Embraer (EMBR3) entrega 47 jatos no 2º tri, Globo atinge fatia de 19,24% na Eletromidia (ELMD3) e mais notícias

Confira os principais destaques do noticiário corporativo desta sexta-feira (4)

Felipe Moreira

Publicidade

O radar corporativo desta sexta-feira (4) traz a Embraer (EMBR3), que entregou 47 jatos no segundo trimestre de 2023, sendo 17 comerciais e 30 executivos (19 jatos leves e 11 jatos médios).

A Sinqia (SQIA3) e Saraiva (SLED4) anunciaram alterações acionárias relevante na noite da última quinta-feira (3). Já a Globo Comunicação e Participações atingiu a participação de aproximadamente 19,24% do capital social total da Eletromidia (ELMD3), mediante aquisição, em operação privada, de 12.000.000 ações de emissão da companhia.

A Fertilizantes Heringer (FHER4) divulgará seus resultados do segundo trimestre após o fechamento do mercado.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

No radar de balanços, a Petrobras (PETR4) teve lucro líquido de R$ 28,782 bilhões no segundo trimestre, baixa anual de 47%.Além disso, anunciou R$ 15 bilhões em dividendos e recompra de ações.

O Bradesco (BBDC4) lucrou R$ 4,5 bilhões no 2º trimestre, queda anual de 35,8%.

A Lojas Renner (LREN3) teve lucro de R$ 229,7 mi no 2º trimestre, queda de 36,3% no ano.

Continua depois da publicidade

Já o lucro do Fleury (FLRY3)avançou 5,6% no 2º trimestre, no 1º balanço pós-Pardini.

A Tegma (TGMA3), por sua vez, lucrou 30,3% a mais no 2º trimestre.

A CCR (CCRO3) teve lucro líquido ajustado de R$ 203,3 milhões, queda de 30,2% no ano.

A Alpargatas (ALPA4) reverte lucro e tem prejuízo de R$ 53,1 milhões, com menores vendas e mais despesas.

A Armac (ARML3) lucra R$ 43,4 milhões no segundo trimestre, alta anual de 40,9%.

Confira mais destaques:

Embraer (EMBR3)

A Embraer (EMBR3) entregou 47 jatos no segundo trimestre de 2023, sendo 17 comerciais e 30 executivos (19 jatos leves e 11 jatos médios). No ano, a empresa acumula um total de 62 aeronaves entregues (24 comerciais e 38 executivas). O volume total de entregas cresceu 47% na comparação com o segundo trimestre de 2022 e 35% na comparação com o primeiro semestre do ano passado, quando foram entregues 46 jatos. Na Aviação Comercial, a alta foi de 55% e na Aviação Executiva, de 43%.

A carteira de pedidos firmes (backlog) encerrou o período em US$ 17,3 bilhões.

Eletromidia (ELMD3)

A Globo Comunicação e Participações atingiu a participação de aproximadamente 19,24% do capital social total da Eletromidia (ELMD3), mediante aquisição, em operação privada, de 12 milhões de ações de emissão da companhia, todas ordinárias, nominativas, escriturais e sem valor nominal.

Em razão da compra, a Globo passou a ser titular de um total de 26.938.700 ações ordinárias, todas nominativas e sem valor nominal de emissão da empresa de mídia.

A aquisição decorre da estratégia de investimento da Globo, no contexto da operação divulgada em 6 de março de 2023, envolvendo a aquisição de ações de titularidade do Vesuvius LBO – Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia Investimento no Exterior (Vesuvius FIP) e de Alexandre Guerrero Martins, cujo fechamento ocorreu nesta data.

A Eletromidia informou ainda a celebração de um acordo de acionistas da companhia entre o Vesuvius FIP e a Globo. Em cumprimento ao disposto no Acordo de Acionistas, foi realizada reunião do Conselho de Administração para eleição de Manuel Luis Roquete Campelo Belmar da Costa em substituição a Eduardo Azevedo Marques de Alvarenga e criação do Comitê de Estratégia e a eleição de seus membros.

Sinqia (SQIA3)

A Vinland Capital Management Gestora de Recursos informou que os fundos por ele geridos passaram a deter 5.043.700 ações ordinárias de emissão da Sinqia, representando 5,74% do capital social da companhia.

Saraiva (SLED4)

A Saraiva informou que a acionista Alyssa Nunes Bruscato Costa reduziu em 5% sua participação nas ações da Saraiva Livreiros S.A., passando a deter 68.000 ações ordinárias, equivalente à participação de 10,1% do total das ações ordinárias da companhia.

Petrobras (PETR4)

A Petrobras (PETR4;PETR4) lucrou R$ 28,782 bilhões de forma líquida no segundo trimestre de 2023%, acima do consenso da Refinitiv, que previa um lucro de R$ 27,3 bilhões. Na comparação trimestral houve queda de 24,6% e na anual, de 47%, já esperada por conta do recuo do petróleo frente aos dois períodos de comparação.

A receita líquida da petroleira estatal ficou em R$ 113,840 bilhões, ante R$ 170,960 bilhões de um ano antes e de R$ 139,068 bilhões do trimestre imediatamente anterior. A queda na base anual foi de 33,4%.

A estatal ainda anunciou a distribuição de remuneração aos acionistas no valor de R$ 1,149304 por ação ordinária e preferencial, como antecipação da remuneração aos acionistas relativa ao exercício de 2023, declarado com base no balanço de 30 de junho de 2023 (intercalares).

Além disso, aprovou um programa de recompra de até 157,8 milhões de ações pelo prazo de 12 meses. O volume representa 3,5% das ações em circulação (free float) da estatal.

Bradesco (BBDC4)

O Bradesco (BBDC4) registrou lucro recorrente de R$ 4,5 bilhões no segundo trimestre de 2023 (1T23), uma queda de 35,8% na comparação anual.

O número, contudo, veio acima do esperado, já que o consenso Refinitiv previa lucro líquido de R$ 3,596 bilhões no período.

Renner (LREN3)

A Lojas Renner (LREN3) lucrou R$ 229,7 milhões de forma líquida, queda de 36,3% na base anual. De acordo com a companhia, o pior resultado é explicado por um recuo do varejo e do seu braço de serviços financeiros, ambos impactados pelo atual cenário macroeconômico.

A receita líquida da Lojas Renner caiu 6% na base anual, para R$ 2,98 bilhões.

AES Brasil (AESB3)

A AES Brasil (AESB3) registrou aumento de 286% no lucro líquido no segundo trimestre de 2023 em relação a igual período do ano passado, saindo de R$ 9,3 milhões para R$ 35,9 milhões.

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) foi de R$ 347,5 milhões, alta anual de 45,2%. Isso levou a uma elevação da margem Ebitda ajustada de 6,9 p.p. (pontos percentuais), para 45,5%.

Alpargatas (ALPA4)

A Alpargatas (ALPA4) registrou prejuízo líquido consolidado de R$ 53,1 milhões no segundo trimestre de 2023, revertendo lucro de R$ 48,2 milhões de um ano antes.

O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) foi negativo em R$ 8,3 milhões no 2T23 ante resultado positivo de R$ 177,8 milhões no 2T22. Isso levou a uma queda da margem Ebitda de 17,6 p.p. (pontos percentuais), para -0,9%.

Armac (ARML3)

A Armac (ARML3) reportou lucro líquido de R$ 43,4 milhões no segundo trimestre de 2023 (2T23), montante 40,9% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2022.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 150,7 milhões no 2T23, um crescimento de 46,7% em relação ao 2T22.

BR Properties (BRPR3)

A BR Properties (BRPR3) reportou prejuízo líquido de R$ 2,4 milhões no segundo trimestre de 2023 (2T23), montante 99,8% inferior ao reportado no mesmo intervalo de 2022, informou a companhia nesta quinta-feira (3).

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado foi negativo em R$ 7,4 milhões no 2T23, ante resultado positivo de R$ 63,4 milhões no 2T22.

CCR (CCRO3)

A CCR (CCRO3) divulgou seus resultados financeiros para o segundo trimestre de 2023, registrando um lucro líquido ajustado de R$ 203,3 milhões. Este valor representa uma queda de 10% em relação ao mesmo período do ano anterior, excluindo-se o efeito da receita de remuneração de ativo financeiro para os períodos comparados.

A receita líquida da empresa para foi de R$ 3,2 bilhões, um aumento de 6,6% no ano. No entanto, quando ajustada, a receita líquida apresentou um crescimento mais modesto, de 0,4%, uma vez que ouve uma efeito não recorrente de equilíbrio contratual com a Aeris. O Ebitda ajustado, por outro lado, apresentou uma queda de 2,2%, com uma margem de 56,7%.

Grupo Fleury (FLRY3)

No primeiro balanço em que passa a incorporar os números do Hermes Pardini, o Grupo Fleury (FLRY3) reportou lucro líquido 5,6% maior no segundo trimestre deste ano em relação a igual período de 2022, chegando a R$ 74,4 milhões. A receita líquida chegou a R$ 1,7 bilhão, um incremento de 49,3% no mesmo comparativo. Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, em inglês) somou R$ 363,6 milhões, com alta de 22%.

O crescimento da última linha do balanço poderia ter sido ainda maior, caso a companhia não tivesse optado por contabilizar R$ 65,5 milhões referentes a todas as despesas da combinação de negócios já neste balanço. Nesse cenário, o lucro teria crescido 66,9%, para R$ 117,7 milhões.

Tegma (TGMA3)

A Tegma (TGMA3) registrou aumento de 30,3% no lucro líquido no segundo trimestre de 2023 em relação a igual período do ano passado, saindo de R$ 30,6 milhões para R$ 39,9 milhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado foi de R$ 58 milhões, alta anual de 18%. A margem Ebitda ajustada caiu de 0,3 p.p. (pontos percentuais) na comparação anual, para 15,8%.

Cemig (CMIG4

A Cemig (CMIG4) reportou lucro líquido de R$ 1,245 bilhão no segundo trimestre deste ano, alta de 2.396,96% (ou 24,96 vezes) em relação ao mesmo período de 2022, quando a empresa havia reportado lucro de R$ 49,876 milhões. No acumulado de 2023 até junho, o lucro líquido avançou 75,60%, totalizando R$ 2,643 bilhões.