Em negocios / noticias-corporativas

Fintech de câmbio oferece tarifas de no mínimo 15% mais baratas para remessas internacionais

Com as altas taxas cobradas pelos Bancos para remessas internacionais, surgem novas oportunidades para as Fintechs - start-ups do segmento financeiro, como a NeoCâmbio. Enquanto os Bancos cobram em média 5% do valor enviado, mais IOF de 0,38% e tarifa swift que parte de 90 reais, na NeoCâmbio, a taxa de câmbio é de 2,5% e US$ 20 de taxa swift.

Com as altas taxas cobradas pelos Bancos para remessas internacionais, surgem novas oportunidades para as Fintechs - start-ups do segmento financeiro. Segundo dados do Banco Mundial, em 2016, foram US$ 610 bilhões em transferências entre pessoas em remessas internacionais. No Brasil, foram mais de US$ 2,5 bilhões de transações efetuadas pelos Bancos e outras prestadoras de serviços financeiros internacionais.

Para enviar dinheiro para o exterior pelos meios tradicionais, além das altas taxas, a burocracia para abrir conta em bancos e preencher vários formulários de cadastro, faz com que as pessoas acabem pagando as tarifas cobradas pelos seus bancos.

A carência de bons serviços e as taxas nesse segmento financeiro despertaram os olhos de Fintechs, como a NeoCâmbio, que com um cadastro simples, cotação em tempo real e plataforma totalmente digital, acessível também pelo smartphone, o usuário leva menos de 5 minutos para transferir recursos para mais de 20 países.

Enquanto os Bancos cobram em média 5% do valor enviado, mais IOF de 0,38% e tarifa swift que parte de 90 reais, na NeoCâmbio, a taxa de câmbio é de 2,5% e US$ 20 de taxa swift.

As operações de remessa internacional tiveram início em abril e já movimentaram mais de 300 mil reais, sendo os principais destinos os EUA, Canadá, Reino Unido e Austrália. Não há incidência de IR para as três modalidades disponíveis: a) manutenção de residentes; b) disponibilidade para conta no exterior; e c) investimento estudantil (intercâmbio).
A meta é ampliar o leque de serviços de câmbio internacional, como pagamento de importação e outras modalidades de comércio exterior e atingir 10 milhões de reais até 2017. A simplificação desses serviços auxiliará pequenas e médias empresas a exportarem e importarem seus produtos, sem ficarem presas às taxas e serviços de seus bancos ou agências de câmbio, promovendo maior transparência, agilidade e preços mais justos, diz Jung Park, sócio fundador e CEO da NeoCâmbio.

Sobre a NeoCâmbio

Plataforma digital de compra de moedas, cartão pré-pago, remessa internacional e seguro viagem. Lançada em dezembro de 2016 pelo executivo Jung Park, a NeoCâmbio se destaca por ser totalmente online com cotações de câmbio em tempo real. Além disso, a NeoCâmbio oferece modelo de cadastro com inteligência artificial e negociação de preços até 15% mais baratos comparado com os "players" do mercado.
Website: https://www.neocambio.com.br

Contato