Notícias Corporativas

OFERECIDO POR

Como os gestores do setor de saúde têm cuidado de suas emoções perante os desafios e transformações constantes da área será mote de evento inédito no País

Temas como neuroliderança, neurobusiness e como potencializar o cérebro para gerar melhores negócios no segmento, lidar com o estresse e cuidar da mente farão parte da programação do 1º Seminário de Neurociência Aplicada ao Administrador e Gestor de Saúde, que acontece em 04 de dezembro, em São Paulo.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Imensas transformações digitais e corporativas ocorrem diariamente, mas qual é a transformação que acontece dentro das mentes dos executivos da área de saúde que estão à frente disso tudo? Ajudar os profissionais da área a trabalhar o seu cérebro perante os desafios é a proposta do 1º Seminário de Neurociência Aplicada ao Administrador e Gestor de Saúde, uma iniciativa da Federação Brasileira de Administradores Hospitalares (FBAH), que acontece no dia 04 de dezembro, das 8h às 19h, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo.

Seguindo viés comportamental, o evento, que é inédito no País, abordará questões como pressão por resultados, ansiedade e estresse, além de como potencializar a mente para atingir alto desempenho associado ao bem-estar mental. O eixo temático vai girar em torno dos pilares neuroliderança, neurobusiness, neuromarketing, Design Thinking e como o cérebro humano pode atuar em conjunto com a tecnologia para trazer benefícios ao sistema de saúde e para ele mesmo.

Um complemento fundamental para a capacitação do executivo do setor

PUBLICIDADE

Inúmeros são os fóruns que trabalham hoje perante mudanças regulatórias, atenção primária a saúde, tecnologia, experiência do paciente, gestão de riscos, entre outros temas essenciais para preparar técnica e intelectualmente o executivo da área. Mas, como fica o ser humano por trás destas questões? Como sua mente reage? E, principalmente, quais são os cuidados com ela?

“Como administradora da área, posso falar que, muitas vezes, não paramos para pensar no impacto que tudo isso traz para o nosso cérebro, simplesmente, fazemos. Com isso, também aumentamos a carga horária de trabalho, o que leva à diminuição das horas de sono e ao crescimento do estresse e do cansaço. A soma de todos esses fatores pode acarretar em esgotamento físico e mental intenso e até desencadear problemas, como Síndrome de Burnout, depressão e crises de ansiedade”, explica Liliana Cherfen, presidente da Federação Brasileira de Administradores Hospitalares (FBAH).

“Esta realidade, infelizmente, está presente em várias categorias de profissionais e estudantes da saúde. E este foi o panorama que nos motivou a criar um evento específico para tratar sobre o amparo necessário que a mente precisa para enfrentar problemáticas, assim como potencializar o que ela tem de melhor. Em plena era da inteligência artificial, dos dados, nunca foi tão necessário cuidar do ser humano. Afinal, é ele o responsável por criar processos disruptivos e inovar para gerar melhoria para a vida e para o mundo”, completa Cherfen.

Nomes renomados da área estarão no debate

Com público estimado entre 300 e 400 lideranças do setor de saúde, entre CEOs, superintendentes e diretores, além de gestores de instituições públicas e privadas, estudantes e startups da área, o 1º Seminário de Neurociência Aplicada ao Administrador e Gestor de Saúde contará com a presença do doutor em ciências, psiquiatria, psicologia médica e sócio-diretor da NeuroVox, Pedro Calabrez; da  especialista em neuromarketing e autora dos livros “Liderança Tóxica”, “Leve o Coração para o Trabalho” e “Atreva-se a Mudar!”, Alessandra Assad; do CEO do Instituto Gente (responsável pelas publicações e cursos de Roberto Shinyashiki) e da WeMentor (startup de cursos de educação baseada em inteligência emocional), Arthur Shinyashiki; do professor, palestrante e especialista em educação, gestão, tecnologia, neurologia e autor do livro “Depois de aprender: o que eu faço”, Hamilton Silva – Fradinho, entre outros importantes nome da área.

Temas como “A importância do estudo das emoções na era da Transformação Digital”, “Funcionamento da mente para lidar com desafios do sistema de saúde” e “Como a neurociência pode ajudar a gerir pessoas” estarão presentes na programação, que também contará com teste de estresse nos stands das startups, vivências, além de rodadas de network e coquetel no final com música ao vivo. Confira as atrações em: https://seminarioneurociencia.com.br/programacao/

PUBLICIDADE

Doença na saúde  

De acordo com dados da Fundação Americana para a Prevenção do Suicídio, de 300 a 400 médicos tiram a própria vida todos os anos nos Estados Unidos. É praticamente uma morte por dia. Estudos recentes têm apontado uma cifra três vezes maior de suicídio na categoria no comparativo com a população em geral. No Brasil, embora não existam pesquisas de abrangência nacional que contabilizem os casos, há cada vez mais médicos que dão entrada nos serviços de emergência de hospitais por tentativas de suicídio.

A fragilidade da saúde mental da classe médica fica evidente no levantamento feito pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas (Uniad), com o apoio do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp). O estudo feito durante uma década aponta que a causa da morte de 1,7% dos médicos paulistas entre 2000 e 2009 foi o suicídio. No levantamento, contabilizando as mortes por causas externas (exclui doenças, por exemplo), tirar a própria vida só fica atrás de acidente de carro: o suicídio é a causa da morte de 18% dos homens e 21% das mulheres. Essa é a única pesquisa realizada no Brasil sobre o tema. E o motivo para isso é a dificuldade que os médicos têm de detectar o próprio sofrimento e se ver como pacientes.

Entre os profissionais de enfermagem, a situação não é diferente. Na linha de frente do atendimento ao paciente, os enfermeiros enfrentam situações de sobrecarga, estresse e violência. Segundo pesquisa do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), apenas 29% dos profissionais se sentem seguros em seus ambientes de trabalho. A pressão e a jornada exaustiva voltaram à discussão nacional com casos recentes de suicídio também entre os enfermeiros.

“As doenças e fragilidades dos profissionais de saúde não são exploradas a fundo. Não existe o hábito cultural de se fazer isso. A fragilidade humana não é vista como algo intrínseco ao profissional da área como a qualquer outro ser humano. E, é o gestor, responsável também por administrar esta situação”, destaca Liliana Cherfen. “A informação é a melhor maneira de melhorar a saúde mental dos profissionais de saúde. Universidades, conselhos de classe, sociedades e associações têm promovido ações de grande importância. Mas, ainda há muito trabalho pela frente. A realização do 1º Seminário de Neurociência Aplicada ao Administrador e Gestor de Saúde é uma das nossas contribuições para as mudanças positivas que o setor almeja”, finaliza.


Sobre a FBAH

A Federação Brasileira de Administradores Hospitalares (FBAH) tem com missão promover a melhoria da saúde no Brasil, o aprimoramento, a qualificação e a valorização profissional dos gestores e dos administradores hospitalares. A FBAH implementa o cuidado que começa “de dentro para fora”, ou seja: dos profissionais da área para os demais públicos, de modo que sintam-se preparados para lidar com os desafios e transformações constantes do setor. Seu objetivo é fomentar a manutenção e a recuperação da saúde dos profissionais do setor, criando um ambiente administrativo saudável e inspirador dentro das instituições. 


1º Seminário de Neurociência Aplicada ao Administrador e Gestor de Saúde

Data e Horário: 04 de dezembro, das 9h às 18h
Local: Centro de Convenções Frei Caneca: Rua Frei Caneca, 569, 5º andar – Consolação, São Paulo.
Informações e Inscrições: https://seminarioneurociencia.com.br/

Texto de Alexandra Ebert e Higor Gonçalves – Ebert Comunicação

Solicitações de imprensa e influenciadores digitais
Ebert Comunicação
Higor Gonçalves – Public Relations do 1º Seminário de Neurociência Aplicada ao Administrador e Gestor de Saúde: higor.fgoncalves@gmail.com / (11) 97031.8503

Para patrocinar e apoiar
Alexandra Ebert – organização e comunicação: alexandra@decida.com.br/ (11) 99109-9632
Solange Oliveira – comercial – solange@decida.com.br

Realização
Federação Brasileira de Administrador Hospitalares (FBAH)

Apoio
Abramge – Associação Brasileira de Planos de Saúde
Universidade Corporativa Abramge
Instituto IBTF – Educação, Gestão e Tecnologia
Inlags – Instituto Latino Americano de Gestão em Saúde
Harvard Business Reviews
Revista Mente e Cérebro
Centro de Convenções Frei Caneca
Health Minds – The Academy of Experiences
Shark Minds
ABC da Comunicação
Revista Melhor Gestão de Pessoas
Convergência
ABCIS – Associação Brasileira de CIO de Saúde
CRA – Conselho Regional de Administração do Estado de São Paulo

Organização e comunicação
Ebert Comunicação
Decida Assessoria

 

 

 

 

 

Website: https://seminarioneurociencia.com.br/