5 assuntos

Futuros dos EUA e Europa sobem com investidores à espera de payroll; indústria no Brasil e mais destaques do mercado hoje

Investidores europeus também monitoram os dados de PMI e inflação da região; por aqui, atenção ainda para o cenário eleitoral

Por  Equipe InfoMoney -

Os mercados europeus e os índices futuros americanos operam em alta na manhã desta sexta-feira (1) à medida que investidores avaliam o início de um novo trimestre, indicador de recessão no mercado de títulos e novas negociações de paz entre russos e ucranianos. Já as ações da Ásia-Pacífico fecharam mistas, uma vez que o PMI Caixin/Markit mostrou que a atividade manufatureira chinesa encolheu em março.

As cotações do petróleo oscilam antes de uma reunião dos países membros da Agência Internacional de Energia (AIE) para discutir uma nova liberação de reservas de petróleo de emergência ao lado de uma enorme liberação planejada pelos Estados Unidos anunciada na véspera. 

Os rendimentos do Tesouro de 2 e 10 anos se inverteram pela primeira vez desde 2019. Para alguns investidores, é um sinal de que a economia caminha para uma possível recessão, embora a curva de juros invertida não preveja exatamente quando isso acontecerá e o histórico mostra que pode demorar mais de um ano ou mais.

As negociações entre a Rússia e a Ucrânia devem continuar nesta sexta-feira. Enquanto isso, a gigante estatal russa de energia Gazprom disse que continua a fornecer gás natural à Europa, informou a Reuters.

Isso ocorre apesar do prazo de sexta-feira do presidente Vladimir Putin para que o gás russo seja pago em rublos – uma exigência que foi rejeitada pelos governos europeus, que parecem ter encontrado uma solução alternativa.

Investidores também aguardam pelos dados do payroll, o Relatório de Emprego, referente a criação de vagas e taxa de desemprego no mês de março e que, na avaliação do Bradesco, “devem mostrar um mercado de trabalho aquecido, pressionando um ajuste mais tempestivo da política monetária do Fed”. O consenso Refinitiv de mercado aponta para a criação de 490 mil vagas e uma queda na taxa de desemprego, de 3,8% para 3,7%.

No Brasil, sai a produção industrial de fevereiro e o PMI industrial (10h), com consenso de mercado de 49, o que sinaliza contração da atividade. Na parte da tarde, será divulgado o saldo da balança comercial, expectativa de superávit de US$ 9,013 bilhões.

Do lado político, o Governo pode publicar hoje MP com elevação da CSLL dos bancos, atualmente em 20%, para compensar o Refis do Simples. Bolsonaro também recuou do corte de 33% do IPI para ajudar a Zona Franca de Manaus.

Confira mais destaques:

1. Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros dos EUA avançam nesta manhã, com os investidores avaliando um novo trimestre de negociação e um indicador problemático de recessão no mercado de títulos.

Investidores também esperam o relatório oficial de empregos de março, que o Departamento do Trabalho divulgará às 9h30 (horário de Brasília).

Um forte relatório de empregos pode dar mais confiança ao Fed para manter seu plano agressivo de aumento de juros em vigor este ano para sufocar a inflação sem medo de desacelerar demais a economia.

Veja o desempenho dos mercados futuros:

  • Dow Jones Futuro (EUA), +0,41%
  • S&P 500 Futuro (EUA), +0,41%
  • Nasdaq Futuro (EUA), +0,40%

Ásia

Os mercados asiáticos fecharam entre perdas e ganhos no primeiro dia de negociação do novo trimestre, repercutindo uma pesquisa privada que mostrou que a atividade manufatureira chinesa encolheu em março.

O Índice de Gerentes de Compras de manufatura Caixin/Markit para março ficou em 48,1, abaixo do nível 50 que separa crescimento de contração. Isso em comparação com a leitura do mês anterior de 50,4. O indicador também foi o mais baixa desde fevereiro de 2020.

A leitura chega enquanto a China enfrenta o surto de Covid-19 mais grave desde o início da pandemia.

Na China, Xangai se junta a outras grandes cidades e amplia sua política de lockdown após recorde de casos de Covid.

