Central de FIIs

Ifix acumula ganhos de 0,11% na semana; FII HSLG11 é destaque de alta na sessão

O fundo HSI Logística (HSLG11) liderou a lista das maiores altas do pregão, com elevação de 3,45%

Por  Wellington Carvalho -

O IFIX – índice que reúne os fundos imobiliários mais negociados na B3 – fechou a sessão desta sexta-feira (05) com alta de 0,22%, aos 2.817 pontos. Na semana, o indicador acumulou ganhos de 0,11%. O fundo HSI Logística (HSLG11) liderou a lista das maiores altas do pregão, com elevação de 3,45%. Confira os demais destaques de hoje ao longo do Central de FIIs.

A identificação de cotistas que solicitam a convocação de assembleias para a discussão de mudanças nos fundos imobiliários tem sido cada vez mais questionada no mercado de FIIs. A discussão teve início com o caso do Banestes Recebíveis Imobiliários ( BCRI11), cujos investidores teriam desistido do pedido após a carteira cobrar o nome dos solicitantes. Nesta quinta-feira (4), foi a vez do BlueCap Renda Logística (BLCP11) entrar no debate.

A pedido da BlueCap Gestão de Recursos – gestora do fundo – a 1ª Vara Empresarial e Conflito de Arbitragem do Tribunal de Justiça de São Paulo suspendeu os efeitos da assembleia geral extraordinária (AGE) que decidiria sobre a incorporação da carteira pelo BTG Pactual Logística (BTLG11).

A AGE foi realizada nesta quinta-feira (4) e, de acordo com o administrador do fundo – o BTG Pactual –, terá os resultados apurados nesta sexta-feira (5). As deliberações, no entanto, não terão efeito, conforme a decisão da 1ª Vara Empresarial.

A convocação da assembleia e a incorporação do fundo pelo BTG Pactual Logística foram propostas em maio de 2022 por investidores detentores de mais de 5% das cotas do FII BlueCap Renda Logística.

A gestora da carteira, porém, acionou a 1ª Vara Empresarial e Conflito de Arbitragem do Tribunal de Justiça de São Paulo alegando falta de transparência na iniciativa dos cotistas. A BlueCap Gestão de Recursos cobrava os nomes dos responsáveis pela solicitação da AGE, até então mantidos em sigilo.

Maiores altas desta sexta-feira (05)

TickerNomeSetorVariação (%)
HSLG11HSI LogísticaLogística3,45
KISU11KILIMATítulos e Val. Mob.3,17
MCHF11Mauá Capital Hedge FundTítulos e Val. Mob.2,97
RBVA11Rio Bravo Renda VarejoOutros1,91
BBPO11BB Progressivo IIAgências1,86

Maiores baixas desta sexta-feira (05):

TickerNomeSetorVariação (%)
HSAF11HSI Ativos FinanceirosTítulos e Val. Mob.-2,68
BLMR11Bluemacaw Renda+ FOFTítulos e Val. Mob.-1,39
VINO11Vinci OfficesLajes Corporativas-1,28
FCFL11Campus Faria LimaOutros-0,87
MGFF11MOGNOTítulos e Val. Mob.-0,84

Fonte: B3

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11) vende andar do Bravo! Paulista por R$ 9 milhões

Em fato relevante divulgado nesta quinta-feira (4), o FII Rio Bravo Renda Corporativa comunicou a venda do décimo andar do Edifício Bravo! Paulista, localizado na Alameda Santos, em São Paulo (SP).

A negociação do espaço – de 359 metros quadrados – é resultado do exercício de opção de venda firmado com a empresa que gerenciou o projeto de retrofit do edifício. O imóvel foi negociado por R$ 9,05 milhões.

O pagamento será realizado em quatro parcelas de R$ 2,264 milhões mensais e consecutivas, sendo a primeira parcela prevista para setembro de 2022.

Com a transação, o Rio Bravo Renda Corporativa gerou um ganho de capital na ordem de R$ 2,6 milhões, equivalente a R$ 0,72 por cota. O montante representa um retorno de 18%.

Com patrimônio líquido de R$ 719 milhões, o portfólio do fundo está dividido em nove imóveis que somam uma ABL de 43 mil metros quadrados. A taxa de vacância atual da carteira – focada no segmento de escritórios – está em 31,8%.

Dividendos hoje

Confira quais são os 25 fundos que distribuem rendimentos nesta sexta-feira (05):

TickerFundoRendimento
SOLR11Solarium R$  7,16
SPAF11Spa R$  5,91
PORD11Polo Créditos Imobiliários R$  1,50
ARRI11Átrio Reit Recebíveis Imobiliários R$  1,31
FRHYFronteira Multi R$  1,28
RZTR11Riza Terrax R$  1,25
IDGR11Unidades Autônomas II R$  1,16
HSAF11Hsi Ativos Financeiros R$  1,00
VVPR11V2 Properties R$  0,85
IDFI11Unidades Autônomas R$  0,81
STRX11Starx R$  0,75
BPFF11Brasil Plural Absoluto Fundo De Fundos R$  0,75
EVBI11VBI Consumo Essencial R$  0,75
LVBI11VBI Logístico R$  0,74
HSML11HSI Malls R$  0,65
HOSI11Housi R$  0,56
PVBI11VBI Prime Properties R$  0,56
ABCP11Grand Plaza Shopping R$  0,53
NSLU13Hospital Nossa Senhora de Lourdes R$  0,46
NSLU11Hospital Nossa Senhora de Lourdes R$  0,46
NSLU14Hospital Nossa Senhora de Lourdes R$  0,46
SPTW11Sp Downtown R$  0,40
NSLU15Hospital Nossa Senhora de Lourdes R$  0,38
LASC11Legatus Shoppings R$  0,35
NSLU16Hospital Nossa Senhora de Lourdes R$  0,34
HSAF13HSI Ativos Financeiros R$  0,30
HSAF14HSI Ativos Financeiros R$  0,30
HSAF15HSI Ativos Financeiros R$  0,30
PLRI11Polo  Recebíveis Imobiliários I R$  0,25
VPSI11Polo Shopping Indaiatuba R$  0,18
LIFE16Life Capit R$  0,14
LIFE11Life Capit R$  0,14
LIFE15Life Capit R$  0,14
LIFE14Life Capit R$  0,14
LIFE13Life Capit R$  0,14
LIFE17Life Capit R$  0,14
LIFE18Life Capit R$  0,14
VGHF11Valora Hedge Fund R$  0,12
RURA11Itaú Asset Rural Fiagro  Imobiliário R$  0,11
LIFE19Life Capit R$  0,10

Fonte: InfoMoney. Tickers com final diferente de 11 se referem aos recibos e direitos de subscrição dos fundos.

Giro Imobiliário: cresce número de FIIs que rendem acima da Selic, mesmo após taxa de juros subir para 13,75%; por quê?

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central elevou a Selic em 0,50 ponto percentual nesta quarta-feira (3), para 13,75% ao ano. Enquanto economistas discutem se o ciclo de alta chegou ou não ao fim, investidores procuram as oportunidades abertas com o novo patamar da taxa básica de juros. Via de regra, as aplicações de renda fixa são beneficiadas, enquanto o retorno de ativos de risco, como os fundos imobiliários, perde atratividade – mas isso não é verdade sempre. Ainda há um grupo de FIIs que rendem mais do que a Selic. E mais: ele está crescendo.

Um levantamento com dados da Economática – plataforma de informações financeiras – mostra que, dentre os fundos imobiliários mais negociados na B3, pelo menos 24 apresentam um dividend yield (taxa de retorno com a distribuição de dividendos) acima de 13,75% em 12 meses.

O número atual de FIIs com retorno superior à Selic é maior do que os 18 registrados em junho, segundo o mesmo levantamento, realizado na sequência da reunião anterior do Copom, assim que o Banco Central elevou a taxa básica de juros, então, para 13,25% ao ano.

O que explica que um número maior de FIIs consiga oferecer um rendimento maior que a Selic, mesmo diante de uma elevação da taxa de juros (o que, em teoria, tornaria essa tarefa mais difícil)?

Dois fatores principais ajudam a entender o fenômeno. De junho para cá, as cotações dos fundos imobiliários caíram em média, de 0,22%. Ao mesmo tempo, diversas carteiras distribuíram dividendos “extras”, não recorrentes, na virada do primeiro para o segundo semestre.

Os dois elementos – volume total de dividendos distribuídos e preço das cotas negociadas na B3 – são utilizados no cálculo do dividend yield dos fundos imobiliários. Como o primeiro aumentou para diversos FIIs e o segundo, na média, diminuiu, o resultado foi um número maior de fundos com taxas de retorno mais elevadas.

O levantamento de FIIs com rendimentos superiores à Selic considera apenas os fundos que compõem o Ifix – índice dos FIIs mais líquidos da B3. A lista aponta que os dividend yields chegam a ser maiores do que 18% em 12 meses, como nos casos do Valora Hedge Fund (VGHF11) e do Urca Prime Renda (URPR11). Confira os 24 FIIs encontrados entre os resultados.

Compartilhe