Ifix fecha semana com perdas de 0,36%; FII SARE11 sobe quase 5% e é destaque de alta da sessão

Na primeira sessão de julho, o índice dos fundos imobiliários fechou com queda de 0,12%

Wellington Carvalho

Publicidade

O IFIX – índice que reúne os fundos imobiliários mais negociados na B3 – fechou a sessão desta sexta-feira (1) com queda de 0,12%, aos 2.792 pontos. Ontem, o indicador fechou com alta de 0,11%. Na semana, o índice registrou perdas de 0,36%.

O fundo Santander Renda Imobiliária (SARE11) liderou a lista das maiores altas do pregão, com elevação de 4,78%. Confira os demais destaques de hoje ao longo do Central de FIIs.

Os FIIs BM Brascan Lajes Corporativas (BMLC11) e CSHG Prime Offices (HGPO11) – ambos do segmento de lajes corporativas – seguirão, neste momento, em direções opostas na tentativa de vender os portfólios dos fundos. Nos dois casos, a alienação dos imóveis representaria a liquidação das carteiras.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

CDB 150% do CDI

Invista no CDB 150% do CDI da XP e ganhe um presente exclusivo do InfoMoney

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O FII BM Brascan Lajes Corporativas rejeitou a proposta da 7 Bridges Brasil Empreendimentos e Participações para a venda do portfólio do fundo, confirma fato relevante divulgado na noite desta quinta-feira (30).

No início de junho, a empresa havia oferecido R$ 98 milhões pelos dois andares do edifício Brascan Century Corporate, no Itaim, em São Paulo, e quatro andares do Torre Rio Sul, em Botafogo, no Rio de Janeiro, que pertencem ao fundo.

A oferta, de acordo com comunicado do fundo ao mercado, não atendeu às expectativas dos gestores, que decidiram interromper as negociações. “O preço ofertado não reflete o valor justo dos imóveis integrantes, conforme referência de preço justo estimado em laudo de avaliação para atualização do valor dos ativos”, explica o fato relevante.

Continua depois da publicidade

O Comitê de Investimentos da carteira reforçou que segue em busca de novas propostas para a venda dos imóveis do fundo em preços e condições mais vantajosos para o os cotistas.

Diferentemente do BM Brascan Lajes Corporativas, o CSHG Prime Offices (HGPO11) sinaliza avanços no trabalho para a alienação dos imóveis do fundo.

Em fato relevante divulgado nesta quinta-feira (30), os gestores informaram que, neste momento, existe um grupo restrito de potenciais compradores participando da rodada final de apresentação de propostas. Esta etapa deverá ser concluída no final de julho.

Atualmente, o portfólio do CSHG Prime Offices é formado pelos edifícios Metropolitan e Platinum, ambos em São Paulo (SP), que somam uma área bruta locável (ABL) de 12 mil metros quadrados. De acordo com o último relatório gerencial, o patrimônio líquido da carteira é de R$ 469 milhões.

Na assembleia que decidiu pela alienação dos imóveis, ficou acertado que os espaços devem ser negociados pelo preço mínimo de R$ 490 milhões, valor equivalente a R$ 39 mil por metro quadrado, que deverá ser corrigido pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) até a data da alienação.

Maiores altas desta sexta-feira (1)

Ticker Nome Setor Variação (%)
SARE11 Santander Renda Híbrido 4,78
LVBI11 VBI Logistico Logística 4,1
JSRE11 JS Real Estate Híbrido 3,23
RCRB11 Rio Bravo Renda Corporativa Lajes Corporativas 2,07
RBRP11 RBR Properties Outros 2

Maiores baixas desta sexta-feira (1):

Ticker Nome Setor Variação (%)
XPPR11 XP Properties Outros -4,98
VCJR11 Vectis Juros Real Títulos e Val. Mob. -2,49
PATL11 Pátria Logística Logística -2,37
BRCR11 BC FUND Híbrido -2,19
BTRA11 BTG Pactual Terras Agrícolas Agro -1,98

Fonte: B3

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

CSHG Renda Urbana (HGRU11) conclui a venda de mais duas lojas locadas para as Casas Pernambucanas.

O fundo CSHG Renda Urbana concluiu, nesta quinta-feira (30), a venda de mais duas lojas que estão alugadas para a Arthur Lundgren Tecidos, grupo conhecido como Casas Pernambucanas.

Segundo os gestores, o imóvel localizado na cidade de Francisco Beltrão (PR) foi vendido por R$ 7,8 milhões – R$ 3,1 milhões já pagos e mais 24 parcelas de R$ 195 mil. O valor do negócio é 39% superior ao montante investido e 44% acima do preço de mercado.

A outra loja negociada fica na cidade de Garça, no Estado de São Paulo, e o fundo receberá pelo espaço R$ 3,25 milhões – em duas parcelas de R$ 1,625 milhão, sendo a primeira já paga e a segunda prevista para o dia 25 de julho de 2022. O valor do negócio é 36% superior ao montante investido e 97% acima do valor de mercado

De acordo com cálculos do fundo, as transações representam um lucro equivalente a R$ 0,17 por cota. A venda das lojas faz parte da estratégia do CSHG Renda Urbana para melhorar a qualidade do portfólio, conforme sinaliza o relatório gerencial divulgado em janeiro deste ano.

Nos últimos dois meses, o fundo já havia vendido outras três lojas alugadas para as Casas Pernambucanas em Caçador (SC), Lorena (SP) e São Sebastião do Paraíso (MG).

Giro Imobiliário: as 5 maiores altas e baixas dos FIIs em junho; erros que levam o investidor de fundo imobiliário a perder dinheiro

FIIs: os cinco erros que levam o investidor de fundo imobiliário a perder dinheiro; confira a lista

Nos últimos quatro anos, o número de brasileiros que investem em FIIs subiu de 208 mil para 1,68 milhão, de acordo com dados da B3. Com uma base de investidores recém-formada, é natural a existência de dúvidas e até erros na estratégia de investimento. Simples ajustes, porém, podem elevar a chance de sucesso com os fundos imobiliários, tradicionalmente menos voláteis do que as ações.

Mesmo em momentos mais desafiadores, os fundos imobiliários têm defendido bem o patrimônio do investidor. Nos últimos doze meses, por exemplo, o IFIX, índice dos FIIs mais negociados na Bolsa, registra alta de 3%, contra queda de 22% do Ibovespa, principal índice da B3.

Além da resiliência dos FIIs, alguns cuidados podem garantir ainda mais a segurança do portfólio do cotista de fundos imobiliários, especialmente o dos mais iniciantes

O InfoMoney ouviu especialistas sobre os principais erros cometidos pelos investidores e o que fazer para não cair em armadilhas. Entre as dicas estão atenção com o valor da cota, leitura correta dos dividendos, diversificação, afastar-se do chamado “efeito manada” e compreender o que está dentro de cada fundo.

As 5 maiores altas e baixas dos FIIs em junho; SNFF11 lidera ganhos no mês e CARE11 é destaque no semestre

Primeiro fundo imobiliário do segmento de cemitérios, o Brazilian Graveyard and Death Care Services (CARE11) encerrou a primeira metade de 2022 como o FII que mais subiu no período, com valorização de 50%. Na outra ponta da lista está o RBR Properties (RBRP11), que acumula perdas de 23%.

Os dados são da Economatica, plataforma de informações financeiras, e tomam como base a valorização das cotas e a distribuição de dividendos dos FIIs que compõem o IFIX – índice dos fundos imobiliários mais negociados na B3.

Em junho, o Ifix fechou em queda de 0,88%, aos 2.795 pontos. O resultado interrompeu uma sequência de três meses de ganhos do indicador que, no ano, registra queda de 0,32%.

Riza Arctium (ARCT11) termina o semestre com a maior taxa de retorno com dividendos (dividend yield), de 9,88%. Embora seja o destaque do ano em valorização, o Brazilian Graveyard segue sem distribuição de rendimentos.

Dos dez fundos imobiliários que mais valorizaram no primeiro semestre de 2022, sete são do tipo “papel”, que investem em títulos de renda fixa indexados a indicadores de inflação ou à taxa do CDI (certificado de depósito interbancário).

Apesar do protagonismo dos fundos de “papel” – beneficiados pela elevação dos juros e da inflação nos últimos meses – o destaque do ano até agora é mesmo o Brazilian Graveyard, com valorização de 50% nos últimos seis meses.

Confira as maiores altas dos fundos imobiliários no primeiro semestre de 2022:

Ticker Fundo Segmento Variação entre janeiro e junho (%)
CARE11 Brazilian Graveyard and Death Care Cemitérios 50,18
NCHB11 NCH High Yield Títulos e Val. Mob. 15,05
OUJP11 Ourinvest JPP Títulos e Val. Mob. 13,62
ARCT11 Riza Arctium Real Estate Híbrido 13,57
FCFL11 Campus Faria Lima Outros 13,22
BTCR11 BTG Pactual Crédito Imobiliário Títulos e Val. Mob. 12,90
RZAK11 Riza Akin Títulos e Val. Mob. 12,21
VGHF11 Valora Hedge Fund Títulos e Val. Mob. 11,96
AFHI11 AF Invest Cri Títulos e Val. Mob. 11,66
VCJR11 Vectis Juros Real Títulos e Val. Mob. 11,40

OBS.: A rentabilidade leva em consideração o reinvestimento dos dividendos. Fonte: Economatica (30/06/2022).

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Newsletter

Liga de FIIs

Receba em primeira mão notícias exclusivas sobre fundos imobiliários

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Wellington Carvalho

Repórter de fundos imobiliários do InfoMoney. Acompanha as principais informações que influenciam no desempenho dos FIIs e do índice Ifix.