Destaques da Bolsa

Ação da BK Brasil salta 8% após acordo para assumir Domino’s; Embraer dispara 8%, bancos sobem e só 6 ações do Ibovespa caem

Confira os destaques da B3 na sessão desta segunda-feira (12)

Por  Lara Rizério -

SÃO PAULO – A sessão desta segunda-feira (12) foi de alta de quase 8% para as ações da BK Brasil (BKBR3, R$ 12,40, +7,92%), após a companhia anunciar acordo para operar a Domino’s Pizza no Brasil.

Quem também registrou ganhos foi a Vale (VALE3, R$ 115,07, +1,24%), além de siderúrgicas, acompanhando o desempenho dos ADRs na sexta-feira (confira o desempenho dos papéis clicando aqui). Gerdau (GGBR4, R$ 30,41, +4,50%), Usiminas (USIM5, R$ 20,23, +3,37%) e CSN (CSNA3, R$ 46,81, +6,17%) avançaram até 6,2%.

Além disso, na China, os contratos futuros do aço negociados em Xangai ampliaram ganhos e atingiram uma máxima de seis semanas nesta segunda-feira, depois que uma medida de afrouxamento monetário na China desencadeou um rali guiado por preocupações com cortes de produção no país, maior produtor global de aço.

O vergalhão de aço para construção negociado na bolsa de futuros de Xangai fechou em alta de 1,4%, a 5.432 iuanes (US$ 839) por tonelada, após tocar a marca de 5.532 iuanes, mais alto patamar desde 19 de maio. A bobina de aço laminada a quente SHHCcv1 também avançou 1,4%, para 5.828 iuanes/tonelada, depois de atingir 5.948 iuanes, também o maior nível desde 19 de maio.

O Banco Popular da China anunciou na tarde de sexta-feira que cortará a taxa de compulsório para os bancos em 50 pontos básicos a partir de 15 de julho, liberando cerca de 1 trilhão de iuanes para sustentar uma recuperação econômica que começa a perder ímpeto. “Mais cedo ou mais tarde, o governo terá que moderar suas ambições de reduzir a produção de aço em 2021 ou arriscar lidar com uma crescente bolha especulativa de ativos”, disse Atilla Widnell, diretor-gerente da Navigate Commodities em Cingapura.

As matérias-primas siderúrgicas negociadas na bolsa de commodities de Dalian também avançaram, com o contrato mais ativo do minério de ferro, para setembro, fechando em alta de 1,5%, a 1.188,50 iuanes por tonelada, após tocar máxima de 1.213 iuanes na sessão.

Bancos também tiveram uma sessão de ganhos, com Santander Brasil (SANB11, R$ 41,30, +3,77%), Bradesco (BBDC3, R$ 21,20, +2,12%; BBDC4, R$ 25,21, +2,52%), Itaú (ITUB4, R$ 29,69, +1,37%) e Banco do Brasil (BBAS3, R$ 32,60, +2,55%) avançam entre 2% e 4%, também em meio à expectativa sobre a temporada de balanços nos EUA, com início na próxima terça (veja mais clicando aqui).

Já a ação da Embraer (EMBR3, R$ 19,70, +8,18%) disparou cerca de 8%. A companhia comunicou nesta segunda-feira que recebeu pedido firme para 30 jatos E195-E2 e direito de compra de mais 50 aeronaves do mesmo modelo da Porter Airlines. A fabricante brasileira de aviões afirmou que o pedido firme fora divulgado em maio de 2021 e o anúncio desta segunda-feira inclui os direitos de compra e o nome do cliente.

Os analistas do Itaú BBA destacaram a notícia como positiva. “Considerando os 30 E195-E2 a serem incluídos na carteira de pedidos da Embraer no trimestre combinadas com nossas expectativas para o trimestre, estimamos que a carteira de pedidos da Embraer deve saltar para cerca de US$ 15 bilhões no segundo trimestre de 2021, ante US$ 14,2 bilhões nos primeiros três meses do ano, ou US$ 16,8 bilhões considerando o total de 80 aeronaves”, avaliam os analistas.

A Cosan (CSAN3, R$ 26,13, +6,00%) subiu forte, na sequência da notícia de que o governo de São Paulo fez uma proposta para renovação por 20 anos a concessão da Comgás, controlada pelo grupo Cosan. A concessão vence em 2029, mas o governo defende a antecipação da renovação.

Poucas ações tiveram queda no Ibovespa, com seis ações registrando perdas. São elas, PetroRio (PRIO3, R$ 19,44, -0,72%), Marfrig (MRFG3, R$ 18,74, -0,90%), Carrefour Brasil (CRFB3, R$ 20,55, -1,06%), Suzano (SUZB3, R$ 60,45, -0,87%), Via (VVAR3, R$ 14,73, -0,81%) e Pão de Açúcar (PCAR3, R$ 37,06, -0,03%).

A Dotz (DOTZ3, R$ 16,00, +15,86%), por sua vez, teve alta de cerca de 15% após o Itaú BBA e o Credit Suisse iniciarem cobertura para a ação com preço-alvo de R$ 22, ou potencial de ganhos de 59% em relação ao fechamento de quinta-feira (confira mais clicando aqui).

A Wiz (WIZS3, R$ 17,81, +2,65%) também registrou alta após o BBA iniciar cobertura de compra para os papéis, com preço-alvo de R$ 23 para a ação ao fim de 2021, o que representa um potencial de valorização de 33% em relação ao preço atual do papel.

Os BDRs da Aura Minerals (AURA33, R$ 66,32, -1,15%) caíram após a empresa anunciar na sexta que decidiu suspender temporariamente as operações de sua mina de ouro San Andrés, em Honduras, em decorrência de bloqueios ilegais por um pequeno grupo de indivíduos da comunidade local.

Confira no que ficar de olho:

3tentos (TTEN3, R$ 12,10, -1,22%)

Nesta segunda-feira, os papéis da 3tentos fazem sua estreia na B3 com o ticker TTEN3, após a companhia do agronegócio levantar R$ 1,35 bilhão com o IPO, precificando as ações a R$ 12,25.

A 3tentos atua no gerenciamento de grãos, armazenagem, defensivos agrícolas, fertilizantes e gestão de produção. A empresa foi fundada em 1995 em Santa Bárbara do Sul (RS), começando na produção de sementes e depois expandindo seu escopo de atuação.

A companhia conta com 43 unidades e 2 parques industriais, distribuídos em 40 cidades, nas quais atende a 17 mil clientes.

BK Brasil (BKBR3, R$ 12,40, +7,92%)

A BK Brasil, dona das marcas Burger King e Popeyes no Brasil, anunciou fusão com a rede de pizzaria Domino’s na noite de sexta-feira. Com esse passo, a companhia passará a operar 1,2 mil restaurantes no País.

A operação será feita por meio de uma troca de ações, sendo que os acionistas da DP Brasil, dona da Domino’s localmente, terão cerca de 16% do Burger King no Brasil, hoje avaliada em R$ 3,3 bilhões na B3.

O Bradesco BBI avalia o negócio anunciado pelo Burger King como positivo e estratégico, já que a marca Domino’s já vinha sendo líder em entregas digitais pelo mundo. O banco espera que a marca cresça no mercado de pizza nos próximos anos, e que há prováveis sinergias em entregas, negociações com consumidores e dados de usuários. O banco mantém avaliação neutra e preço-alvo de R$ 12 para BKBR3, frente à cotação de quinta de R$ 12,13.

O Morgan Stanley aponta que a Domino’s é uma marca forte, que oferece um bom retorno, e que abre perspectiva de crescimento para o Burger King Brasil. O banco diz que o acordo é positivo estrategicamente, e que os múltiplos parecem abaixo daqueles de outros atores globais, especialmente após sinergias. O banco diz que o Burger King deve ser capaz de acelerar seu crescimento. O Morgan Stanley mantém avaliação overweight e preço-alvo de R$ 12,50.

Soma (SOMA3, R$ 16,73, +2,64%)

O Grupo Soma – dono das marcas Farm e Animale, que recentemente comprou o Grupo Hering, superando a Arezzo na disputa pelo ativo – informou que fará uma oferta primária de ações que pode levantar R$ 750 milhões, considerando o valor dos papéis da empresa no fechamento do pregão de quinta-feira, a R$ 16,30. A transação envolve 46 milhões de ações ordinárias a serem emitidas pela companhia e não há previsão de lotes adicionais.

A operação está sob a coordenação do Banco Itaú BBA, com participação de instituições como Bank of America Merrill Lynch, Banco BTG Pactual, Santander e XP Investimentos. Simultaneamente serão feitos esforços de colocação das ações no exterior.

Os recursos serão destinados à aquisição da Hering, realizada depois de uma negociação “relâmpago”, por R$ 5 bilhões.

O Grupo Soma é conhecido, principalmente, pelas marcas de alto valor agregado, voltadas à alta renda. Em entrevista ao Estadão/Broadcast, na semana passada, o presidente da empresa, Roberto Jatahy, afirmou que a intenção é repaginar completamente a Hering nos próximos meses.

Azul (AZUL4, R$ 42,55, +3,25%)

A Azul divulgou os dados preliminares de junho na noite da última sexta-feira. O tráfego doméstico de passageiros, medido pelo RPK, teve alta de 280,4% em relação a junho de 2020. O tráfego doméstico avançou 328,2% em junho, enquanto o tráfego internacional cresceu 21,2%.

A companhia destaca que recuperou 96,6% dos níveis de 2019, enquanto a capacidade doméstica (ASKs) recuperou 101%, resultando em uma taxa de ocupação de 79%.

“Nos últimos meses demonstramos na prática a força e singularidade do nosso modelo de negócio. Com os esforços contínuos para a vacinação no Brasil, a demanda doméstica já está nos níveis de 2019 e atingimos nosso recorde, voando para 120 destinos. Continuamos reconstruindo nossa malha, enquanto mantemos nossa expansão de margem e desenvolvemos nosso negócio de logística”, disse John Rodgerson, CEO da Azul.

Gol (GOLL4, R$ 22,31, +1,32%)

Já a Gol divulgou nesta segunda-feira uma atualização ao investidor sobre suas expectativas para o segundo trimestre de 2021.

A companhia estima Prejuízo Por Ação (LPA) e Prejuízo Por Ação Depositária Americana (LPADS) de aproximadamente R$ 3,25 e US$ 1,23, respectivamente. A margem Ebitda no segundo trimestre, excluindo despesas não operacionais e não
recorrentes, está estimada entre 16% e 18%, uma redução em relação à margem do trimestre findo em junho de 2020 (28%).

Já a receita unitária de passageiro (PRASK) para o segundo trimestre tende a ser menor em aproximadamente 17%, quando comparada ao mesmo período do ano passado. A Gol espera uma receita unitária (RASK) 33% inferior em relação ao 2T20. As vendas diárias encerraram o trimestre em torno de R$ 21 milhões, representando um aumento de 200% em relação ao final do 1T21. A taxa de ocupação da GOL, em 85%, continua eficientemente casando a oferta com a demanda.

Os custos unitários ex-combustíveis do trimestre, excluindo despesas não operacionais e não recorrentes, deverão reduzir aproximadamente 55% na base anual, principalmente devido ao número de ASKs quatro vezes maior e a apreciação de 1% do real.

A liquidez total ao final de junho de 2021 foi R$ 1,7 bilhão, composta por R$ 1,0 bilhão em caixa e aplicações financeiras e R$ 0,7 bilhão em recebíveis. Contemplando os valores financiáveis de depósitos, as fontes de liquidez da Gol totalizam aproximadamente R$ 3,7 bilhões. Isso é consistente com os patamares de liquidez ao longo da pandemia, afirmou a aérea.

A Gol ainda destacou que planeja aumentar sua capacidade no terceiro trimestre em aproximadamente 80% comparativamente ao segundo trimestre, antecipando uma demanda sazonal mais forte.

Ambipar (AMBP3, R$ 44,06, +0,87%)

O Bradesco BBI atualizou sua avaliação sobre a Ambipar, que classificou como “um dos poucos ativos” com verdadeira governança ambiental e social (ESG na sigla em inglês). Segundo o banco, a empresa, que passou pela sua oferta pública inicial de ações (IPO em inglês) faz um ano, começa a mostrar seu potencial de forte crescimento no Brasil, no resto da América Latina e nos Estados Unidos.

O banco diz que, desde o IPO, a empresa teve desempenho além de seu plano inicial, e está a caminho de superar sua guidance (conjunto de previsões e planos) para crescimento orgânico, e realizando movimentos de fusões e aquisições nos Estados Unidos. O banco destaca a compra da chilena Disal, que tem ativos também no Peru e no Paraguai, e que deve contribuir para dobrar o lucro Ebitda da unidade ambiental da Ambipar até o ano fiscal de 2022.

O banco tem preço-alvo para 2022 para a Ambipar, de R$ 63, alta de 44% frente o fechamento de quinta-feira, com recomendação outperform (desempenho acima da média do mercado).

Wiz (WIZS3, R$ 17,81, +2,65%)

O Itaú BBA reiniciou a cobertura de Wiz, gestora de canais de distribuição de seguros e produtos financeiros, com um preço-alvo de R$ 23 para a ação ao fim de 2021, o que representa um potencial upside de 33% em relação ao preço atual do papel.

“Na nossa visão, a  companhia vem passando por uma transformação salutar após o fim do contrato de exclusividade com a Caixa, em fevereiro deste ano. Desde então, a Wiz passou a diversificar seus negócios, anunciando acordos comerciais e parcerias para atuar como corretora em outros balcões, sejam de bancos tradicionais ou digitais”, apontam os analistas.

“Acreditamos que as recentes parcerias firmadas com Inter, BRB e BMG darão suporte a um bom crescimento dos negócios da companhia. Com os acordos, a Wiz passa a ser sócia desses bancos na operação de venda de seguros – o que naturalmente traz crescimento associado a uma maior exploração da base de cliente dessas instituições. Nessa frente, destacamos em especial a Inter Seguros, em que a Wiz possui participação de 40% e que deve representar uma parte substancial do negócio da gestora nos próximos anos”, continuam.

A Wiz, na visão dos analistas, tem passado por uma mudança substancial; de uma companhia antes bastante concentrada nos negócios associados à Caixa para uma empresa de perfil diversificado no segmento de corretagem de seguros.

“Mesmo considerando a alta recente do papel, que subiu 121% neste ano, ainda vemos um bom retorno potencial para o investimento na companhia, que tem nossa recomendação de outperform (desempenho acima do mercado)”, apontam os analistas. Eles ressaltam que o cálculo do preço-alvo de R$ 23 por ação foi obtido por meio da metodologia de soma-das-partes nos principais negócios da empresa.

Petrobras (PETR3, R$ 28,45, +1,03%; PETR4, R$ 27,73, +0,87%)

A Petrobras informou na segunda-feira ter assinado com a empresa 3R Petroleum (RRRP3) contrato para a venda da totalidade de sua participação no campo de produção de Papa-Terra, localizado na Bacia de Campos.

O valor da venda é de US$ 105,6 milhões, sendo (a) US$ 6,0 milhões pagos na presente data; (b) US$ 9,6 milhões no fechamento da transação e (c) US$ 90,0 milhões em pagamentos contingentes previstos em contrato, relacionados a níveis de produção do ativo e preços futuros do petróleo. Os valores não consideram os ajustes devidos e o fechamento da transação está sujeito ao cumprimento de condições precedentes, tais como a aprovação pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

“Essa operação está alinhada à estratégia de otimização de portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, passando a concentrar cada vez mais os seus recursos em ativos de classe mundial em águas profundas e ultra-profundas, onde a Petrobras tem demonstrado grande diferencial competitivo ao longo dos anos”, destacou a estatal.

O campo de Papa-Terra faz parte da concessão BC-20 e está localizado em lâmina d’água de 1.200 m. O campo iniciou sua operação em 2013 e sua produção média de óleo e gás em 2021, até junho, foi de 17,9 mil boe/dia, através de duas plataformas, P-61 do tipo TLWP (Tension Leg Wellhead Platform) e P-63 do tipo FPSO (Floating Production Storage and Offloading), onde é realizado o processamento de toda a produção. A Petrobras é a operadora do campo, com 62,5% de participação, em parceria com a Chevron, que detém os 37,5% restantes.

A Petrobras informa que assinou com a Pré-sal Petróleo S.A. (PPSA) o Acordo de Coparticipação de Itapu, que regulará a coexistência do Contrato de Cessão Onerosa e do Contrato de Partilha de Produção do Excedente da Cessão Onerosa para o campo de Itapu, no pré-sal da Bacia de Santos.

As negociações foram iniciadas logo após a licitação, ocorrida em 6 de novembro de 2019, em que a Petrobras adquiriu 100% dos direitos de exploração e produção do volume excedente da Cessão Onerosa do campo de Itapu. Em conjunto, Petrobras e PPSA definiram o Plano de Desenvolvimento do campo, estimativas de curva de produção e volumes recuperáveis.

Já na quinta à noite, a Petrobras comunicou que iniciou a etapa de divulgação do teaser para a venda, em conjunto com a Sonangol Hidrocarbonetos Brasil, da totalidade da participação de ambas as empresas no bloco exploratório terrestre POT-T-794, pertencente à concessão BT-POT-55A, localizada na Bacia Potiguar, no estado do Rio Grande do Norte. A Petrobras detém 70% de participação e a Sonangol é a operadora, com 30% de participação no bloco.

JHSF (JHSF3, R$ 7,27, +4,91%)

A JHSF Participações registrou crescimento de 63,9% nas vendas contratadas no segmento de incorporação no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, para R$ 556,8 milhões, de acordo com prévia operacional divulgada pela empresa nesta segunda-feira.

A companhia, que atua nos mercados de shopping center e desenvolvimento imobiliário de alto padrão, entre outros segmentos, destacou que no trimestre houve o pré-lançamento do Boa Vista Estates, com vendas contratadas no período de 187,4 milhões de reais.

O projeto está localizado em uma área de 6,6 milhões de m² no Complexo da Boa Vista e tem um valor geral de vendas (VGV) estimado em aproximadamente R$ 5,5 bilhões. O desenvolvimento será faseado, com cerca de 200 unidades entre estâncias, lotes e residências.

Embraer (EMBR3, R$ 19,70, +8,18%)

A Embraer comunicou nesta segunda-feira que recebeu pedido firme para 30 jatos E195-E2 e direito de compra de mais 50 aeronaves do mesmo modelo da Porter Airlines. A fabricante brasileira de aviões afirmou que o pedido firme fora divulgado em maio de 2021 e o anúncio desta segunda-feira inclui os direitos de compra e o nome do cliente.

O negócio será incluído na carteira de pedidos (backlog) da fabricante brasileira de aviões do segundo trimestre e tem valor de US$ 5,82 bilhões, a preço de lista.

De acordo com a Embraer, a Porter pretende utilizar o E195-E2s em destinos populares de negócios e lazer em todo o Canadá, Estados Unidos, México e Caribe a partir de Ottawa, Montreal, Halifax e do Toronto Pearson International Airport.

A primeira entrega para a Porter está programada para o segundo semestre de 2022. O contrato contempla a opção de converter os direitos de compra para o jato E190-E2.

Os analistas do Itaú BBA destacaram a notícia como positiva. “Considerando os 30 E195-E2 a serem incluídos na carteira de pedidos da Embraer no trimestre combinadas com nossas expectativas para o trimestre, estimamos que a carteira de pedidos da Embraer deve saltar para cerca de US$ 15 bilhões no segundo trimestre de 2021, ante US$ 14,2 bilhões nos primeiros três meses do ano, ou US$ 16,8 bilhões considerando o total de 80 aeronaves”, avaliam os analistas.

Hapvida (HAPV3, R$ 15,29, +1,93%) e Notre Dame (GNDI3, R$ 84,42, +0,76%)

O Itaú BBA comentou a confirmação pela Agência Nacional de Saúde (ANS) do reajuste negativo para planos de saúde individuais, de até 8,19% para o período de maio de 2021 a abril de 2022. O ajuste reflete a redução de gastos com assistência no setor em 2020 devido à pandemia de Covid, e deve resultar na redução de premiums para seguradoras de saúde, que não podem fazer ajustes maiores do que os definidos pela ANS. É a primeira vez que um reajuste negativo foi aplicado sobre planos de saúde individuais.

O reajuste foi pior do que a expectativa do mercado e as estimativas do Itaú, mas que já era parcialmente contabilizado pelo consenso de mercado. O banco diz que operadores menores e menos verticalizados devem ser especialmente afetados. E acredita que a ANS está mandando a mensagem correta, por estar seguindo sua metodologia. O banco espera que o próximo reajuste compense parcialmente o atual, levando em conta os papéis de Hapvida e Notre Dame.

Eletrobras (ELET3, R$ 43,62, +2,15%; ELET6, R$ 42,93, +1,51%)

Já o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deu mais um passo para efetuar a privatização da Eletrobras em fevereiro do ano que vem. O banco de fomento, responsável pela estruturação do processo, publicou o contrato do consórcio que conduzirá a modelagem, além da estruturação financeira e relatório final do processo de desestatização. No mês passado, a Câmara dos Deputados aprovou a medida provisória que permite a saída da União do controle da empresa de energia elétrica.

Vale (VALE3, R$ 115,07, +1,24%)

O Morgan Stanley comentou a notícia de que o Ministério Público Federal busca chegar a um novo e definitivo acordo com a Samarco e suas donas, Vale e BHP, por danos ligados ao rompimento da barragem de Fundão em 2015. As autoridades avaliam que o acordo de R$ 20 bilhões não foi efetivo o suficiente. Ainda há cerca de 85 mil processos não resolvidos relacionados ao desastre.

O banco avalia que o mecanismo para reparar o impacto de Fundão se mostrou ineficiente, frustrando as partes envolvidas. Um acordo alternativo pode encerrar a situação, mas o banco avalia que é provável que seja mais caro para a Samarco e suas donas. Assim, o banco diz que é improvável que as empresas concordem com um valor próximo de R$ 155 bilhões, como mencionado por um promotor do Ministério Público em entrevista à agência internacional de notícias Reuters. O Morgan Stanley mantém avaliação overweight (perspectiva de valorização acima da média do mercado) para a Vale, e preço-alvo de US$ 27, frente à cotação de fechamento de US$ 22,16 dos papéis VALE negociados na Bolsa de Nova York na sexta.

Banco do Brasil(BBAS3, R$ 32,60, +2,55%)

O conselho de administração do Banco do Brasil, por sua vez, aprovou a adequação da sua estrutura organizacional com a extinção da unidade Negócios PF, MPE e Agro e de Negócios Varejo e Setor Público, além da criação da diretoria Comercial Alto Varejo.

Rede D’Or (RDOR3, R$ 69,95, -0,92%)

As aquisições também estiveram no radar: a  Rede D’Or anunciou a compra de 51% do Hospital Proncor, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. O valor de firma (firm value) para 100% do Proncor é de R$ 290 milhões; deste valor, será deduzido o endividamento líquido.

Confira mais destaques do noticiário corporativo do feriado clicando aqui. 

Dasa (DASA3, R$ 59,89, -1,66%)

A Dasa comunicou que sua subsidiária Ímpar celebrou contrato para a aquisição de ações da Marimed pela Ímpar, sua subsidiária, que passará, após a conclusão e fechamento, a ser detentora de até 100% das ações representativas do capital social da Marimed.

A Marimed é a sociedade responsável pela operação do Hospital Paraná, na cidade de Maringá, uma das maiores cidades do noroeste do estado do Paraná. O Hospital Paraná conta com 165 leitos e atende em todas as etapas de cuidado: atenção primária, secundária, procedimentos de média e alta complexidade e atendimento pós-tratamento.

O valor da aquisição não foi informado.

O banco encara o negócio como levemente positivo, destacando que ele marca a entrada da Dasa no segmento hospitalar do estado, onde já tem 75 unidades de pronto socorro. O banco também afirma que a região tem tido um mercado de clientes de planos de saúde resiliente, com 250 mil beneficiários e taxa de crescimento anual composta de 0,7% entre 2014 e 2020. O banco também afirma que, após atingir seu guidance de fusões e aquisições para o segmento hospitalar no mês passado, a empresa deve buscar realizar novas fusões e aquisições menores como esta em 2021. O banco mantém avaliação outperform e preço-alvo de R$ 81 para a Dasa, frente à cotação de R$ 60,9 de quinta.

Dotz (DOTZ3, R$ 16,00, +15,86%)

O Credit Suisse iniciou a cobertura da Dotz com avaliação outperform e preço-alvo para 2022 de R$ 22, frente à cotação de quinta de R$ 13,81. O banco avalia que a empresa pode se tornar um dos principais “superaplicativos” do Brasil, devido a uma base de usuários grande, custo de aquisição de cliente baixo e pagamentos automáticos. Para os analistas, a Dotz tem uma valoração atrativa, em linha com empresas mais tradicionais do setor de tecnologia brasileiro, com uma valoração mais atrativa do que outras empresas com “superaplicativos”, como Pagmenos, Mercado Livre, Méliuz e Banco Inter. O banco espera que a Dotz use sua oferta pública inicial de ações para impuslionar pesquisa e desenvolvimento e publicidade, mas não espera lucros até 2023.

Banco Inter (BIDI11, R$ 78,61, +3,48%)

O Banco Inter atingiu 12 milhões de clientes no final do segundo trimestre, mais do que dobrando sua base em relação ao mesmo período do ano anterior, informou a companhia na última segunda. Na base trimestral, houve crescimento de 18%.

De acordo com a prévia operacional do banco digital, foram transacionados no período R$ 9,4 bilhões em cartões, alta de 217% ano a ano e de 24,4% frente ao primeiro trimestre de 2021.

A originação de crédito entre abril e junho totalizou R$ 4,8 bilhões , elevação de 212% frente ao mesmo período do ano passado e de 29,7% na base trimestral. No caso das empresas, alcançou quase R$ 2,8 bilhões.

No Inter Shop, foram transacionados R$ 774 milhões, crescimento de 531% ano a ano, com a medida de GMV atingindo R$ 2,5 bilhões nos últimos 12 meses.

O Inter também divulgou que atingiu cerca de 1,7 milhão de investidores no segundo trimestre, alta de 120% ante o mesmo intervalo de 2020, que passaram a representar cerca de 14% da sua base total de clientes.

Na Inter Seguros, houve crescimento de 342% no número de clientes ativos em carteira ano a ano, para 532 mil. Os prêmios somaram R$ 36,2 milhões, elevação de 62,2%.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Quer trabalhar como assessor de investimentos? Entre no setor que paga as melhores remunerações de 2021. Inscreva-se no curso gratuito “Carreira no Mercado Financeiro”.

Compartilhe