Aprendendo

Saiba como escolher o fundo de investimento ideal para você

Especialistas comentam categorias e vantagens desta categoria de investimento

SÃO PAULO – Os fundos de investimentos dão aplicações bastante comuns e oferecidas com frequência nos principais bancos e assessorias de investimento. Mas antes de aplicar em um fundo, é importante ter conhecimento sobre o funcionamento deste tipo de produto.

Uma das características que você deve avaliar é se o fundo possui gestão ativa ou passiva. Na gestão ativa cabe ao gestor buscar alocações que tragam resultados melhores que os índices utilizados como referência.  Já na gestão passiva o gestor do fundo segue algum índice de referência, portanto a carteira daquele fundo não depende das escolhas deste profissional e sim da composição do índice que é usado como benchmark. 

Também é importante escolher o tipo de fundo de acordo com seu apetite por risco. Mauricio Manfron Santos, assessor de investimentos da Alta Vista Investimentos, lembra que normalmente os fundos de renda fixa se encaixam melhor com os investidores conservadores, fundos multimercado com os moderados e os fundos de ações com os investidores agressivos. Porém, ele destaca que na prática, é muito importante considerar a volatilidade de cada fundo.

“O mercado de fundos de investimentos no Brasil é muito grande e ele oferece, por exemplo, fundos de renda fixa com alta volatilidade e, é bem provável que um investidor conservador não aceite tanta oscilação em sua carteira de investimentos. Por outro lado, nessa infinidade de fundos, o investidor também encontrara fundos Multimercado com baixa volatilidade”, explica. “Por isso, não podemos afirmar que os conservadores sempre terão fundos de Renda Fixa em sua carteira e tampouco que os Moderados e/ou Agressivos terão somente fundos Multimercado e de Ações”, acrescenta.

Anete Schmidt, assessora de investimentos na Praisce Capital, destaca que antes de aplicar, o investidor deve avaliar com cuidado o seu perfil de risco, lembrando que quanto maior o risco, maior a possibilidade de ganhos e, também, de perdas. Além disso, ele deve considerar quais os objetivos que busca ao investir em determinado fundo. Também é importante saber quando o investidor vai precisar do dinheiro , pois dependendo do prazo, a rentabilidade pode sofrer uma incidência maior de IR. “Por isso a importância do planejamento”, afirma Anete.

Além de se conhecer, é preciso entender quais beneficios o investimento em fundos de investimento podem trazer para o investidor.  “Como todo tipo de investimento, os fundos oferecem vantagens e desvantagens. Dentre as vantagens, acredito que as principais são a diversificação (com pouco recurso o investidor tem acesso a uma carteira bem diversificada de ativos), praticidade (de forma pratica ele não precisa colocar a “mão na massa” para gerenciar seus recursos e ainda acompanha mais facilmente a evolução de seu patrimônio) e menor custo, pois os custos com as negociações dos ativos são divididos por todos os cotistas do fundo”, indica Mauricio. 

Anete concorda que a maior vantagem de se investir em fundos é a possibilidade que o investidor tem em aplicar em diferentes tipos de ativos com acesso aos mais diferentes mercados – o que permite uma maior diversificação, aliada a custos baixos. “Tudo isso com uma gestão profissional”, diz.

Outro ponto fundamental é analisar as taxas cobradas pela gestora de recursos. “Em alguns fundos, como os de renda fixa por exemplo, deve-se observar com mais cuidado a taxas de administração pois estas podem  impactar diretamente na performance”, ensina Anete. Os fundos com gestão passiva devem ter taxas menores, enquanto os fundos que possuem uma gestão ativa podem cobrar taxas maiores por conta da maior complexidade da alocação. Alguns fundos também cobram taxa de performance sobre a rentabilidade que exceder determinado benchmark.

No caso dos fundos DI, por exemplo, o ideal é que a taxa de administração seja inferior a 1% ao ano. Já os fundos de ações cobram taxas entre 2% e 3% ao ano – se o gestor entregar bons resultados com frequência esta taxa é justificável.

PUBLICIDADE

 

Leia também

Descubra qual é a aplicação financeira de risco baixo mais rentável

Milhões de brasileiros investem errado em previdência; é o seu caso?

Imóvel é sempre bom negócio? Teste mostra que alugar é melhor

Seu carro facilmente lhe custa R$ 2.500 por mês. Duvida?

Qual é o melhor CDB: pré, pós ou indexado à inflação? Planilha mostra

Planeja investir no Tesouro Direto? Ebook gratuito mostra o caminho

PUBLICIDADE

Quer saber se você está investindo bem? Faça uma simulação

Quanto custa realizar cada um de seus sonhos? Descubra