao ano anterior em suas empresas adquiridas, bem como em sua própria base de clientes.

O banco reitera recomendação outperform para JSL e preço-alvo YE22 de R$ 13,50.



11h08 – Cielo (CIEL3) antecipou gargalos com compra antecipada de maquininhas e não vê risco de fornecimento, explica CEO

Em coletiva de imprensa sobre os resultados da empresa no primeiro trimestre, o CEO Gustavo Sousa explicou que a Cielo adotou uma postura de antecipar movimentos, diante dos problemas na cadeia de fornecimento. “A Cielo já vinha com uma estratégia mais conservadora de direcionamento de terminais desde a pandemia”, explica.

Essa estratégia incluiu, segundo ele, a compra antecipada dos equipamentos, um aumento do leque de fornecedores e baixa exposição de subsídio aos terminais. O CEO disse ainda que a Cielo dispõe de um “bom estoque” de equipamentos, que pode suprir eventuais necessidades. “Não vejo risco de fornecimento de terminais para a Cielo”, concluiu.



11h05 – Para Bradesco BBI, resultados da Raízen (RAIZ4) devem ser mais fracos no fim do ano

O lucro da Raízen no 4T22 deve apresentar uma queda significativa em relação ao 3T22. Os resultados devem ser impactados por margens mais apertadas na distribuição brasileira de combustíveis, devido à alta volatilidade do preço do petróleo e volumes deprimidos em janeiro/fevereiro, por conta da ômicrom, levando a um cenário competitivo mais acirrado.

“Junto com seus resultados, a Raízen também deve divulgar seu guidance para o ano-safra 2023 (termina em março de 2023), que deve ser o principal ponto de atenção”, ressalta o BBI.



11h04 – Iguatemi ([ativo=IGTI11]) diz que estuda parcerias para lojas e pontos de coleta e entrega da Etiqueta Única

Em teleconferência de apresentação de resultados, a CEO do Iguatemi (IGTI3), Cristina Betts, afirmou que vê muita sinergia entre os negócios com o brechó de luxo Etiqueta Única – o Iguatemi comprou em março 23% da empresa. Betts afirmou que o sistema tem sinergias na ponta de produtos novos, com clientes que compram produtos de luxo e querem reciclar seus armários e que podem fornecer para a Etiqueta.

Ela disse que vê um aculturamento no Brasil, já visto em outros países, com uma maior disposição das pessoas de comprarem itens usados de marcas de luxo. A executiva afirmou que o público disposto a comprar produtos usados está aumentando. Entre as iniciativas em discussão estão instituir lojas físicas e pontos de coleta e entrega de produtos.



10h59 – Lula estampa capa da TIME: ‘o líder mais popular do Brasil busca um retorno à Presidência’

Lula na capa da TIME de maio de 2022



10h58 – Cielo (CIEL3): “É natural que pressão da inflação chegue para qualquer empresa”, diz CEO

Gustavo Sousa, CEO da companhia, diz que a alta dos preços tem dois efeitos para a Cielo. Por um lado, um impacto positivo, já que os bens comercializados ficam mais caros e os volumes transacionados tendem a amentar. “Mas é natural que a pressão da inflação chegue a qualquer empresa”, afirma Sousa.

A redução de custos chamou atenção nos resultados do primeiro trimestre da companhia, com a redução de subsídios nas vendas de maquininhas. Sousa disse que a empresa conseguiu diminuir gastos normalizados mesmo com aumento dos investimentos.  “Fazemos um questionamento diário de todo e qualquer gasto. É uma batalha diária questionar o que tem de pressão de inflação e eficiência”, afirmou.



10h55 – Iguatemi (IGTI11) diz que evitou conceder descontos em aluguéis no primeiro trimestre por pandemia e agora vê aumento do interesse

Em teleconferência de apresentação de resultados, a CEO do Iguatemi, Cristina Betts, afirmou a empresa decidiu não locar todos os espaços no primeito trimestre de forma a evitar conceder descontos por conta do argumento de que ainda havia impacto forte da pandemia. Ela diz que a decisão foi acertada para manter bons preços e as concessões feitas nos contratos são temporárias até chegar ao “preço certo”, disse.

Agora, ela afirma que o ritmo de vendas está sendo retomado, que a empresa está comprometida com “o fechamento de área vaga”, e que vem observando todo tipo de lojista, assim como novas marcas negociando espaços, animados com o ritmo de vendas das lojas.



10h53 – TIM (TIMS3): parceria com a FS focará em IPO em até 5 anos

A parceria da TIM (TIMS3) com a empresa FS gerará uma NewCo (nova companhia) que terá como foco realizar IPO (Oferta Pública Inicial) daqui a 3 a 5 anos, segundo Renato Ciuchini, VP de Novos Negócios e Inovação da TIM.

