Radar InfoMoney

Petrobras (PETR4) reapresenta edital para AGE que vai eleger Conselho; resultados e mais notícias

Confira os destaques do noticiário corporativo desta sexta-feira (5)

Por  Felipe Moreira -

O noticiário corporativo desta sexta-feira (5) tem como destaque Petrobras (PETR4), que publicou reapresentação do edital para assembleia geral extraordinária (AGE) virtual que irá eleger 8 dos 11 membros do Conselho de Administração e o presidente do Conselho.

Atenção ainda para a temporada de balanços. O Bradesco (BBDC4) teve lucro recorrente de R$ 7,04 bilhões no segundo trimestre de 2022, um avanço de 11% na comparação com igual período de 2021.

A Lojas Renner (LREN3) registrou lucro líquido de R$ 360,4 milhões no 2T22, cifra 86,7% maior do que o reportado no 2T21.

A Tenda (TEND3), por sua vez, registrou prejuízo líquido consolidado de R$ 114,4 milhões no segundo trimestre de 2022, revertendo lucro da mesma etapa de 2021.

A Celesc (CLSC4) divulgará seu balanço hoje após fechamento do mercado.

Confira mais destaques:

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras publicou ontem (4) edital para AGE virtual que irá eleger 8 dos 11 membros do CA e o presidente do Conselho.

A estatal diz que os membros que concorrerão às vagas contemplam a lista enviada pelo Ministério de Minas e Energia.

Dois dos nomes foram considerados inelegíveis por comitê da empresa; o governo, no entanto, manteve a lista que será, agora, avaliada pela AGE.

Eletrobras (ELET3;ELET6),

A Assembleia Geral Extraordinária (AGE) da Eletrobras, marcada para esta sexta, será monitorada de perto pelos investidores da companhia, apontam analistas de mercado, uma vez que os acionistas votarão no novo conselho de diretores.

O evento é chave para os próximos passos após privatização pois serão esses os responsáveis pela contratação do novo CEO e pela definição de estratégia da companhia para os próximos anos (próxima eleição será apenas em 2025), aponta o Itaú BBA.

Bradesco (BBDC3;BBDC4)

O Bradesco (BBDC4) registrou lucro recorrente de R$ 7,04 bilhões no segundo trimestre de 2022 (2T22), alta de 11% na comparação com igual período de 2021.

O número ficou um pouco acima do esperado.  A projeção Refinitiv era de lucro de R$ 6,78 bilhões, ante resultado de R$ 6,8 bilhões no 1T22.

Lojas Renner (LREN3)

A Lojas Renner (LREN3) registrou lucro líquido de R$ 360,4 milhões no segundo trimestre de 2022 (2T22), cifra 86,7% maior do que o reportado na mesma etapa de 2021.

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) total ajustado somou R$ 701,6 milhões no 2T22, um avanço de 47% sobre o 2T21, em função dos maiores volumes de vendas, do maior Lucro Bruto no período, e da diluição de despesas operacionais.

Fleury (FLRY3)

O Grupo Fleury (FLRY3), focado em laboratórios de exames, lucrou R$ 70,5 milhões de forma líquida no segundo trimestre de 2022, número 7,6% maior do que os R$ 65,5 milhões registrados no mesmo período do ano passado.

A alta do lucro acompanha, em parte, o avanço de 19,3% da receita líquida na mesma base, que chegou a R$ 1,1 bilhão. “Tal evolução é consequência do crescimento orgânico de 10% e da receita provinda de aquisições recentes, como a Pretti e a Bioclínico, de medicina diagnóstica”, explica a companhia.

Porto (PSSA3)

A Porto (PSSA3) registrou um lucro líquido recorrente de R$ 89,4 milhões no segundo trimestre de 2022 (2T22), desempenho 76,4% inferior ao registrado em igual etapa de 2021.

A receita total somou R$ 6,774 bilhões no segundo trimestre deste ano, crescimento de 36,7% na comparação com igual etapa de 2021.

Tupy (TUPY3)

A Tupy (TUPY3) reportou lucro líquido de R$ 180 milhões no segundo trimestre de 2022 (2T22), desempenho 470,3% superior ao registrado em igual etapa de 2021.

Segundo a empresa, o resultado é decorrente do crescimento do resultado operacional e redução da depreciação de ativos intangíveis, além do efeito da variação cambial no resultado financeiro.

Sanepar (SAPR11)

A Sanepar (SAPR11) reportou um lucro líquido de R$ 233,8 milhões no segundo trimestre de 2022 (2T22), desempenho 29,5% inferior ao registrado em igual etapa de 2021.

O Ebitda caiu 23,9% no 2T22, totalizando R$ 442,9 milhões.

Grendene (GRND3)

A Grendene (GRND3) reportou lucro líquido de R$ 65,7 milhões no segundo trimestre de 2022 (2T22), desempenho 98% superior ao registrado em igual etapa de 2021, informou a varejista nesta quinta-feira (5).

Segundo a companhia, o resultado se deve ao aumento dos volumes e do resultado financeiro no período.

A companhia aprovou proventos no valor total de 25,644 milhões. O montante é dividido em R$ 18 milhões, correspondentes a R$ 0,019962463 por ação, na forma de juros sobre capital próprio (JCP) e R$ 7,644 milhões na forma de dividendos complementares, correspondentes a R$ 0,008478151 por ação.

Terá direito aos proventos a base acionária da Grendene (GRND3) em 11 de agosto, sendo as ações GRND3 negociadas “ex-dividendos” a partir de 12 de agosto. O pagamento será feito a partir de 31 de agosto de 2022.

Alpargatas (ALPA4)

A Alpargatas (ALPA4) tem lucro consolidado de R$ 63,8 milhões no 2T22. Um ano antes, a empresa teve um lucro consolidado de R$ 105,6 milhões, mas a empresa informou que não são comparáveis, devido à aquisição de 49,9% da Rothy´s anunciada em dezembro de 2021.

AES Brasil (AESB3)

A AES Brasil (AESB3) registrou lucro líquido ajustado de R$ 9,3 milhões para o segundo trimestre de 2022, 65% abaixo do registrado em igual período de 2021.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado foi de R$ 239,4 milhões, recuo de 6,3% em comparação com o segundo trimestre do ano passado. A projeção Refinitiv era de um Ebitda de R$ 180,45 milhões.

Simpar (SIMH3)

A Simpar (SIMH3) reporta lucro líquido de R$ 213 milhões no 2T22, queda de 38% na base anual.

A SImpar informou também o Ebtida ajustado em R$ 1,703 bilhão, alta de 94,1% na base anual, com margem subindo 4,5 pontos percentuais (pp), para 40,5%. O Ebitda sem ajustes cresceu 76,5%, para o mesmo valor, com margem sem ajuste ganhando 0,9 pp para os mesmos 40,5%.

Tenda (TEND3)

A Tenda (TEND3) teve prejuízo líquido consolidado de R$ 114,4 milhões no segundo trimestre de 2022, revertendo lucro da mesma etapa de 2021.

O Ebitda consolidado e ajustado ficou negativo em R$ 32,3 milhões, contra resultado positivo um ano antes.

Já receita líquida consolidada recuou 10,3%, a R$ 626,9 milhões.

São Carlos (SCAR3)

A São Carlos (SCAR3) registrou prejuízo líquido de R$ 27,5 milhões no segundo trimestre de 2022 (2T22), revertendo lucro líquido de R$ 7,5 milhões da mesma etapa de 2021.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) recorrente cresceu 7,3% no 2T22, totalizando R$ 45,8 milhões.

Telefônica (VIVT3)

Telefônica (VIVT3), dona da Vivo, ratificou nesta quinta-feira em AGE a compra dos ativos móveis da Oi (OIBR3; OIBR4).

Segundo a companhia, as informações sobre direito de recesso de acionistas dissidentes serão divulgadas em breve.

3tentos (TTEN3)

A 3tentos (TTEN3) informou que obteve autorização da B3 para reduzir pela segunda vez a livre circulação de ações representativas de 21% para, no mínimo, 20% de seu capital social, de forma temporária até sua recomposição, prevista para ocorrer até 31 de dezembro de 2023. A primeira redução foi concedida em 5 de julho do ano passado.

Segundo o fato relevante, o ofício da B3 destaca que a concessão “justifica-se exclusivamente pela execução de plano de recompra de ações” em avaliação pela 3tentos. De acordo com a empresa, em contrapartida ao pedido, a companhia vai ter de divulgar, até o dia 31 de julho de cada ano, relatório com informações ambientais, sociais e de governança corporativa, em padrões internacionais, e contratar formador de mercado a partir do momento em que se der a redução do free float e mantê-lo enquanto perdurar o tratamento excepcional.

ZAMP, dona do Burguer King Brasil (BKBR3)

A FIT atingiu o total de instrumentos financeiros derivativos (Contratos de Swap) referenciados em ações de emissão da ZAMP S.A. celebrados por Fundos FIT e EGT de 13.770.100 ações ordinárias da empresa, o que
configura participação relevante de 5% do total de ações de emissão da companhia.

Vivo, TIM e Claro

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) enviou notificação para Vivo, TIM e Claro avisando que vai começar a verificar se elas estão cumprindo os compromissos que assumiram no leilão da licenças para ativar o 5G.

As companhias já ativaram o sinal em Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, João Pessoa e São Paulo. A iniciativa foi realizada antes mesmo do prazo máximo estabelecido pelo edital do leilão, que é 29 de setembro.

Por ora, a fiscalização da Anatel terá caráter preventivo. Só a partir de 29 de setembro a agência reguladora poderá cobrar o cumprimento das metas e até mesmo aplicar sanções às empresas caso haja alguma irregularidade.

(Com Estadão Conteúdo)

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe