Radar InfoMoney

Repercussões de Yduqs, Banco do Brasil, Itaúsa, CBA e mais balanços; parceria entre Porto Seguro e Cosan, proventos e mais

Confira os destaques do noticiário corporativo na sessão desta terça-feira (9)

Por  Equipe InfoMoney -

A temporada de resultados mais uma vez ganha destaque nesta sessão, com a divulgação dos números do BB, Yduqs, enquanto a Gol apresenta seus números antes da abertura dos mercados. Depois do fechamento, Braskem, MRV, RD, Localiza, Carrefour, Aeris, Alupar, Iguatemi, Dotz, Mitre, Santos Brasil e Sequoia divulgam seus resultados.

Já a B3 (B3SA3) informou que o número total de investidores na bolsa atingiu 3.386.310 de CPFs individuais em outubro, representando um incremento de 28,1% sobre o mesmo mês do ano passado.

A Porto Seguro (PSSA3) e a Cosan (CSAN3) anunciaram a formação de uma joint venture de assinatura de veículos e de gestão de frotas.

Confira os destaques:

Banco do Brasil (BBAS3)

O Banco do Brasil (BBAS3) registrou lucro líquido ajustado de R$ 5,1 bilhões no terceiro trimestre deste ano, número 2% maior que o reportado no segundo trimestre e 47,6% superior ao do mesmo período do ano passado.

As previsões da Refinitiv para o lucro do Banco do Brasil era de um lucro de R$ 4,496 bilhões, alta de 29,12% comparado com 3T20 (R$ 3,482 bilhões) e queda de 10,78% na comparação com o segundo trimestre de 2021 (R$ 5,039 bilhões).

O Bradesco BBI avalia que os resultados vieram mistos, impulsionado pelos ganhos de tesouraria e o NII com clientes foi negativamente impactado por custos de captação mais elevados devido ao aumento da taxa Selic. O banco mantém recomendação para ações do Banco do Brasil, e preço-alvo de R$ 39.

O Itaú BBA avalia que os resultados do Banco do Brasil vieram melhores do que o esperado, com destaque para o crescimento da carteira de crédito de boa qualidade, receitas de serviços e despesas controladas.  O banco mantém avaliação market perform para ações do Banco do Brasil, e preço-alvo de R$ 37,00.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Credit Suisse acredita que os fortes resultados da tesouraria do BB possam diminuir até certo ponto nos próximos trimestres, mas isso poderá se normalizar em um nível mais alto devido à melhor margem de depósito com base em taxas mais altas.  O banco mantém avaliação neutra para ações do Banco do Brasil, com preço-alvo de R$ 38,00.

A XP avalia que o banco reportou bons resultados em todas as áreas, com destaque para o lucro líquido muito acima do esperado. De acordo com a XP, o resultado impulsionado principalmente por uma maior Margem Financeira, devido ao crescimento de sua carteira de crédito, enquanto as despesas permaneceram estáveis apesar do aumento da massa salarial e da expansão da carteira. Ela reitera recomendação de compra para as ações, com preço-alvo de R$ 52,00.

O BB ainda aprovou a distribuição de cerca de R$ 1,123 bilhão em juros sobre capital próprio complementares aos acionistas, a um valor de R$ 0,39370314870 por ação.

O valor será imputado ao dividendo mínimo obrigatório referente ao 2º semestre de 2021 e será pago em 30 de novembro, tendo como base a posição acionária do dia 22, sendo as ações negociadas “ex-direitos” a partir do dia 23.

O Banco do Brasil revisou ainda as projeções para o ano de 2021. O lucro líquido ajustado passou de uma projeção de R$ 17 bilhões a R$ 17 bilhões para R$ 19 bilhões a R$ 21 bilhões. Já a carteira de crédito foi revista para uma variação entre 14% a 16% ante 8% a 12%. Já a margem financeira bruta teve sua projeção revisada para 4% a 6% contra 1% a 4% anteriormente.

Itaúsa (ITSA4)

A Itaúsa (ITSA4) lucrou de forma líquida R$ 2,361 bilhões no terceiro trimestre de 2021, número 32,4% maior do que o lucro de R$ 1,784 bilhão registrado em igual período do ano passado.

Conforme a empresa, o incremento no lucro anual foi decorrente do maior resultado de equivalência patrimonial e maior custo da holding, além de efeitos não recorrentes, que tiveram impacto negativo de 313 milhões.

Segundo a empresa, o lucro recorrente somou R$ 2,675 bilhões, uma alta de 35,4%.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Credit Suisse diz que o balanço veio sem grandes surpresas, considerando que as mais relevantes subsidiárias da empresa, Itaú Unibanco e XP, já haviam divulgado os resultados.

Dessa forma, o banco reforça o rating outperform para a companhia devido à sua avaliação atraente, bom impulso de ganhos principalmente de sua principal subsidiária Itaú Unibanco, com preço-alvo de R$ 14,50 para ações da Itaúsa.

O Conselho de Administração da Itaúsa (ITSA4) ainda deliberou o pagamento, em 3 de janeiro e 1 de abril de 2022, de juros sobre o capital próprio (JCP) no valor de R$ 0,0235295 por ação, com retenção de 15% de imposto de renda na fonte, resultando em juros líquidos de R$ 0,02 por ação.

BTG Pactual (BPAC11)

A BTG Pactual (BPAC11) reportou lucro líquido de R$ 1,79 bilhão no terceiro trimestre de 2021 (3T21). O resultado representa um crescimento de 77% em relação ao mesmo período de 2020.

A receita total somou R$ 2,478 bilhões no 3T21, alta de 55% em relação ao mesmo período do ano anterior.
O ROAE atingiu 20,1% entre julho e setembro deste ano, alta de 4,4 pontos percentuais na comparação ano a ano.

Gol (GOLL4)

A Gol reportou prejuízo líquido de R$ 2,526 bilhões no terceiro trimestre, um crescimento de 46,9% em relação ao mesmo período de 2020.

A receita operacional líquida, por sua vez, somou R$ 1,915 bilhão, alta de 96,4% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Segundo a empresa, o desempenho positivo da receita foi em função do aumento significativo na quantidade de voos realizados e das receitas de transporte de cargas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Yduqs (YDUQ3)

A Yduqs (YDUQ3) reportou lucro líquido de R$ 78,2 milhões, queda de 35,2% no terceiro trimestre.

O Ebitda cresceu 8,8% no período, para R$ 361,3 milhões.

O Itaú BBA espera reação neutra das ações Yduqs (YDUQ3) aos resultados. Isso porque, segundo o banco, os número vieram em linha com o esperado. O banco mantém avaliação market perform para as ações e preço-alvo de R$ 45,00.

O Morgan Stanley comentou que a Yduqs tem um balanço forte, com alavancagem relativamente baixa (1,4x dívida líquda / Ebitda ajustado), o que posiciona a empresa para considerar formas alternativas de gerar valor, como amortização de dívidas, dividendos, recompra de ações e M&A.

O banco destaca que a Yduqs está fortalecendo seu ecossistema, investindo em TI e transformação digital para melhorar a qualidade e a experiência.

O Morgan mantém avaliação overweight para ações da Yduqs (YDUQ3), e preço-alvo de R$ 38,00, frente à cotação de segunda-feira (08) de R$ 22,84.

A XP avalia que os resultados da Yduqs (YDUQ3) vieram mistos, mas reforça recomendação de compra para os papéis. Isso porque a corretora vê a empresa sendo negociada a um múltiplo P/L de 10,1x para 2022, contra média de 12,8x nos últimos 36 meses.

Direcional (DIRR3)

A Direcional (DIRR3) registrou lucro líquido de R$ 47,184 milhões no 3T21, alta de 65,2% na comparação anual.

O Ebitda ajustado somou R$ 100,666 milhões, avanço de 36,3% em relação ao mesmo período de 2020.

O Bradesco BBI escreveu que está impressionado com a resiliência das margens da Direcional diante das pressões de custos ainda desconfortáveis ​​do setor.

Segundo o banco, as crescentes receitas em carteira e as altas margens criam um futuro promissor para os resultados da Direcional, enquanto suas operações estão melhor equipadas do que a maioria para lidar com os riscos de queda mais previsíveis do setor – com espaço de manobra entre geografias e segmentos de renda. O banco mantém avaliação outperform para ações da Direcional, e preço-alvo de R$ 20,00.

Três Tentos (TTEN3)

A Três Tentos (TTEN3) registrou lucro líquido de R$ 97,9 milhões no terceiro trimestre de 2021, aumento de 1,4% na comparação anual.

O Ebitda ajustado subiu 33%, para R$ 147,6 milhões.

Petz (PETZ3)

A Petz teve lucro líquido de R$ 26,6 milhões no terceiro trimestre de 2021, alta de 56,1% ante o mesmo período de 2020. O Ebitda ajustado, por sua vez, ficou em R$ 67,156 milhões, alta de 43,4%. A margem Ebitda ajustada ficou em 10,5%, 0,1 p. p. superior ao terceiro trimestre do ano passado.

A receita bruta total da companhia cresceu 45,5% no trimestre, alcançando R$ 641,6 milhões, sendo que a receita bruta do canal digital foi de R$ 198,76 milhões, uma participação de 31%.

São Martinho (SMTO3)

A São Martinho divulgou um lucro líquido de R$ 368,4 milhões no segundo trimestre da safra 2021/22, alta de 11% no comparativo anual.

O Ebitda ajustado totalizou R$ 790,1 milhões no trimestre, alta de 65,9%, com margem de 55,4%.

JSL (JSLG3)

A JSL registrou lucro líquido de R$ 83,1 milhões no terceiro trimestre deste ano, contra R$ 17,4 milhões no mesmo período de 2020. Já a receita líquida da companhia foi de R$ 1,177 bilhão, alta de 60,6% na comparação anual.

O Ebitda avançou 68,1%, para R$ 198,3 milhões.

Lojas Quero-Quero (ativo=LJQQ3])

A Lojas Quero-Quero (LJQQ3) lucrou de forma líquida R$ 15,6 milhões no terceiro trimestre de 2021, número 48,3% menor do que os R$ 30,1 milhões registrados em igual período do ano passado.

Apesar da receita da varejista que atua apenas em pequenas cidades do interior ter crescido 16,3%, saindo de R$ 574,2 milhões para R$ 668 milhões, a companhia viu também suas margens diminuírem, com maiores gastos. As despesas operacionais, que incluem os gastos com vendas e com administração, totalizaram R$ 162,2 milhões, alta de 18,4% na base anual.

O Itaú BBA escreveu que a Quero-Quero entregou resultados um pouco melhores nas linhas de receita e Ebitda, mas um lucro líquido um pouco inferior.  O banco destaca que a varejista continuou a ganhar participação de mercado na boa execução das vendas mesmas lojas (SSS, na sigla em inglês) e abertura de lojas, embora com margens mais brandas.

O banco mantém avaliação outperform para ações da Lojas Quero-Quero, e preço-alvo de R$ 25,00.

CBA (CBAV3)

A CBA (CBAV3) reportou que o prejuízo passou de R$ 460 milhões no 3TRI de 2020 para R$ 41 milhões no mesmo período deste ano.

O Ebitda ajustado somou R$ 314 milhões no 3T21, crescimento de 97% na comparação anual.

O Bradesco BBI comentou que os resultados ieram ligeiramente mais fracos do que o esperado.

Apesar da volatilidade recente nos preços do alumínio, o banco continua a ver fundamentos sólidos para o mercado de alumínio em 2022 e além, apoiados por um crescimento da demanda ainda sólido e oferta restrita. No Brasil, embora a demanda tenha diminuído na margem, ela permanece saudável em geral, enquanto as importações diminuíram, o que poderia suportar volumes para participantes locais como a CBA.

O banco mantém avaliação outperform para ações da CBA (CBAV3), e preço-alvo de R$ 21,00.

São Carlos (SCAR3)

A São Carlos teve lucro líquido recorrente 42,7% menor no terceiro trimestre de 2021, passando de R$ 7,5 milhões para R$ 4,3 milhões.

O Itaú BBA comentou que a São Carlos reportou resultados fracos de lucros e perdas (P&L), principalmente impactados pela aceleração da vacância. Um forte desempenho da divisão Best Center foi o que ajudou o resultado da empresa, com sólido SSS e crescimento de SSR.

O banco mantém avaliação market perform para ações da São Carlos (SCAR3), e preço-alvo de R$ 43,60, frente à cotação de segunda-feira (08) de R$ 35,50.

O Bradesco BBI comentou que a São Carlos reportou resultados mistos com Best Center sendo o destaque positivo, apresentando uma evolução operacional e financeira sólida, com mais por vir após a operação de Sale-Lease-Back, que foi muito assertivo. Em relação ao segmento de escritórios – que ainda tem mais relevância no portfólio – o banco diz que o resultado veio abaixo do esperado, com forte aumento da vacância. O banco mantém avaliação neutra para ações da São Carlos (SCAR3), com preço-alvo de R$ 47,00.

Getninjas (NINJ3)

A GetNinjas (NINJ3) reportou no terceiro trimestre de 2021 (3TRI21) prejuízo líquido de R$ 10,682 milhões, contra lucro líquido de R$ 1,355 milhão no mesmo período de um ano atrás.

Technos (TECN3)

A Technos (TECN3) apresentou lucro líquido no terceiro trimestre de 2021, número 74,4% maior do que o aferido no mesmo período de 2020. Foram R$ 6,4 milhões, contra R$ 3,7 milhões do mês trimestre de 2020.

Segundo a própria empresa, “a performance positiva do terceiro trimestre foi construída por meio de um importante equilíbrio entre crescimento de vendas e rentabilidade econômica, proporcionado pela aceleração de iniciativas inovadoras que incluem o crescimento de canais e produtos core e a crescente digitalização de canais e produtos da empresa”.

Lojas Marisa (AMAR3)

A Lojas Marisa (AMAR3) registrou lucro líquido de R$ 44,4 milhões no 3T21 e revertendo prejuízo de R$ 124,5 milhões reportado um ano antes.

O Ebitda totalizou R$ 11,7 milhões, ante negativo de R$ 80,7 milhões no mesmo trimestre de 2020.

Blau Farmacêutica (BLAU3)

A Blau registrou lucro líquido de R$ 94 milhões no terceiro trimestre, alta de 25% na base anaual.

A receita aumentou 5,5% na comparação anual, a R$ 320 milhões, com crescimento em todas as linhas de negócios, exceto biológicos, devido a fatores externos que afetam as vendas de imunoglobulina e alfaepoetina.

Para o Itaú BBA, a Blau reportou crescimento nada inspirador no terceiro trimestre de 2021 (3T21), em linha com as expectativas.

Segundo o banco, os resultados foram afetados pelo cenário nos hospitais após o pico da segunda onda da pandemia durante o 2T21, com a normalização em curso de procedimentos eletivos (principalmente mais complexos).

O banco mantém avaliação outperform para ações da Blau (BLAU3), e preço-alvo de R$ 68,00.

Bradespar (BRAP4)

O Conselho de Administração da Bradespar (BRAP4) aprovou o pagamento de dividendos, nos termos propostos pela Diretoria, no montante de R$ 2,3 bilhões, sendo R$ 5,494409924 por ação ordinária e R$ 6,043850916 por ação preferencial.

O valor foi apurado com base no balanço levantado em 30 de junho de 2021, e refere-se à antecipação da destinação do resultado do exercício de 2021.

Proventos beneficiarão os acionistas posicionados no papel em 16 de dezembro (“data com”), passando as ações a serem negociadas “ex-dividendos” a partir de 17 de dezembro de 2021.

B3 (B3SA3)

A B3 (B3SA3) informou nesta segunda-feira (8) que o número total de investidores na bolsa atingiu 3.386.310 de CPFs individuais em outubro, representando um incremento de 28,1% sobre o mesmo mês do ano passado.

O volume financeiro médio do segmento de ações somou R$ 36,160 bilhões em outubro. Isso significou uma alta de 27% na comparação com outubro de 2020 e um avanço de 4,2% sobre setembro.

O Credit Suisse avalia os dados operacionais da B3 (B3SA3) como positivos para as ações. O banco diz que os resultados continuam a se beneficiar da maior volatilidade do mercado em ações à vista e derivativos listados, ao mesmo tempo em que reforçam a resiliência e a velocidade de giro estruturalmente mais alta. O banco mantém avaliação outperform para ações da B3 (B3SA3), e preço-alvo de R$ 16.

Porto Seguro (PSSA3) e Cosan (CSAN3)

A Porto Seguro (PSSA3) e a empresa de energia e logística Cosan (CSAN3) anunciaram na segunda-feira (8) a formação de uma joint venture de assinatura de veículos e de gestão de frotas, com a crescente aposta de ambas em mobilidade urbana.

A joint venture terá participação de 50% de cada sócia, com a Porto Seguro participando do negócio por meio de sua unidade Carro Fácil, que já atua em assinatura de veículos. A Cosan vai aportar cerca de 300 milhões de reais na parceria.

O Credit Suisse vê o anúncio da criação da Mobitech, Joint-Venture entre as empresas, como positivo para as ações da seguradora.

Isso porque, segundo o banco, a transação adiciona produtos ao ecossistema da Porto Seguro, ao mesmo tempo que proporciona à empresa uma diversificação adicional de negócios de forma muito sinérgica com seu portfólio de negócios. Dessa forma, o banco reitera classificação de outperform para ações da Porto Seguro, e preço-alvo de R$ 31.

Azul (AZUL4)

A Azul (AZUL4) registrou em outubro um tráfego doméstico de passageiros, medido pelo RPK (número de passageiros transportados multiplicado pelo total de quilômetros), crescendo 62,6% na comparação com o mesmo período de 2020. Foram 2,3 bilhões de quilômetros voados por passageiro transportados pela companhia aérea, ante 1,4 bilhão no ano passado.

TC Traders Club (TRAD3)

O TC Traders Club (TRAD3) anunciou nesta terça-feira (9) que realizou acordo futuro para aquisição de participação na Qooore Corporation, no valor de US$ 200 mil.

O instrumento tem conversão a um valuation cap de US$ 15 milhões.

O acordo proporciona à Traders Club o direito ao recebimento de ações da Qooore, mediante a ocorrência de determinados eventos, como levantamento de uma rodada de investimento..

A Qooore é um aplicativo americano de investimentos focado principalmente em usuários pertencentes à geração Y e Z.

Segundo comunicado, o aplicativo tem como missão mudar a forma como os jovens investem, oferecendo insights e educação financeira com ênfase nas conexões via social e apoio de interface intuitiva.

Por fim, a TC diz que enxerga no acordo um enorme potencial de ganho em sinergias entre as duas empresas, além de uma troca de inteligência, importante para ambas as partes.

(com Estadão Conteúdo e Reuters)

Aprenda a transformar a Bolsa de Valores em fonte recorrente de ganhos. Assista a aula gratuita do Professor Su e descubra como.

Compartilhe