5 assuntos

ETF brasileiro EWZ cai 3% após falas de Guedes e mais assuntos que vão movimentar o mercado hoje

Confira os 5 assuntos mais relevantes para ficar de olho nesta quinta-feira (21/10/2021)

SÃO PAULO – A sessão desta quinta-feira (21) é de queda para os principais índices mundiais, o que pode agravar o sentimento de aversão ao risco para o mercado brasileiro, que repercute principalmente o noticiário doméstico em meio aos crescentes riscos fiscais.

Na véspera, o Ibovespa Futuro fechou em queda de 1,81%, sinalizando que a sessão desta quinta-feira prometer ser conturbada, acentuando as perdas após o fechamento do mercado à vista durante a fala de Paulo Guedes, ministro da Economia, sobre o Auxílio Brasil anunciado horas antes pelo Ministério da Cidadania.

Durante evento da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Guedes admitiu a necessidade de uma “licença para gastar com essa camada temporária de proteção” R$ 30 bilhões fora da regra do teto. Esta foi a primeira vez que Guedes reconheceu em público que precisará driblar a regra para cumprir o que Bolsonaro determinou.

Nesta manhã, o MSCI Brazil Capped ETF (EWZ), principal ETF (fundos de gestão passiva que acompanham algum índice e são negociados em Bolsa) dos ADRs (na prática, as ações de empresas brasileiras negociadas nos Estados Unidos) brasileiros  caía 3,04% às 7h20 (horário de Brasília) no pré-market da bolsa de Nova York, já indicando uma sessão bastante negativa para a bolsa brasileira.

Confira mais destaques:

1. Bolsas mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros americanos têm em sua maioria quedas nesta quinta-feira (21).

Na quarta, o Dow Jones teve alta de cerca de 150 pontos, atingindo um recorde; o S&P avançou 0,4%; e o Nasdaq teve uma leve queda.

Além disso, das cerca de 70 empresas que informaram seus resultados até o momento, 86% divulgaram dados acima da expectativa do mercado, segundo informações coletadas pela Refinitiv. Os papéis da IBM, no entanto, tiveram queda de mais de 5% após a empresa divulgar dados abaixo da expectativa do mercado para o terceiro trimestre.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os papéis da Tesla tiveram leve queda nas negociações após o fechamento, mesmo depois de a empresa divulgar resultados acima da expectativa do mercado.

Na quarta, a Food and Drug Administration, agência responsável pela autorização de medicamentos nos Estados Unidos, autorizou doses adicionais para as vacinas de Johnson & Johnson e Moderna contra a Covid, no que deve ser um passo essencial para garantir a distribuição de doses extras para dezenas de milhões de pessoas nos Estados Unidos.

Ásia

As bolsas asiáticas tiveram desempenhos variados entre si, com os investidores de olho nos resultados da incorporadora China Evergrande Group, em Hong Kong, que caíram 12,54%. Eles voltaram a ser negociados após uma pausa de mais de duas semanas.

Na quarta, a empresa, que passa por uma crise da dívida, anunciou que não chegou a um acordo para vender 50,1% de sua participação no negócio de serviços voltados propriedades à concorrente Hopson Development Holdings. O Evergrande, que já não vem pagando determinadas dívidas, anunciou que não há garantia de que será capaz de arcar com suas obrigações financeiras.

Contudo, depois do fechamento dos mercados por lá, a Reuters informou que a incorporadora conseguiu a extensão de título inadimplente, em medida que permite uma trégua à gigante imobiliária chinesa após o fracasso do acordo de venda do ativo.

Europa

As bolsas europeias têm leves quedas nesta quinta, influenciados por temores sobre o mercado de propriedades na China. O índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países, recua 0,2%, com destaque negativo para o setor de recursos básicos e positivo para o de bens domésticos.

Entre as empresas que divulgaram dados sobre vendas estão Hermes, L’Oreal, Pernod-Ricard, Vivendi, Daimler, SAP e Unilever. O Barclays divulgou resultados relativos ao terceiro trimestre acima do esperado, após rivais receberem um impulso significativo de sua divisão de investment banking.

Commodities

O minério de ferro tem queda de mais de 8% na Bolsa de Dalian, na China. Commodities industriais, incluindo também o cobre, perdem terreno diante do risco dos altos custos da energia para o crescimento global e obstáculos para a economia chinesa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os preços do petróleo também têm baixa.

Bitcoin

Investidores também acompanham os movimentos da Bitcoin, que recentemente ultrapassou a marca de US$ 66.900, mas que atualmente está em torno de US$ 65 mil.

Veja os principais indicadores às 7h30 (horário de Brasília):

Estados Unidos

Dow Jones Futuro (EUA), -0,29%
*S&P 500 Futuro (EUA), -0,33%
*Nasdaq Futuro (EUA), -0,14%

Europa

*FTSE 100 (Reino Unido), -0,37%
*Dax (Alemanha), -0,05%
*CAC 40 (França), -0,39%
*FTSE MIB (Itália), -0,23%

Ásia

*Nikkei (Japão), -1,87% (fechado)
*Shanghai SE (China), +0,22% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), -0,45% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), -0,19% (fechado)

Commodities e Bitcoin

*Petróleo WTI, -0,53%, a US$ 82,89 o barril
*Petróleo Brent, -1,03%, a US$ 84,94 o barril
*Bitcoin, +3,5% a US$ 66.157,42
*Sobre o minério de ferro: **O minério negociado na bolsa de Dalian teve queda de 8,7%, a 650,5 iuanes, o equivalente a US$ 101,7.
USD/CNY = 6,40

2. Agenda

Europa

7h: Cúpula de líderes da União Europeia
11h: Confiança do consumidor relativa à Zona do Euro
20h01: Confiança do consumidor relativa ao Reino Unido

Brasil

15h: Reunião do Comitê Monetário Nacional (CMN) do Banco Central

Estados Unidos

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

9h30: Pedidos de seguro-desemprego, com projeção Refinitiv de 300 mil pedidos
10h: Discurso de Christopher Waller, membro do Fed
11h: Vendas de moradias usadas
22h: John Williams, do Comitê Federal do Mercado Aberto (Fomc) do Fed realiza um discurso

Japão

20h30: Índice de Preços ao Consumidor relativo a setembro
21h30: Índices do Gerente de Compras (PMI na sigla em inglês) industrial e do setor de serviços referente a outubro

3. Vacinação e relatório da CPI

Na quarta (20), a média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 380, queda de 13% em comparação com o patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia, foram registradas 401 mortes.

As informações são do consórcio de veículos de imprensa que sistematiza dados sobre Covid coletados por secretarias de Saúde no Brasil, que divulgou, às 20h, o avanço da pandemia em 24 h.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 11.933, o que representa queda de 22% em relação ao patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia foram registrados 15.729 casos.

Chegou a 152.450.710 o número de pessoas que receberam a primeira dose da vacina contra a Covid no Brasil, o equivalente a 71,47% da população.

A segunda dose ou a vacina de dose única foi aplicada em 107.407.959 pessoas, ou 50,35% da população. A dose de reforço foi aplicada em 5.317.781 pessoas, ou 2,49% da população.

Na quarta, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou, por meio de atualização de seu site, que está avaliando o uso emergencial da vacina contra a Covid-19 Sputnik V, desenvolvida na Rússia.

Por e-mail, a OMS afirmou à agência internacional de notícias Reuters: “Assim como acontece com outras vacinas candidatas, a OMS segue avaliando as vacinas Sputnik V de diferentes locais de fabricação e publicará as decisões sobre seu status EUL (Lista de Uso de Emergência) quando todos os dados estiverem disponíveis e a revisão for concluída”.

O Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), que promove a Sputnik V no exterior, informou que um grupo de inspetores da OMS deve visitar a Rússia em breve “para reunir todas as inspeções e documentos necessários sobre a Sputnik V”.
Separadamente, Kirill Dmitriev, chefe do RDIF, disse à CNN esperar que a OMS aprove a Sputnik V nos próximos meses, informou a agência de notícias RIA.

A OMS disse em julho que sua análise de como a Rússia produz a vacina Sputnik V encontrou alguns problemas com o envasamento de frascos em uma fábrica. O fabricante disse que desde então resolveu todas as preocupações da OMS.

Também na quarta, o relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), apresentou seu relatório e anunciou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) será alvo de três pedidos de indiciamentos por crimes contra a humanidade, além de diversos outros crimes.

Ao abrir sua leitura em sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado, o relator afirmou que o resultado da CPI demonstra a omissão do governo e a intenção clara de expor a população ao coronavírus para atingir a imunidade de rebanho.

O senador elencou a existência de um gabinete paralelo formado por médicos, políticos e empresários, para assessorar o presidente, o incentivo para que as pessoas negassem medidas como uso de máscara e adotassem o “tratamento precoce” com medicamentos sem eficácia, e a resistência à compra de vacinas como as provas de que o governo, e especificamente Bolsonaro, apostavam na imunidade natural de rebanho.

“Essa estratégia (da imunidade de rebanho) levou o presidente Jair Bolsonaro a resistir obstinadamente à implementação de medidas não farmacológicas, tais como o uso de máscara e o distanciamento social e, sobretudo, a não conferir celeridade na compra de imunizantes, mas, em sentido oposto, a dar ênfase a cura via medicamentos, por meio do chamado ‘tratamento precoce’”, disse Renan.

De acordo com o relator, Bolsonaro usou a máquina pública para incentivar que a população seguisse com sua rotina normal, mesmo tendo informações sobre os riscos.

Renan fez mudanças de última hora em seu relatório depois de um jantar na noite de terça-feira em que os senadores independentes e de oposição se reuniram para aparar arestas.

Renan abriu sua apresentação com as justificativas para as alterações. Segundo o relator, havia dúvidas sobre a caracterização do crime de genocídio de indígenas, daí a opção por incluir mais um crime contra humanidade no texto final.

De acordo com Renan, foi durante a reunião que foi decidido trocar o pedido de indiciamento de Bolsonaro por genocídio de indígenas por crime contra a humanidade para tipificar melhor os crimes.

Os outros pedidos de indiciamento por crimes contra a humanidade dizem respeito aos casos da falta de oxigênio em Manaus e da empresa Prevent Senior, que utilizou um tratamento contra a Covid com medicamentos sem eficácia, que é defendido por Bolsonaro e por apoiadores.

Também foi retirado o pedido de indiciamento por crime de homicídio qualificado contra o presidente devido às argumentações técnicas do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), delegado por mais de duas décadas.

O presidente também é alvo de pedidos de indiciamento pelos seguintes crimes: epidemia, infração de medida sanitária preventiva, charlatanismo, incitação ao crime, falsificação de documento particular, emprego irregular de verbas públicas, prevaricação, violação de direito social, incompatibilidade com dignidade, honra e decoro do cargo e crime de responsabilidade.

O vice-presidente da CPI da Covid do Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou na quarta que os crimes cometidos pelo presidente Jair Bolsonaro na pandemia podem lhe render 78 anos de prisão.

Também foi retirado o indiciamento do pastor evangélico Silas Malafaia, acusado inicialmente de incitação ao crime por divulgar notícias falsas. Renan não explicou o motivo da retirada de Malafaia do relatório.

Reportagem publicada nesta quinta pelo jornal Folha de S. Paulo afirma que o relatório ainda pode passar por mudanças. Uma das questões a serem resolvidas é a crise de Manaus. Segundo o jornal, os senadores do Amazonas julgam ter recebido pouca atenção no documento, que não responsabiliza nenhum agente local.

Senadores do grupo majoritário afirmaram ao jornal que o relatório final deve propor também novos indiciamentos. Dentre eles: o reverendo Amilton Gomes de Paula, presidente da Senah (Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários); o secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégico do Ministério da Saúde, Hélio Angotti Neto; e a servidora Regina Célia Silva de Oliveira, a fiscal de contrato na pasta na compra da vacina indiana Covaxin.

O líder do governo do presidente Jair Bolsonaro no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), chamou o relatório de peça política e afirmou que não há elementos jurídicos para acusar Bolsonaro.

“O Direito não pode ser utilizado como instrumento de política. Nesse sentido, ou se faz um relatório final técnico ou se elabora uma opinião comprometida politicamente. Não há como mesclar as duas coisas, ou seja, aparência de tecnicidade em um relatório ideológico”, disse Bezerra.

Na quarta, Bolsonaro afirmou em evento no interior do Ceará que a CPI não produziu nada a não ser “ódio e rancor”. “Como seria bom se aquela CPI tivesse fazendo algo de produtivo para o nosso país. Tomaram tempo do nosso ministro da Saúde, servidores, pessoas humildes e empresários”, disse o presidente.

Bolsonaro afirmou: “não temos culpa de nada”. E que fez a “coisa certa desde o primeiro momento”. Ele voltou a defender medicamentos ineficazes contra a Covid-19 no tratamento da doença, um dos motivos que levaram Renan a pedir seu indiciamento.

4. Radar político movimentado

Auxílio Brasil

Na véspera, Paulo Guedes, ministro da Economia, participou virtualmente do fórum da Abrainc, em que confirmou que o governo pretende obter uma licença para extrapolar o teto em R$ 30 bilhões. Isso seria realizado “fazendo a sincronização dos ajustes de um lado as despesas obrigatórias, os salários, de outro lado o teto, ou pedindo um waiver com um número limitado, pouco mais de 30 bilhões (de reais)”, disse Guedes.

Ele disse que o programa passará dos 14 milhões de pessoas contempladas pelo Bolsa Família para R$ 17 milhões e terá uma “fase transitória”. Segundo Guedes, o valor de R$ 400 foi definido pelo presidente para compensar a alta nos preços de energia e combustíveis.

O economista da gestora Rio Bravo João Leal afirmou na quarta que o crescimento econômico no ano que vem pode ficar entre zero e 0,5% caso se materialize o rompimento do teto de gastos.

Antes da fala de Guedes, João Roma, ministro da Cidadania, tinha confirmado que o valor do Auxílio Brasil será de, ao menos, R$ 400. A despesa permanente do programa sofreria reajuste de 20% e incorporaria 16,9 milhões de beneficiários, ante 14,6 milhões atualmente. Segundo apurou o Estadão, serão R$ 51,1 bilhões de gastos extras em 2022, sendo R$ 38,7 bilhões em gastos temporários – ainda sem definição de financiamento e se ficarão dentro do teto de gastos – além de mais R$ 12,4 bilhões, que representam o reajuste da parte permanente, e ficarão dentro da regra fiscal. Para 2021, o impacto deve ser de R$ 6,9 bilhões.

Os números ainda são incertos. O relator do Auxílio Brasil, Marcelo Aro, já se manifestou favorável a reajustar a parte permanente em maior proporção, tendo em vista corrigi-la pela inflação. Além disso, pressões ocorrem para que o valor a ser pago supere os R$ 400.

Derrota para Lira

Em uma derrota do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), o plenário da Casa rejeitou na noite da véspera a PEC (proposta de emenda à Constituição) que, entre outros pontos, amplia a influência do Congresso no CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público). O texto foi rejeitado pela falta de 11 votos. Foram 297 a favor e 182 contra —para passar, porém, uma PEC precisava do apoio mínimo de 308 deputados.

No Senado, Rodrigo Pacheco propõe alterar projeto do ICMS dos combustíveis para liberar estados a alterar alíquotas sobre combustíveis; governadores trabalham para derrubar a proposta na casa. Já o relator do IR no Senado, Angelo Coronel (PSD-BA), quer corrigir tabela do IR em 41%, ante 31% da proposta original – a reforma, porém, não deve ser votada neste ano

Reforma trabalhista

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram na quarta-feira anular trechos da reforma trabalhista aprovada no governo Michel Temer que obrigavam trabalhadores derrotados em ações desse ramo do Judiciário fossem obrigados a pagar honorários sucumbenciais, mesmo no caso daqueles que tinham sido beneficiados pela gratuidade da Justiça.

Os honorários de sucumbência são valores em que a parte vencida em um processo é obrigada a bancar os honorários do advogado da parte vencedora da ação. Esses recursos têm previsão legal.

Por outro lado, o Supremo manteve válido o pagamento de custas pelo beneficiário que faltar à audiência inicial sem apresentar justificativa.

Julgamento da chapa de Bolsonaro e Mourão

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) incluiu na pauta da próxima terça-feira, a partir das 19h, o julgamento de duas ações contra a chapa do presidente Jair Bolsonaro e do vice Hamilton Mourão por disparo massivo de mensagens via WhatsApp nas eleições de 2018 e uso fraudulento de documentos de idosos para realizar essas iniciativas.

As ações tinham sido liberadas para julgamento na sexta-feira passada pelo corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Luís Felipe Salomão.

Ele deixa o posto dia 29 de outubro e será substituído pelo ministro Mauro Campbell.

Os processos foram movidos pela chapa derrotada nas eleições de 2018 encabeçada pelo PT e, em caso de condenação, podem levar à cassação da chapa Bolsonaro-Mourão, o que poderia levar à perda dos mandatos e tornar os dois inelegíveis na disputa eleitoral do próximo ano.

Política climática

O Senado aprovou na quarta-feira projeto que altera a Política Nacional sobre Mudança do Clima para antecipar a meta de redução de emissão de gases de efeito estufa e fim do desmatamento.

O texto aprovado, que ainda precisa passar pela Câmara dos Deputados, estabelece o compromisso nacional voluntário de reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) em 43% até 2025, tendo como referência o ano de 2005, e em 50% até 2030.

A meta originalmente prevista na Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC, na sigla em inglês) apresentada pelo Brasil à Convenção do Clima em dezembro de 2020 estabelecia a redução das emissões em 43% até 2030.

5. Radar corporativo

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras (PETR3,PETR4) registrou uma produção média no terceiro trimestre deste ano de 2,83 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d) de petróleo, gás natural e líquido de gás natural (LGN).

Segundo a companhia, esse foi um incremento de 1,2% frente ao segundo trimestre deste ano, mas retração de 4,1% na comparação anual. No acumulado dos nove primeiros meses deste ano, a produção recua 3,1%.

A Petrobras destacou que o aumento da produção entre julho e setembro ocorreu devido, principalmente, à entrada em operação do FPSO Carioca (campo de Sépia) no pré-sal da Bacia de Santos e à maior média de produção do trimestre do FPSO P-70 (campo de Atapu), após alcançar a sua capacidade de produção no início de julho.

Os analistas do Credit Suisse apontaram que as vendas totais permaneceram em níveis muito fortes, enquanto a produção de petróleo aumentou ligeiramente na base sequencial, o que já era conhecido a partir de dados públicos disponíveis pela ANP. O principal destaque foi a redução dos estoques, o que deve impulsionar os resultados do terceiro trimestre. Outro destaque foi a queda nas exportações líquidas, principalmente devido aos volumes de exportação sequencialmente menores, mas também devido a maiores importações. Parte da queda das exportações líquidas pode ser explicada pela maior taxa de utilização das refinarias em cerca de 84%, ante 74% no segundo trimestre.

JHSF (JHSF3)

A JHSF informa que as vendas líquidas contratadas de incorporação registraram queda de 18,8% no terceiro trimestre de 2021 ante o mesmo período do ano passado. Na comparação, as vendas reduziram de R$ 411,1 milhões para R$ 333,7 milhões.

No acumulado de janeiro a setembro deste ano, o resultado teve um crescimento de 46,2%, ante os primeiros nove meses de 2020, passando de R$ 850,5 milhões para R$ 1,243 bilhão, segundo a prévia operacional divulgada pela incorporadora.

As vendas consolidadas dos shoppings da Companhia apresentaram crescimento de 74,1% comparado ao mesmo período de 2020. Em relação aos mesmos meses de 2019, quando não havia restrições de funcionamento e capacidade, a alta foi de 45,1%.

No comunicado, a companhia informa que os shoppings voltados ao público de alta renda foram destaque no trimestre. Na comparação com o terceiro trimestre de 2020, as vendas do Shopping Cidade Jardim cresceram 75,6%, enquanto o Catarina Fashion Outlet teve alta de 93,2%. Em relação ao terceiro trimestre de 2019, o crescimento foi, respectivamente, de 70,3% e 47,9%.

Gafisa (GFSA3)

A Gafisa (GFSA3) registrou vendas brutas de R$ 159 milhões no no terceiro trimestre de 2021, aumento de 11% na comparação anual.

Os lançamentos da construtora somaram R$ 692 milhões no terceiro trimestre de 2021, atingindo R$ 1 bilhão de lançamento em 2021.

BRF (BRFS3) e Marfrig (MRFG3)

Depois de apresentar um despacho no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) pedindo a reabertura da análise da compra de ações da BRF (BRFS3) pela Marfrig (MRFG3), a conselheira Lenisa Prado mudou de posição e desistiu da reavaliação. Os demais conselheiros acompanharam Lenisa e, com isso, ficou mantida a aprovação do negócio, que havia sido dada pela Superintendência-Geral do Cade no fim de setembro.

Na semana passada, a conselheira apresentou um despacho pedindo que a operação fosse analisada pelo tribunal do Cade. Pelas regras do Cade, a Superintendência-Geral – área responsável por investigações e instruções de processos – pode aprovar operações que entenda não oferecer riscos à concorrência.

Em maio, a Marfrig anunciou a compra de 24,23% das ações da BRF. Logo em seguida, em 3 de junho, elevou sua participação para 31,66% do capital social da empresa.

De acordo com a Marfrig, o objetivo é se tornar um investidor passivo na BRF.

Porto Seguro (PSSA3)

A Porto Seguro (PSSA3) aprovou o aumento de capital da companhia, no valor de R$ 4 bilhões, por meio da capitalização de reservas de lucros, com a bonificação de ações aos acionistas.

Com o aumento, o capital social da companhia passou a ser de R$ 8,5 bilhões, dividido em 646.586.060 ações ordinárias.

Braskem (BRKM5)

A Braskem (BRKM5) informou que sua controlada Braskem Idesa obteve os votos necessários para a aprovação dos contratos de fornecimento de etano com a Pemex.

Além disso, a Braskem Idesa concluiu a substituição do saldo de US$ 1,35 bilhão do plano de refinanciamento de dívidas por uma nova dívida com prazo de 9 anos.

A nova estrutura de capital da Braskem Idesa inclui a emissão de títulos de dívida com compromisso e juros atrelados a metas de redução das emissões de carbono

BMG (BMGB4)

O Banco BMG comunicou que sua subsidiária CBFácil Corretora de Seguros firmou instrumento contratual com a intenção de adquirir participação na O2OBOTS Inteligência Artificial.

A O2OBOTS é uma fintech com atuação no desenvolvimento, licenciamento e manutenção de software especializado em inteligência artificial para venda de produtos financeiros e de seguros.

CCR (CCRO3)

A CCR (CCRO3) informou que sua controlada Concessionária do Bloco Sul assinou contrato de concessão de nove aeroportos na região Sul do País.

Os aeroportos são os de Curitiba (em São José dos Pinhais-PR), Foz do Iguaçu (PR), Londrina (PR), Bacacheri (PR), Navegantes (SC), Joinville (SC), Pelotas (RS), Uruguaiana (RS) e Bagé (RS).

Intelbras (INTB3)

A Intelbras (INTB3) informou que os acionistas controladores da companhia, Família Freitas, comprometeram-se a vender para a Dahua o total de 4.600.001 ações ordinárias de emissão da companhia, correspondentes a 1,4% de seu capital social.

Após o fechamento da operação, os acionistas controladores passarão a ter, em conjunto, 209.928.391 ações de emissão da companhia, representativas de 64,1% do seu capital social. Já a Dahua passará a ter 32.761.111 ações de emissão da companhia, representativas de 10,0% do seu capital social.

Curso inédito “Os 7 Segredos da Prosperidade” reúne ensinamentos de qualidade de vida e saúde financeira. Faça sua pré-inscrição gratuita.