O objetivo é estabelecer uma nova parceria com foco em segurança que também permitirá à TIM ampliar o público de advertising e enriquecer o perfil de clientes “A TIM vai receber receita e vai receber equity de até 35%, que vai variar de acordo com o número de clientes e a receita gerada”, explica Ciuchini. Assim, a TIM receberá uma comissão por cliente “capturado” para a NewCo.



10h52 – Ações ordinárias da JSL (JSLG3) recuam 5,73%, a R$ 6,25, após balanço



10h48 – Iguatemi (IGTI11): “Momento não é propício para M&A’s”

Questionada em teleconferência de divulgação com analistas sobre a perspectiva de fusão com a Brookfield, a CEO do Iguatemi (IGTI3), Cristina Betts, afirmou que a empresa busca realizar aquisições em momentos propícios, levando em conta disponibilidades e o contexto macroeconômico, com fatores como a taxa de juros.

“Este momento não é um momento” para elevar a alavancagem. Ela afirmou que as condições pioraram neste primeiro trimestre, e que a empresa pretende retomar fusões e aquisições em momentos mais propícios.



Acessa o tempo real do InfoMoney todos os dias? Adicione este link aos favoritos do seu navegador!



10h47 – Units da Getnet (GETT11) caem 4,34%, a R$ 3,53, após tendências de receita mais fracas do que o esperado



10h46 – TIM (TIMS3) quer firmar parcerias com empresas para gerar valor aos clientes e diminuir churn

A companhia está focada em buscar empresas parceiras que possam contribuir com a estratégia da companhia de gerar valor para clientes, parceiros e acionistas para além do core da TIM. “Trocamos nossa base de clientes por equities. Queremos empresas que têm oferta disruptiva, bem posicionadas no setor e que receberemos equity com alto valor”, afirmou Renato Ciuchini, VP de Novos Negócios e Inovação.

A expectativa é que esse conjunto de participações deva gerar valor de mercado até 2027 de R$ 3 bihlões a R$ 5 bilhões. Com a participação da Oi, a TIM terá agora 65 milhões de clientes e mais de 1.000 pontos de venda pelo Brasil e espera, com isso, captar parcerias para fornecer mais serviços aos clientes.



10h45 – EUA: PMI de serviços tem leitura de 55,6 em abril ante consenso de 54,7



10h45 – EUA: PMI Composto tem leitura de 56 em abril, ante consenso de 55,1



10h43 – Cielo (CIEL3): Entendemos que estamos com preço “aderente” ao que o mercado está praticando, afirma CEO

Em teleconferência com jornalistas, o CEO da Cielo, Gustavo Sousa explica que a empresa começou a fazer um movimento gradual de elevação de preços em janeiro deste ano. Segundo ele, o quarto trimestre foi “preservado” dos reajustes para não prejudicar a competitividade dos clientes, por ser um período de datas importantes como a black friday e o Natal.

“A Cielo tem o compromisso de manter preço competitivo e adequado para os clientes. Estamos vendo um movimento racional de reposicionamento de preço, levando em conta o aumento da Selic, e vamos acompanhar o que for movimento do mercado”, afirmou Sousa.



10h41 – Tesouro Direto: na Super Quarta, taxas de títulos sobem e voltam ao nível de março

Entre os papéis prefixados, o maior retorno era pago pelo Tesouro Prefixado 2033, com cupom semestral, no valor de 12,39%, acima dos 12,32% vistos um dia antes.



10h40 – Além do embargo ao petróleo russo, UE propõe novas exclusões do sistema SWIFT

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, propôs remover o maior banco da Rússia, o Sberbank, e duas outras empresas do sistema SWIFT, além de banir emissoras estatais russas de rádio das frequências europeias.

Von der Leyen ainda disse que a UE listou “oficiais militares de alta patente e outros indivíduos que cometeram crimes de guerra em Bucha. Nós sabemos quem vocês são. E vocês serão responsabilizados”. Outros indivíduos também estarão na sexta rodada de sanções. Entre eles, o chefe da Igreja Ortodoxa Russa, Patriarca Kirill, segundo a CNN internacional.



10h36 – Ações ON da Raia Drograsil (RADL3) recuam 0,45%, a R$ 20,03, com resultados pressionados por inflação e investimentos no digital



10h31 – As Units da Iguatemi (IGTI11) recuam 1,81%, a R$ 20,05, após divulgação de resultados no 1T22



10h30 – Bolsas em Nova York abrem mistas, em dia de Fomc

  • Dow Jones avança 0,10%, aos 33.158 pontos
  • S&P 500 sobe 0,07%, a 4.179 pontos
  • Nasdaq recua 0,07%, a 12.557 pontos


10h30 – Ibovespa cai 0,80%, aos 105.673 pontos

O principal índice da bolsa brasileira opera descolado dos futuros americanos, que avançam. São destaques entre as quedas do índice as ações da Marfrig (MRFG3), após a companhia divulgar seu balanço, e as aéreas – com Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4) recuando, respectivamente, 3,10% e 2,54%, impactadas pela alta do dólar e do petróleo.



10h22 – Ação ON da 3R Petroleum (RRRP3) sobe 2,46%, a R$ 44,63, com Ebitda recorde impulsionado por Brent, crescimento da produção e novos contratos de gás



10h21 – TIM (TIMS3): temos muita oportunidade para captar em fibra, diz head de soluções residenciais

A companhia afirmou que pretende acelerar seu crescimento por meio do novo modelo de asset light. O foco estará cada vez mais em ampliar o serviço de fibra óptica (FTTH).

Segundo Fabricio Bindi, head de soluções residenciais da TIM, dois terços dos clientes hoje estão em fibra – e esse percentual sobe 1% todo mês. “Isso permite vantagens no curto prazo e também para o longo prazo”, afirma.

Com a transição para a fibra óptica, a TIM ganha 30% em churn (cancelamentos) e tem um resultado positiva na captura de novos clientes, pois o FTTH chega a áreas onde antes não se conseguia crescer. “Tem muita oportunidade para a gente captar”, ressalta Bindi.



10h18 – Ação ON da Cielo (CIEL3) recua 2,92%, a R$ 3,32, após reportar números mistos



10h15 – Ibovespa recua 0,71%, aos 105.777 pontos



10h14 – Ações ON da Marfrig (MRFG3) recuam 4,13%, a R$ 17,42, apesar de resultados acima das expectativas



10h11 – Dólar futuro acelera alta para 1,12%, a R$ 5,059

Dólar comercial tem alta de 1,17%, a R$ 5,020 na compra e a R$ 5,021 na venda



10h08 – Papéis ON e PN da Petrobras (PETR3;PETR4) sobem, respectivamente, 0,91%, a R$ 33,36, e 0,73%, a R$ 30,47, acompanhando forte alta do petróleo no mercado internacional



10h08 – Morgan Stanley sobre XP (XPBR31): “é necessário mais cor no 2T22 para fazer as ações se moverem”

“A principal mensagem da teleconferência (de resultados) é que janeiro foi excepcionalmente difícil, dificultando a leitura dos resultados do 1T22”, explica o Morgan Stanley. “Dito isso, a recuperação está acontecendo: as receitas de março já estavam 45% acima da média de janeiro/fevereiro”.

A XP perdeu receitas, Ebitda e lucro líquido, principalmente devido a um janeiro excepcionalmente difícil, segundo a própria empresa. A taxa de aceitação do varejo foi a culpada, dada a relevância que os fluxos de entrada, os mercados de capitais e a atividade comercial têm sobre as receitas do varejo.



10h05 – Ibovespa abre em queda preliminar de 0,39%, aos 106.114 pontos



10h03 – TIM (TIMS3): investimentos em 5G serão uma alavanca para a eficiência

A TIM (TIMS3) levou 4,5 anos para ultrapassar 50% do tráfego no ciclo 4G. A perspectiva é de ser ainda mais rápido para o 5G. “Vamos entregar a melhor rede do Brasil”, afirmou Leonardo Capdeville, Chief Technology Information Officer da TIM.

A perspectiva, segundo Capdeville, é permanecer na fronteira de inovação. “A partir do próximo ano todos os nossos esforços serão concentrados no 5G, sendo o 4G uma rede de manutenção”, pontuou. Com isso, a economia potencial é de R$ 600 milhões em Capex até 2024 (upside para o guidance).

A TIM tem como objetivo estar presente em todas as cidades do Brasil até 2024. Mas, segundo Capdeville, essa meta pode ser alcançar ainda este ano.


9h58 – Raia Drogasil (RADL3) registra resultado fraco, conforme o esperado pelo Itaú BBA

Para os analistas do banco, os resultados do 1T22 da Raia Drogasil foram ligeiramente mais fracos do que o esperado em termos de rentabilidade e lucratividade. Apesar do sólido crescimento da receita líquida, a pressão inflacionária e os investimentos digitais se intensificaram, levando a margem Ebitda ajustada para 5,6%, queda de 1,4 ponto percentual em relação ao trimestre anterior.

O Itaú BBA mantém avaliação market perform para a empresa e preço-alvo de R$ 26.



10h00 – PMI Composto brasileiro tem leitura de 58,5% em abril, ante 56,6 em março



10h00 – PMI de serviços brasileiro tem leitura de 60,6 em abril, ante 58,1 em março



9h55 – Marfrig (MRFG3) vê aumento da ocupação da capacidade instalada em 2022

Em teleconferência de apresentação de resultados, Miguel Gularte, CFO e diretor de relações com investidores do frigorífico, afirmou que o mercado doméstico está estável, com uma oferta de gado maior. Neste mercado, o investimento da empresa é em venda de carne com marcas, que dobraram, e também food services – com forma maior, por exemplo, no delivery destes serviços.

Entre as exportações, 70% vão à China – a diretoria da Marfrig afirmou que a expectativa é que a demanda internacional continue elevada, com o dólar em um patamar “interessante”, acima de R$ 5.



9h54 – TIM (TIMS3) está fortalecendo o core business para gerar fluxo de caixa e expandir dividendos

A proposta é ter, nos próximos anos, crescimento do topline com geração de valor, com foco em inovação. O objetivo será o fortalecimento dos negócios core e uma das ambições é tornar-se a melhor operadora móvel do Brasil até 2027, com com melhoria de rede, qualidade para o cliente e melhores ofertas. Essa alavanca será impulsionada com a base de clientes advinda da Oi.

Na banda larga, que é um mercado em crescimento, a expectativa da TIM é dobrar o tamanho na modalidade asset light com a parceria da I-System.

Segundo o CEO, a expansão de dividendos da companhia seguirá a consistência do FCF (fluxo de caixa).



9h53 – Morgan Stanley mantém avaliação overweight para Isa CTEEP (TRPL4) e preço-alvo de R$ 29 após balanço

A equipe de análise do banco americano destaca que o Ebitda ajustado veio em linha com suas estimativas. Por outro lado, o lucro líquido de R$ 113 milhões ficou aquém das estimativas, principalmente devido a resultados financeiros abaixo do esperado.



9h50 – Lockdown não afeta consumo na China, diz Marfrig (MRFG3)

Em teleconferência de apresentação de resultados sobre seus planos para alocação de capital, Miguel Gularte, CFO e diretor de relações com investidores da Marfrig, afirmou que o lockdown atual na China não vem afetando o consumo no país.



9h49 – Marfrig (MRFG3) pretende investir em produtos com valor agregado

Questionado em teleconferência de apresentação de resultados sobre seus planos para alocação de capital, o CFO da Marfrig, Tang David, afirmou que a empresa pretende investir em produtos com valor agregado e distribuir dividendos dentro do patamar de 25% previsto em lei. Por enquanto não há planos de recompra de ações.

O executivo afirmou que entre os fatores que explicam a melhora do capital de giro estão o aumento das vendas na China e as vendas para o setor de food service.



9h48 – Ômega (MEGA3) reporta números fracos sobre pressão de custo e ventos pouco inspiradores, avalia Credit Suisse

Os resultados operacionais ajustados da Omega no 1T22 foram mais fracos do que o esperado, principalmente devido a despesas gerenciáveis ​​piores do que o estimado, resultados ruins na unidade de comercialização e geração eólica fraca em uma base anual. Na bottom line, os resultados se beneficiaram da marcação a mercado positiva da unidade de negociação, mas também apresentaram efeitos negativos não recorrentes.

Os analistas acreditam que o principal gatilho para ação agora é o desenvolvimento de novos projetos do portfólio, após a fusão para criação da Omega Energia.

O banco mantém classificação outperform para o papel, e preço-alvo de R$ 14,60 frente a cotação de terça-feira (03) de R$ 10,56.



9h47 – 3R Petroleum (RRRP3) reporta Ebitda recorde impulsionado por Brent, crescimento da produção e novos contratos de gás, diz BBI

Para analistas, a empresa vem apresentando bons resultados em suas operações, apesar de aumentar sua estrutura de G&A antes de operar todas as suas aquisições.

BBI mantém avaliação outperform para 3R e preço-alvo de R$ 111,00, um potencial valorização de 115%.



9h43 – Isa Cteep (TRPL3;TRPL4) não prevê alterar prática de dividendos

Carisa Portela Cristal, CFO da companhia, disse a analistas de mercado nesta quarta (4), durante a apresentação dos resultados do 1T22, que não tem previsão de alterar prática de dividendos, que é a mesma desde de junho de 2018. “Nossa prática, prevê pagamento de até 75% do lucro líquido regulatório”, afirmou.



9h42 – TIM (TIMS3): alavancagem está bastante confortável, diz CFO

Com alavancagem de 0,67x no primeiro trimestre, a tele espera terminar o ano com alavancagem abaixo de 2x, com “posição de alavancagem bastante confortável para a companhia”, segundo a CFO, Camille Faria.

