Temporada de balanços

São Martinho (SMTO3) lucra R$ 368,4 milhões no 2º tri do ano safra, alta de 11%; receita sobe 54%

XP avalia que a empresa teve bons números, apesar da queda na produtividade agrícola devido à seca e geadas

Por  Equipe InfoMoney

A São Martinho (SMTO3), uma das maiores empresas do setor de cana-de-açúcar,  reportou lucro líquido de R$ 368,4 milhões no segundo trimestre do ano-safra 2021/22, encerrado em 30 de setembro.

O resultado representa alta de 11% ante o registrado em igual período da temporada 2020/21, de R$ 331,9 milhões. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado da companhia sucroenergética subiu 65,9% na mesma base de comparação, para R$ 790 milhões.

A receita líquida do Grupo São Martinho alcançou R$ 1,425 bilhão no segundo trimestre da safra, alta anual de 54%. O lucro caixa ficou em R$ 431,49 milhões no trimestre, 37,8% superior ao verificado no mesmo período da temporada passada. A dívida líquida subiu 20,5% entre os meses de março e setembro de 2021, para R$ 3,2 bilhões. A alavancagem, medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda, passou de 1,38 vez em setembro de 2020 para 1,21 vez no mesmo mês de 2021.

O capex de manutenção da companhia somou R$ 300,19 milhões no segundo trimestre da safra, aumento de 30,2% em relação ao de igual período da safra anterior. O capex de melhoria operacional, composto por investimentos relacionados às trocas de equipamentos agrícolas e industriais, visando crescimento de produtividade, somou R$ 40,95 milhões no trimestre encerrado em setembro, avanço de 154,7%. Quanto ao capex de expansão, os investimentos subiram de R$ 3,35 milhões entre os meses de julho e setembro de 2020 para R$ 129,65 milhões no mesmo período de 2021.

No primeiro semestre da safra 2021/22, a São Martinho processou 18,4 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, uma redução de 8,3% em relação ao volume processado no mesmo período da safra anterior. Segundo a companhia, o resultado menor vem em decorrência, principalmente, “da estiagem prolongada observada no período, e da menor quantidade de dias de safra”.

A produção de açúcar ficou em 1,221 mil toneladas, 8,7% menor do primeiro semestre da safra passada. Já a oferta de etanol, de 827 milhões de litros, foi 5,7% inferior na mesma base de comparação. A energia exportada no semestre ficou em 616 mil Mwh, recuo de 8,7% ao resultado do primeiro semestre de 2020/21.

A avaliação da XP é de que a São Martinho registrou bons números no segundo trimestre de 2022 (período fiscal do terceiro trimestre de 2021), apesar da queda na produtividade agrícola devido à seca e geadas, com preços mais altos para açúcar, etanol e energia também compensando custos mais altos.

O lucro bruto aumentou 92,3% para R$ 636,6 milhões, enquanto o lucro antes de juros e impostos (Ebit, na sigla em inglês) ficou abaixo da projeção da casa de R$ 549,8 milhões (queda de 11,9% na base anual e de 28,1% com relação à projeção da XP), uma vez que esperavam que os créditos da Copersucar fossem pagos neste trimestre, seguindo o mesmo cronograma de 20/21. No entanto, o Ebit excluindo-se o pagamento da Copersucar aumentou 138,2% na base anual.

“Com o fim da safra e perspectiva de demanda resiliente para os combustíveis, em nossa opinião ainda há espaço para aumento do preço do etanol, apesar dos preços do açúcar já terem sido travados (hedge), portanto continuamos otimistas com o setor de açúcar e álcool”, avalia a XP, que reitera recomendação de compra.

(com Estadão Conteúdo)

Aprenda a transformar a Bolsa de Valores em fonte recorrente de ganhos. Assista a aula gratuita do Professor Su e descubra como.

 

Compartilhe