Autoconhecimento

Saiba como descobrir seu perfil de investidor

Especialista indica quatro passos para se encontrar no mercado financeiro

Por  Lys Silva

SÃO PAULO – Quem já conversou com o gerente do banco sobre aplicações financeiras ou fez algum teste na internet provavelmente foi enquadrado em perfis de investidor predeterminados, como conservador, moderado ou agressivo.

Você está investindo bem seu dinheiro? Faça o teste aqui

O problema é que estes testes pré-moldados muitas vezes não levam em consideração um aspecto importantíssimo: uma mesma pessoa pode apresentar características diferentes e mudar sua forma de encarar riscos durante a vida. “Saber em que momento você se encontra é crucial para aplicar bem seus recursos. É a partir desse conhecimento que você vai poder tomar a melhor decisão de investimento e ir compondo a carteira mais adequada”, explica Luciano Tavares, especialista em investimentos e CEO da Magnetis.

Pensando nisso, Tavares expõe quatro pontos que vão fazer toda a diferença para formar o portfólio ideal para cada perfil de investidor:

1. Saiba em que fase da vida você está
As circunstâncias e características pessoais, como idade e ponto da carreira em que se encontra, são essenciais para identificar o seu perfil.

“Um jovem que tem a vida toda pela frente pode arriscar mais, mantendo uma carteira arrojada que pode incluir ações e fundos multimercados”, indica. “Já quem está próximo à aposentadoria deve se preocupar em preservar o patrimônio, considerando que não há tempo suficiente para arriscar certas perdas. Assim, produtos de renda fixa atrelados ao CDI e à inflação são as melhores opções”, explica. 

2. Identifique sua tolerância a perdas 
Além de conhecer seu perfil de investimento, também é preciso entender sua personalidade e reação perante uma perda.

“Existem pessoas tolerantes a perdas, que enfrentam os riscos. Para elas, o mais natural é optar por uma carteira mais arrojada. Por outro lado, se a pessoa perde o sono só de pensar em correr riscos, o ideal é que tenha uma alocação mais defensiva”, recomenda Tavares.

3. Reconheça seu nível de conhecimento sobre o mercado financeiro
A tomada de decisão mais consciente ocorre quando se tem domínio do assunto. O desconhecimento pode levar a aplicação de recursos com riscos que não compensam ou a perda de boas oportunidades de investimento ao longo prazo. Para Tavares, quem estuda o mercado financeiro tem condições de avaliar melhor os riscos e aproveitar melhor as oportunidades.

4. Determine seus objetivos financeiros
Outro fator fundamental para determinar o perfil de investidor são os objetivos financeiros, que por sua vez são traçados levando em conta os objetivos pessoais. “Se seu objetivo tem horizonte de tempo de longo prazo e o capital que você precisa para concretizá-lo for maior, você poderia investir de forma mais arrojada. Por outro lado, se você precisar do seu dinheiro num horizonte de tempo menor e se o montante necessário para realizar seu objetivo for relativamente menor, uma carteira mais conservadora pode ser a escolha mais adequada”, conclui.

 

Leia também:

Saiba quanto diversos bancos pagam a quem investe em CDB, LCI e LCA

Baixe um pacote de planilhas financeiras gratuitas

Descubra qual é a aplicação financeira de risco baixo mais rentável

Milhões de brasileiros investem errado em previdência; é o seu caso?

Imóvel é sempre bom negócio? Teste mostra que alugar é melhor

Seu carro facilmente lhe custa R$ 2.500 por mês. Duvida?

Qual é o melhor CDB: pré, pós ou indexado à inflação? Planilha mostra

Planeja investir no Tesouro Direto? Ebook gratuito mostra o caminho

Quer saber se você está investindo bem? Faça uma simulação

Quanto custa realizar cada um de seus sonhos? Descubra

Compartilhe