Segundo Faria, a companhia vinha se preparando para dois eventos importantes em 2022: a aquisição da Oi e a implementação do 5G. Por isso, acumulou R$ 10 bilhões no fim do ano passado. Já no primeiro trimestre boa parte foi investida em 5G e, mesmo assim, a empresa conseguiu gerar caixa.



9h40 – Vulcabras (VULC3): BBI mantém classificação neutra apesar de avaliar que resultados superaram expectativas

A equipe de análise do Bradesco BBI observa que o crescimento de margens e receitas teve impulso, principalmente, do mercado internacional, em vez do doméstico. Ainda assim, as receitas no Brasil cresceram aproximadamente 50% em relação a 2019 o que, na visão dos analistas, mostra que a Vulcabras está saindo da pandemia mais forte do que quando as restrições começaram.

A análise destaca também que as as margens estão nos níveis mais altos em muitos anos, o que mostrar uma boa gestão de volumes maiores e uma execução forte, de maneira geral. “O fato de a Mizuno estar operando com velocidade total vai dar suporte às margens nos próximos trimestres”, escreveram os analistas.

O BBI manteve recomendação neutra para VULC3 com preço-alvo de R$ 12, potencial de valorização de 20%. Na parte de vestuário e acessórios, a casa mantém preferência por Renner, com potencial de valorização de 57% e valuation atrativo.



9h38 – Isa Cteep (TRPL3;TRPL4) diz não ter planos para cortar custos

Durante a apresentação dos resultados do 1T22 a analistas mercados, nesta quarta (4), Rui Chammas, diretor-presidente da ISA CTEEP (TRPL3;TRPL4), disse que “não tem plano de fazer medidas pontuais de otimização de custos”. Segundo ele, “o que a companhia faz de forma permanente é um trabalho de busca de produtividade para que ele ganhe escalabilidade”.



9h34 – Iguatemi (IGTI11): vendas acima do níveis pré-pandemia impulsionam a recuperação de aluguéis, avalia BBI

Para analistas, os resultados fortes da companhia são mais uma evidência da recuperação de aluguel melhor do que o esperado dos operadores de shoppings listados, embora com despesas financeiras impactando negativamente o fluxo de caixa proveniente das operações (FFO, na sigla em inglês).

A Iguatemi está sendo negociada com um desconto P/FFO relativo de 38% para MULT3, que analistas do banco consideram excessivo em relação ao nível histórico de 14%.

BBI mantém classificação outpeform para Iguatemi e preço-alvo de R$ 32.



9h31 – Marfrig (MRFG3): Ebitda superou expectativas e reação do mercado deve ser positiva, prevê BBI

Os analistas Leandro Fontanesi e Victor Romano destacam o crescimento do Ebitda consolidado do frigorífico, que ficou 6% acima das expectativas do mercado.  As receitas operacionais também vieram mais fortes que o esperado. A receita líquida, no entanto, ficou abaixo do esperado pelo BBI e pelo mercado, com o efeito negativo da marcação a mercado de sua fatia na BRF tendo impacto de R$ 795 milhões.

Apesar do resultado melhor que o esperado, o BBI mantém recomendação neutra para MRFG3 e preço-alvo de R$ 22. A casa se mantém cautelosa sobre uma deterioração anual nas margens de US Beef, com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos prevendo uma menor disponibilidade de gado em 2022, o que deve elevar os custos.



9h30 – EUA: Balança comercial fica negativa em US$ 109,7 bilhões em março, maior déficit de todos os tempos

Diferença entre importações e exportações foi de 22,3% – US$ 241,7 bilhões e US$ 351,5 bilhões, respectivamente.



9h27 – Marfrig (MRFG3) reporta resultados fortes, em linha com as estimativas da XP

O time de análise da XP comenta que a Marfrig apresentou mais um trimestre forte, marcando recorde de 1º Trimestre na unidade da América do Norte, enquanto mostrou uma forte recuperação na América do Sul.

A XP continua otimista com a capacidade da empresa de navegar em águas tão turbulentas, então reitera recomendação de compra preço-alvo de R$ 34,80.



9h25 – Tegma (TGMA3) têm resultados novamente afetados por paralisações de OEM, aponta BBA

O time de research do banco diz que a Tegma apresentou resultados pouco inspiradores no 1T22, apesar do Ebitda e do lucro líquido acima do esperado, que foram impulsionados por receitas não recorrentes na divisão de logística.

As paralisações de OEM levaram a um declínio trimestral e anual nos veículos transportados. A empresa compartilhou suas crescentes preocupações com o impacto de possíveis gargalos de fornecimento resultantes do conflito Rússia-Ucrânia e bloqueios na China nos próximos trimestres, o que pode levar a uma recuperação atrasada.

O banco mantém classificação outperform para o papel, e preço-alvo de R$ 22 frente a cotação de terça-feira (03) de R$ 14,40.



9h22 – TIM (TIMS3): estamos tendo crescimento de receita consiste, diz CEO

O CEO da TIM (TIMS3), Alberto Mario Griselli, comemorou o crescimento de receita da empresa no 1TRI22 em todas as linhas de negócios.

Ele destacou especialmente o resultado do pré-pago móvel, que voltou a estar positivo, com alta de +3,2 a/a. “Esse resultado me deixa muito orgulhoso”, segundo ele.

O resultado foi impactado pela eliminação das restrições da pandemia, o pagamento do Auxílio Brasil e um conjunto de medidas de natureza comercial de ações da TIM que estão ajudando a subir as despesas.



9h20 – Juros futuros operam em alta: DIF23, +0,01pp, a 13,11%; DIF25, +0,03pp, a 12,23%; DIF27, +0,03pp, a 12,07%; DIF29, +0,01pp, a 12,17%; DIF31, +0,02pp, a 12,26



9h17 – Isa Cteep (TRPL3;TRPL4) energiza 5 projetos nos próximos 6 meses

Na apresentação dos resultados do 1T22, analista de mercado, nesta quarta (4), pela manhã, a Isa Cteep (TRPL3;TRPL4) informou que nos próximos seis meses energizará seis IEs (interligação elétrica).

Rui Chammas, CEO da companhia, disse que “nos últimos seis anos a empresa arrematou 14 lotes de transmissão, sendo que cinco já foram energizados. Os noves restantes, seis estão avançados, adicionando aproximadamente R$ 380 milhões à receita da companhia”.



9h15 – EUA criam 247 mil empregos no setor privado em abril, mostra ADP, abaixo do esperado



9h14 – Iguatemi (IGTI11) apresenta resultados sólidos no 1T22, diz BBA

O Itaú BBA comenta que uma melhor resultado na cobrança de aluguéis levou a empresa a superar suas estimativas. Na frente operacional, a empresa divulgou fortes números de vendas para abril.

Os aluguéis mesmas lojas (SSR, na sigla em inglês) aumentaram sólidos 49%, sugerindo que a empresa está conseguindo repassar parcialmente a inflação para os contratos.

O banco mantém classificação market perform para o papel, e preço-alvo de R$ 23,8 frente a cotação de terça-feira (03) de R$ 20,42.



9h13 – Em decisão extraordinária, BC da Índia aumenta juros em 40 pontos-base, a 4,40%

O Banco de Reserva da Índia (RBI, na sigla em inglês) aumentou a taxa básica de juros em 40 pontos-base, a 4,40%, em decisão de política monetária divulgada nesta quarta-feira, 4. A elevação foi definida em reunião extraordinária, diante de preocupações com a escalada da inflação.

Os juros estavam estacionados no nível mínimo histórico de 4% desde o início da pandemia. A autoridade monetária, no entanto, concluiu que, após o encontro mais recente, no mês passado, os gargalos de oferta decorrentes de tensões geopolíticas persistiram. (Estadão Conteúdo)



9h10 – TIM (TIMS3): resultado não trouxe surpresas e atenções se voltam para ativos da Oi móvel, afirma BBI

Para os analistas do Bradesco BBI, os números da TIM no primeiro trimestre vieram em linha com as expectativas as atenções do mercado seguem voltadas ao potencial de criação de valor com a incorporação de ativos móveis da Oi.

Em seu investor day, é esperado que a Tim revele informações adicionais sobre seu plano estratégico para os próximos. O BBI avalia que o papel não está caro, com EV/ Ebitda em 4,5 vezes, “ainda que o mercado precise de mais evidências sobre sinergias futuras, para que uma reclassificação dos papéis se materialize”.

A TIM obteve lucro líquido normalizado de R$ 419 milhões no 1º trimestre de 2022, com alta de 51,2%. A receita líquida cresceu 8,9% entre janeiro e março, totalizando R$ 4,727 bilhões.

O BBI tem recomendação outperform para TIMS3, com preço-alvo de R$ 19, potencial de valorização de 40% sobre o preço de fechamento de ontem.





9h08 – Cielo (CIEL3) reporta números ligeiramente positivos, diz Credit Suisse

A receita líquida acelerou para 15,2% a/a, mas ficou 8% abaixo consenso devido à desconsolidação da M4U e a um rendimento de receita mais fraco do que o esperado no negócio de adquirência.

Por outro lado, o Ebitda superou o consenso em 6% devido ao bom controle de custos. A margem Ebitda recorrente aumentou para 25,8% de 24,8% no 4T. Finalmente, o lucro líquido recorrente superou o consenso em 10%, apesar dos lucros fracos de aquisição, devido aos fortes resultados da Cateno.

O banco mantém classificação neutra para o papel, e preço-alvo de R$ 2,50 frente a cotação de terça-feira (03) de R$ 3,42.



9h06 – Dólar futuro sobe 0,46%, a R$ 5,026; comercial avança 0,42%, a R$ 4,983 na compra e a R$ 4,984 na venda 



9h03 – Marfrig (MRFG3): América do Norte continua apresentando margens sólidas e a América do Sul surpreendeu positivamente, destaca BBA

O Ebitda de R$ 2,7 bilhões no 1T22, superou as estimativas do BBA e o consenso em 6%. Já a queima de caixa foi menor que o esperado.

A alavancagem em dólares permaneceu estável apesar da distribuição de dividendos e do follow-on da BRF. Dessa forma, BBA mantém avaliação outperform e preço-alvo de R$ 26.



9h01 – Ibovespa futuro abre com baixa de 0,10%, aos 107.700 pontos



8h59 – Tim (TIMS3) reporta números positivos, com destaque para forte aceleração da receita, aponta Credit Suisse

Analistas também destacam que a margem Ebitda veio abaixo das estimativas devido aos custos de leaseback da rede, mas deve se recuperar no segundo trimestre com a aquisição da Oi móvel e atender à estimativa de consenso do ano inteiro.



8h57 – Cielo (CIEL3) reporta resultado neutro no primeiro trimestre, avalia BBA

A aquisição foi fraca, mas confirmou que a piora em termos de rentabilidade já passou, indicando um 2T22 mais forte pela frente.

Cateno registrou receitas saudáveis ​​e margens adicionadas. O lucro líquido majoritário ficou em R$ 185 milhões, um pouco acima do consenso, vendo as ações sendo negociadas a 10x P/E ’22e.

BBA mantém avaliação market perform e preço-alvo de R$ 5,20.



8h54 – 3R Petroleum (RRRP3) apresenta resultados fortes no primeiro trimestre, como esperado pelo BBA

O Ebitda ajustado da empresa ficou em R$ 209 milhões, acima da expectativa do BBA de R$ 187 milhões.

Daqui para frente, analistas esperam que os investidores se concentrem na capacidade de execução da empresa. Dada a mudança do 3R em direção ao crescimento orgânico, o banco prevê alguns marcos importantes à frente, incluindo: a planta de separação de óleo e água a ser comissionada em junho, o que provavelmente aumentará a produção no cluster de Macau; e a conclusão da aquisição de alguns campos, que já foram assinados pela empresa.

BBA reiteira avaliação outperform para o papel e preço-alvo de R$ 61.



8h49 – JSL (JSLG3) registra alta da margem Ebitda apesar da pressão de custo, pontua BBI

O lucro líquido ficou em linha com as estimativas do BBI e consenso, com aumento de 25% na receita de logística dedicada, refletindo novos contratos com melhores preços; crescimento do transporte de cargas com a consolidação da Marvel e Rodemeu; receita de distribuição urbana, alavancada pelo crescimento orgânico dos clientes existentes; e crescimento de armazenagem, impulsionado pela consolidação da TPC.

Do ponto de vista de custos, o aumento dos preços dos combustíveis continua pressionando as operações, mas os novos contratos já incorporam mecanismos de reajuste de preços e, apesar dos atrasos naturais, a JSL tem conseguido repassar esses custos. A JSL registrou forte EBITDA de R$ 220 milhões, em linha com BBie e Street.

O banco mantém classificação outperform para o papel, e preço-alvo de R$ 16 frente a cotação de terça-feira (03) de R$ 6,63.



8h47 – Isa CTEEP (TRPL4) reporta número em linha com as expectativas do BBA

A equipe de análise do Itaú BBA diz que o Ebitda ajustado recorrente ficou em linha com suas estimativas, mas abaixo do ano anterior devido ao impacto negativo do reperfil Rede Básica Sistema Existente (RBSE) anunciado pela empresa em abril de 2021. Isso, no entanto, já foi precificado pelo mercado. O próximo evento importante a ser monitorado é o leilão de transmissão previsto para junho.



8h42 – Iguatemi (IGTI11): acelera com sucesso a redução de descontos, avalia Credit Suisse

Embora a empresa tenha acelerado a redução dos descontos aos aluguéis após a Multiplan, vem comprovando sua capacidade de aumentar os aluguéis praticamente no mesmo ritmo (SSR de março em 55%), mantendo suas operações em boa forma (taxa ocupação cresceu 70 bps em relação ao trimestre anterior). À medida que as vendas continuam a ganhar força e ainda há potencial de aumento da retomada total do fluxo de clientes, o banco espera que a empresa continue colhendo os benefícios do momento positivo.

Credit Suisse reforça sua classificação outperform para Iguatemi e preço-alvo de R$ 29.



8h30 – Marfrig (MRFG3) registra recorde atrás de recorde, diz Credit Suisse

A Marfrig divulgou fortes resultados do 1T22, com Ebitda ajustado de R$ 2,7 bilhões, superando as estimativas em 8,6%. Analistas lembram que o 1º trimestre é sazonalmente tímido na frente operacional, mas este trimestre foi outra exceção, impulsionado por um recorde de margem Ebitda de 15% para a National Beef.

Na América do Sul, o banco começa a ver alguns sinais de melhora, com volumes crescendo 11% a/a. As margens Ebitda melhoraram quase 300 bps t/t para 6,4%, mas continuaram sendo negativamente afetadas pelos preços ainda altos do gado. Em suma, analistas esperam uma reação positiva no pregão desta quarta-feira.

O banco mantém classificação outperform para o papel, e preço-alvo de R$ 26 frente a cotação de terça-feira (03) de R$ 18,17.



8h13 – Getnet (GETT11) lucra R$ 98,9 milhões no 1º trimestre, alta de 76,1% na base anual

A companhia explica que o resultado foi em função do “crescimento das receitas da empresa, positivamente impactado pelo crescimento do TPV e volumes de antecipação, efeito parcialmente atenuado por aumento no SG&A, principalmente devido a investimentos no Canal Independente e aumento do quadro de funcionários”.



7h58 – Ômega (MEGA3) tem alta de 2% no prejuízo no 1º trimestre, para R$ 95,9 milhões

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado também recuou 2% no 1T22, totalizando R$ 232,3 milhões. O resultado financeiro negativo, por sua vez, avançou 9%, para R$ 160,1 milhões.



7h50 – Radar InfoMoney: Eletronorte, da Eletrobras (ELET3), aprova aumento de capital; bateria de balanços e dividendos em destaque



Acessa o tempo real do InfoMoney todos os dias? Adicione este link aos favoritos do seu navegador!



7h37 – 3R Petroleum (RRRP3) reporta prejuízo de R$ 335,1 milhões no 1º trimestre, alta de 662,2% na base anual

Apesar de alta de 67,9% da produção, chegando a 9.194 barris ou equivalentes por dia, e de 150,3% do lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês), para R$ 198,5 milhões, companhia viu também seus gastos financeiros saltarem consideravelmente – chegando a R$ 433,5 milhões.



7h33 – Futuros americanos têm leve alta, em dia de decisão do Fomc

Os índices futuros dos EUA sobem de maneira fraca antes da decisão do Fed sobre a política monetária do país. Os mercados se posicionam com cautela para um Fed hawkish (com uma sinalização dura sobre os juros e preocupação com a inflação), com alta de 50 pontos-base na taxa de juros e com o banco central americano também anunciando um plano para cortar seu balanço de cerca de US$ 9 trilhões em US$ 95 bilhões por mês, a partir de junho.

Veja o desempenho dos mercados futuros:

  • Dow Jones Futuro (EUA), + 0,20%
  • S&P 500 Futuro (EUA), + 0,48%
  • Nasdaq Futuro (EUA), + 0,22%


7h32 – Criptos hoje: Bitcoin recupera US$ 39 mil, evita queda mais forte e deixa altcoins em compasso de espera em dia de Fomc



7h27 – Europa opera em queda, com investidores monitorando embargo ao petróleo russo 

Investidores, no Velho Continente, monitoram as novas notícias sobre como as autoridades europeias irão se portar frente à Rússia – a União Europeia propôs o corte gradual, em seis meses, do petróleo russo. O corte do petróleo russo é visto como uma ameaça grande à economia europeia, que pode cair em recessão.

Além disso, investidores globais aguardam uma decisão crucial de política monetária do Federal Reserve dos EUA.

  • FTSE 100 (Reino Unido), -0,52%
  • DAX (Alemanha), -0,25%
  • CAC 40 (França), -0,55%
  • FTSE MIB (Itália), -0,38%
  • STOXX 600 (Zona do Euro), – 0,58%


7h20 – Bolsas asiáticas fecham em queda; Japão e China continuam fechados por feriados

Os mercados asiáticos fecharam em baixa puxados pela queda nas empresas de tecnologia chinesas em Hong Kong, especialmente depois de os EUA iniciarem uma investigação sobre a caótica estreia da Didi Global  em 2021 em Nova York. Japão e China continuam fechados em razão dos feriados.

  • Shanghai SE (China), fechado por feriado
  • Nikkei (Japão), fechado por feriado
  • Hang Seng Index (Hong Kong), -1,10%
  • Kospi (Coreia do Sul), -0,11%


Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe