Criptos hoje

Bitcoin perde os US$ 20 mil e analistas veem novas mínimas pela frente; Ethereum e Solana recuam 10%

Um dos pontos de preocupação é a saúde financeira de empresas de mineração que investiram pesado na compra de equipamentos no ano passado

Por  Paulo Alves -

Enfraquecidas diante do cenário macroeconômico e do crescente risco sistêmico no setor, as criptomoedas registram mais um de queda nesta quinta-feira (30) puxadas pelo Bitcoin (BTC), que segue ameaçando cair abaixo da mínima ao redor de US$ 17.600 registrada em 18 de junho. Às 7h05 de hoje, a criptomoeda era negociada em baixa de 4,7%, a US$ 19.114. Altcoins vão ainda pior e caem até 33%, caso da TerraClassicUSD (USTC). Já Ethereum (ETH) e Solana (SOL) cedem perto de 10% nas primeiras horas da manhã, em relação ao dia anterior.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

O sentimento entre investidores continua pessimista, com o Índice de Medo e Ganância do Bitcoin atingindo 11 (“medo extremo”). Entre analistas, a impressão é de que bastará uma nova má notícia suficientemente preocupante para que os mercados desabem de vez, e o BTC recue para patamares de novembro de 2020 – ou, para falar em ciclos de alta do Bitcoin, para preços de novembro de 2017, antes do então recorde próximo de US$ 20 mil.

No radar dos investidores está a situação de empresas do setor que fizeram fortes investimentos no ano passado e, neste momento, correm o risco de serem liquidadas por credores. O hedge fund Three Arrows Capital, que já chegou a administrar mais de US$ 18 bilhões em criptoativos, ameaça dar um novo calote multimilionário, dessa vez na firma de crédito e market making cripto Genesis Trading.

“O ciclo de notícias tem sido bastante terrível para os mercados de criptomoedas”, diz o analista sênior da Oanda, Edward Moya. “Crescem as preocupações de que o colapso da Three Arrows Capital possa desencadear mais contágio no mercado”.

mineradores de Bitcoin que construíram gigantescas fazendas nos Estados Unidos enfrentam margens insustentáveis e começam a ter que se desfazer de equipamentos e, em alguns casos, interromper operações.

Segundo o portal Blockchain.com, a taxa de hash, que mede o poder computacional da rede do Bitcoin, vem decaindo desde que bateu a média de 221 EH/s (exahashes por segundo) em 18 de maio – agora, está ao redor de 212 EH/s.

Moya, da Oanda, já estava pessimista com a luta do Bitcoin para manter o nível de US$ 20 mil, e agora teme mais quedas com mineradores se vendo obrigados a despejar uma nova leva de bitcoins no mercado para cobrir custos após terem comprometido demais o orçamento com a compra de equipamentos.

“A grande transição para o mecanismo de prova de participação na blockchain Ethereum é um divisor de águas que pode prejudicar os mineradores que financiaram muito hardware”, explica Moya.

Plataformas como CryptoQuant e CoinMetrics registraram fluxos recordes de moedas de mineradores para exchanges nas últimas semanas. Isso não é necessariamente uma indicação de venda, mas pode significar que os mineradores estão fazendo staking (depósitos em contratos inteligentes para receber juros) ou se preparando para vender, explica Brian Wright, vice-presidente de mineração da Galaxy Digital.

Segundo o trader e investidor de criptoativos Vinícius Terranova, os suportes (preços com alto interesse de compra) do Bitcoin neste momento estão localizados nas regiões perto de US$ 18 mil e, depois, de US$ 15 mil. Caso chegue ao segundo piso, a moeda digital alcançaria desvalorização de cerca de 78% da máxima de US$ 69 mil registrada em novembro de 2021.

A projeção de Moya é parecida. Segundo ele, “se o Bitcoin cair abaixo da mínima recente em torno de US$ 17.500, não haverá muito suporte até o nível de US$ 14.500”.

  • Assista: O que aconteceu com El Salvador após a queda do Bitcoin?

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 7h05:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC)US$ 19.114,65-4,7%
Ethereum (ETH)US$ 1.028,80-9,6%
Binance Coin (BNB)US$ 208,53-5,5%
XRP (XRP)US$ 0,311138-6,3%
Cardano (ADA)US$ 0,445194-5,8%

As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Leo Token (LEO)US$ 5,90+2,8%
Evmos (EVMOS)US$ 2,01+2,3%
Chain (XCN)US$ 0,087581+1,4%

As criptomoedas com as maiores quedas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
TerraClassicUSD (USTC)US$ 0,04783274-33,3%
Synthetix Network (SNX)US$ 2,16-17,2%
Polygon (MATIC)US$ 0,442274-16,6%
Stacks (STX)US$ 0,392052-13,6%
Kava (KAVA)US$ 1,69-12,9%

Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

ETFPreçoVariação
Hashdex NCI (HASH11)R$ 17,61-0,45%
Hashdex BTCN (BITH11)R$ 25,140%
Hashdex Ethereum (ETHE11)R$ 17,19-4,18%
Hashdex DeFi (DEFI11)R$ 17,02-11,21%
Hashdex Smart Contract Plataform FI (WEB311)R$ 18,20-4,21%
QR Bitcoin (QBTC11)R$ 6,64-2,49%
QR Ether (QETH11)R$ 4,21-5,39%
QR DeFi (QDFI11)R$ 3,40-4,22%

Veja as principais notícias do mercado cripto desta quinta-feira (30):

Genesis enfrenta “centenas de milhões” em perdas por exposição ao 3AC, dizem fontes

A empresa de market making e crédito cripto Genesis Trading está enfrentando perdas na casa de “centenas de milhões” de dólares, de acordo com três pessoas familiarizadas com o assunto.

As perdas na Genesis estão relacionadas, em parte, à exposição ao fundo de hedge cripto super alavancado Three Arrows Capital e à plataforma de empréstimos cripto Babel Finance, de Hong Kong, afirmou uma das pessoas, que pediu para não ser identificada.

As baixas ocorrem após o colapso do Three Arrows Capital (3AC), fundo que teve liquidação ordenada por um tribunal das Ilhas Virgens Britânicas na segunda-feira (27). O movimento impacta todo o setor de empréstimos de criptomoedas, com várias empresas enfrentando perdas substanciais por sua exposição ao fundo.

Banco central de Cingapura diz que Three Arrows forneceu informações falsas

O banco central de Cingapura repreendeu o fundo de hedge Three Arrows Capital (3AC) por fornecer informações falsas, disse o regulador em comunicado publicado hoje.

Segundo a instituição, o fundo forneceu informações enganosas ao regulador e ultrapassou o limite estabelecido para ativos sob gestão.

O 3AC havia sido autorizado a administrar fundos para 30 investidores de até US$ 180 milhões no país. Segundo o banco central de Cingapura, os limites seriam muito menores do que o volume de ativos de fato gerenciados pelo fundo.

Polkadot anuncia rede social descentralizada

O ecossistema Polkadot (DOT) terá em breve uma parachain que abrigará uma nova rede social descentralizada chamada Frequency, afirmou a equipe por trás do protocolo ontem.

O Frequency é mais conhecido como o protocolo que sustenta o Projeto Liberty, do bilionário imobiliário Frank McCourt.

O Projeto Liberty, que tem cerca de US$ 250 milhões alocados por McCourt, visa “democratizar” as mídias sociais desenvolvendo um banco de dados acessível publicamente das conexões sociais, “desafiando o poder dos gigantes das mídias sociais e do capitalismo de vigilância”.

Parachains são blockchains que não são obrigadas a pagar taxas dentro do ecossistema da Polkadot, ao contrário do Ethereum, por exemplo. Em vez disso, os custos fazem parte de um contrato de leasing do espaço virtual, comercializado em leilões realizados meses atrás – um desses leilões foram arrematados pela equipe do Frequency.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe