Fatura do cartão de crédito: dá para adiar o pagamento?

Recomendações para lidar com a dívida que mais incomoda o brasileiro

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
Uma pilha de cartões de crédito coloridos.

Todos viram as notícias sobre a possibilidade de pedir o adiamento das parcelas de financiamentos de imóveis e automóveis, na esteira das medidas para aliviar o impacto econômico do coronavírus.

No entanto, a dívida que mais incomoda os brasileiros tem outro nome: cartão de crédito. Historicamente, ela sempre foi a principal vilã dos orçamentos domésticos.

Segundo pesquisa da CNC, 78% das famílias endividadas possuem dívidas no cartão de crédito – e o total de famílias endividadas no Brasil é de 65%.

PUBLICIDADE

Ainda assim, a fatura do cartão de crédito ficou de fora da lista das medidas anunciadas pela Febraban e pelos bancos.

De acordo com o anúncio, os cinco maiores bancos do país (Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú e Santander) vão prorrogar por até 60 dias o prazo de vencimento de dívidas de pessoas físicas, além de micro e pequenas empresas.

Em um primeiro momento, vi muita gente preocupada – e depois, frustrada – por não conseguir a prorrogação.

Com a crise, uma pesquisa realizada pela FSB mostrou que um em cada quatro trabalhadores já sentiram uma diminuição de renda – tendência que só deve crescer neste momento.

A recomendação para quem não consegue arcar com a fatura do cartão de crédito é, em primeiro lugar, tentar refinanciar a dívida.

Buscar um empréstimo pessoal (seja no seu banco ou em uma outra instituição financeira, como uma fintech) é uma forma de ficar com uma dívida mais barata – atualmente, os juros médios do cartão de crédito estão em 322% ao ano, segundo dados do Banco Central.

Caso não consiga um empréstimo, é melhor parcelar a fatura do cartão do que pagar apenas o valor mínimo – esta última opção costuma ser, de longe, a mais cara.

Para quem estiver nessa situação, é essencial cortar o máximo possível de gastos e adiar grandes decisões financeiras.

Receba em primeira mão e com exclusividade as colunas de Carol Sandler em seu email
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.

Carol Sandler

É fundadora da plataforma online Finanças Femininas e da TV Carol Sandler, a primeira TV digital de uma influenciadora brasileira, além de sócia e diretora de conteúdo da Ella's Investimentos. Também é autora do livro Detox das Compras e coautora de Finanças Femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos.