Em negocios / noticias-corporativas

Câmbio de moedas: qual a melhor maneira de realizá-lo?

As viagens ao exterior refletem preocupações em relação ao câmbio de moedas

Segundo dados fornecidos pelo Banco Central, somente em fevereiro deste ano os gastos de brasileiros no exterior somaram US$ 1,302 bilhões. Os meses anteriores não ficam para trás: foram gastos US$ 1,245 bilhões entre janeiro e fevereiro.

Embora os números pareçam satisfatórios, sofreram queda de 7,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. O motivo da baixa é atribuído a instabilidade do mercado de câmbio. "Como não temos nem previsão do que acontecerá com o valor do real em relação a outras moedas, fica mais difícil planejar uma viagem", diz Marcelo Ávila, diretor comercial da NeoCâmbio, fintech especializada em câmbio e serviços de viagem.

"Todos que vão para fora desejam fazer compras e conhecer novos lugares. Isso, normalmente, não está incluso nos pacotes de viagem e precisa ser pago por fora. É preciso também levar em conta estes gastos na hora de comprar moedas", complementa Ávila.

Qual a melhor solução?

Graças à tecnologia e dicas de especialistas, é possível conseguir melhores condições no momento de realizar câmbio, independentemente da moeda escolhida. A primeira dica - e mais importante - é a antecedência. "Ninguém decide viajar para o exterior do dia pra noite. É preciso cuidar de documentos, passagens e também do câmbio de moedas. Por isso, é importante começar a realizar o câmbio assim que a decisão for tomada", aconselha Ávila.

Ao comprar a moeda escolhida de maneira fracionada, é possível alcançar uma média satisfatória, que muitas vezes ficará abaixo da cotação da data da viagem. Além disso, o turista fica seguro em relação aos imprevistos. "Muitos deixam para trocar as moedas apenas ao chegar no aeroporto do destino final. Os preços mais altos são garantidos e pode ser que o real nem seja aceito", diz o especialista.

Outra dica importante é utilizar serviços modernos, afinal, estes tendem a ter taxas bem menores. Ao realizar o serviço de câmbio com fintechs, startups especializadas no nicho financeiro, é possível encontrar valores até 15% menores e ainda conseguir desconto com combos que incluem dados e voz e seguros de viagem.

Também é possível contar com outros facilitadores, como o cartão pré-pago. "Quando comparado ao cartão de crédito normal, o pré-pago acaba abrindo vantagem, pois não contará com o câmbio do dia mas, sim, com o valor de quando ele foi abastecido. Dessa forma, é possível ficar isento de taxas por levar dinheiro em espécie acima da quantia permitida e ainda comprar com segurança", finaliza Ávila.

Serviços feitos visando economia

Realizar câmbio em parceria com uma fintech garante a redução de gastos. A NeoCâmbio oferece diferentes soluções, todas pensadas visando uma viagem tranquila. Saiba mais: www.neocambio.io/

Website: http://www.neocambio.io

 

Tudo sobre: 

Contato