Aprendendo

9 coisas que todo mundo deveria saber antes de investir

Dicas mostram como se preparar antes de entrar no mercado financeiro

Por  Lys Silva

SÃO PAULO – Ao contrário do que dita a crença popular, não é necessário ser um especialista para começar a investir, muito menos ser milionário. A única coisa que deveria impedir alguém de investir é não saber para onde ir quando as porcentagens, siglas e ideias de investimento começam a surgir.

Você está investindo bem seu dinheiro? Faça o teste aqui

Pensando nisso, o site Business Insider reuniu 12 princípios básicos para entender o mercado antes de mergulhar de cabeça. Abaixo, os 9 que melhor se adaptam a realidade brasileira.  

Quando se trata do mercado de ações, o comportamento passado nem sempre prevê o futuro
Olhar para o que os mercados têm feito não é a maneira mais confiável de prever como eles irão agir.

Ninguém pode prever de forma confiável o mercado. Enquanto os profissionais podem fazer suposições, previsão do mercado é prever o futuro, e ninguém pode fazê-lo, por isso não adianta tentar.

Investimento é sempre um risco
Pouco, ou quase nada, é garantido quando se trata de investimentos.

Você pode ganhar ou perder dinheiro, por isso, se precisa de retorno rápido e liquidez no curto prazo, a probabilidade de não querer investir é maior. Alguns profissionais dizem que não é aconselhável investir dinheiro que será necessário nos próximos cinco anos, porque, se o mercado cai, não haverá tempo suficiente para recuperar os fundos.

Começar cedo é uma grande vantagem
Aos 20 e poucos anos o maior trunfo do investidor é o tempo. Para essa faixa etária quase todos os tipos de investimento são vantajosos, principalmente a previdência, jpor conta do efeito dos juros compostos. Além disso, caso se perca dinheiro no mercado, haverá mais tempo para recuperar antes que a necessidade de resgate seja atingida.

Contudo, “é tarde demais para começar a investir” não é uma boa desculpa para manter o dinheiro longe dos investimentos. Antes tarde do que nunca.

Você precisa de uma meta antes de qualquer outra coisa
Para que você está investindo? Qual o propósito? Qual é a meta ou objetivo? “Comece pelo final. Saiba exatamente qual é o objetivo do seu investimento”, diz Tom White, CEO da iQuantifi.

Depois de ter um objetivo estabelecido o horizonte de tempo necessário para o investimento ficará claro e, assim, mais fácil descobrir qual a melhor categoria para alocar capital.

Você investe de forma diferente, dependendo de quanto tempo você tem
O horizonte de tempo é o número de anos entre o agora e quando será preciso usar o dinheiro que está sendo investindo.

Uma vez estabelecido, se tem uma ideia melhor de onde colocar o dinheiro e criar uma estratégia. Geralmente, quanto mais tempo se tem até a data de necessidade do dinheiro maior risco se pode tomar.

“Em geral, existem três tipos de classes de ativos para investir: dinheiro, títulos e ações. E cada um desses três tipos têm os seus próprios intervalos de taxas de retorno que você pode esperar mais ou menos ao longo do tempo”, explica White.

Colocar todo o seu dinheiro em um só lugar é pedir por problemas
É muito importante diversificar investimentos. Diversificação significa dividir o dinheiro entre diferentes categorias de investimento.

“Considere construir um portfólio completo, global e diversificado composto por ações e títulos que atendam a sua tolerância a risco”, diz Jonathan DeYoe, consultor de investimentos.

Você vai ser cobrado taxas, não importa como e onde investir
Investir não é de graça. Se a escolha for por um profissional de investimento, será preciso pagar uma percentagem da carteira ou uma taxa fixa para ele, além das categorias de investimento que sofrem incidência de impostos.

Warren Buffett e John C. Bogle recomendam investir em fundos de índice de baixo custo, um tipo de fundo mútuo vinculado a um índice de mercado específico que possui, normalmente, taxas menores que outras categorias.

A coisa fica emocional
Quando se trata de dinheiro, as escolhas são muitas vezes movidas por medo, ganância e nervosismo. Essas emoções tentam a todo momento mover os passos dos investidores, fazendo com que, ao que parece, se tome decisões mais seguras ou mais arriscadas conforme o mercado flutua.

“Evite vender impulsivamente um investimento de baixo desempenho e mantenha o curso com um portfólio diversificado que é capaz de suportar inevitáveis aumentos e mergulhos de curto prazo no mercado”, indica o planejador financeiro certificado Shelly-Ann Eweka.

Você não pode “aplicar e esquecer” seus investimentos para sempre
É aconselhável que não se cheque todos os dias ou semanas a conta de investimentos, contudo, é preciso ter um pouco de controle.

A vida acontece, e há momentos, especialmente grandes mudanças na vida, quando é inteligente parar e fazer ajustes financeiros.

 

Leia também:

Você investe pelo banco? Curso gratuito mostra como até dobrar o retorno de suas aplicações

Baixe um pacote de planilhas financeiras gratuitas

Descubra qual é a aplicação financeira de risco baixo mais rentável

Milhões de brasileiros investem errado em previdência; é o seu caso?

Imóvel é sempre bom negócio? Teste mostra que alugar é melhor

Seu carro facilmente lhe custa R$ 2.500 por mês. Duvida?

Qual é o melhor CDB: pré, pós ou indexado à inflação? Planilha mostra

Planeja investir no Tesouro Direto? Ebook gratuito mostra o caminho

Quer saber se você está investindo bem? Faça uma simulação

Quanto custa realizar cada um de seus sonhos? Descubra

Compartilhe