Central de FIIs

‘Inflação do aluguel’ desacelera e encerra abril com alta de 1,41%, aponta FGV; Ifix opera em alta

No mês anterior, o IGP-M havia registrado elevação de 1,74%; em 12 meses, o indicador acumula alta de 14,66%

Por  Wellington Carvalho -

Popularmente conhecido como “inflação do aluguel”, o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) subiu 1,41% em abril, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (28) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). No mês anterior, o indicador havia acumulado alta de 1,74%.

Nos últimos 12 meses, FIIs de “papel” – que investem em títulos de renda fixa indexados a índices de inflação e ao CDI – têm diminuído a concentração de papéis atrelados ao IGP-M. fundos de tijolo também têm trocado o índice pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) para correção dos contratos de locação.

Com o resultado de abril, o IGP-M acumula alta de 6,98% no ano e de 14,66% em 12 meses. Em abril de 2021, o índice havia subido 1,51% e acumulava alta de 32,02% em 12 meses.

“A desaceleração só não foi mais expressiva em função do aumento dos preços do diesel (14,70%), da gasolina (11,29%) e dos adubos e fertilizantes (10,45%), que responderam por 60% da inflação ao produtor”, afirma André Braz, coordenador dos Índices de Preços da FGV.

Outro indicador monitorado pelos investidores, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), havia registrado variação de 0,87% em abril, contra 0,73% do mês anterior. No ano, a alta acumulada chega a 2,74% e, em 12 meses, 11,54%.

IFIX Hoje

Na sessão desta quinta-feira (28), o IFIX – índice que reúne os fundos imobiliários mais negociados na Bolsa – fechou com alta de 0,12%, aos 2.804 pontos. Na sessão anterior, o índice havia registrado leve baixa de 0,02%. Confira os destaques de hoje:

Maiores altas desta quinta-feira (28)

TickerNomeSetorVariação (%)
OUJP11Ourinvest JPPTítulos e Val. Mob.1,86
VILG11Vinci LogisticaLogística1,63
RBFF11Rio Bravo IfixTítulos e Val. Mob.1,48
KISU11KILIMATítulos e Val. Mob.1,46
RBRP11RBR PropertiesOutros1,26

 

Maiores baixas desta quinta-feira (28):

TickerNomeSetorVariação (%)
XPML11XP MallsShoppings-1,92
GGRC11GGR Covepi RendaLogística-1,48
PATL11Pátria LogísticaLogística-1,2
VISC11Vinci Shopping CentersShoppings-1,11
AIEC11Autonomy EdifíciosLajes Corporativas-0,91

Fonte: B3

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Oferta de R$ 150 milhões do Cartesia Recebíveis, CSHG Renda Urbana conclui venda de loja e mais assuntos

CSHG Renda Urbana ( HGRU11) conclui venda de loja alugada pelas Casas Pernambucanas

O fundo CSHG Renda Urbana concluiu, nesta quarta-feira (27), a venda de uma loja na cidade de Lorena, no Estado de São Paulo. O espaço está locado atualmente para a Arthur Lundgren Tecidos, conhecida como Casas Pernambucanas.

De acordo com comunicado ao mercado, o fundo recebeu R$ 5,6 milhões pelo imóvel, montante equivalente a R$ 4,4 mil o metro quadrado. O valor é 38% superior ao valor justo do espaço.

O fundo havia adquirido a loja em novembro de 2020 e investido – considerando custos de aquisição, custos de transação e benfeitorias – pouco mais de R$ 4 milhões no imóvel, equivalente a R$ 3,2 mil por metro quadrado.

Segundo cálculos dos gestores, a transação gerou um lucro de aproximadamente R$ 1,5 milhão, o que representa R$ 0,08 por cota.

Atualmente, a carteira do fundo é composta por cerca de 90 imóveis, sendo 66 ocupados pelas Casas Pernambucanas, 19 imóveis voltados ao atacarejo e cinco educacionais. Juntos, os espaços somam uma área bruta locável (ABL) de 431 mil metros quadrados. A vacância do fundo está zerada.

O CSHG Renda Urbana tem sido figurinha conhecida entre os fundos mais recomendados para o mês e foi uma das apostas dos analistas para 2022.

Cartesia Recebíveis ( CACR11) aprova oferta de R$ 150 milhões

O fundo Cartesia Recebíveis Imobiliários aprovou, nesta quarta-feira (27), a realização da quarta emissão de cotas da carteira, que pretende captar até R$ 150 milhões.

Considerando a taxa de distribuição de R$ 3,34, o valor unitário para subscrição das novas cotas ficou em R$ 105,67, de acordo com fato relevante divulgado pelo fundo.

Nesta quarta-feira (27), as cotas do Cartesia Recebíveis foram negociadas a R$ 107,81, queda de 0,51%.

Cotistas com posição no final desta sexta-feira (29) terão direito de preferência na oferta, que poderá ser exercido entre os dias 3 e 16 de maio.

Atualmente, o patrimônio do fundo – de R$ 155 milhões – está predominantemente investido em certificados de recebíveis imobiliários (CRI). 100% dos títulos estão indexados ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Locatário do FII Vila Olímpia Corporate (VLOL11) regulariza aluguel atrasado

Em fato relevante divulgado nesta quarta-feira (27), o Vila Olímpia Corporate confirmou o recebimento de aluguel atrasado de um dos inquilinos do fundo. A inadimplência havia sido anunciada no dia 31 de março de 2022.

Na oportunidade, o fundo explicou que uma falha operacional no sistema de pagamentos do locatário havia provocado o atraso do repasse do aluguel do mês passado.

Os gestores calculavam que a inadimplência do inquilino, do setor de consultoria, representava uma redução de aproximadamente R$ 0,08 por cota na receita imobiliária da carteira.

No novo comunicado, o Vila Olímpia Corporate confirmou a regularização da situação – incluindo o pagamento dos encargos previstos no contrato de locação. O valor recebido corresponde a aproximadamente R$ 0,09 por cota.

Dividendos de hoje

Confira quais são os oito fundos imobiliários que distribuem rendimentos nesta quinta-feira (28):

TickerFundoRendimento
TJKB11TJK Renda Imobiliária R$  2,22
MORC11More CRI R$  1,50
CVPR14CVPAR CRI R$  1,40
CCRF11Canvas CRI R$  1,20
EQIR11EQI CRI R$  1,10
EXES13EXES CRI R$  0,83
EXES14EXES CRI R$  0,83
EXES15EXES CRI R$  0,83
EXES16EXES CRI R$  0,83
BTAL11BTG Pactual Agro R$  0,83
EXES17EXES CRI R$  0,41
CNES11CENESP R$  0,07

Fonte: InfoMoney

Obs.: Tickers com final diferente de 11 se referem aos recibos e direitos de subscrição dos fundos.

Giro Imobiliário: Ganhar dividendos com FoFs? Confira quatro FIIs que investem em outros fundos e têm rendimentos de até 10% ao ano

Investir em um fundo imobiliário e receber dividendos de uma cesta mais ampla de FIIs. A possibilidade existe e é uma das vantagens dos FoFs (sigla em inglês para funds of funds) que, além de oferecerem rendimentos de até 10% ao ano, ainda estão sendo negociados com duplo desconto.

O tema foi destaque da edição desta terça-feira (26) do Liga de FIIs, que teve apresentação de Maria Fernanda Violatti, analista da XP, Thiago Otuki, economista do Clube FII, e Wellington Carvalho, repórter de fundos imobiliários do InfoMoney.

No programa, os especialistas destacaram quatro FoFs que devem ficar no radar dos investidores, são eles: BlueMacaw Renda + FoF ( BLMR11) VBI Reits FoF ( RVBI11) Capitânia Fundo de Fundos (CPFF11) e XP Selection FoF ( XPSF11).

Maria Fernanda e Otuki analisaram os portfólios, retorno com dividendos, riscos, vantagens e o P/VPA (preço sobre valor patrimonial) das carteiras. Quanto mais próximo de 1 estiver o P/VPA de um fundo, mais perto a cota está do seu valor considerado justo. Um indicador acima de 1 sinaliza que o papel está sendo negociado com ágio e, abaixo deste nível, com desconto.

“O mercado de fundos imobiliários, de uma forma geral, está oferecendo boas oportunidades e não seria diferente para os FoFs”, aponta Otuki, que chama atenção também para os dividendos que os FIIs desse tipo estão pagando.

No caso dos FoFs, Maria Fernanda lembra que há ainda uma espécie de desconto duplo: o da cota do FII e o dos fundos que compõem a carteira do FoF, que também estão negociando abaixo do valor patrimonial.

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Compartilhe