Criptos hoje

Bitcoin tenta voltar a US$ 21 mil, Ethereum sobe e XRP dispara 14% com expectativa por decisão judicial

Apesar do salto de hoje, analistas permanecem majoritariamente pessimistas com o preço das criptomoedas no curto prazo

Por  Paulo Alves, CoinDesk -

Apesar do pessimismo que persiste entre analistas de criptomoedas, o Bitcoin (BTC) opera próximo da estabilidade na manhã desta sexta-feira (24), a US$ 20.839, levando seu resultado semanal a um patamar positivo de 2,1%. O desempenho das altcoins, no entanto, supera em muito o do BTC hoje, com Ethereum (ETH), Binance Coin (BNB) e Cardano (ADA) subindo 3,5%, 3,7% e 4,2%, respectivamente.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Já a XRP (XRP) dispara 14,3% em meio à expectativa de um avanço positivo na batalha judicial entre a criadora Ripple e a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC). Segundo Eleanor Terret, da Fox Business, o tribunal americano que julga o caso de possível oferta de valor mobiliário não registrado pela empresa de criptoativos pode emitir, até o final do dia, uma decisão chave para o andamento da ação.

O movimento das altcoins também vem na esteira de notícias positivas na indústria. A Solana Labs, principal nome por trás da blockchain Solana (SOL), anunciou o desenvolvimento de um “smartphone Web3” chamado Saga. Já a Polygon (MATIC) anunciou que alcançou neutralidade de emissões de carbono e a THORChain (RUNE) lançou sua aguardada blockchain que permite converter Bitcoin, Ethereum e outros ativos sem a necessidade de smart contracts, que trazem um risco adicional para esse tipo de operação.

Além disso, o CEO da Binance, Changpeng “CZ” Zhao, afirmou em um comunicado que a exchange segue comprometida em ajudar projetos de criptomoedas com neste momento de baixa do mercado. “Na posição de um dos maiores players do setor com reservas de caixa saudáveis, temos o dever de proteger os usuários”, escreveu Zhao. “Também temos a responsabilidade de ajudar os players da indústria a sobreviver e, esperamos, prosperar”.

No Brasil, a Binance continua não oferecendo saques de reais via Pix, obrigando usuários a vender criptos via P2P (negociação com terceiros pela plataforma), liquidar para um cartão Visa, ou transferir seus ativos digitais para outras exchanges que oferecem acesso ao sistema de pagamentos do Banco Central.

Por outro lado, algumas empresas de criptomoedas continuam tendo problemas de liquidez em meio à queda de preços. A exchange CoinFLEX, que não opera no Brasil, pausou os saques sob a justificativa de “condições extremas de mercado”, o mesmo mencionado pela Celsius, plataforma de empréstimo que suspendeu resgates há mais de duas semanas. Segundo a CoinFLEX, a crise estaria relacionada a uma dívida não paga por uma contraparte, em caso que lembra a situação crítica do hedge fund Three Arrows Capital.

Já na quarta-feira (22), a corretora americana Voyager Digital reduziu seu limite diário de retirada de US$ 25 mil para US$ 10 mil após revelar exposição à Three Arrows Capital. As ações da Voyager caíram mais de 60% na quarta-feira ao afirmar ser a credora de US$ 720 milhões da Three Arrows Capital.

Enquanto isso, a agência de classificação Moody’s rebaixou os papeis de dívida emitidos pela Coinbase e apontou que os títulos ainda estão em revisão e podem ser rebaixados mais uma vez.

  • Assista: Por que o fundo Three Arrows Capital ameaça o Bitcoin e tira o sono de investidores?

Com isso, analistas permanecem majoritariamente pessimistas com o preço das criptomoedas no curto prazo, apesar do salto de hoje. “O Bitcoin continua sendo um ativo arriscado e provavelmente não será negociado com fundamentos de criptomoedas até que um fundo seja firmado em concordância com as ações dos EUA”, avalia o analista sênior da Oanda Americas.

“O Bitcoin continuará tendo negociações voláteis e a correlação com as ações parece que durará um bom tempo”, pontua.

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 7h11:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC)US$ 20.839,22+0,6%
Ethereum (ETH)US$ 1.148,42+3,5%
Binance Coin (BNB)US$ 232,12+3,7%
XRP (XRP)US$ 0,375524+14,3%
Cardano (ADA)US$ 0,493058+4,2%

As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Tenset (10SET)US$ 3,80+19,9%
Axie Infinity (AXS)US$ 17,03+17,3%
Polygon (MATIC)US$ 0,588395+16,5%
XRP (XRP)US$ 0,375524+14,3%
Basic Attention Token (BAT)UUS$ 0,431683+11,6%

As criptomoedas com as maiores quedas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Flex Coin (FLEX)US$ 4,30-3,5%
Aave (AAVE)US$ 65,91-3,3%
Leo Token (LEO)US$ 5,79-2,5%
Synthetix (SNX)US$ 2,97-2,2%
FTX Token (FTT)US$ 25,63-1,2%

Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

ETFPreçoVariação
Hashdex NCI (HASH11)R$ 18,51+7,3%
Hashdex BTCN (BITH11)R$ 26,10+5,96%
Hashdex Ethereum (ETHE11)R$ 17,49+6,97%
Hashdex DeFi (DEFI11)R$ 18,63+10,43%
Hashdex Smart Contract Plataform FI (WEB311)R$ 19,19+7,2%
QR Bitcoin (QBTC11)R$ 6,98+5,75%
QR Ether (QETH11)R$ 4,16+4%
QR DeFi (QDFI11)R$ 3,45+2,06%

Veja as principais notícias do mercado cripto desta sexta-feira (24):

Hackers invadem smart contract do projeto Harmony e roubam US$ 100 milhões

Um contrato inteligente da rede Harmony (ONE) sofreu um ataque hacker responsável pelo desvio de US$ 100 milhões em criptomoedas na noite de ontem.

“A equipe do Harmony identificou um roubo ocorrido esta manhã na ponte Horizon, no valor aproximado de US$ 100 milhões”, disseram os desenvolvedores via Twitter. “Começamos a trabalhar com autoridades nacionais e especialistas forenses para identificar o culpado e recuperar o dinheiro roubado”.

A ponte Horizon permite que usuários convertam ativos, como tokens, stablecoins e NFTs, entre as redes Ethereum, BNB Chain e Harmony.

Ainda segundo a Harmony, a exploração não afetou a ponte de Bitcoin nem os ativos armazenados em cofres descentralizados.

Coinbase lança derivativos para o varejo nos EUA

A Coinbase Derivatives Exchange, braço de derivativos da Coinbase nos Estados Unidos, anunciou o lançamento do seu primeiro produto do tipo focado em traders de varejo.

A bolsa de futuros, que é regulamentada pela CFTC, lançará o derivativo Nano Bitcoin Futures (BIT) na próxima segunda-feira (27).

“O mercado de derivativos de criptomoedas representa US$ 3 trilhões em volume em todo o mundo e acreditamos que o desenvolvimento e a acessibilidade adicionais de produtos permitirão um crescimento significativo”, afirmou o comunicado.

A Coinbase afirmou também que aguarda aprovação regulatória de uma licença para oferecer contratos de futuros com margem para seus clientes.

Investidores institucionais seguem com interesse em criptomoedas, afirma OSL

A OSL, empresa de Hong Kong especializada em mercado de balcão de criptoativos para clientes institucionais, afirmou que usuários corporativos permanecem interessados nas criptos, apesar da recente queda de preços.

Segundo a companhia, seu volume de negociações em 2022 está a caminho de estabelecer um recorde. “Nossos volumes de plataforma global são maiores do que nossos volumes médios de 2021 – e 2021 foi nosso maior ano”, disse Fernando Martínez, chefe da OSL nas Américas, em entrevista ao CoinDesk.

Segundo Martínez, as crises enfrentadas por algumas plataformas não afastam esse perfil de cliente do mercado como um todo. Embora estejam com medo de risco de contrapartes, afirma o executivo, os institucionais acabam buscando exchanges nas quais eles confiam mais.

“Das instituições de finanças tradicionais que já entraram no mercado, já estamos vendo elas se mexerem”, disse.

Binance realiza treinamento para a Polícia Federal

Em meio à suspensão dos saques em reais, a Binance realiza na próxima semana, em Brasília, um workshop sobre blockchain e criptoativos para investigadores da Polícia Federal e funcionários de outros órgãos convidados.

O treinamento contará com membros do departamento de investigações da exchange, que contam no currículo com passagens pela IRS (a Receita Federal dos EUA) e Europol Cybercrime Centre (EC3).

Segundo a empresa, o objetivo é abordar conceitos de blockchain e criptoativos, políticas anti-lavagem de dinheiro e demais processos de combate a crimes cibernéticos e financeiros.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe