Day trade de criptomoedas: como fazer e quais criptos são recomendadas

O day trade, modalidade de investimento comum no mercado financeiro tradicional, invadiu o universo das criptomoedas. Entenda como a prática funciona

Day trade de criptomoedas
(Imagem: GettyImages)

O day trade é uma operação que envolve a compra e a venda de um ativo no mesmo dia. É uma estratégia comum no mercado de ações, opções e contratos futuros, que acabou ganhando espaço também no universo das criptomoedas.

Assim como nas finanças tradicionais, o day trade de criptoativos é uma modalidade arriscada. As operações são feitas em curto prazo, têm caráter especulativo e exigem equilíbrio emocional. Por isso, é uma prática indicada para pessoas com perfil arrojado e um amplo conhecimento em cripto e mercado financeiro.

Neste guia, o InfoMoney explica como fazer day trade de criptomoedas e de que forma escolher os ativos digitais adequados para negociação. Além disso, detalha como analisar gráficos para tomar decisões acertadas.

Como fazer day trade de criptomoedas?

O primeiro passo para fazer day trade de criptomoedas é escolher uma plataforma. No Brasil, as principais exchanges geralmente permitem esse tipo de negociação.

Qualquer um pode operar. No cadastro, normalmente é preciso informar e-mail, CPF, CNPJ (no caso de empresas), RG, nome dos pais e outros dados pessoais.

Como medida de segurança, algumas corretoras também exigem uma selfie da pessoa segurando o próprio documento para comprovar a identidade.

Depois do preenchimento, basta depositar moeda fiduciária ou outra criptomoeda na plataforma e escolher o ativo digital para o day trade. Como há milhares de criptos no mercado, é ideal selecionar criptoativos sérios e com credibilidade.

Ao contrário do day trade de ações, que pode ser feito somente no horário de funcionamento da bolsa de valores, as negociações com criptos geralmente são realizadas 24 horas por dia, sete dias por semana.

Como escolher uma plataforma para fazer day trade de criptomoedas?

É importante levar em consideração alguns pontos na hora de optar por uma plataforma de day trade. O primeiro, por exemplo, é a credibilidade da empresa. Vale levantar o histórico, fazer pesquisas em sites especializados e analisar reclamações em sites de defesa do consumidor. Além disso, ler avaliações de usuários e conversar com outros clientes pode ajudar.

Outro ponto é descobrir quais são as criptos oferecidas. Algumas corretoras têm uma ampla diversidade de ativos digitais. Outras, por outro lado, têm poucas opções, o que pode limitar as negociações.
É importante também avaliar os pares de criptos. Um par é formado por duas moedas que podem ser trocadas entre si. Veja alguns exemplos com seus respectivos tickers:

  • Bitcoin e Real – BTC/BRL
  • Bitcoin e Ethereum – BTC/ ETH
  • Dogecoin e Dólar – DOGE/USD

Outra etapa fundamental é avaliar a liquidez. Quanto mais rápida for a conversão do ativo digital em dinheiro dentro da plataforma, melhor.

É necessário também verificar se a exchange oferece mecanismos de segurança e disponibiliza operações básicas, como executar depósitos, compras, vendas e saques.

Por fim, é essencial ficar de olho nas taxas. Normalmente, as corretoras cobram valores pelas negociações. Além disso, há tarifas das blockchains das criptomoedas. No caso da rede Ethereum, por exemplo, o nome da taxa de transação é “gas”.

Como escolher uma criptomoeda para day trade?

Há 19 mil criptomoedas no mercado, de acordo com o agregador CoinMarketCap. Não são todas, no entanto, que têm bons fundamentos. Algumas ainda podem ser enquadrar na categoria de “shitcoin” (gíria usada para identificar projetos inúteis).

Lucas Cardel, CEO e fundador da empresa de tecnologia e blockchain Lunes Plataforma, citou alguns pontos que precisam levados em conta na hora de escolher uma criptomoeda para negociação.

“As principais informações que os day traders devem analisar são tendência do mercado atual, pesquisa do ativo, volume das transações, análise gráfica do ativo, lançamentos/roadmap, listagem em exchanges e projeção de previsibilidade.”

As pesquisas sobre a cripto podem ser feitas em sites institucionais, em portais especializados, fóruns e nos próprios roadmaps, documentos que reúnem informações do projeto. A listagem do ativo pode ser verificada diretamente nas corretoras.

Já projeção de previsibilidade, tendência do mercado e análise são obtidas por meio da observação de gráficos. Confira no próximo tópico.

Como analisar gráficos de day trade de criptomoedas?

A análise técnica é o estudo dos movimentos dos preços de um ativo a partir da observação dos gráficos. Por meio desse modelo, é possível ter acesso ao histórico de dados e, com isso, identificar os movimentos passados do preço para determinar tendências futuras.

Há vários tipos gráficos, como de Linha, Renko e Candlestick. No mercado cripto, um dos mais utilizados por day traders é o de Candlestick, conhecido também como gráfico de velas. Há três componentes básicos nesse modelo: período, formato e cor.

Período – No gráfico há candles (velas, na tradução para o português), retângulos coloridos que resumem o que aconteceu com o preço do ativo em determinado período. É possível especificar intervalos de um minuto, uma hora, uma semana e até um ano, entre outras opções.

Formato – A base da vela mostra o preço de abertura, e o teto mostra o valor do fechamento. Há também duas linhas verticais, chamadas de sombras, ligadas à base e ao topo do retângulo. A linha de baixo mostra o preço mínimo que o ativo chegou no período selecionado, e a de cima mostra o valor máximo.

Cor – A coloração da vela indica se a criptomoeda está em alta ou em baixa em relação ao fechamento do período anterior. Normalmente, o vermelho é usado para indicar quedas, enquanto o verde é usado para representar subidas.

Padrões das velas

Alguns padrões são formados e podem ser observados nesse tipo de gráfico. Cada um sinaliza uma possível tendência. No martelo (Hammer, em inglês), por exemplo, há candles pequenos, e sombras grandes. Esse formato indica reversão, seja de alta para baixa ou vice-versa.

Outro exemplo é o Engolfo de Alta (Bullish Engulfing), encontrado após períodos de quedas. No gráfico, aparecem um candle de baixa pequeno (vermelho) ao lado de um candle maior de alta (verde). Esse padrão geralmente sinaliza uma reversão de baixa para alta.

O oposto é o Engolfo de Baixa (Bearish Engulfing). Nesse padrão, que indica mudança de alta para baixa, o primeiro candle é maior e verde, e o segundo é menor e vermelho.

Há ainda um quarto tipo, chamado Doji. Nele, há duas velas – uma de alta e uma de baixa – uma ao lado da outra, achatadas horizontalmente. Essa composição sinaliza indecisão ou equilíbrio.

“A capacidade de mensurar boas análises gráficas é fundamental para saber o momento de entrar e sair das operações, bem como gerenciar corretamente os seus riscos”, disse Cardel.

Projetos novos são recomendados para fazer day trade ou podem ser golpes?

Há projetos novos sérios e com fundamento, mas também há várias shitcoins. Para separar o joio do trigo no mercado cripto, o usuário precisa se debruçar sobre a criptomoeda e a equipe por trás dela.

Na hora da pesquisa, é importante ler o whitepaper (manual) da criptomoeda e entender seu fundamento. Vale também descobrir os nomes dos integrantes do projeto e verificar o passado de cada um. O anonimato, apesar de ter sido algo positivo para o BTC, não é um bom sinal para projetos novos. Estas perguntas podem ajudar:

  • Os responsáveis têm experiência no mercado?
  • Qual a formação deles? Qual a reputação?
  • Em quais outros projetos estiveram envolvidos?
  • Eles têm problemas com a Justiça?

Ativos digitais com promessas de rendimentos mensais e programas de indicações, como aqueles que dizem “receba uma porcentagem a cada amigo indicado”, devem ser evitados. Normalmente, eles são esquemas ponzi ou pirâmides financeiras disfarçadas de projeto cripto.

Vantagens e desvantagens

Assim como qualquer modalidade de negociação, o day trade de criptomoedas tem prós e contras.
24 horas – Diferente do day trade de ações, que deve ser feito apenas no horário de funcionamento da bolsa de valores, a negociação de criptos normalmente pode ser feita 24 horas por dia, sete dias por semana.

Impostos

Nas operações de day trade de ações, a alíquota que incide sobre o ganho de capital é de 20%. Nas negociações diárias de criptomoedas, por outro lado, essa cobrança não existe. Vale lembrar, no entanto, que investidores que obtêm lucro com criptoativos ou moedas virtuais são tributados sempre que as vendas totais superam R$ 35 mil por mês.

Risco

O day trader é uma prática arriscada, principalmente no mercado cripto. Eventos inesperados podem ocorrer no dia, como um tweet de uma personalidade ou alguma medida governamental, gerando quedas de preços. Portanto, investidores inexperientes devem ter muita cautela.

Emoção

Investidores, principalmente os inexperientes, podem ser influenciados por emoções, e tomar decisões equivocadas que geram perdas. Para lidar com isso, é recomendado estabelecer um stop loss, uma ordem programada para ser disparada de forma automática quando o ativo atinge determinado preço.

Tempo e dedicação

As operações de day trade são complexas. Por isso, os interessados devem reservar um período para aprender a modalidade. “Para se tornar um day trade bom e com consistência é preciso estudar muito e isso pode levar de 2 a 3 anos”, disse Cardel, da Lunes Plataforma.

LEIA MAIS

Confira mais guias e entenda os principais conceitos do universo dos criptoativos: