Pré-mercado

Ibovespa futuro tem alta moderada após tombo na véspera com falas de Bolsonaro; dólar volta a subir

As declarações do presidente prometem reverberar ainda hoje no mercado

Por  Mitchel Diniz

SÃO PAULO – O Ibovespa futuro abriu a última sessão da semana em alta moderada depois de despencar mais de 2% na véspera, durante as últimas horas de negociações, quando o mercado já estava fechado. O índice reagiu às falas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em live nas redes sociais. Em seu discurso, Bolsonaro criticou a forma como a empresa ajusta preços.

“Petrobras é obrigada a aumentar o preço porque ela tem que seguir a legislação e nós estamos tentando aqui buscar uma maneira de mudar a lei nesse sentido”, afirmou. O presidente também disse que a empresa tem que ter um papel social e não pode dar lucro tão alto. As falas não só derrubaram o Ibovespa futuro como também os recibos de ações da Petrobras negociados no exterior. Os ADRs (American Depositary Receipts) da petrolífera chegaram a cair mais de 4%.

O desempenho só melhorou depois que a Petrobras anunciar remuneração de R$ 31,8 bilhões a acionistas, reportando depois lucro líquido de R$ 31,142 bilhões referente ao terceiro trimestre de 2021, muito acima do esperado (veja abaixo no Radar Corporativo).

As declarações de Bolsonaro prometem reverberar ainda hoje no mercado, enquanto a Bolsa brasileira segue praticamente alheia aos movimentos no exterior e segue repercutindo riscos fiscais internos. A votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios foi adiada mais uma vez e ficará para a semana que vem, disse à agência internacional de notícias Reuters o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR).

Barros atribuiu o adiamento, o segundo esta semana, à falta de quórum causada pela decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de retorno às sessões presenciais na Casa. Vários parlamentares teriam permanecido em seus Estados, apesar da decisão, o que teria dificultado o quórum e as negociações.

O governo busca aprovação no Congresso para a PEC dos Precatórios de forma a abrir espaço fiscal para o pagamento do Auxílio Brasil, programa de transferência de renda que o presidente Jair Bolsonaro deseja instaurar em ano eleitoral no lugar do Bolsa Família, no valor de R$ 400. Mas a votação tem enfrentado resistência e atrasos na Câmara dos Deputados, e gera reação negativa do mercado por conta da perspectiva de driblar a regra do teto de gastos.

Na impossibilidade de seguir com a  votação da PEC, o governo estaria estudando uma forma de estender o auxílio emergencial, notícia que ganhou força ontem e levou o Ibovespa para a menor pontuação de fechamento do ano.

Às 9h08 (horário de Brasília), o Ibovespa futuro com vencimento em dezembro de 2021 subia 0,35% aos 105.985 pontos.

O dólar comercial abriu em alta e sobe 0,4% a R$ 5,647 na compra e R$ 5,648 na venda. O dólar futuro para dezembro de 2021 opera próximo da estabilidade com ligeira alta de 0,04% a R$ 5,642.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2023 sobe 24 pontos-base, a 12,72%; DI para janeiro de 2025 avança 14 pontos-base a 12,76%; e o DI para janeiro de 2027 tinha alta de dois pontos-base, a 12,67%, com os negócios ainda muito no começo.

Em Nova York, os índices futuros apontam abertura em queda para as Bolsas. Alguns balanços trimestrais decepcionaram. O da Amazon foi impactado pela redução das compras on-line e retorno do varejo presencial. O da Apple, sofreu com a falta de semicondutores e problemas na cadeia de suprimentos, que impactaram a produção.

Os resultados também são uma premissa para os investidores realizarem lucros, depois que os índices bateram máximas históricas nas últimas semanas. O Dow Jones futuro opera com ligeira queda de 0,08%; o S&P futuro recua 0,44% e os futuros da Nasdaq recuam 0,83%.

O Produto Interno Bruto (PIB) da Zona do Euro avançou 2,2% no terceiro trimestre em relação ao segundo. A economia da região avançou 3,7% na comparação anual. Em ambas as variações, o desempenho superou a média das expectativas da Refinitiv, de crescimento mensal de 2% e anual de 3,5%.

A inflação da Zona do Euro também ultrapassou expectativas, avançando 4,1% em outubro, ante uma previsão de 3,4% da Refinitiv. A leitura é a mais alta desde 2008. Ontem, o Banco Central Europeu (BCE), mesmo sabendo da escalada da inflação, informou que, por enquanto, não vai mexer nas taxas de juros nem retirar medidas de estímulos.

Além dos dados mistos, as Bolsas europeias repercutem a piora da safra de balanços nos EUA. O índice Stoxx 600, referência por reunir empresas de 17 setores-chave do continente europeu, recua 0,43%.

Na Ásia, as Bolsas acompanharam o desempenho negativo dos índices futuros em Nova York e fecharam em baixa na sua maioria. Em Tóquio, o índice Nikkei subiu 0,25%; o Hang Seng, em Hong Kong, caiu 0,7%; o Kospi, na Coreia, caiu 1,29%.

Radar corporativo

Os principais destaques do noticiário corporativo ficam para a repercussão dos números da Petrobras e Vale, divulgados na véspera, enquanto Usiminas revelou seus resultados na manhã desta data. Confira os destaques do radar corporativo:

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras (PETR3; PETR4) registrou lucro líquido de R$ 31,142 bilhões no terceiro trimestre de 2021, revertendo prejuízo líquido de R$ 1,546 bilhão registrado entre julho e setembro de 2020.

Em relação ao segundo trimestre deste ano, quando a empresa lucrou R$ 42,855 bilhões, houve uma redução 27,3% no ganhos, informou a companhia nesta quinta-feira (28).

A projeção, de acordo com estimativa média dos analistas compilada pela Refinitiv, era de lucro de cerca de R$ 20 bilhões no terceiro trimestre deste ano.

A Petrobras também informou que o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou inconstitucional a incidência do imposto de renda (IRPJ) e da contribuição social (CSLL) sobre os valores correspondentes à taxa Selic aplicada a indébitos tributários.

Nesse contexto, a companhia reconheceu nas demonstrações financeiras do terceiro trimestre de 2021 uma receita de IRPJ e CSLL no montante de R$ 4,8 bilhões.

O Conselho de Administração da estatal aprovou o pagamento de nova antecipação da remuneração aos acionistas relativa ao exercício de 2021, no valor total de R$ 31,8 bilhões (cerca de US$ 6 bilhões).

O valor é equivalente a R$ 2,437865 bruto por ação preferencial e ordinária em circulação.

Essa distribuição se soma aos R$ 31,6 bilhões anunciados em 4 de agosto de 2021, totalizando R$ 63,4 bilhões (cerca de US$ 12 bilhões) em antecipação aos acionistas relativa ao exercício de 2021.

O valor adicional será pago em dezembro, junto com a parcela já aprovada em 4 de agosto de 2021.

O valor a ser pago em dezembro será de R$ 42,4 bilhões, equivalente a R$ 3,250487 bruto por ação preferencial e ordinária em circulação, sendo: R$ 10,6 bilhões, equivalente a R$ 0,812622 bruto por ação preferencial e ordinária em circulação, aprovados em 4 de agosto de 2021 e R$ 31,8 bilhões, equivalente a R$ 2,437865 bruto por ação preferencial e ordinária em circulação, aprovados em 28 de outubro de 2021.

Vale (VALE3)

A mineradora Vale (VALE3) registrou lucro de US$ 3,886 bilhões no terceiro trimestre de 2021, informou a companhia nesta quinta-feira (28).

Esse valor representou uma alta de 33,6% ante o lucro de US$ 2,908 bilhões registrado no mesmo período do ano passado, enquanto houve uma queda de 48% ante o lucro de US$ 7,586 bilhões registrado no segundo trimestre de 2021.

A média dos analistas consultados pela Refinitiv estimava um lucro de US$ 6,293 bilhões no trimestre.

O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado, por sua vez, foi de US$ 6,938 bilhões, ante projeção Refinitiv de US$ 9,187 bilhões.

A Vale distribuiu US$ 13,5 bilhões em dividendos a acionistas nos nove primeiros meses de 2021.

Além disso, a mineradora anunciou a aprovação de novo programa de recompra de ações diante da iminente conclusão do programa vigente, que teve cerca de 268 milhões das 270 milhões de ações recompradas até esta quinta-feira (28).

O novo programa de recompra será limitado a 200 milhões de ações ordinárias e seus respectivos ADRs, correspondentes até 4,1% do número total de ações em circulação, e será executado em um período de até 18 meses.

Usiminas (USIM5)

A Usiminas (USIM5) reportou lucro líquido de R$ 1,824 bilhão no terceiro trimestre de 2021 (3T21). O resultado representa um crescimento de 821% em relação ao mesmo período de 2020.

Nos nove primeiros meses de 2021 (9M21), o lucro líquido atingiu R$ 7,572 bilhões, revertendo prejuízo de R$ 621 milhões em igual etapa do ano passado.

A receita líquida somou R$ 9,026 bilhões no trimestre, alta de 106% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Já no acumulado do ano, a receita totalizou R$ 25,688 bilhões, aumento de 142% na comparação ano a ano.

Suzano (SUZB3)

A Suzano (SUZB3) registrou um prejuízo líquido de R$ 959 milhões no terceiro trimestre de 2021 (3TRI21). Um ano antes a companhia havia registrado prejuízo de R$ 1,15 bilhão.

De acordo com a empresa, o resultado reflete principalmente a variação positiva no resultado operacional e maior crédito de IR/CS, parcialmente compensados pela variação negativa no resultado financeiro.

O Conselho de Administração da Suzano (SUZB3) autorizou a realização de investimentos relacionados ao Projeto Cerrado, no valor de R$ 14,7 bilhões.

O projeto consiste na construção de uma nova planta de produção de celulose no município de Ribas do Rio Pardo (MS).

A Suzano informou que a planta terá capacidade nominal de 2,55 milhões de toneladas de produção de celulose de eucalipto ao ano.

Quer aprender a investir em criptoativos de graça, de forma prática e inteligente? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir

Compartilhe