  • Shanghai SE (China), +0,94%
  • Nikkei (Japão), -0,56% 
  • Hang Seng Index (Hong Kong), +0,19% 
  • Kospi (Coreia do Sul), -0,65%

Europa

Os mercados europeus operam em leve alta, com as negociações entre a Rússia e a Ucrânia continuando a orientar o sentimento dos investidores. 

As negociações de paz entre a Rússia e a Ucrânia renderam poucos frutos até agora, com Kiev e seus aliados ocidentais permanecendo céticos em relação às intenções de Moscou e à legitimidade de seu compromisso com recuos militares parciais no norte da Ucrânia.

Atenção ainda para a bateria de indicadores por lá. A taxa de inflação da zona do euro disparou em março para 7,5%, contra os 5,9% que tinham sido registados em fevereiro, superando as expectativas dos analistas. Os dados correspondem à primeira estimativa, ainda provisória, divulgada nesta sexta-feira pelo Eurostat.

Já o PMI industrial da zona do euro saiu de 58,2 para 56,5 pontos em março, mínima em 14 meses, mas ainda acima da marca de 50, que separa a expansão da contração.

  • FTSE 100 (Reino Unido), +0,20%
  • DAX (Alemanha), +0,40%
  • CAC 40 (França), +0,23%
  • FTSE MIB (Itália), +0,62%

Commodities

Os preços do petróleo oscilam nesta sexta-feira antes de uma reunião de nações para discutir uma nova liberação de reservas de petróleo de emergência ao lado de uma enorme liberação planejada pelos Estados Unidos.

Ontem, a secretária de Energia dos Estados Unidos, Jennifer Granholm, afirmou que o Departamento de Energia do país está pronto para executar imediatamente a autorização federal que libera 1 milhão de barris de petróleo por dia das reservas estratégicas norte-americanas por seis meses.

A sessão da véspera foi de queda para o petróleo e os principais contratos amanheceram em queda, mas viraram para leves ganhos. 

  • Petróleo WTI, +0,50%, a US$ 100,79 o barril
  • Petróleo Brent, +0,64%, a US$ 105,38 o barril
  • Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 3,46%, a 926,00 iuanes, o equivalente a US$ 145,58

Bitcoin

  • Bitcoin, -4,53% a US$ 45.115,50 (em relação à cotação de 24 horas atrás)

2. Agenda

Na sexta, terminando a semana, atenção para os PMIs na Alemanha, zona do euro e no Reino Unido, além de inflação na zona do euro.  No Brasil, tem o IPC-S e a produção industrial. 

Nos Estados Unidos, saem os dados do payroll, referente a criação de vagas e taxa de desemprego no mês de março e que, na avaliação do Bradesco, “devem mostrar um mercado de trabalho aquecido, pressionando um ajuste mais tempestivo da política monetária do Fed”. O consenso Refinitiv de mercado aponta para a criação de 490 mil vagas e uma queda na taxa de desemprego, de 3,8% para 3,7%.

O dia termina com a balança comercial no Brasil. 

Brasil

8h: IPC-S semanal

9h: Produção industrial de fevereiro, com consenso Refinitiv de alta mensal de 0,3%, mas queda de 5,2% na base anual

10h: PMI industrial de março

15h: Balança comercial de março

EUA

9h30: Payroll de março, com projeção de criação de 490 mil vagas e taxa de desemprego a 3,7%

11h: Gastos de construção de fevereiro

11h: PMI industrial de março

3.  Governo deve elevar CSLL dos bancos para compensar Refis do Simples

O governo estuda a possibilidade de elevar a alíquota de Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) cobrada de instituições financeiras para compensar o impacto gerado pela derrubada de veto presidencial a um programa de refinanciamento de dívidas tributárias para micro e pequenas empresas.

Cabe ressaltar que Jair Bolsonaro decidiu manter por mais 30 dias a redução do IPI em 25%, após a expectativa de que o governo anunciaria ontem corte adicional para 33%.

Dória renuncia ao governo de SP e confirma candidatura ao Planalto

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), voltou atrás e anunciou que vai renunciar ao cargo para concorrer à Presidência da República.

Com a renúncia, o vice-governador do estado, Rodrigo Garcia, assume o cargo e passa a ser candidato à reeleição ao Palácio dos Bandeirantes nas eleições de outubro.

“Sim, Sim! Serei candidato a presidente da república pelo PSDB”, disse Doria.

Relator apresenta nova versão da PL das ‘fake news’ com foco no prazo da eleição

Na quinta-feira (31), o relator do projeto de lei das ‘fake news’, o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) propôs que parte das alterações tenha validade imediata a partir da sanção, em especial aquelas que afetem o processo eleitoral e a exigência de que as plataformas digitais tenham representação no país.

O relator apresentou nova versão do parecer ontem, depois de negociações com os partidos e o governo Bolsonaro, e pretende que o projeto seja aprovado em abril pela Câmara. Após isso, ainda faltará nova análise pelo Senado.

Uma das principais alterações é no prazo de entrada em vigor da nova lei. A nova proposta é que as mudanças que exigem adaptação técnica pelas empresas passem a ser exigidas apenas após um ano. Outras demandas com “menor esforço técnico” para as empresas terão 90 dias. As demais partes da lei, como a punição para candidatos por abuso de poder econômico e político nas redes sociais na eleição, teriam validade imediata.

4. Covid

Na última quinta-feira (31), o Brasil registrou 290 mortes e 33.653 casos de covid-19 em 24h, segundo informações do consórcio de veículos de imprensa, às 20h.

A média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 213, recuo de 34% em comparação com o patamar de 14 dias antes.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 25.910, o que representa alta de 34% em relação ao patamar de 14 dias antes. 

Chegou a 160.659.971 de pessoas totalmente imunizadas contra a Covid no Brasil, o equivalente a 74,79% da população.

O número de pessoas que tomaram ao menos a primeira dose de vacinas atingiu 175.751.296 pessoas, o que representa 81,81% da população.

A dose de reforço foi aplicada em 77.418.071 pessoas, ou 36,04% da população.

5. Radar Corporativo

Petrobras (PETR4;PETR3)

A estatal informou as indicações de Caio Ramalho e Gaspar Carreira Jr. para membro titular e membro suplente do conselho fiscal representado por acionistas preferencialistas da companhia. 

Porto Seguro (PSSA3

O conselho de administração da seguradora aprovou a distribuição de dividendos e juros sobre capital próprio (JCP) no valor de R$ 684,1 milhões, correspondendo a R$ 1,05801876217 por ação.

O pagamento integral dos juros sobre o capital próprio será feito no dia 11 de abril de 2022. Já os dividendos serão creditados até o dia 30 de novembro de 2022.

Raízen (RAIZ4)

A Raízen aprovou a distribuição de juros sobre capital de próprio (JCP)  no  montante bruto de R$  0,02776058936 por ação, referente ao período compreendido entre 1º de janeiro de 2022 e 31 de março de 2022.

O JCP terá como base de cálculo a posição acionária de 5 de abril  de 2022. 

As ações serão negociadas “ex JCP” a partir do dia 06 de abril de 2022.

O pagamento do JCP ocorrerá em data a ser definida e divulgada pela diretoria da companhia.

Telefônica (VIVT3)

A Telefônica (VIVT3) confirmou o pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) no valor bruto de R$ 0,14929120379 por ação.

O crédito dos JSCP será realizado com base na posição acionária  do dia 31 de março de  2022.  Após esta data as ações serão consideradas “ex-juros”. O pagamento desse provento será realizado até 31 de julho de 2023.

CCR (CCRO3)

A CCR (CCRO3) comunicou que suas controladas indiretas AutoBAn, SPVias e ViaOeste fecharam acordo definitivo ao contrato de concessão com o Estado de São Paulo.

O acordo tem por objetivo estabelecer os valores finais de cada um dos desequilíbrios econômico financeiros dos contratos, disciplinar responsabilidades das partes, reconhecer o saldo remanescente de desequilíbrio em favor da AutoBAn e promover o reequilíbrio econômico-financeiro mediante prorrogação do prazo de vigência de concessão da AutoBAn em 3.911 dias, encerrando-se em dezembro de 2037.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe