AZUL (AZUL4)

AZUL PN N2

error_outline Atualizado às 17h12. Delay 15 min
arrow_downward

39,67

-2.72%

39,33

40,51

197.314.253,00

Fechamento anterior 40,78
Abertura 40,5
Negócios 12149
VolumeR$ 197,31 M
Mín — Máx (Dia) 39,33 - 40,51
Variação (Dia) -2.72%
Variação (Mês) -9.61%
Variação (2021) +0.94%
Variação (52 semanas) +91.54%

Invista com taxa Zero

Sobre Azul

Sigla: AZUL4

Tipo: Ações

Setor: Transporte E Logística

Receita Líquida R$ 4,76 B
Lucro Líquido (LL) R$ -7,47 B
Margem Líquida -156.69%
Ebitda R$ -135,18 M
Margem Ebitda -2.83%
Ativo Total R$ 15,19 B
Dívida Bruta R$ 7,77 B
Dívida Líquida R$ 5,49 B
Patrimônio Líquido (PL) R$ -16,9 B
Retorno sobre o PL (ROE) +44.18%
Retorno sobre o Capital (ROIC) +13.03%

A Azul Linhas Aéreas foi fundada em 2008 pelo empresário David Neelman, nascido no Brasil e criado nos Estados Unidos. Focada em rotas regionais, a partir do aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), a Azul rapidamente conquistou mercado e consumidores, atingindo um milhão de passageiros já no ano seguinte à sua fundação.

Após incorporar a Trip, passou a ser a terceira companhia aérea do Brasil em número de passageiros. Faz mais de 800 decolagens diárias e atende a mais de 100 destinos em todo o território nacional e Exterior, com uma frota de cerca de 140 aeronaves.

Numa operação comemorada pelo mercado, a Azul abriu seu capital em 2017, com IPO de US$ 643 milhões.

Em 2019, a Azul conquistou outro marco ao receber espaços para pousos e decolagens (slots) que pertenciam à Avianca. A empresa passou a operar no Aeroporto de Congonhas, o terminal doméstico mais importante do Brasil. É de lá que entra na rota mais disputada e lucrativa do mercado aéreo nacional, a ponte aérea Rio-São Paulo.

Dados complementares fornecidos pela

Com dinheiro