Central de FIIs

Ifix completa sexta sessão seguida de perdas; CARE11 sobe quase 9%

O fundo Brazilian Graveyard and Death Care (CARE11) foi o destaque da lista de maiores altas do dia, com forte elevação de 10,09%

Por  Wellington Carvalho -

 

O IFIX – índice dos fundos imobiliários mais negociados na B3 – fechou a sessão desta segunda-feira (9) com queda de 0,34% aos 2.769 pontos. Foi o sexto pregão de perdas do indicador. Na sessão anterior, o índice fechou com baixa de 0,11%. O fundo Brazilian Graveyard and Death Care (CARE11) foi o destaque da lista de maiores altas do dia, com forte elevação de 8,94%. Na semana passada, a B3 havia questionado o comportamento das cotas do FII, focado no segmento de cemitérios. Confira os demais destaques da sessão ao longo do Central de FIIs.

A negociação de fundos imobiliários subiu pelo terceiro mês seguido em abril e alcançou um valor médio diário no período de R$ 253 milhões, aponta boletim mensal da B3. O número é o maior desde setembro de 2021 (R$ 259 milhões). Em março, o volume foi de R$ 247 milhões.

Com o resultado do mês passado, o volume médio diário de negociação dos FIIs em 2022 subiu de R$ 241 milhões para R$ 244 milhões. No ano passado, a média foi de R$ 269 milhões, o maior da história na comparação anual.

Fonte: Boletim mensal B3 sobre fundos imobiliários

No último mês, o segmento de fundos imobiliários ganhou 22481 novos investidores pessoas físicas. De acordo com o relatório da B3, 1,641 milhão de brasileiros investem em FIIs.

Nos últimos dois meses, a participação dos CPFs na base de investidores de fundos imobiliários caiu 74% para 73,8%. Os investidores institucionais aparecem na sequência, com 19,9%. Em relação ao volume negociado, a participação das pessoas físicas se manteve em 67,5%, em abril.

Fonte: Boletim mensal B3 sobre fundos imobiliários

Ainda de acordo com o boletim mensal da Bolsa, o valor de mercado dos fundos imobiliários entre fevereiro e março subiu de R$ 134 bilhões para R$ 137 bilhões. Já o patrimônio líquido dos FIIs voltou ao patamar de dezembro de 2021, de R$ 176 bilhões.

O estudo da Bolsa também comparou o desempenho do Ifix com indicadores importantes do mercado de ações. Nos últimos 12 meses, encerrados em fevereiro, o Ifix registrou baixa de 1,7%, contra queda de 9,3% do Ibovespa. Em abril, o índice dos FIIs subiu 1,2%, desempenho acima do Ibovespa, que caiu 10,1% no período.

 

ÍndiceDesempenho em abril (%)Desempenho em 12 meses (%)Desempenho em 2022 (%)
IBOV-10,1-9,33,8
IFIX1,2-1,70,9
IMOB-6,6-22,47,0

Fonte: B3

Maiores altas desta segunda-feira (9)

TickerNomeSetorVariação (%)
CARE11Brazilian Graveyard and Death CareOutros8,94
VGIP11FII VALORAIPOutros2,11
[ativo=NCHB11]NCH High YieldTítulos e Val. Mob.1,99
SNFF11Suno FoFOutros1,79
MXRF11Maxi RendaHíbrido0,62

Maiores baixas desta segunda-feira (9):

TickerNomeSetorVariação (%)
BLMG11Bluemacaw LogísticaLogística-2,45
RECT11Rec Renda ImobiliariaHíbrido-2,4
VINO11Vinci OfficesLajes Corporativas-2,21
VSLH11Versalhes Recebiveis ImobiliariosOutros-2,16
HGFF11CSHG FoFTítulos e Val. Mob.-1,97

Fonte: B3

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Terceira emissão de cotas do HSI Ativos Financeiros, XP Exeter II planeja compra de terreno em MG e mais assuntos

Confira as últimas informações divulgadas por fundos imobiliários em fatos relevantes:

HSI Ativos Financeiros (HSAF11) anuncia oferta de R$ 150 milhões

O fundo HSI Ativos Financeiros aprovou a realização da terceira emissão de cotas da carteira, que planeja captar até R$ 150 milhões, aponta fato relevante divulgado na sexta-feira (6).

O valor unitário das novas cotas foi fixado em R$ 93,00 e a taxa de distribuição da oferta será de R$ 0,81, totalizando o preço de subscrição de R$ 93,81.

Na sessão anterior, os papéis do HSI Ativos Financeiros foram negociados a R$ 93,54, com queda de 0,87%.

De acordo com o comunicado ao mercado, os cotistas do fundo terão direito de preferência na nova emissão de cotas, com o fator de proporção de 90%.

O fundo tem hoje um patrimônio líquido de R$ 167 milhões e 73% do recurso está investido em certificados de recebíveis imobiliários (CRI). Maior parte dos títulos está indexada atualmente ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

No acumulado dos últimos 12 meses, a taxa de retorno com dividendos do HSI Ativos Financeiros soma 12,42%. No último dia 29, o fundo pagou R$ 1,15 por cota, equivalente a um retorno de 1,20% no período.

XP Exeter II (XPEX11) assina compromisso para compra de terreno em Contagem (MG)

Em fato relevante divulgado na sexta-feira (6), o XP Exeter II Desenvolvimento Logístico anunciou que o fundo assinou compromisso para a compra de terreno de 136 mil metros quadrados em Contagem (MG).

Como as condições do negócio estão protegidas por cláusulas de confidencialidade, detalhes sobre valores de aquisição e identificação do imóvel serão divulgados somente após a conclusão da transação.

Por enquanto, o XP Exeter II confirma apenas que transferiu ao vendedor, a título de sinal e princípio de pagamento, o valor de R$ 4 milhões. O saldo remanescente será pago em 14 parcelas iguais e fixas.

No terreno em Contagem, o fundo planeja a construção de um empreendimento logístico que compreenderá área bruta locável (ABL) aproximada de 48 mil metros quadrados. O início das obras está previsto para setembro de 2022 e a entrega deverá ocorrer doze meses depois do começo do trabalho.

CSHG Renda Urbana ( HGRU11) vende mais uma loja alugada pelas Casas Pernambucanas

O fundo CSHG Renda Urbana concluiu, na sexta-feira (6), a venda de mais uma loja locada para a Arthur Lundgren Tecidos, conhecida como Casas Pernambucanas.

No mês passado, os gestores anunciaram a venda das unidades de Caçador, em Santa Catarina, e em Lorena, no Estado de São Paulo.

Desta vez, o CSHG Renda Urbana negociou a loja localizada em São Sebastião do Paraíso, em Minas Gerais. Pelo espaço, o fundo receberá R$ 8 milhões, equivalente a R$ 7,4 mil por metro quadrado. O montante é 34% superior ao valor justo do espaço.

O fundo havia adquirido a loja em novembro de 2020 e investido – considerando custos de aquisição, custos de transação e benfeitorias – quase R$ 6 milhões no imóvel, equivalente a R$ 5,5 mil por metro quadrado.

Segundo cálculos dos gestores, a transação gerou um lucro de aproximadamente R$ 2 milhões, o que representa R$ 0,11 por cota.

Autonomy Edifícios Corporativos (AIEC11) terá a XP como formadora de mercado

O fundo Autonomy Edifícios Corporativos contratou, na sexta-feira (6), a XP Investimentos para a função de formadora de mercado para as cotas da carteira.

Reconhecido e cadastrado pela B3, o formador de mercado tem como função estimular a liquidez de ativos negociados na Bolsa, mantendo de forma regular e contínua ofertas de compra e venda durante o pregão. Além de facilitar a negociação dos papéis, o formador de mercado também evita movimentos artificiais das cotações.

Atualmente, a liquidez média diária das cotas do Autonomy Edifícios Corporativos está em R$ 1 milhão. O Hectare (HCTR11) tem a maior média do segmento, de R$ 16 milhões.

A prestação dos serviços terá início na quarta-feira (11) e vigorará por prazo indeterminado. O fundo arcará com o pagamento da XP Investimentos.

Dividendos de hoje

Confira quais são os 16 fundos imobiliários que distribuem rendimentos nesta segunda-feira (9):

TickerFundoRendimento
JPPA11JPP Allocation Mogno R$  1,80
CACR11Cartesia Recebíveis Imobiliários R$  1,50
TGAR11TG Ativo Real R$  1,44
GGRC11GGR Covepi Renda R$  0,90
VTLT11Votorantim Logística R$  0,83
RBLG11RB Capital Logístico R$  0,80
ELDO11BEldorado R$  0,73
AIEC11Autonomy Edifícios Corporativos R$  0,72
FVPQ11Imobiliário Via Parque Shopping R$  0,70
VSHO11Votorantim Shopping R$  0,61
PATL11Patria Logística R$  0,58
QAGR11Quasar R$  0,39
PATC11Pátria Edifícios Corporativos R$  0,32
LIFE11Life Capital Partners R$  0,15
NVHO11Novo Horizonte R$  0,08
LIFE13Life Capital Partners R$  0,07
RBVO11Rio Bravo Crédito Imobiliário II R$  0,04

Fonte: InfoMoney

Obs.: Tickers com final diferente de 11 se referem aos recibos e direitos de subscrição dos fundos.

Giro Imobiliário: Os FIIs mais recomendados pelos analistas para comprar em maio; HGCR11 entra na seleção

Após emendar em abril dois meses seguidos no positivo – o que não ocorria desde fevereiro de 2021 – os fundos imobiliários iniciaram maio no campo negativo. Nas primeiras sessões do mês, o Ifix – índice dos FIIs mais negociados na Bolsa – acumula queda de 1%. Em meio aos resultados, os fundos de logística e de recebíveis seguem sendo os preferidos dos analistas.

Na compilação feita pelo InfoMoney com os fundos imobiliários mais recomendados para maio, a novidade fica por conta do CSHG Recebíveis Imobiliários (HGCR11), que substitui o TRX Real Estate (TRXF11). O Bresco Logística (BRCO11) segue como o mais citado pelo nono mês consecutivo.

A compilação do InfoMoney apresenta os cinco ativos mais recomendados para o mês. Para critério de desempate, são selecionados aqueles com maior volume médio de negociação nos últimos 12 meses, com base em dados da provedora de informações financeiras Economatica.

Confira a seguir os fundos imobiliários mais recomendados pelos analistas para maio, o número de recomendações e a rentabilidade de cada papel em abril, no acumulado do ano e nos últimos 12 meses:

TickerFundoSegmentoRecomendaçõesRetorno em abril de 2022 (%)Retorno em 2022 (%)Retorno em 12 meses (%)
BRCO11Bresco LogísticaLogística82,790,47-1,99
KNCR11Kinea Rendimentos ImobiliáriosRecebíveis61,663,2917,22
BTLG11BTG Pactual LogísticaLogística50,49-0,82-2,37
HGRU11CSHG Renda UrbanaRenda Urbana53,900,392,35
HGCR11CSHG Recebíveis ImobiliáriosRecebíveis5-0,143,598,18
IFIX1,19-0,7-2,5

OBS.: A rentabilidade leva em consideração o reinvestimento dos dividendos e a cotação do dia 04/05/2022

Fonte: Economatica e corretoras (Ativa Investimentos, BTG Pactual, Genial, Guide, Mirae Asset, Órama, Itaú BBA, Santander e Rico)

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Compartilhe