Pré-mercado

Ibovespa futuro abre em queda após ganhos da véspera com PEC dos Precatórios

Ontem, após o fechamento do mercados, o índice futuro subiu mais de 1%

Por  Mitchel Diniz

SÃO PAULO – Com o fiscal no foco, o Ibovespa futuro abriu em queda os negócios desta quinta-feira (4). Os investidores do pré-mercado estão digerindo a aprovação do texto base da PEC dos Precatórios pelo plenário da Câmara no início da madrugada de hoje. Ontem, o índice futuro ampliou ganhos no after market com o avanço da pauta no Congresso e fechou em alta de 1,34%, enquanto o Ibovespa à vista fechou em leve alta de 0,06%, levada à estabilidade por conta das commodities.

A medida ainda precisa ser aprovada em segundo turno entre os deputados antes de ir para  o Senado. O placar foi de 312 votos a 144. A proposta permite ao governo protelar o pagamento de precatórios prestes a vencer, e abre espaço fiscal de R$ 91,6 bilhões no Orçamento em 2022.

Precatórios são títulos de dívidas que o governo tem que pagar a pessoas físicas e empresas por conta de decisões judiciais definitivas. O Orçamento de 2021 prevê o pagamento de R$ 54,7 bilhões em Precatórios, e o de 2022, sem a aprovação da PEC, de R$ 89 bilhões.

O texto aprovado em primeiro turno na Câmara permite ao governo adiar o pagamento de parte dos precatórios devidos em 2022. Esta mudança traria folga de R$ 54,6 bilhões em 2022, segundo cálculos do Tesouro.

Caso seja aprovada, pode abrir espaço para o governo Bolsonaro pagar o programa de transferência de renda Auxílio Brasil no valor de R$ 400, substituindo o Bolsa Família.

Nas redes sociais, o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR) informou que a PEC deve ser votada em segundo turno na Câmara já na próxima terça-feira.

“Dentre tudo o que poderia acontecer, dado que esse já era o cenário base, talvez seja uma notícia até positiva para interpretação já que o mercado tinha absorvido a questão do rompimento do teto como a gente conhecia antes”, afirmou Henrique Esteter, especialista em ações do InfoMoney no Infomorning desta quinta-feira.

O principal indicador doméstico do dia é a produção industrial do mês de setembro, que recuou 0,4% na comparação com agosto e acumulou queda de 1,1%. O número veio um pouco pior que o consenso da Refinitiv, que previa uma queda de 0,3%.

Às 9h10, o Ibovespa futuro com vencimento em dezembro de 2021 operava em queda de 0,43% aos 106.940 pontos.

O dólar abriu em leve queda e recua 0,13% a R$ 5,582 na compra e na venda.  O dólar futuro com vencimento em dezembro de 2021 tem alta de 0,64% a R$ 5,616.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2023 cai dois pontos-base, a 12,04%; DI para janeiro de 2025 avança dois pontos-base a 12,05%; e o DI para janeiro de 2027 tem alta de três pontos-base, a 12,08%.

Os índices futuros americanos operam com tendências mistas após renovarem pontuação recorde de fechamento nos negócios de ontem. Foi bem vinda a notícia de que o Federal Reserve vai desacelerar o ritmo de seu programa de compra de títulos iniciado em março de 2020 como resposta à crise gerada pela pandemia, e que atualmente está em US$ 120 bilhões mensais. O banco central americano sinaliza, desta forma, que acredita que a economia dos EUA já pode lidar com menos estímulos.

A redução no ritmo de compra de títulos pelo Fed foi sinalizada em US$ 15 bilhões por mês, o que indica que a medida poderá ser extinta até meados de 2022. O Fed reiterou, no entanto, que se mantém flexível, e que esse ritmo poderá ser alterado. O banco central americano disse que o movimento ocorre “sob a luz do progresso substancial que a economia realizou rumo às metas do Comitê desde dezembro”.

O Dow Jones futuro opera com ligeira queda de 0,03%; o S&P futuro avança 0,13%; e o Nasdaq futuro sobe 0,38%.

Na Europa, o índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, avança 0,0,47%, também na esteira do otimismo com o anúncio do Fed, com destaque positivo para o setor de saúde e negativo para o de construção e materiais.

As bolsas asiáticas tiveram em sua maioria altas na quinta-feira após o anúncio do Fed sobre o seu programa de compra de títulos. O Shangai SE subiu 0,93%; o índice Hang Seng avançou 0,8%; e o Kospi, da Coreia do Sul, fechou em alta de 0,25%.

Os preços do petróleo têm alta após a forte queda da véspera. O barril do petróleo tipo Brent, referência para os preços praticados pela Petrobras, sobe 2,1% a US$ 83,71. O WTI avança 2,14% a US$ 82,59 por barril. O minério negociado na bolsa de Dalian teve alta de 0,34%, a 582,5 iuanes, o equivalente a US$ 91,03.

Radar Corporativo

Itaú Unibanco (ITUB4)

O Itaú Unibanco (ITUB4) registrou lucro líquido gerencial recorrente de R$ 6,779 bilhões no terceiro trimestre deste ano, alta de 34,8% na comparação anual e de 3,6% frente ao segundo trimestre.

A projeção, segundo consenso Refinitiv, era de que o Itaú registrasse um lucro de R$ 6,73 bilhões no período, alta de 2,9% na comparação com o segundo trimestre.

O lucro líquido contábil do banco, por sua vez, ficou em R$ 5,780 bilhões, uma alta de 28,7% em um ano, mas 23,5% menor na comparação com o segundo trimestre.

Já o retorno recorrente sobre o patrimônio líquido (indicador que mede como os bancos investem os recursos de seus acionistas, chamado de ROE) foi de 19,7%, alta de 4 pontos percentuais ante o terceiro trimestre de 2020 (15,7%) e leve melhora de 0,8 ponto porcentual sobre o período entre abril e junho deste ano.

O Credit Suisse escreveu que o Itaú reportou sólidos resultados e diz que ainda vê uma desconexão entre lucratividade e avaliação, apesar do desempenho superior das ações.

Dessa forma, o Credit Suisse mantém avaliação outperform para as ações, e preço-alvo de R$ 33,00.

O Morgan Stanley também comentou que o Itaú (ITUB4) entregou um trimestre forte com mais pontos positivos do que negativos.

O banco diz que o crédito segue crescendo rapidamente e, junto com a alta da Selic, deve continuar impulsionando as receitas financeiras nos próximos 6 a 12 meses.

Segundo o Morgan Stanley, o Itaú continua altamente eficaz na gestão de custos, oferecendo alavancagem operacional à medida que as receitas aumentam.

O Morgan Stanley mantém avaliação outperform para ações do Itaú (ITUB4), com preço-alvo de US$ 8,00.

CSN (CSNA3)

A CSN (CSNA3) registrou um lucro líquido de R$ 1,325 bilhão no 3º trimestre deste ano, uma retração de 5% na comparação com o mesmo período de 2020.

Em comparação com o 2º trimestre, porém, a perda foi maior e atingiu uma queda de 76%, quando somou R$ 5,513 bilhões. Nessa comparação, a CSN diz que a piora operacional veio, especialmente, do segmento de mineração.

O Bradesco BBI comentou que os números vieram muito mais fracos do que o esperado na divisão de minério de ferro, devido à fraca realização de preços (impacto não recorrente de ajustes provisórios de preços) e desempenho de custos.

O banco também destaca que a CSN é negociada a 1,7x EV / EBITDA 2022, contra aproximadamente 4,0x que considera justo para a empresa.

O Bradesco BBI mantém avaliação outperform para ações da CSN, com preço-alvo de R$ 67,00.

