Em negocios / noticias-corporativas

Histórias são o novo ingrediente dos palestrantes motivacionais

Enquanto na visão de muitas pessoas, as palestras motivacionais servem apenas para fazer com que outras se sintam melhor, esses novos contadores de histórias tem o objetivo de fazer com que a sua apresentação seja lembrada, sentida e que cause efeitos no futuro.

Atualmente, o mercado de palestras motivacionais movimenta cerca de 100 milhões de reais no Brasil por ano, número que se torna ainda mais interessante quando percebemos a quantidade de pessoas que tem entrado nesse mercado nos últimos anos. Mas, se por um lado esse mercado tem crescido tanto, por outro, a concorrência e as dificuldades de se tornar um palestrante motivacional também têm aumentado.

Para se ter uma ideia, o número de opções que uma empresa pode contratar para uma palestra motivacional já ultrapassa duas centenas, isso falando apenas dos nomes que estão em mais evidência. Mas então como é possível se destacar em um mercado tão complicado? A resposta pode estar no poder que o storytelling, ou simplesmente “contar histórias”, exerce sobre as pessoas.

Segundo o palestrante Flávio Muniz, contar histórias não é apenas uma forma de prender a atenção das pessoas, mas também de fazê-las perceber o caminho pelo qual o palestrante deseja as levar para que a palestra faça sentido em suas vidas.

“É tudo sobre transformação. Você não pode apenas levar uma pessoa do ponto A para o ponto B. Histórias precisam gerar transformação na vida das pessoas. O grande objetivo é fazer com que, ao fim da palestra, elas não sejam as mesmas de quando entraram naquele auditório”, afirma Flávio Muniz.

Não é de hoje que essa ferramenta faz a diferença. É certo que, desde os primórdios, a humanidade se interessa por histórias. Sejam elas as lendas contadas através das rodas em volta das fogueiras, as peças de teatro, os filmes ou até mesmo os vídeos da internet de atualmente. Para se ter uma ideia, o mercado de videogames no Brasil já está entre os 15 maiores do mundo e essa transformação não aconteceu por acaso. O grande investimento da indústria em roteiristas que souberam unir a arte de contar histórias com a diversão dos videogames fez com que a indústria ultrapassasse até mesmo a do cinema, tornando-se um dos mais lucrativos negócios de entretenimento do mundo.

E quando se fala em palestras motivacionais, não poderia ser diferente. Na hora de contratar um palestrante para seus funcionários, uma empresa avalia não só o currículo a sua popularidade, mas também a forma como ele capta a atenção das pessoas. E isso é um grande diferencial, segundo Flávio Muniz. “As pessoas gostam de ouvir histórias porque elas se sentem conectadas ao ouvi-las. É um tipo de coisa que consegue atingir a todos porque, em algum nível, todo mundo passa por transformações durante a vida. ”, afirma o palestrante, que utiliza exemplos de histórias personalidades como Albert Einstein e o Rei George IV para fazer uma analogia com sua própria história em suas palestras.

Enquanto na visão de muitas pessoas, as palestras motivacionais servem apenas para fazer com que outras se sintam melhor, esses novos contadores de histórias tem o objetivo de fazer com que a sua apresentação seja lembrada, sentida e que cause efeitos no futuro. “Existem técnicas, estrutura e é algo que exige muito estudo, mas se você não colocar sentimentos verdadeiros e uma mensagem verdadeira na sua história, ela não vai fazer sentido para ninguém.

A percepção das pessoas sobre o poder das histórias tem feito diversos setores crescerem exponencialmente, como é o caso dos games que citamos anteriormente. Essa nem tão nova novidade no mercado de palestras parece ser mais do que um diferencial, mas um respiro para um segmento que parecia estar perdendo fôlego. Ao mesmo tempo em que o mercado de palestrantes motivacionais vai se modificando, a forma como as histórias são contadas e como seu poder é usado para tocar a vida das pessoas também vai ganhando novas formas. De fato, tudo é sobre transformação.

Website: https://flaviomuniz.com.br/

 

Contato