Exchange cripto Bittrex abre falência após sofrer pressão de reguladores nos EUA

SEC encerrou atividades da exchange em abril após

Equipe InfoMoney

Publicidade

Mais uma corretora de criptomoedas caiu. A Bittrex Inc. e suas subsidiárias nos Estados unidos abriram falência na segunda-feira (8) após suas operações serem encerradas no final de abril em resposta a uma repressão regulatória.

A falência, que a empresa disse não afetar suas operações fora dos EUA, ocorre menos de um mês depois que a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (a SEC) acusou a plataforma cripto de ter desrespeitado as regras de valores mobiliários do país por anos.

A Bittrex Global continuará operando normalmente para clientes internacionais, informou a empresa em comunicado. Para os usuários que não retiraram seus ativos antes do desligamento, a Bittrex pretende “pedir ao tribunal para ativar essas contas o mais rápido possível, para que os clientes que atendem aos requisitos regulatórios necessários possam retirá-los”.

Continua depois da publicidade

A Bittrex listou ativos e passivos de até US$ 1 bilhão cada em documento submetido aos tribunais americanos. As entidades relacionadas Desolation Holdings LLC, Bittrex Malta Holdings Ltd. e Bittrex Malta Ltd. também declararam falência, segundo documentos judiciais.

A SEC processou a Bittrex em um tribunal federal no mês passado, alegando que ela violou as regras do regulador de 2017 a 2022, gerando pelo menos US$ 1,3 bilhão em receita. A SEC disse que a Bittrex às vezes agia como corretora, bolsa e agência de compensação, mas não se registrava na SEC.

A Bittrex contestou as alegações em um comunicado na época.

Continua depois da publicidade

Esse foi apenas o mais recente obstáculo regulatório para a Bittrex. A empresa listou o Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros do Tesouro dos EUA como seu maior credor não garantido, ao qual deve US$ 24 milhões de um acordo anterior por não impedir que clientes no Irã, Cuba e outros países sancionados usassem sua plataforma.

Recentemente, uma reportagem da Bloomberg revelou que o Departamento de Justiça  dos EUA está investigando a Binance por razão similar: a maior bolsa de ativos digitais do mundo estaria sendo usada ilegalmente para contornar sanções impostas pelos Estados Unidos a cidadãos russos.

O negócio da Binance também ficou sob ameaça no país após a CFTC, agência reguladora de derivativos, acusar a corretora de violar a norma de derivativos, por oferecer produtos financeiros a norte-americanos sem a licença devida.

Continua depois da publicidade

(Com informações da Bloomberg)

LEIA MAIS