Em negocios / noticias-corporativas

Consumo consciente deve nortear as festas de fim de ano

Apesar do crescimento nas vendas do comércio, consumidores devem prezar pela compra consciente.

O Natal já se aproxima e muitos consumidores fazem planos para as compras de final de ano. Porém, após uma alta taxa de endividamento e altos índices de desemprego e inadimplência, especialistas financeiros alertam sobre a importância de controlar o orçamento.

Segundo dados do Serasa, o movimento no comércio apresentou, em novembro, crescimento de 1% comparado a outubro. A pequena melhora foi impulsionada pelas ofertas da Black Friday, avanço do crédito, alívio inflacionário e a retomada da renda e do emprego.

Porém, o desemprego ainda atinge cerca de 13 milhões de brasileiros, o que acarreta uma tendência ao consumo mais consciente por grande parte da população durante o período de festas de fim de ano.

"O brasileiro não tem a cultura de poupar, porque ele nunca foi estimulado a isso. Muito pelo contrário, a política macroeconômica levou a população ao hiperconsumo. Mas, com o cenário econômico atual, as pessoas precisam começar a cuidar de suas finanças e não contrair dívidas que não terá condições de pagar", afirma Fábio Araújo, diretor de Operações da MFM.

Pensando em que está inadimplente e vai aproveitar o 13º salário para regularizar suas pendências, o Serasa Experian decidiu prorrogar até o dia 16 de dezembro o Feirão Limpa Nome, que terminaria no dia 30 de novembro. As renegociações seguem somente de forma digital e mais de 1 milhão de pessoas renegociaram pelo menos uma dívida no feirão, número que representa um grande aumento se comparado a 2016, quando apenas 320 mil pessoas haviam conseguido renegociar suas pendências.

Seguindo a ideia de quitação digital, a MFM – empresas de serviços digitais para o mercado financeiro – disponibiliza o canal Negocia Fácil para negociações de dívidas pela internet. A plataforma recebeu mais de 3 milhões de acessos de pessoas querendo solucionar pendências financeiras nos últimos 3 anos.

Araújo ressalta: "Nesse final de ano, os consumidores devem evitar as compras por impulso, analisar se a oferta realmente vale a pena, negociar descontos, averiguar as taxas de juros do parcelamento e não gastar sabendo que não terá como pagar. Começar 2018 com a situação financeira controlada é sinônimo de consciência tranquila".

Website: http://www.mfmti.com.br

 

Tudo sobre: 

Contato