Criptos hoje

Bitcoin recupera nível chave com investidores de olho em possível liquidação em massa por mineradores

A Riot Blockchain, uma das maiores mineradoras de Bitcoin de capital aberto, anunciou que já se desfez da metade dos 466 bitcoins minerados em maio

Por  Paulo Alves, CoinDesk -

Após mergulhar para próximo dos US$ 29 mil ontem, o Bitcoin (BTC) respira na manhã desta sexta-feira (3) e retoma o patamar de US$ 30 mil, considerado um importante nível para que a criptomoeda mantenha chances de recuperação mais forte no curto prazo. Às 7h20, a moeda digital era negociada a US$ 30.185, em alta de 0,7% nas últimas 24 horas.

Enquanto isso, boa parte das altcoins segue em compasso de espera, com Ethereum (ETH) e demais criptos do top 10 por valor de mercado operando em queda de 1,6%. As exceções aparecem em projetos de menor expressão, como o Internet Computer (ICP), que avança 8,1%, e o BitDAO, que desaba 18,7% em relação ao mesmo horário ontem, interrompendo uma sequência importante de ganhos.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Apesar de ter evitado uma queda mais aguda, o Bitcoin ainda vem deixando investidores receosos dado o cenário global desafiador. O sentimento de mercado permanece pessimista, com o Índice do Medo e Ganância do Bitcoin voltando a tocar no nível 10, indicando “medo extremo”.

“O Bitcoin terá seu ritmo de volta assim que o sentimento em Wall Street melhorar, mas isso provavelmente levará várias semanas”, afirma o analista sênior de mercados da Oanda, Edward Moya.

Para o especialista da Oanda, “apetite ao risco” dos investidores dependerá das “expectativas” em torno do que o banco central dos Estados Unidos “fará depois do verão”.

“O Bitcoin está formando uma base de sustentação, mas a maioria dos traders ainda está se recuperando das feridas”, escreveu ele. “Para que uma nova onda de compras técnicas sejam acionadas, o Bitcoin precisa recapturar o nível de US$ 33.500”, aponta.

O momento ruim afeta diretamente as operações de exchanges de criptomoedas no mundo. Não foram somente Bitso e Mercado Bitcoin: as americanas Coinbase e Gemini também demitiram funcionários nos últimos dias.

L.J. Brock, da Coinbase, disse em comunicado que a empresa “prolongará a pausa de contratação para funções novas e de cobertura no futuro próximo e cancelará várias vagas preenchidas”. Segundo ele, os cortes ocorrem “em resposta às condições atuais do mercado e aos esforços contínuos de priorização de negócios”.

Já os gêmeos bilionários Cameron e Tyler Winklevoss, fundadores da Gemini, afirmaram em nota que a indústria cripto está atualmente em uma “fase de contração que está se estabelecendo em um período de inatividade”, também conhecido como “inverno cripto”.

Investidores também estão atentos para os movimentos dos mineradores de Bitcoin, que detém muitas moedas e começaram a se desfazer de reservas para cobrir custos de operação.

A Riot Blockchain, uma das maiores mineradoras de Bitcoin de capital aberto, anunciou que já se desfez da metade dos 466 bitcoins minerados em maio. O preço implícito de cada unidade produzida é de aproximadamente US$ 30 mil, muito próximo do patamar atual.

A crise instalada em empresas de mineração já impacta na força computacional da rede, com uma queda brusca de hashrate (medida de poder computacional do Bitcoin) ontem para um nível quase 35% menor que o topo histórico.

“Isso se deve principalmente à dificuldade que mineradores estão tendo para obter lucratividade em suas operações e estão desligando seus equipamentos”, explica Bernardo Schucman, vice-presidente sênior da divisão de moedas digitais da mineradora americana CleanSpark.

“Isso demonstra que mineradores planejaram maus seus modelos financeiros e não conseguiram manter-se lucrativos no bear market. Para mineradores experientes que se anteciparam ao bear market e buscaram métricas mais agressivas, o momento é bom uma vez que a dificuldade para mineração vai seguir caindo ou estável a curto prazo”, explica.

Embora o desligamento de equipamentos resulte em menor segurança da rede, Schucman lembra que a força computacional da blockchain do Bitcoin ainda garante altíssima segurança ao protocolo.

  • Assista no Cripto+: O que acontece quando uma cripto morre? E projeção para o Bitcoin

 

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 7h20:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC)US$ 30.185,94+0,7%
Ethereum (ETH)US$ 1.790,76-1,6%
Binance Coin (BNB)US$ 302,24-0,4%
Cardano (ADA)US$ 0,570822-0,9%
XRP (XRP)US$ 0UUSUS$ 0,398599+0,3%

As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Internet Computer (ICP)US$ 8,40+8,1%
Bitcoin SV (BSV)US$ 54,84+5,2%
Waves (WAVES)US$ 10,19+4,9%
Iota (MIOTA)US$ 0,356769+4,8%
Stellar (XLM)US$ 0,145235+3,6%

As criptomoedas com as maiores quedas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
BitDAO (BIT)US$ 0,540033-18,7%
Kava (KAVA)US$ 2,50-6,5%
Maker (MKR)US$ 1.144,41-6%
Chain (XCN)US$ 0,169220-5,3%
Kusama (KSM)US$ 69,41-4,3%

Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

ETFPreçoVariação
Hashdex NCI (HASH11)R$ 24,75-0,6%
Hashdex BTCN (BITH11)R$ 34,29-1,21%
Hashdex Ethereum (ETHE11)R$ 25,56-0,54%
Hashdex DeFi (DEFI11)R$ 20,75-8,02%
Hashdex Smart Contract Plataform FI (WEB311)R$ 23,30+2,23%
QR Bitcoin (QBTC11)R$ 9,12-0,43%
QR Ether (QETH11)R$ 6,27-1,72%
QR DeFi (QDFI11)R$ 3,94-2,23%

Veja as principais notícias do mercado cripto desta sexta-feira (3):

Japão aprova lei inédita de stablecoins

O parlamento do Japão aprovou nesta sexta-feira uma estrutura legal para stablecoins, fornecendo uma rede de segurança para investidores após o colapso do TerraUSD (UST) no mês passado.

O Japão é uma das primeiras grandes economias a aprovar uma lei específica para stablecoins, mesmo que a legislação entre em vigor em um ano, observou a Bloomberg.

O projeto de lei fornece clareza sobre a definição de stablecoins, que agora serão consideradas como dinheiro digital e devem estar vinculadas ao iene ou outra moeda legal, garantindo aos detentores o direito de resgatá-las pelo valor de face.

Nova York quer suspender funcionamento de mineradoras de Bitcoin

O Senado do Estado de Nova York aprovou um projeto de lei que visa resolver algumas das preocupações ambientais vistas em torno da mineração de prova de trabalho, a mesma utilizada pelo Bitcoin.

O projeto de lei, aprovado pela Assembleia estadual no mês passado, busca impor uma suspensão de dois anos a quaisquer novos projetos de mineração movidos a combustível fóssil.

As empresas de mineração existentes ou as que estejam atualmente passando pelo processo de renovação de licenças, no entanto, terão permissão para continuar as operações.

Fuga de investidores causa crise de liquidez em token de Ethereum da Lido

O token Staked Ether (stETH), um token do protocolo Lido que deveria ser negociado a um preço próximo ao do Ethereum (ETH), vem sendo negociado por um preço de 2% a 3% abaixo ao do ETH desde o colapso da rede Terra (LUNA).

O desconto é resultado de um “frenesi de iliquidez” que a implosão da UST desencadeou em um ambiente macro já desafiador, quando os entusiastas da Terra perceberam que estavam superexpostos e começaram a vender outras moedas por pânico, disse o analista da Fundstrat Walter Teng ao CoinDesk.

“Neste ponto, não há dinheiro novo entrando em criptomoedas”, disse Teng.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe