Agenda de dividendos de dezembro: Petrobras, Taesa, Gerdau e Engie pagam nesse mês

Taesa deposita no total R$ 1,06 por unit e R$ 0,35 por ação ordinária e preferencial; confira a lista completa com mais de 70 empresas

Katherine Rivas

Publicidade

** Este conteúdo será atualizado ao longo do mês para inserir novas empresas, conforme forem anunciando os seus proventos.

Dezembro acabou de começar, mas no mercado financeiro Papai Noel parece ter adiantado os presentes. Segundo levantamento do InfoMoney, 75 empresas vão pagar dividendos e juros sobre capital próprio (JCP) neste mês.

Companhias como Taesa, Gerdau, CPFL Energia, Banco do Brasil e Engie são algumas das que remuneram os seus acionistas ao longo de dezembro.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

Jaqueta XP NFL

Garanta em 3 passos a sua jaqueta e vista a emoção do futebol americano

Agenda de dividendos

Empresas que pagam dividendos na primeira quinzena
Empresas que pagam dividendos na segunda quinzena

Análises

Gerdau (GGBR3; GGBR4)
Taesa (TAEE3; TAEE4; TAEEE11)
Engie (EGIE3)
Banco do Brasil (BBAS3)

Os valores da lista de pagadoras são generosos, mas se consideradas apenas companhias com boa liquidez – facilidade de negociação das ações em bolsa – um destaque é a siderúrgica Gerdau, que paga R$ 1,73 por ação ordinária (GGBR3) e preferencial (GGBR4) no dia 14. Têm direito a receber os proventos os investidores que tinham posição acionária até o dia 21 de novembro de 2022.

No balanço do terceiro trimestre, a Gerdau foi uma das poucas empresas de commodities que não decepcionou analistas quando o assunto são dividendos. A companhia foi favorecida, segundo agentes de mercado, pela diversificação nas suas operações, com parte da sua receita na América do Norte, que não sofreu os impactos da desaceleração da economia chinesa.

Outra companhia que integra a lista de dezembro é a Petrobras  (PETR4;PETR3), que paga na terça-feira (20) a primeira parcela dos proventos de R$ 43,7 bilhões, referentes ao resultado do terceiro trimestre deste ano.

Continua depois da publicidade

O valor da primeira parcela é de R$ 1,67 por ação. Parte do valor (R$ 1,16 por ação) corresponderá a dividendos, que são isentos de tributação. Outra parte (de R$ 0,52) virá na forma de juros sobre capital próprio (JCP). Lembrando que JCPs são tributados – portanto, deste valor será descontado na fonte automaticamente o imposto de renda de 15%.

Já a segunda parcela deve ser paga em 19 de janeiro de 2023, também no valor de R$ 1,67, sendo R$ 1,60 em dividendos e R$ 0,07 em JCP.

Após muita polêmica e resistência política, os depósitos dos dividendos da Petrobras seguirão o cronograma de pagamentos inicial. O Ministério Público chegou a solicitar a suspensão do pagamento um dia após a estatal ter anunciado a remuneração bilionária. Contudo, o pedido foi negado por Augusto Nardes, ministro do Tributal de Contas da União (TCU).

Mas o risco político ainda pesa no mercado, que já comprou a ideia de que no novo governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) os tempos dourados de bons dividendos da Petrobras devem ficar no passado. Em 2022, a petrolífera chegou a ser a maior pagadora de dividendos no mundo no segundo trimestre e a terceira no terceiro trimestre, mantendo-se no topo do índice global calculado pela gestora britânica Janus Henderson.

Na próxima segunda (5), serão pagos os dividendos de uma “queridinha” do universo da renda passiva, aclamada por grandes e pequenos investidores. A elétrica Taesa deve pagar dividendos intercalares, intermediários e JCP para as suas ações ordinárias (TAEE3), preferenciais (TAEE4) e units (TAEE11).

Se somados os três proventos, cada investidor deverá receber R$ 0,35 por papel ordinário e preferencial e R$ 1,06 por unit.

De acordo com a sua política de dividendos, a Taesa se compromete a pagar pelo menos 50% do seu lucro líquido ajustado aos acionistas. No entanto, esse payout foi superado todos os anos entre 2009 e 2021, quando a companhia distribuiu entre 65% até 95% do seu lucro líquido ajustado aos acionistas.

Dividendos previstos para a primeira quinzena de dezembro de 2022

Empresa (Ticker) Tipo de Provento Valor por ação  Data de Pagamento Data Com
Bradesco (BBDC3) JCP R$ 0,017 01/12/2022 01/11/2022
Bradesco (BBDC4) JCP R$ 0,019 01/12/2022 01/11/2022
Banestes (BEES3) JCP R$ 0,021 01/12/2022 31/10/2022
Banestes (BEES4) JCP R$ 0,021 01/12/2022 31/10/2022
Itaú (ITUB3) JCP R$ 0,01765 01/12/2022 31/10/2022
Itaú  (ITUB4) JCP R$ 0,01765 01/12/2022 31/10/2022
Raia Drogasil (RADL3) Dividendo R$ 0,065 01/12/2022 05/10/2022
Raia Drogasil (RADL3) JCP R$ 0,045 01/12/2022 05/07/2022
Raia Drogasil (RADL3) JCP R$ 0,040 01/12/2022 04/04/2022
CSN (CSNA3) Dividendo R$ 1,18 02/12/2022 25/11/2022
CSN (CSNA3) Dividendo R$ 0,34 02/12/2022 29/04/2022
 CIA Industrial Cataguases (CATA3) Dividendo R$ 19,72 05/12/2022 21/11/2022
CIA Industrial Cataguases (CATA4) Dividendo R$ 140,85 05/12/2022 21/11/2022
Participações Aliança da Bahia (PEAB3) Dividendo R$ 0,26 05/12/2022 17/11/2022
Participações Aliança da Bahia  (PEAB3) JCP R$ 0,21 05/12/2022 17/11/2022
Participações Aliança da Bahia (PEAB4) Dividendo R$ 0,29 05/12/2022 17/11/2022
Participações Aliança da Bahia (PEAB4) JCP R$ 0,24 05/12/2022 17/11/2022
Taesa (TAEE11) Dividendo R$ 0,13 05/12/2022 14/11/2022
Taesa (TAEE11) Dividendo R$ 0,33 05/12/2022 14/11/2022
Taesa (TAEE11) JCP R$ 0,60 05/12/2022 14/11/2022
Taesa (TAEE3) Dividendo R$ 0,04 05/12/2022 14/11/2022
Taesa (TAEE3) Dividendo R$ 0,11 05/12/2022 14/11/2022
Taesa (TAEE3) JCP R$ 0,20 05/12/2022 14/11/2022
Taesa (TAEE4) Dividendo R$ 0,04 05/12/2022 14/11/2022
Taesa  (TAEE4) Dividendo R$ 0,11 05/12/2022 14/11/2022
Taesa (TAEE4) JCP R$ 0,20 05/12/2022 14/11/2022
Tronox (CRPG3) Dividendo R$ 2,88 06/12/2022 22/11/2022
Tronox  (CRPG3) JCP R$ 1,49 06/12/2022 22/11/2022
Tronox  (CRPG5) Dividendo R$ 2,88 06/12/2022 22/11/2022
Tronox  (CRPG5) JCP R$ 1,49 06/12/2022 22/11/2022
Tronox (CRPG6) Dividendo R$ 2,88 06/12/2022 22/11/2022
Tronox (CRPG6) JCP R$ 1,49 06/12/2022 22/11/2022
Metisa (MTSA3) JCP R$ 0,30 06/12/2022 20/06/2022
Metisa (MTSA4) JCP R$ 0,33 06/12/2022 20/06/2022
Yduqs (YDUQ3) Dividendo R$ 0,13 06/12/2022 28/04/2022
Equatorial Para (EQPA3) Dividendo R$ 0,36 09/12/2022 28/11/2022
Equatorial Para (EQPA5) Dividendo R$ 0,36 09/12/2022 28/11/2022
Equatorial Para (EQPA6) Dividendo R$ 0,36 09/12/2022 28/11/2022
Equatorial Para (EQPA7) Dividendo R$ 0,36 09/12/2022 28/11/2022
Camil (CAML3) JCP R$ 0,07 12/12/2022 01/12/2022
Engie Brasil (EGIE3) Dividendo R$ 0,71 12/12/2022 16/08/2022
Engie Brasil (EGIE3) Dividendo R$ 0,58 12/12/2022 21/11/2022
Qualicorp (QUAL3) Dividendo R$ 0,26 12/12/2022 05/05/2022
PetroReconcavo (RECV3) JCP R$ 0,62 13/12/2022 01/12/2022
Cyrela (CYRE3) Dividendo R$ 0,57 14/12/2022 22/04/2022
Gerdau (GGBR3) Dividendo R$ 1,73 14/12/2022 21/11/2022
Gerdau (GGBR3) JCP R$ 0,42 14/12/2022 21/11/2022
Gerdau  (GGBR4) Dividendo R$ 1,73 14/12/2022 21/11/2022
Gerdau (GGBR4) JCP R$ 0,42 14/12/2022 21/11/2022
Ecorodovias (ECOR3) Dividendo R$ 0,008 14/12/2022 05/12/2022
Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3) Dividendo R$ 0,095 15/12/2022 06/12/2022
CEG (CEGR3) Dividendo R$ 0,45 15/12/2022 29/04/2022
Metalúrgica Gerdau (GOAU3) Dividendo R$ 0,27 15/12/2022 21/11/2022
Metalúrgica Gerdau (GOAU3) JCP R$ 0,23 15/12/2022 21/11/2022
Metalúrgica Gerdau (GOAU4) Dividendo R$ 0,27 15/12/2022 21/11/2022
Metalúrgica Gerdau (GOAU4) JCP R$ 0,23 15/12/2022 21/11/2022
Kepler Weber (KEPL3) Dividendo R$ 0,78 15/12/2022 28/11/2022
Raízen (RAIZ4) Dividendo R$ 0,089 15/12/2022 07/12/2022
CPFL Energia (CPFE3) Dividendo R$ 1,62 15/12/2022 29/04/2022
Whirlpool (WHRL3) Dividendo R$ 0,19 15/12/2022 06/12/2022
Whirlpool (WHRL4) Dividendo R$ 0,21 15/12/2022 06/12/2022

Fonte: InfoMoney com Quantum Axis e RI das empresas. JCP = Juros sobre Capital Próprio; Data Com = data até a qual o investidor pode comprar uma ação para ter direito a receber os proventos.

Gerdau: boas perspectivas até 2024

As commodities passaram boa parte de 2021 e deste ano pagando dividendos elevados, que em alguns períodos até superaram a taxa básica de juros, mas com a atividade fraca na China e a queda do preço do minério de ferro, algumas viram os dividendos minguarem.

A única que não decepcionou o mercado no quesito dividendos foi a Gerdau, destaca Niels Tahara, head de análise fundamentalista da Benndorf Research. A companhia é menos exposta a China e possui maior diversificação nas suas operações, com cerca de 35% da sua receita na América do Norte. “Os resultados da unidade na América do Norte vem desempenhando muito bem, com aumento de eficiência, o que contribui para bons resultados e dividendos”, avalia.

O analista acredita que Gerdau ainda deve ser uma opção interessante para os próximos trimestres, por apresentar um valuation (preço) descontado, que deve se traduzir em um dividend yield (taxa de retorno com dividendos) maior, assim como boa resiliência nas operações.

A projeção de Tahara é que a Gerdau (GGBR4) entregue um dividend yield de 14% em 2023, com preço-alvo de R$ 40.  O analista acredita ainda que bons dividendos estão garantidos para a Gerdau pelo menos até 2024, quando deve ocorrer uma reversão por causa de o fim do ciclo de alta das commodities. “O investimento em Gerdau para dividendos deve ser pontual, aproveitando este cenário positivo, mas a companhia não serviria para uma estratégia de renda passiva no longo prazo”, destaca.

Fábio Sobreira, analista CNPI-P da Ivest, também tem uma visão otimista, porém mais conservadora, para os dividendos da Gerdau. Ele destaca que pelo seu histórico, os dividendos médios da siderúrgica eram de 3,5% mas que praticamente triplicaram para 11,5% nos últimos meses. O lucro por ação da companhia também saltou, segundo Sobreira, de R$ 1,96 para R$ 8,23, um salto de quase 300%.

“Na conjuntura atual, a Gerdau teria um poder de pagar dividendos de pelo menos 15%, se o minério de ferro permanecer perto dos US$ 100 a tonelada e o cenário econômico continuar positivo”, cita o analista. No entanto, ele lembra que a companhia historicamente distribui menos de 40% de payout (parcela do lucro destinada a proventos). “Isso daria lugar a um dividend yield de cerca de 6% em 2023. A Gerdau ainda tem espaço para valorizar até os R$ 35”, calcula.

Embora 6% seja um retorno aceitável para uma estratégia de renda passiva, Sobreira defende que os dividendos deveriam ser maiores, para superar a segurança oferecida pelos títulos públicos por exemplo. “Gerdau tem segurado bem diante das crises e acreditamos que é uma boa escolha, mas tem a incerteza, não sabemos se a China vai comprar minério ou reduzir por conta de lockdowns, crise imobiliária. Tendo essas ressalvas, ainda pode ser uma boa pagadora de dividendos”, diz Sobreira.

Leia também: 

10 ações baratas que custam a partir de R$ 3 e pagam bons dividendos 

Como receber dividendos todo mês? Confira uma carteira com 11 ações que fazem pagamentos regulares

Taesa: uma empresa perene e “queridinha dos dividendeiros”

Em dezembro, a Taesa trouxe novamente alegrias para os seus investidores. Tal qual relógio, paga proventos em maio, agosto, novembro e dezembro. A companhia vai entregar proventos na segunda-feira (5).

Para quem tinha as ações ordinárias ou preferenciais em carteira no dia 14 de novembro, deve pingar pelo menos R$ 0,35 por ação. Já para quem tinha as units o valor será de R$ 1,06, considerando a soma dos proventos.

Luiz Barsi Neto, economista e assessor no escritório MMBarsi Investimentos, afirma que a Taesa é reconhecida por ser uma empresa que há mais de dez anos distribui consistentemente proventos aos seus acionistas.

Barsi destaca que ao longo de 2021 (de 1º de janeiro a 1º de dezembro), a Taesa (TAEE11) chegou a pagar R$ 2,99 em dividendos aos investidores. Já neste ano, no mesmo intervalo, o valor foi de R$ 4,85. “Foi uma alta de 63% nos dividendos, que deve se manter em um patamar semelhante, caso os contratos da transmissora não sejam revistos, nem o governo ou agências reguladoras intervenham negativamente na cadeia que envolve a empresa”, destaca.

Para Barsi, um dos principais riscos para a Taesa seria o descumprimento de garantia nos contratos de transmissão, que provocaria a inadimplência de agentes que acessam este sistema, provocando perdas para a companhia. Segundo o especialista em investimentos, para garantir dividendos de pelo menos 6% ao ano, considerando o que foi pago em 2022, o investidor poderia adquirir os papéis até um preço-teto de R$ 80,91.

Para Guilherme Gentile, head de análise da Dividendos.me, a Taesa atua em um dos modelos mais seguros do setor elétrico, dado que se uma linha de transmissão é construída dentro do prazo, garante à empresa uma receita via contrato e reajustada por algum índice de inflação. “No terceiro trimestre, os contratos da Taesa foram reajustados em 7,7%, assim como novos contratos entraram em operação, contribuindo com o bom resultado da companhia”, destaca.

Mas Gentile também enxerga riscos, como os projetos que estão em fase de construção, mas com atraso na entrega, tais como o projeto Ivaí, no Paraná, que deveria ter sido entregue em agosto deste ano, segundo o analista. “Isso gera prejuízos para a taxa interna de retorno do projeto e eleva os custos da companhia”, completa.

Gentile chama a atenção também para o endividamento elevado da empresa, que está na casa de 3,7 vezes o Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização), e que gera questionamentos sobre dividendos sustentáveis no futuro. “A companhia já inclusive tem reduzido o seu payout neste ano para tentar diminuir o endividamento, de uma média de 81% para 61%”, afirma. Na visão de Gentile, se o payout continuar em 60%, a Taesa poderia entregar dividendos de 6% em 2023.

Luan Alves, head de equity da VG Research, tem uma visão mais otimista para Taesa e acredita que a empresa apresentará um dividend yield superior 8% em 2023. “Considerando a perenidade dos negócios, Taesa tende a manter elevado o nível de dividendos nos próximos anos”, afirma. O motivo, segundo Alves, é a baixa volatilidade e previsibilidade nos resultados da empresa.

O analista aponta como riscos as potenciais interferências setoriais por parte de órgãos reguladores, assim como uma concorrência mais acirrada nos leilões de transmissão que pode afetar a rentabilidade esperada nos projetos.

Dividendos para a segunda quinzena de dezembro de 2022

Empresa (Ticker) Tipo de Provento Valor por ação Data de Pagamento Data Com
Dexxos (DEXP3) Dividendo R$ 0,12 16/12/2022 28/04/2022
Dexxos  (DEXP4) Dividendo R$ 0,13 16/12/2022 28/04/2022
MRS Logística (MRSA3B) Dividendo R$ 0,47 16/12/2022 26/04/2022
MRS Logística (MRSA5B) Dividendo R$ 0,52 16/12/2022 26/04/2022
MRS Logística (MRSA6B) Dividendo R$ 0,52 16/12/2022 26/04/2022
Carrefour (CRFB3) JCP R$ 0,073 19/12/2022 06/12/2022
BR Properties (BRPR3) Dividendo R$ 0,03 20/12/2022 26/04/2022
Petrobras (PETR3) Dividendo R$ 1,16 20/12/2022 21/11/2022
Petrobras (PETR3) JCP R$ 0,52 20/12/2022 21/11/2022
Petrobras  (PETR4) Dividendo R$ 1,16 20/12/2022 21/11/2022
Petrobras (PETR4) JCP R$ 0,52 20/12/2022 21/11/2022
Afluente Transmissão (AFLT3) Dividendo R$ 0,24 20/12/2022 18/04/2022
Coelba (CEEB3) JCP R$ 0,38 20/12/2022 05/10/2022
Coelba (CEEB5) JCP R$ 0,38 20/12/2022 05/10/2022
Coelba (CEEB6) JCP R$ 0,42 20/12/2022 05/10/2022
Cosern (CSRN3) JCP R$ 0,12 20/12/2022 05/10/2022
Cosern (CSRN5) JCP R$ 0,14 20/12/2022 05/10/2022
Cosern (CSRN6) JCP R$ 0,14 20/12/2022 05/10/2022
Cosern (CSRN3) Dividendo R$ 0,35 20/12/2022 01/11/2022
Cosern (CSRN5) Dividendo R$ 0,38 20/12/2022 01/11/2022
Cosern (CSRN6) Dividendo R$ 0,38 20/12/2022 01/11/2022
Elektro (EKTR3) JCP R$ 0,26 20/12/2022 05/10/2022
Elektro ( EKTR4) JCP R$ 0,29 20/12/2022 05/10/2022
Elektro (EKTR3) Dividendo R$ 1,96 20/12/2022 01/11/2022
Elektro ( EKTR4) Dividendo R$ 2,16 20/12/2022 01/11/2022
Odontoprev (ODPV3) JCP R$ 0,03 21/12/2022 23/06/2022
Alpargatas (ALPA3) JCP R$ 0,15  21/12/2022 30/12/2021
Alpargatas (ALPA4) JCP R$ 0,16  21/12/2022 30/12/2021
Dasa (DASA3) JCP R$ 0,30 22/12/2022 27/12/2021
Desktop  (DESK3) Dividendo R$ 0,014 22/12/2022 29/04/2022
Ferbasa (FESA3) Dividendo R$ 0,43 23/12/2022 08/12/2022
Ferbasa (FESA3) JCP R$ 0,34 23/12/2022 08/12/2022
Ferbasa (FESA4) Dividendo R$ 0,47 23/12/2022 08/12/2022
Ferbasa (FESA4) JCP R$ 0,38 23/12/2022 08/12/2022
Priner (PRNR3) JCP R$ 0,26 23/12/2022 14/12/2022
São Martinho (SMTO3) JCP R$ 0,40 23/12/2022 15/12/2022
Ampla Energia  (CBEE3) Dividendo R$ 0,082 23/12/2022 13/04/2022
JHSF (JHSF3) Dividendo R$  0,048 26/12/2022 15/12/2022
Petz (PETZ3) Dividendo R$ 0,005 26/12/2022 26/04/2022
Petz  (PETZ3) JCP R$ 0,023 26/12/2022 23/12/2021
Suzano (SUZB3) Dividendo R$ 1,795 27/12/2022 16/12/2022
Banco Modal (MODL3) JCP R$ 0,022 27/12/2022 15/12/2022
Natura (NTCO3) Dividendo R$ 0,13 27/12/2022 20/04/2022
Odontoprev (ODPV3) JCP R$ 0,032 27/12/2022 15/12/2022
Odontoprev (ODPV3) JCP R$ 0,031 27/12/2022 20/09/2022
Arezzo (ARZZ3) JCP R$ 0,456 28/12/2022 29/04/2022
Banrisul  (BRSR3) JCP R$ 0,024 28/12/2022 14/12/2022
Banrisul  (BRSR5) JCP R$ 0,027 28/12/2022 14/12/2022
Banrisul (BRSR6) JCP R$ 0,024 28/12/2022 14/12/2022
Celesc (CLSC3) Dividendo R$ 0,25 28/12/2022 29/04/2022
Celesc (CLSC3) JCP R$ 1,51 28/12/2022 20/12/2021
Celesc  (CLSC4) Dividendo R$ 0,27 28/12/2022 29/04/2022
Celesc (CLSC4) JCP R$ 1,67 28/12/2022 20/12/2021
Mills (MILS3) JCP R$ 0,064 28/12/2022 06/12/2022
Marfrig (MRFG3) Dividendo R$ 0,91 28/12/2022 19/12/2022
Neoenergia (NEOE3) Dividendo R$ 0,53 28/12/2022 25/04/2022
Neoenergia (NEOE3) JCP R$ 0,14 28/12/2022 05/07/2022
Rede D’OR (RDOR3) JCP R$ 0,08 28/12/2022 19/12/2022
Romi (ROMI3) JCP R$ 0,13 28/12/2022 20/09/2021
Casan  (CASN3) Dividendo R$ 0,035 28/12/2022 27/04/2022
Casan  (CASN4) Dividendo R$ 0,038 28/12/2022 27/04/2022
Banco do Brasil (BBAS3) JCP R$ 0,35 29/12/2022 12/12/2022
Cambuci (CAMB3) JCP R$ 0,060 29/12/2022 09/12/2022
Panatlantica (PATI3) Dividendo R$ 2,91 29/12/2022 26/04/2022
Panatlantica  (PATI4) Dividendo R$ 2,91 29/12/2022 26/04/2022
Vibra (VBBR3) JCP R$ 0,35 29/12/2022 21/09/2022
Ambev (ABEV3) JCP R$ 0,76 29/12/2022 19/12/2022
B3 (B3SA3) Dividendo R$ 0,024 29/12/2022 22/12/2022
Banestes (BEES3) JCP R$ 0,083 29/12/2022 15/12/2022
Banestes (BEES3) JCP R$ 0,083 29/12/2022 15/12/2022
Blau Farmacêutica (BLAU3) JCP R$ 0,1765 29/12/2022 21/12/2022
Ferbasa (FESA3) JCP R$ 0,052 29/12/2022 19/12/2022
Ferbasa (FESA4) JCP R$ 0,057 29/12/2022 19/12/2022
Ferbasa (FESA3) Dividendo R$ 0,896 29/12/2022 19/12/2022
Ferbasa (FESA4) Dividendo R$ 0,986 29/12/2022 19/12/2022
Fleury (FLRY3) JCP R$ 0,29 29/12/2022 19/12/2022
Monteiro Aranha (MOAR3) Dividendo R$ 1,22 29/12/2022 20/12/2022
Ouro Fino Saúde Animal  (OFSA3) JCP R$ 0,44 29/12/2022 16/12/2022
Cemig (CMIG3) JCP R$ 0,28 29/12/2022 21/12/2021
Cemig (CMIG4) JCP R$ 0,28 29/12/2022 21/12/2021
Cemig  (CMIG3) Dividendo R$ 0,30 29/12/2022 29/04/2022
Cemig (CMIG3) JCP R$ 0,145 29/12/2022 28/03/2022
Cemig (CMIG4) Dividendo R$ 0,30 29/12/2022 29/04/2022
Cemig  (CMIG4) JCP R$ 0,145 29/12/2022 28/03/2022
Santanense (CTSA3) Dividendo R$ 0,009 29/12/2022 29/04/2022
Santanense (CTSA4) Dividendo R$ 0,01 29/12/2022 29/04/2022
Agribrasil (GRAO3) Dividendo R$ 0,015 29/12/2022 29/04/2022
Hypera (HYPE3) JCP R$ 0,31 29/12/2022 26/03/2021
Josapar (JOPA3) Dividendo R$ 0,83 29/12/2022 28/04/2022
Josapar  (JOPA4) Dividendo R$ 0,91 29/12/2022 28/04/2022
M. Dias Branco (MDIA3) JCP R$ 0,05 29/12/2022 15/12/2022
Habitasul (HBTS3) Dividendo R$ 0,82 29/12/2022 29/04/2022
Habitasul (HBTS5) Dividendo R$ 0,90 29/12/2022 29/04/2022

Fonte: InfoMoney com Quantum Axis e RI das empresas. JCP = Juros sobre Capital Próprio; Data Com = data até a qual o investidor pode comprar uma ação para ter direito a receber os proventos.

Engie: a opção mais segura da geração elétrica?

Guilherme Tiglia, sócio e analista da Nord Research, tem a Engie (EGIE3) como uma das suas três ações favoritas para ganhar dividendos em 2023. A sua projeção é que a companhia entregue um dividend yield de 10% no próximo ano.

Tiglia explica que a companhia é focada na geração de energia eléctrica, principalmente hídrica, mas está buscando diversificar também com a transmissão de energia. Além disso, a companhia quer diminuir o seu risco hidrológico, com investimentos em energia eólica e solar. “Com a situação de crise hídrica em patamares normais, a expectativa é de melhores margens se comparadas ao histórico mais recente”, afirma.

O quarto trimestre de 2022, por exemplo, deve ser favorável, de acordo com Tiglia, já que o Brasil está entrando em um período de forte volume de chuvas.

“Considerando o bom histórico de desempenho operacional e pagamento de dividendos aos acionistas, a Engie Brasil deve continuar sendo uma ótima escolha para quem quer receber dividendos em 2023”, reforça. O analista também tem bons olhos para a gestão e administração da empresa, com endividamento controlado e previsibilidade de resultados nos projetos em andamento.

Sobreira, da Ivest, também elogia os bons fundamentos da Engie a acredita que a companhia tem uma boa gestão e capacidade de entregar bons resultados. Contudo, é uma empresa cara. “Lembra um pouco a Weg (WEGE3) que acaba sofrendo com preço”, diz. Segundo o analista, a Engie está negociando perto de R$ 40, mas seria necessário cair para R$ 30 para se tornar uma boa oportunidade para dividendos.

“O poder de pagar dividendos da Engie é de 7,5%. Considerando um payout médio de 80%, a elétrica teria capacidade de entregar um yield e 6%”, avalia Sobreira.

Leia também:

Privatização da Copel: dividendos podem aumentar com redução da dívida e melhor governança, dizem analistas

Banco do Brasil: boa ação com muitas incertezas

Luan Alves, da VG, explica que a carteira do Banco do Brasil no segmento de agronegócio é muito relevante e difícil de ser replicada, o que o transforma em uma opção de investimento para o longo prazo.

Outras vantagens citadas pelo analista para 2023 é a possível manutenção da eficiência do banco, com boa gestão de custos e níveis de inadimplência baixos. Já em relação aos riscos, pesa a possibilidade de interferência na gestão do banco público, que pode afetar o lucro líquido, os custos ou a rentabilidade da carteira de crédito – e, em consequência, os dividendos.

“Existe um temor de que o governo eleito aumente o crédito subsidiado e direcione a carteira do banco para produtores com menores spreads [ganhos com juros], o que poderia deteriorar o retorno sobre patrimônio (ROE) da empresa”, avalia Alves.

Contudo, o analista reforça que a governança o Banco do Brasil é blindada de intervenções políticas, por possuir um planejamento estratégico de longo prazo a ser seguido independentemente da presidência do banco. “Além disso, 50% do conselho de administração do banco é formado por conselheiros independentes que também participam dos comitês de assessoramento”, reforça.

A expectativa da VG para retorno em dividendos do Banco do Brasil em 2023 é de 10,2%, se ficar claro que a intervenção do governo será limitada.

Sobreira, da Ivest, também partilha dessa visão e acredita que o Banco do Brasil é uma das ações baratas da lista com melhores fundamentos para uma estratégia de dividendos – mas cujo futuro é uma incógnita por conta do risco político.

Na visão de Sobreira, considerando os fundamentos, o preço justo do Banco do Brasil deveria ser superior a R$ 50, mas seu preço de tela é de cerca de R$ 36 atualmente.

Ele acredita que o banco vem se mantendo lucrativo, superando o resultado de pares privados como Bradesco e Santander no terceiro trimestre. Nos últimos 12 meses, o retorno com dividendos do banco estatal foi de 11,7%. “O poder de pagar dividendos do banco é de 25%, caso distribuísse 100% do lucro”, destaca Sobreira.

Felipe Paletta, sócio-fundador e analista da Monett, estima que o Banco do Brasil entregue um dividend yield de 10% em 2023, mas o risco de interferência política o desagrada. Embora seja menor do que na Petrobras, Paletta prefere ficar de fora do papel. “O desconto é grande, mas em linha do que o banco já foi no passado”, diz.

Leia também:

BB Seguridade (BBSE3) vira preferida para estratégias de dividendos para 2023 após 3º trimestre robusto

Katherine Rivas

Repórter de investimentos no InfoMoney, acompanha ETFs, BDRs, dividendos e previdência privada.