CSN Mineração (CMIN3)

A CSN Mineração (CMIN3) registrou retração de 45% no lucro líquido do terceiro trimestre, que somou R$ 804 milhões.

De acordo com a empresa, a queda poderia ainda ser maior, se não fossem os efeitos positivos do hedge e da variação cambial.

O Morgan Stanley comentou que o Ebitda reportado pela CSN Mineração veio 20% fraco, mas o caixa operacional ficou bem acima das estimativas.

O Morgan mantém avaliação equal-weight (perspectiva de valorização dentro da média de mercado) para ações da CSN Mineração, e preço-alvo de R$ 7,50.

O Bradesco BBI escreveu que a CSN Mineração reportou números significativamente mais fracos do que o esperado no 3T21, devido impacto não recorrente nas quedas de realização de preços no terceiro trimestre.

O banco diz, contudo, que as ações são negociadas a múltiplos muito atraentes.

O Bradesco BBI  mantém avaliação outperform para ações da CSN Mineração, e preço-alvo de R$ 14,0.

GPA (PCAR3)

O GPA (PCAR3) registrou um prejuízo líquido dos controladores de R$ 88 milhões no 3º trimestre, uma piora de 39,6% frente às perdas líquidas de R$ 63 milhões de um ano antes.

O prejuízo líquido consolidado foi de R$ 38 milhões, contra lucro líquido de R$ 428 milhões no 3T20. É um recuo de 108,9%.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado somou R$ 794 milhões, queda de 15,9%.

O Itaú BBA comentou que os resultados do GPA1 vieram amplamente em linha com suas projeções de receita, mas ficaram aquém de suas projeções de lucro líquido ajustado e lucratividade. Segundo o banco, os resultados sugerem que a empresa ainda está trabalhando para colocar suas operações de volta aos níveis pré-pandêmicos. O banco mantém avaliação outperform para ações e preço-alvo de R$ 39,00.

O Morgan Stanley apontou que os resultados  vieram mistos no terceiro trimestre de 2021. Isso porque a receita da Exito foi 11% acima do consenso de mercado, com o Ebitda 30% acima em uma recuperação da receita líquida mais rápida do que o esperado, especialmente na Colômbia.

Por outro lado, o Ebitda do Brasil foi 30% abaixo do esperado, em grande parte impulsionado por investimentos em preços e reposicionamento, em um cenário macro desafiador.

O Morgan Stanley mantém avaliação equal-weight (perspectiva de valorização dentro da média de mercado) para ações do GPA, e preço-alvo de R$ 39,00.

Cielo (CIEL3)

A Cielo (CIEL3) reportou um lucro líquido de R$ 211,9 milhões no balanço do terceiro trimestre deste ano, um desempenho 111% acima do reportado um ano antes, de R$ 100,4 milhões.

Segundo a empresa, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) consolidado totalizou R$ 692,8 milhões, um aumento de 44,3% sobre o mesmo trimestre de 2020.

A receita líquida consolidada totalizou R$ 3,009 bilhões, acréscimo de 4,4% em relação ao 3º trimestre de 2020, enquanto o volume financeiro de transações totalizou R$ 179,8 bilhões, alta de 8,5%.

Além disso, a empresa concluiu a venda de sua subsidiária integral Multidisplay para a Bemobi (BMOB3), após o cumprimento das condições precedentes e a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Segundo a empresa, a realização da Operação “reforça a estratégia da Companhia de concentrar o foco em suas competências centrais. A venda foi pelo valor total de até R$ 185 milhões, segundo informou em 13 de agosto.

O Credit Suisse comentou que os resultados superaram as expectativas em um ambiente desafiador.

O banco diz que embora a intensa competição no negócio de adquirência e o aumento das taxas do CDI devam ser obstáculos persistentes nos próximos trimestres, as ações da Cielo ainda devem reagir positivamente aos resultados.

O Credit Suisse mantém avaliação neutra para ações e preço-alvo de R$ 4,80.

O Itaú BBA comentou que os resultados  vieram ligeiramente acima do esperado, com rígido controle de despesas tanto na Cielo Brasil quanto na Cateno.  O Itaú BBA mantém avaliação market perform para ações e preço-alvo de R$ 5,20.

XP Inc. (XPBR31)

A XP Inc. (XPBR31) registrou um lucro líquido ajustado de R$ 1,039 bilhão no terceiro trimestre de 2021, alta de 82% na comparação com mesmo período do ano passado, quando lucrou R$ 570 milhões, e de 1% frente os R$ 1,034 bilhão registrados no segundo trimestre de 2021. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (3), após o fechamento do mercado.

A receita bruta foi de R$ 3,368 bilhões no terceiro trimestre de 2021, ante R$ 2,245 bilhões do mesmo trimestre de 2020, alta de 50%. Na comparação com abril e junho de 2021, quando a receita bruta foi de R$ 3,2 bilhões, a alta foi de 5%. A receita líquida totalizou R$ 3,171 bilhões, em uma alta de 51% na base anual e de 5% frente o segundo trimestre deste ano.

O lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado registrou avanço para R$ 1,17 bilhão no trimestre, um valor 61% maior em relação aos R$ 728 milhões registrados nos meses entre julho e setembro de 2020. Frente os R$ 1,245 bilhão registrados entre janeiro e março de 2021, houve uma queda de 6%.

Ultrapar (UGPA3)

A Ultrapar (UGPA3) registrou um lucro líquido de R$ 374,3 milhões no balanço do 3º trimestre, um desempenho 35% superior em relação ao mesmo período do ano passado, quando somou R$ 277,3 milhões.

Já o lucro líquido recorrente – que não inclui os efeitos do impairment da Extrafarma de R$ 395 milhões no segundo trimestre e da reversão de IR sobre a correção SELIC de créditos tributários de R$ 196 milhões no terceiro trimestre – somou R$ 178 milhões, neste critério uma retração de 36% em um ano.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado e recorrente somou R$ 1,017 bilhão, queda de 2% frente aos R$ 1,038 bilhão de um ano antes.

O Ebitda ficou 2% abaixo da expectativa do Credit. Os resultados do terceiro trimestre foram impulsionados pela Oxiteno, que superaram as expectativas do Credit em 26%. A Ipiranga ficou 17% abaixo da expectativa do Credit. A receita líquida de R$ 290 milhões foi impulsionada por efeitos extraordinários de R$ 196 milhões por reversão de impostos, acima da expectativa de R$ 195 milhões do banco.

O Credit avalia que os resultados ficaram abaixo do esperado. O banco avalia que as margens melhoraram em relação aos R$ 53 por metro cúbico do segundo trimestre de 2021. Os volumes ficaram, no entanto,.2% acima do que o banco esperou. Mas a Ipiranga perdeu 0,7 ponto percentual de participação do mercado no trimestre. O banco mantém recomendação neutra para a ação da empresa, e preço-alvo de R$ 16.

Copasa (CSMG3)

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais, a Copasa (CSMG3), reportou um lucro líquido de R$ R$ 16,369 milhões no terceiro trimestre deste ano, cifra 93,2% inferior a reportada um ano antes, de R$ 240,543 milhões.

Segundo a Copasa, o resultado foi impactado pelas provisões realizadas em decorrência das devoluções determinadas pela Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG).

O Credit Suisse comentou que a Copasa apresentou resultados abaixo do esperado e em bases anuais, principalmente em função de despesas com PMSO acima do previsto, despesas com energia elétrica e efeitos não recorrentes, apesar do impacto positivo dos reajustes tarifários e melhores provisões para inadimplência.

Além disso, o banco ressalta que a crise hídrica não está impactando as operações da Copasa, uma vez que seus principais reservatórios estão em níveis confortáveis ​​(71%).

Dessa forma, o Credit Suisse mantém recomendação neutra para ações da Copasa, e preço-alvo de R$ 17,00, frente à cotação de quarta-feira (03) de R$ 14,39.

PetroRio (PRIO3)

A PetroRio (PRIO3) apresentou no terceiro trimestre deste ano um lucro líquido de R$ 125,159 milhões, revertendo prejuízo líquido de R$ 117,738 milhões do mesmo período do ano passado.

Segundo a empresa, o resultado foi impactado pela expansão da receita, como “reflexo do aumento nas vendas e do crescimento do preço do Brent”, referência internacional do barril de petróleo, que atingiu uma média de US$ 73,23 por barril no período analisado. “É o maior patamar do Brent dos últimos três anos”, acrescentou.

O Credit Suisse comentou que a Petrorio reportou fortes resultados, com destaque para redução de custos e melhores preços realizados. O banco diz que há boas razões para permanecer otimista com a empresa devido aos preços mais altos do petróleo. Além disso, a potencial aquisição da Albacora pode ser um catalisador positivo para as ações. O banco mantém avaliação outperform para ações da Petrorio (PRIO3), e preço-alvo de R$ 25,00.

Unidas (LCAM3)

A Unidas (LCAM3) divulgou lucro líquido recorrente 116,5% maior no terceiro trimestre, na comparação com o mesmo período do ano passado, somando R$ 267,269 milhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ficou em R$ 636,024 milhões, crescimento de 72,5%, com uma margem de 75,4%, 11,8 pontos percentuais acima do mesmo trimestre de 2020.

O destaque é para a recuperação da margem dos itens Aluguel de Carros e Seminovos que, por mais um trimestre consecutivo, apresentaram nível recorde.

O Credit Suisse comentou que a Unidas reportou resultados somente um pouco acima das estimativas, mas com uma qualidade melhor já que a batida veio do segmento RAC, ao invés de uma batida de resultados não recorrentes de Seminovos. O banco mantém avaliação outperform para ações e preço-alvo de R$ 33,00.

Arezzo (ARZZ3)

A Arezzo (ARZZ3) reportou um lucro líquido de R$ 81,8 milhões no terceiro trimestre, um avanço de 192,6% – de quase três vezes –, frente aos ganhos de R$ 27,947 milhões do mesmo período do ano passado.

Segundo a empresa, o resultado foi impactado positivamente pela performance operacional da Arezzao&Co e pela incorporação da AR&CO, mas negativamente pelo aumento das despesas financeiras, resultante da maior alavancagem.

A Arezzo (ARZZ3) esclareceu que, em atenção às notícias veiculadas na mídia sobre uma possível compra do Grupo Soma (SOMA3), não assinou qualquer proposta de negócio junto ao referido grupo.

Segundo o jornal Valor, um eventual negócio se daria em boa parte por troca de ações com fração menor em caixa, numa movimentação ousada considerando que o Grupo Soma é maior em bolsa do que a proponente. Arezzo vale R$ 7,7 bilhões e Soma é avaliado em R$ 11,25 bilhões.

Já o Grupo Soma esclareceu à B3 a oscilação de suas ações na véspera, destacando que avalia continuamente oportunidades de aquisição de empresas ou de ativos que possam contribuir para os seus objetivos de longo prazo. “Entretanto, a estratégia de desenvolvimento não compreende, na presente data, qualquer movimento envolvendo a Arezzo”, apontou.

Pague Menos (PGMN3)

A Pague Menos (PGMN3) reportou no terceiro trimestre deste ano um lucro líquido ajustado de R$ 35,6 milhões, 11,4% menor que os R$ 40,2 milhões do mesmo período do ano passado.

Segundo a empresa, o resultado veio com a variação no imposto de renda e contribuição social mais que compensando o avanço do resultado operacional e melhora no resultado financeiro.

Marcopolo (POMO4)

A Marcopolo (POMO4) registrou um lucro líquido de R$ 107,1 milhões no balanço do terceiro trimestre deste ano, revertendo prejuízo líquido de R$ 57,4 milhões de um ano antes.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização somou R$ 95,1 milhões, ante perdas de R$ 23,8 milhões de um ano antes.

AES Brasil (AESB3)

A AES Brasil (AESB3) reportou um lucro líquido de R$ 430,8 milhões no terceiro trimestre de 2021, cifra mais de oito vezes superior ao registrado em igual etapa de 2020.

Rede D’Or São Luiz (RDOR3)

A Rede D’Or São Luiz (RDOR3) reportou lucro líquido de R$ 378,1 milhões no terceiro trimestre de 2021, crescimento de 8,2% na comparação anual.

A Rede D’Or também informou que assinou contrato para compra integral do Hospital Arthur Ramos, em Maceió, por R$ 371 milhões.

Omega (OMGE3)

A Omega (OMGE3) reportou prejuízo líquido de R$ 25,7 milhões no terceiro trimestre de 2021 (3T21), ante lucro de R$ 37,6 milhões em igual período de 2020.

Segundo a empresa, o lucro foi impactado pelo aumento da inflação e dos indexadores nas despesas financeiras, que serão mais que compensadas em 2022 com a atualização monetária anual dos contratos de energia.

A receita líquida somou R$ 454,9 milhões no 3T21, alta de 45% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Banco ABC (ABCB4)

O ABC (ABCB4) reportou lucro líquido de R$ 151,5 milhões no terceiro trimestre de 2021 (3T21). O resultado representa um crescimento de 106,1% em relação ao mesmo período de 2020.

Segundo o banco, o resultado é explicado principalmente pelo aumento da margem com clientes, aumento da receita de serviços e pelo aumento do patrimônio líquido remunerado a CDI.

A margem financeira totalizou R$ 380,9 milhões no trimestre, um crescimento de 26,2% em relação ao mesmo período de 2020.

M.Dias Branco (MDIA3)

A M.Dias Branco (MDIA3) concluiu a aquisição da totalidade das ações da Latinex.

“Esta aquisição reforça a presença da M.DIas em healthy food (saudabilidade) e snacks, além de marcar a entrada nos segmentos de temperos, molhos e condimentos”, disse a M.Dias.

Cosan (CSAN3)

A Cosan (CSAN3) concluiu a aquisição das ações adicionais do Grupo Radar, após o pagamento da primeira parcela de R$ 602 milhões.

O restante será pago em três parcelas anuais até o ano de 2024.

Irani (RANI3)

A Irani (RANI3) distribuirá dividendos no valor total de R$ 25,6 milhões, correspondentes a R$ 0,101330 por ação.

O pagamento aos acionistas será realizado até 30 de novembro.

CCR (CCRO3)

A Controladoria Geral do Estado do Paraná (CGE/PR) aplicou multa em face de sua controlada direta Rodonorte no valor de R$ 75,58 milhões.

A decisão também impôs a suspensão da participação da RodoNorte em licitação e impedimento de contratar com a Administração Pública no Estado do Paraná pelo prazo de 2 (dois) anos.

Aura Minerals (AURA33)

A Aura Mineral decidiu não seguir investindo em sua subsidiária integral Gold Road para focar em suas operações e projetos de maior escala.

Armac (ARML3)

A Armac (ARML3) comprou 100% das ações Bauko Movimentação, empresa de locação de empilhadeiras, pelo valor de R$ 213,2 milhões.

O saldo será quitado em 18 parcelas mensais de R$ 5,2 milhões e uma parcela em 60 meses de R$12,5 milhões. A aquisição envolve também a assunção de R$ 41 milhões de dívida líquida pela Armac.

Armac também aprovou a realização da 2ª emissão de debêntures simples, no valor de R$ 1 bilhão.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Aprenda a transformar a Bolsa de Valores em fonte recorrente de ganhos. Assista a aula gratuita do Professor Su e descubra como.

Compartilhe