Propaganda enganosa?

Whooper Costela sem costela: Procon-DF proíbe venda de sanduíche do Burger King

Procon-SP também notificou a empresa e disse que ela pode ser multada em até R$ 11,6 milhões por publicidade enganosa

Por  Equipe InfoMoney -

O Procon do Distrito Federal notificou o Burger King (BKBR3) na segunda-feira (2) e proibiu a rede de lanchonetes fast food de vender o Whopper Costela no DF após a empresa confirmar que o hambúrguer do sanduíche não é feito de costela, mas sim de paleta suína.

Segundo o Procon-DF, o Burger King está impedido de comercializar o sanduíche até que sejam feitas correções das informações, “sob pena de sofrer sanções como multa, apreensão dos produtos ou interdição do funcionamento das lojas da rede”. O órgão diz também que a decisão “se justifica pela urgência em se coibir infração que atinge um grande número de consumidores”.

Leia também:

“O Procon constatou que há a adição de aromatizante no preparo do hambúrguer, mas não há a presença da carne de costela em si. A informação sobre a real composição do sanduíche não é disposta de modo claro e ostensivo na publicidade do produto, induzindo o consumidor a erro e se caracterizando publicidade enganosa”, afirma o Procon-DF.

“Mais uma vez, vemos uma grande rede cometendo infração grave na publicidade de seus produtos. No caso do Burger King, a forma como o nome ‘costela’ é utilizado e como é feita a publicidade do sanduíche levam o consumidor a entender se tratar de sanduíche feito de costela, e não que contém apenas aroma de costela”, afirma o diretor-geral do Procon-DF, Marcelo Nascimento. “Se não está claro para o consumidor, é publicidade enganosa.”

Procurado pelo InfoMoney, o Burger King não respondeu se o Whooper Costela já parou de ser vendido no Distrito Federal. Em posicionamento enviado à Agência Brasil, a empresa confirmou que foi notificada pelo Procon local e disse que irá prestar os esclarecimentos solicitados.

Multa de até R$ 11,6 milhões

Burger King admite que hambúrguer do Whooper Costela não é feito de costela, mas sim de paleta suína (Foto: Divulgação/Burger King)

A rede de lanchonetes também foi notificada pelo Procon-SP e terá de apresentar explicações sobre a composição e a campanha publicitária do sanduíche Whopper Costela até sexta-feira (6).

Em nota, o diretor-executivo do Procon-SP, Guilherme Farid, disse que o órgão de defesa do consumidor “tem olhado com preocupação a publicidade de produtos alimentícios que destacam um determinado ingrediente que não faz parte da composição daquele produto ou que não tem o ingrediente na sua composição principal”.

“Nesse caso específico do Burger King, o consumidor compra o sanduíche acreditando que irá ingerir a carne da costela, ou seja, o consumidor é levado a erro”, afirma Farid. “Se ficar comprovado que houve indução do consumidor a erro, a empresa pode ser multada por publicidade enganosa em até R$ 11,6 milhões.”

A empresa deverá apresentar uma série de documentos ao Procon-SP, como a tabela nutricional do sanduíche, os gabaritos das embalagens utilizadas para consumo imediato e para entrega e a cópia dos materiais publicitários da divulgação da atual linha do produto, entre outros documentos.

Whooper com aroma de costela

Em posicionamento enviado na segunda-feira (2) ao InfoMoney, o Burger King confirmou que o hambúrguer do Whooper Costela é feito com paleta suína, não com costela, e afirmou que o sanduíche “leva em sua composição aroma de costela 100% natural sem qualquer ingrediente artificial”.

Disse também que “a transparência para com os nossos clientes é um valor fundamental e inegociável para o Burger King” e que “sempre trouxe com clareza em sua comunicação e em todos os materiais e peças publicitárias, cardápios e materiais oficiais de marca a composição do hambúrguer presente no sanduiche — feito com carne de porco (paleta suina) e sabor de costela”.

A resposta do Burger King é similar à do seu principal concorrente, o McDonald’s, que afirmou que o hambúrguer do McPicanha era feito de “100% carne bovina, produzida com um blend de cortes selecionados”, e que a novidade do sanduíche era o “exclusivo molho sabor picanha”, “com aroma natural de picanha”.

McPicanha com molho de picanha

A polêmica do Burger King ocorre dias após a do McDonald’s (MCDC34), que também confirmou que o seu McPicanha não tinha hambúrguer de picanha, mas sim de “um blend de cortes selecionados” e “o exclusivo molho sabor picanha”.

O McDonald’s parou de vender o McPicanha diante da repercussão negativa e depois de ser notificado pela Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor), órgão ligado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, e também pelos Procons de São Paulo e do Distrito Federal.

Ao se defender, a empresa afirmou que o McPicanha “teve esse nome justamente para proporcionar uma nova experiência ao consumidor” e culpou a comunicação do produto. “A marca lamenta que a comunicação criada sobre os novos produtos possa ter gerado dúvidas”.

9 formas de transformar o seu Imposto de Renda em dinheiro: um eBook gratuito te mostra como – acesse aqui!

LEIA MAIS

Compartilhe