Em onde-investir / renda-fixa

Veja quais são os investimentos indicados para milionários no Brasil

Diversificação é um dos pontos chave para as pessoas com mais dinheiro na conta

notas de 100 e 50
(Shutterstock)

SÃO PAULO – Ser um milionário, mais que uma questão de status, é um patamar que permite alcançar várias coisas: desde produtos que antes não era possível alcançar, até muitos outros investimentos. O InfoMoney conversou com assessores de investimento para ver as melhores aplicações para quem tem R$ 1 milhão ou mais e que podem ajudar o pequeno investidor a entender melhor o cenário de investimento também, além de algumas das aplicações serem acessíveis a quase todos os investidores.

Você investe bem seu dinheiro? Faça o teste agora

Marcelo Carbonari, assessor de investimentos da Futuro Investimentos, aponta que, para investidores com mais de R$ 1 milhão na conta, a regra crucial é diversificar. “Com um cenário de alta de juros e inflação é possível escolher aplicações de diferentes riscos, prazos e rentabilidades”, comenta.

O assessor relata que para os que desejam aumentar patrimônio, uma boa escolha pode ser aplicar em produtos atrelados ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário), como as LCI (Letras de Crédito Imobiliário), LCA (Letras de Crédito do Agronegócio), CDB (Certificado de Depósito Bancário) ou LC (Letra de Crédito).

Uma possibilidade para quem quer aplicar pensando em prazos mais longos é investir em títulos prefixados, que podem garantir uma boa rentabilidade em um prazo mais largo mesmo em eventual cenário de queda de juros. “É importante ressaltar a segurança ao se investir em cada tipo desses produtos, cada aplicação possui garantia de até R$ 250 mil do FGC por CPF e por emissor”, afirma Marcelo.

Ezequiel Karling, sócio-diretor da Moinhos Investimentos, aponta que é possível encontrar títulos prefixados com rentabilidade de até 18% ao ano, e destaca os CDB como uma boa alternativa nesse caso.

Para a proteção contra a inflação, existem produtos com sua rentabilidade atrelada ao IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), como as debêntures e o Tesouro IPCA+, título do Tesouro Direto, programa de compra e venda de títulos públicos.

Os fundos multimercados são outra alternativa apontada por Ezequiel. O economista aponta que existem fundos com risco baixo que têm como objetivo alcançar uma rentabilidade de 130% do CDI, o que é bastante interessante em um momento de juros altos como o atual.

Já para quem tem o perfil mais arrojado, existe a possibilidade de investir em dólar com o capital protegido com aplicações como os COE (Certificados de Operações Estruturadas). Esses títulos mesclam elementos de Renda Fixa e Renda Variável e trazem retornos que podem ser atrelados a diferentes índices ou ativos.

Outra possibilidade de investimento que é mais interessante para quem tem bastante dinheiro na conta é a diversificação internacional. Uma das opções de investimento é em fundos de investimento internacionais, que estão mais acessíveis ao investidor brasileiro com as novas regras da CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Isso permite a entrada em mercados mais líquidos e desenvolvidos.

“No entanto é importante frisar uma característica fundamental do investidor de sucesso, seja ele pequeno ou grande, expert ou iniciante: planejamento financeiro e disciplina”, encerra Marcelo Carbonari.

 

Leia também:

Baixe um pacote de planilhas financeiras gratuitas

Quer saber se você está investindo bem? Faça uma simulação

Descubra qual é a aplicação financeira de risco baixo mais rentável

Milhões de brasileiros investem errado em previdência; é o seu caso?

Imóvel é sempre bom negócio? Teste mostra que alugar é melhor

Seu carro facilmente lhe custa R$ 2.500 por mês. Duvida?

Qual é o melhor CDB: pré, pós ou indexado à inflação? Planilha mostra

Planeja investir no Tesouro Direto? Ebook gratuito mostra o caminho

Quanto custa realizar cada um de seus sonhos? Descubra

 

Contato