Em mercados

Pesquisas eleitorais e mais dois eventos que vão definir o rumo do mercado na próxima semana

Tudo que o investidor precisa saber antes de começar a operar na próxima semana

Investidor
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Com mais uma queda nesta sexta-feira (17), o Ibovespa encerrou a semana com perdas acumuladas de 0,63%, zerando também seus ganhos do ano. Para os próximos dias, a agenda de indicadores é bastante tranquila, o que deixa espaço para o mercado seguir acompanhando o cenário político e os desdobramentos das disputas dos Estados Unidos com China e Turquia.

Além do debate na RedeTV!, os investidores seguem atentos às novas pesquisas eleitorais na próxima semana. Após o levantamento XP/Ipespe mostrar um forte crescimento de Fernando Haddad com o apoio do ex-presidente Lula, aumenta a expectativa para as sondagens nacionais do Ibope e MDA,que devem ser divulgadas na segunda-feira (20). Além disso, o Datafolha também registrou uma pesquisa com divulgação em 22 de agosto.

Ainda no campo político, atenção para os desdobramentos do caso da candidatura de Lula, apesar do desfecho ser esperado apenas para o fim deste mês ou começo de setembro. A presidente do TSE, Rosa Weber, decidiu na quinta que o ministro Luís Roberto Barroso vai relatar registro
de candidatura. Enquanto isso, a procuradora-geral, Raquel Dodge, quer saltar o prazo para pedidos de impugnação e adiantar a análise do registro.

Turquia e China no radar
No exterior, o mercado segue atento aos dois "campos de batalha" dos EUA, um contra a Turquia e outro na China. Nesta sexta, a lira turca voltou a cair forte antes de um feriado prolongado no país na próxima semana, enquanto os EUA ameaçam impor mais sanções à Turquia se o pastor americano Andrew Brunson detido no país não for libertado.

Já no campo chinês, notícias informam que negociadores dos EUA e da China estão traçando um planejamento para que os diálogos comerciais da próxima semana resultem em uma solução em reuniões entre Donald Trump e Xi Jinping em cúpulas multilaterais em novembro.

Ambas as partes agendaram conversas entre autoridades de médio escalão em Washington na semana que vem. Uma delegação de nove autoridades chinesas liderada pelo vice-ministro de Comércio, Wang Shouwen, terá encontros com oficiais americanos liderados pelo subsecretário do Tesouro, David Malpass, nos dias 22 e 23 de agosto.

Agenda de indicadores
Na agenda, destaque isolado para o IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15) referente ao mês de agosto. A GO Associados projeta alta de 0,15%, levando a inflação no acumulado em 12 meses a 4,32%. Segundo os economistas, a prévia da inflação continuará pressionada em função dos reajustes das tarifas de energia elétrica em uma série de capitais no Brasil.

Sem dia definido, o Ministério do Trabalho deve divulgar os dados do Caged referentes ao mês de julho. A GO Associados estima geração líquida positiva de 65 mil vagas de emprego formal no mês, após um mês de junho decepcionante, em função dos reflexos indiretos da greve.

Entre os dados externos, atenção para a ata da última reunião do Fomc, que será divulgada na quarta-feira (22) e pode trazer novas informações sobre a leitura da economia norte-americana e o processo de normalização
dos juros. Além disso, saem as publicações das sondagens PMI industrial e de serviços e dos dados de vendas de casas na quinta-feira (23) e dos dados de pedidos de bens duráveis na sexta-feira (24).

Para conferir a agenda completa de indicadores, clique aqui.

Contato