5 assuntos

Bolsas operam mistas com repercussão das sanções à Rússia; reunião da Otan, inflação nos EUA e mais destaques do mercado hoje

Por aqui, investidores ainda repercutem temporada de balanços, com destaque para a Vale, na sexta-feira pré-Carnaval

Por  Equipe InfoMoney -

Os mercados asiáticos fecharam a sessão desta sexta-feira (25) majoritariamente em alta, com exceção do índice Hang Seng em Hong Kong, enquanto os índices futuros dos Estados Unidos seguem no terreno negativo, à medida que os investidores tentam pesar o impacto no médio e longo prazo das duras sanções ocidentais contra a Rússia após a invasão da sua vizinha Ucrânia, que não vieram tão fortes quanto os mercados temiam.

O mercado americano ficou inicialmente assustado pela invasão de Moscou contra a Ucrânia na manhã de quinta-feira, horário local, usando forças terrestres, aéreas e navais. Os principais índices de Wall Street chegaram a cair forte durante a sessão, mas fecharam em alta, apesar do surto de violência.

As nações ocidentais redobraram seus esforços para reduzir a capacidade da Rússia de fazer negócios – congelando ativos bancários e cortando empresas estatais – mas optaram por manter (ao menos até o momento) a Rússia dentro do sistema bancário internacional SWIFT, sem impor também qualquer tipo de sanção ou restrições às suas exportações de petróleo e gás.

AO VIVO:

A Casa Branca também autorizou na tarde de ontem (24) que tropas adicionais sejam estacionadas na Alemanha, enquanto os aliados da Otan procuram reforçar as defesas na Europa, disse Biden.

A Otan faz reunião extraordinária, com entrevista coletiva para os resultados às 14h.

Além disso, os investidores monitoram o avanço da Rússia na Ucrânia. Vladimir Putin fecha cerco militar sobre Kiev, que se prepara para invasão, de acordo com a agência norte-americana AP. Forças russas voltaram a bombardear a cidade, desta vez com efeitos mais claros sobre civis, e se aproximam por dois flancos.

Do lado das commodities, os preços do petróleo voltaram a subir na sessão de hoje. O petróleo Brent de referência global sobe cerca de 1%, por volta dos US$ 100,00 por barril.

Na agenda econômica, o IGP-M de fevereiro deve confirmar (8h) a resiliência da inflação, enquanto, nos Estados Unidos, o núcleo do PCE de janeiro (10h30) pode levar a inflação anual para 5,1%. Cabe ressaltar que a sessão marca o fechamento de mês para a Bolsa brasileira, que ficará fechada segunda e terça-feira por conta do Carnaval, voltando a operar somente a quarta (2) a partir das 13h. Confira os destaques.

1. Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Os futuros americanos caem nesta sexta-feira (25) após uma forte reversão para alta em Wall Street na quinta, com os investidores continuando a avaliar os riscos decorrentes da invasão da Ucrânia pela Rússia.

Veja o desempenho dos mercados futuros:
Dow Jones Futuro (EUA), -1,09%
S&P 500 Futuro (EUA), -1,17%
Nasdaq Futuro (EUA), -1,25%

Ásia

As ações asiáticas subiram nesta sexta-feira, com os investidores avaliando o conflito Rússia-Ucrânia após um retorno maciço em Wall Street na quinta-feira.

Shanghai SE (China), +0,63%
Nikkei (Japão), +1,95%
Hang Seng Index (Hong Kong), -0,59%
Kospi (Coreia do Sul), +1,06%

Europa

Os mercados europeus operam em alta, ainda acompanhando uma frágil recuperação dos ativos globais, já que os participantes do mercado avaliam o impacto das sanções ocidentais contra a Rússia depois que o Kremlin lançou uma invasão da Ucrânia.

No radar econômico, o Produto Interno Bruto (PIB) da França cresceu 0,7% no quarto trimestre de 2021 ante o terceiro trimestre, segundo dados finais divulgados nesta sexta-feira, 25, pelo Insee, como é conhecido o instituto de estatísticas do país. O resultado confirmou a estimativa preliminar, divulgada há cerca de um mês. Ao longo de 2021, o PIB francês teve expansão de 7%, após sofrer um tombo de 8% em 2020 em meio aos efeitos da pandemia de covid-19, informou o Insee.

FTSE 100 (Reino Unido), +1,37%
DAX (Alemanha), +0,46%
CAC 40 (França), +0,14%
FTSE MIB (Itália), +0,20%

Commodities

Os preços do petróleo sobem, ainda que diminuindo os ganhos ante às máximas do dia, com a invasão da Ucrânia pela Rússia continuando a inflamar as preocupações com a oferta global, à medida que os mercados se preparam para o impacto das sanções comerciais ao grande exportador de petróleo, a Rússia.

Petróleo WTI, +1,28%, a US$ 94,09 o barril
Petróleo Brent, +1,73%, a US$ 100,79 o barril
Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve baixa de 3,13%, a 680,5 iuanes, o equivalente a US$ 107,75

Bitcoin

Bitcoin, +8% a US$ 38.401,70 (em relação à cotação de 24 horas atrás)

2. Agenda

Hoje sai o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), da Fundação Getúlio Vargas, usado para ajustar alguns contratos de aluguel. O Itaú prevê alta mensal de 1,65%.

Brasil

8h: IGP-M fevereiro, com expectativa de alta mensal de 1,65%
8h: FGV divulga Confiança empresarial
9h30: Resultado nominal do setor público consolidado mensal

EUA

10h30: Variação nos pedidos de bens duráveis mensal
10h30: Índice de preços do PCE mensal
10h30: Núcleo índice de preço do PCE mensal, com projeção de alta de 0,5% na comparação mensal e de 5,1% na base anual
12h: Confiança do consumidor Michigan mensal

3. Bolsonaro desautoriza Mourão sobre Ucrânia

O presidente Jair Bolsonaro desautorizou o vice-presidente Hamilton Mourão, que ontem (24) disse que “o Brasil não concorda com a invasão do território ucraniano” e defendeu o uso de força contra a Rússia.

“O artigo 84 da Constituição diz que quem fala sobre este assunto é o presidente. E o presidente se chama Jair Messias Bolsonaro”, disse Bolsonaro. “Não é combinado. Quando que eu falo qualquer coisa sobre este problema Rússia e Ucrânia? É depois de ouvir os ministros França (Relações Exteriores) e Braga Netto (Defesa)”, acrescentou o presidente em sua “live” semanal nas redes sociais.

STF caminha para formar maioria para manter Fundão em R$ 4,9 bilhões

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve para formar maioria no sentido de manter os R$ 4,9 bilhões em recursos públicos destinados ao Fundo Eleitoral para Financiamento de Campanha, o Fundão.

Na quinta-feira (24), 5 ministros votaram para validar a cifra aprovada pelo Congresso Nacional. Em seguida, a sessão foi suspensa para continuidade na próxima semana.

Câmara aprova projeto que legaliza jogo de azar

A Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei que legaliza os jogos de azar, como cassinos, bingos e jogo do bicho, e rejeitou uma tributação maior sobre essas atividades, que pagarão menos impostos que medicamentos e comida. Todas as emendas propostas pelos partidos para alterar o projeto acabaram rejeitadas e o texto seguiu para o Senado.

4. Covid

Na última quinta-feira (24), o Brasil registrou 996 mortes e 95.493 casos de covid-19 em 24h, segundo informações do consórcio de veículos de imprensa, às 20h.

A média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 784, queda de 11% em comparação com o patamar de 14 dias antes.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 91.360, o que representa baixa de 34% em relação ao patamar de 14 dias antes.

Chegou a 154.515.728 de pessoas totalmente imunizadas contra a Covid no Brasil, o equivalente a 71,93% da população.
O número de pessoas que tomaram ao menos a primeira dose de vacinas atingiu 172.077.436 pessoas, o que representa 80,1% da população.

A dose de reforço foi aplicada em 62.792.791 pessoas, ou 29,23% da população.

5. Radar Corporativo

Vale (VALE3)

A mineradora Vale (VALE3) registrou lucro líquido atribuído aos acionistas de US$ 5,427 bilhões no quarto trimestre de 2021, informou a companhia nesta quinta-feira (24).

O resultado representa um crescimento de 39,6% em relação ao terceiro trimestre de 2021 e 7,34 vezes superior ao registrado no quarto trimestre de 2020.

O consenso dos analistas consultados pela Refinitiv para o lucro da Vale era de US$ 4,703 bilhões.

A mineradora ainda anunciou a distribuição de US$ 3,5 bilhões em dividendos – ou R$ 3,7 por ação.

IRB Brasil (IRBR3)

O IRB registrou prejuízo contábil de R$ 370,9 milhões no quarto trimestre de 2021 (4T21), redução de 42,4% na comparação com as perdas do mesmo período de 2020. No acumulado de 2021, o resultado líquido foi negativo em R$ 683 milhões, perda 54% menor ano a ano.

Americanas (AMER3)

A Americanas (AMER3) reportou lucro líquido de R$ 490 milhões no quarto trimestre de 2021, o que representa um crescimento de 20,5% em relação ao mesmo período de 2020.

Hypera Pharma (HYPE3)

A Hypera Pharma (HYPE3) lucrou de forma líquida R$ 366 milhões no quarto trimestre de 2021, número 12,6% maior do que os R$ 324,9 milhões do mesmo período de 2020.

JHSF (JHSF3)

A JHSF (JHSF3) reportou lucro líquido de R$ 254,6 milhões no quarto trimestre de 2021 (4T21), o que representa um crescimento de 33,4% em relação ao mesmo período de 2020 e anunciou dividendos. A receita líquida somou R$ 483,3 milhões no 4T21, alta de 23,9% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A JHSF informou que foi aprovado o pagamento de dividendos no valor total de R$ 108,9 milhões, equivalentes a R$ 0,1606560263 por ação, excluindo do cálculo as ações em tesouraria.

Os dividendos terão como base acionária para pagamento a data de 03 de março de 2022, sendo que as ações da companhia serão negociadas “ex-dividendos” a partir de 04 de março de 2022. Os acionistas terão seus créditos disponíveis a partir de 14 de março de 2022.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe