Criptos hoje

Bitcoin abre mês em queda com receio de nova lei de criptos na Europa; correlação com S&P500 chega perto da máxima

Investidores estão receosos de que nova lei votada por legisladores europeus freie a inovação no setor

Por  Paulo Alves, CoinDesk -

Bitcoin (BTC), Ethereum (ETH) e a maioria das principais criptomoedas operam em terreno negativo na manhã desta sexta-feira (1º) em meio à piora dos números da inflação nos EUA e a uma votação da União Europeia sobre a uma legislação de criptomoedas vista com maus olhos pela indústria.

Um projeto de lei aprovado no continente proíbe transações anônimas de criptomoedas, medida que a indústria considera capaz de sufocar a inovação no setor. A regra se aplica a pagamentos acima de 1.000 euros, e requer a identificação dos usuários até mesmo em caso de uso de carteiras não-hospedadas (auto custódia).

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

A maior criptomoeda por capitalização de mercado é negociada às 7h15 a US$ 45.110, com queda de 4,5% nas últimas 24 horas. Segundo maior criptoativo, o ETH cai um pouco menos, 4%, para US$ 3.274. Sugerindo menor apetite ao risco entre os investidores, criptos menores têm desempenho pior, a exemplo de tokens de metaverso como Gala (GALA) e The Sandbox (SAND), que recuam cerca de 10%.

O desempenho das principais criptos acompanha o mercado de ações, em mais um indicativo de alta correlação entre as classes de ativos. O Bitcoin fechou o trimestre em queda de 2%, estreitando a correlação com o S&P para quase 0,9 (1 é a correlação perfeita).

A correlação entre o índice e o Bitcoin parece ser cíclicas, com perdas da criptomoeda superando as do mercado de ações, dado que é mais volátil e funciona 24 horas por dia. Da mesma forma, um movimento de recuperação tende a ser mais contundente, superando o S&P.

Embora o Bitcoin tenha tido um dos piores começos de ano de todos os tempos, acabou ganhando cerca de 9% ao longo de março, eventualmente superando o desempenho das ações dos EUA.

No entanto, muitas criptomoedas ganharam vida própria e seguiram em disparada sem hesitação. Foi o caso de rivais do Ethereum como como Solana (SOL), Terra (LUNA), Avalanche (AVAX) e Cardano (ADA), que registraram ganhos de dois dígitos no último mês.

O catalisador, segundo especialistas, foi a crescente expectativa em relação à atualização do Ethereum 2.0, prevista para o final de junho.

  • Assista: Para onde vai o Bitcoin após bater máxima do ano? Analistas explicam movimento e fazem projeções

Nesta manhã, algumas altcoins continuam ignorando a correção do Bitcoin e seguem em disparada. Destaque nesta semana, o projeto STEPN (GMT) sobe mais de 50% em apenas 24 horas e já acumula alta de mais de 330% nos últimos sete dias.

O token é um ativo de governança de um aplicativo move-to-earn (mover-se para ganhar): em vez de jogar games para ganhar (play-to-earn), a proposta é recompensar usuários que praticam exercícios físicos.

O desempenho semanal é similar ao da Ziliqa (ZIL), que salta 6,7% hoje. Em uma semana, a criptomoeda valoriza mais de 300% em movimento especulativo às vésperas do lançamento de um novo projeto de metaverso chamado Metapolis, marcado para amanhã.

O que diz o gráfico do Bitcoin

Em termos de análise gráfica, o Bitcoin está em modo de retração depois que o o preço esbarrou na resistência (zona com muito interesse de venda) de US$ 48 mil, afirma o analista Damanick Dantes. Segundo ele, a criptomoeda pode encontrar suporte (zona com muito interesse de compra) em US$ 43 mil, região vista com potencial para estabilizar o movimento de baixa.

O especialista aponta ainda que o índice de força relativa (RSI) no gráfico diário está caindo dos níveis de sobrecompra. No gráfico semanal, no entanto, o RSI está neutro com leituras de impulso positivas. Isso significa que os compradores podem permanecer ativos em níveis de suporte.

Ainda assim, o trader ressalta que o BTC está tentando cair abaixo de uma linha de tendência de alta de duas semanas. Se isso ocorrer, espera-se que o preço mergulhe de forma mais acentuada, semelhante ao que ocorreu no início de fevereiro.

Para o Bitcoin mirar os US$ 50.966, diz o Dantes, o preço deverá se manter acima de US$ 45 mil nos próximos dias.

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 7h15:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC)US$ 45.110,19-4,5%
Ethereum (ETH)US$ 3.274,40-4%
Binance Coin (BNB)US$ 429,28-3,8%
Solana (SOL)US$ 125,04+0,4%
XRP (XRP)US$ 0,818528-5,4%

As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
STEPN (GMT)US$ 3,07+50,5%
Waves (WAVES)US$ 55,53+10,1%
Ziliqa (ZIL)US$ 0,202991+6,7%
Fantom (FTM)US$ 1,50+3,1%
Synthetix (SNX)US$ 7,12+2,7%

As criptomoedas com as maiores quedas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Chiliz (CHZ)US$ 0,274361-10,9%
Gala (GALA)US$ 0,250656-10,3%
Helium (HNT)US$ 23,15-10%
Loopring (LRC)US$ 1,17-9,6%
Neo (NEO)US$ 26,41-9,6%

Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

ETFPreçoVariação
Hashdex NCI (HASH11)R$ 39,47-3,73%
Hashdex BTCN (BITH11)R$ 51,99-3,72%
Hashdex Ethereum (ETHE11)R$ 46,55-2,5%
Hashdex DeFi (DEFI11)R$ 44,60-3,79%
QR Bitcoin (QBTC11)R$ 13,65-3,12%
QR Ether (QETH11)R$ 11,41-3,46%
QR DeFi (QDFI11)R$ 8,35-4,57%

Veja as principais notícias do mercado cripto desta sexta-feira (1º):

Primeira tokenizadora regulada pela CVM inicia operações

A Vórtx QR Tokenizadora abre nesta sexta-feira (1º) as operações da primeira corretora de ativos digitais do Brasil com aval da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A plataforma funciona no âmbito do sandbox regulatório da CVM, um ambiente experimental supervisionado pelo regulador que envolve o uso de licenças temporárias.

A Vórtx oferece aos usuários uma carteira digital para receber os recursos que serão, posteriormente, utilizados na compra e venda de ativos tokenizados.

Buenos Aires terá identidade digital na blockchain

A capital da Argentina, Buenos Aires, começou a trabalhar em uma plataforma de identidade digital baseada em blockchain com o objetivo de dar aos moradores da cidade controle sobre seus dados pessoais.

A cidade publicou na terça-feira um whitepaper (guia) com a proposta da plataforma, que estará operacional entre o último trimestre de 2022 e o primeiro trimestre do próximo ano, disse Diego Fernández, secretário de inovação e transformação digital de Buenos Aires, ao CoinDesk.

A plataforma será descentralizada, pública e não autorizada, disse Fernandez, acrescentando que estará disponível para uso por qualquer organização, administração governamental ou empresa que deseje cunhar identidades verificáveis, sem precisar da aprovação da cidade.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe