Pré-mercado

Ibovespa futuro tem leve alta, acompanhando mercado americano e com investidores de olho no Copom

Investidores repercutem ainda aparente avanço da discussão sob a PEC dos Precatórios

Por  Vitor Azevedo -

O Ibovespa futuro registra leve alta nesta quarta-feira (8), em um dia em que o exterior opera sem direção exata: se nos EUA os futuros, por volta das 9h (horário de Brasília), caminham para o terceiro pregão consecutivo de subida, em parte da Europa a sequência de ganhos, por enquanto, se encerra. Investidores monitoram novas notícias sobre a Ômicron e também a escalada da tensão entre o presidente americano Joe Biden e o russo Vladimir Putin.

Às 9h33 (horário de Brasília), o contrato futuro com vencimento em dezembro subia 0,25%, a 108.200 pontos. O dólar comercial tinha leve alta de 0,04%, negociado a R$ 5,620 na compra e a R$ 5,621 na venda. A moeda americana opera estável frente aos seus pares no exterior, com o DXY recuando apenas 0,04%.

No Brasil, o mercado acompanha atento a decisão do  Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), que define às 18h30 a nova taxa Selic – com projeção de alta de 1,5% ponto percentual, chegando a 9,25% ao ano. O mercado de juros futuros, enquanto isso, abriu em queda, com o DI para janeiro de 2023 caindo 0,11 ponto percentual, para 11,37%, o DI para janeiro de 2025 recuando 0,12, a 10,72%, e o DI para janeiro de 2027 caindo 0,10, a 10,74%

Além do Banco Central, investidores continuam monitorando a questão da PEC dos Precatórios. Na noite de ontem, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e o da Câmara, Arthur Lira, afirmaram ter chegado a um acordo sobre a promulgação de parte PEC dos Precatórios, que será fatiada.

A ideia, agora, é aprovar os pontos comuns apoiados pelas as duas casas, o que deve já abrir caminho fiscal para a proposta no orçamento de 2022, mas mantendo o chamado “pingue-pongue” para os que geram divergências.

Nos dados macroeconômicos, destaque, no Brasil, para a publicação das vendas do varejo, que recuaram 0,10% em outubro, ante expectativa de alta de 0,80%. Lá fora, os Estados Unidos têm a publicação das ofertas de emprego medido pela JOLTs ao meio dia, com a expectativa de 10,3 milhões de vagas abertas para o mesmo mês.

Em todo o mundo, os investidores monitoram as novas notícias sobre a variante Ômicron. Após otimismo com os sintomas mais fracos, a mais recente informação é que a nova mutação pode escapar parcialmente da proteção fornecida pela vacina da Pfizer – o que, porém, segundo a farmacêutica, pode ser corrigido com doses extras do imunizante.

“O importante é o número de hospitalização e isso tem ficado, de certa forma, dentro da normalidade, ou ao menos, dentro dos patamares saudáveis para manter uma retomada econômica”, comenta Henrique Esteter, especialista de mercados da InfoMoney.

Nos Estados Unidos, o mercado acompanha, com visão positiva, o avanço do acordo entre democratas e republicanos para aumentar o teto da dívida no país. Ontem, o líder republicano no Senado, Mitch McConnel, sinalizou que o seu partido colaborará com os democratas, ao menos parcialmente, na questão. “Os títulos de dívida americanos são ativos livre de risco, e um default geraria uma cadeia de crescimento de risco para as bolsas internacionais”, explica Esteter.

Os futuros americanos avançam em bloco às 9h05, com destaque para o da Nasdaq, que tem alta de 0,50%, aos 16.400 pontos. Dow Jones e S&P 500 têm altas de, respectivamente, 0,58% e 0,57%.

A Europa opera mista, com os investidores acompanhando a escalada de tensões entre Estados Unidos e a Rússia, após os presidentes Joe Biden e Vladimir Putin discutirem, em tom tenso, a questão da Ucrânia. Biden chegou a afirmar que uma invasão poderia gerar respostas “para além da economia”.

Um problema com a Rússia é visto como empecilho ao Europeu, uma vez que o país, recentemente, aumentou sua importância na economia regional por conta do crescimento do seu fornecimento de gás natural.

O DAX, da Alemanha, recua 0,25% no dia em que Angela Merkel deixa o posto de chanceler do país, após 16 anos. O FTSE, de Londres, e o CAC, da França, avançam, respectivamente, 0,14% às 9h10.  O STOXX 600, de todo o continente, sobe 0,31%.

A Ásia, por fim, surfou mais uma vez com as notícias positivas da Ômicron e, para além disso, com as sinalizações de que a China irá interferir no problema das grandes incorporadoras do país.

“A diminuição dos compulsórios e a implementação de autoridades para atuar dentro de incorporadoras apontam que o governo chinês pretende atua na questão. Isso vem trazendo um alivio para os ativos de risco da região, mesmo com as companhias, como a Evergrande, não pagando ou dando indícios de que irão pagar suas dívidas”, diz o especialista do InfoMoney.

O índice Nikkei, do Japão, fechou em alta de 1,42%; o de Shangai, na China, subiu 1,17% e a Kospi, da Coréia do Sul, avançou 0,34%. O HSI, de Hong Kong, ficou estável – impactado ainda pela queda das ações da Evergrande e também pelas companhias de tecnologia, que ainda recuam com as possíveis interferências do Partido Comunista Chinês.

Radar Corporativo

O noticiário corporativo desta quarta-feira tem como destaque que o Tribunal de Contas da União pautou para hoje (8) a primeira análise sobre o plano de desestatização da Eletrobras (ELET3;ELET6). Além disso, a Cosan (CSAN3) aprovou o pagamento de dividendos.

Já a BRF (BRFS3) manteve em seu guidance estimativa de receita líquida de R$ 65 bilhões para o período de 2021 a 2024.

A Positivo Tecnologia (POSI3) anunciou parceria com a NEXGO para lançamento de quatro modelos de terminais de pagamento.

Tempo Real: Confira análises corporativas e a cobertura instantânea das últimas notícias do mercado

Eletrobras

O Tribunal de Contas da União (TCU) pautou para esta quarta-feira a primeira análise sobre o plano de desestatização da Eletrobras. Mesmo com alguns alertas, o órgão de controle deve aprovar sem grandes alterações a proposta apresentada pelo governo.

A análise do processo foi dividida em duas etapas, sendo a primeira de “valuation”, pautada para a sessão de hoje, e a segunda com o modelo do edital da operação, que funcionará por meio de uma capitalização da estatal sem a participação do governo.

Com a aprovação da primeira parte, o gabinete do relator dará andamento ao restante do processo, ainda sem prazo para ser levado ao plenário. O governo pretende concluir a privatização no primeiro semestre do ano que vem.

BRF

A companhia de alimentos BRF mantém estimativa de receita líquida de 65 bilhões de reais para o período de 2021 a 2024.

Em dezembro do ano passado, a empresa também projetava receita de 65 bilhões de reais, mas para o intervalo entre 2021 e 2023.

A companhia ainda manteve a expectativa de investimentos até 2030 em, cerca de 55 bilhões de reais, incluindo os desembolsos realizados em 2021, com estabelecimento de limite prudencial de alavancagem financeira líquida de até 3 vezes.

Petrobras

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a Petrobras não está na lista de privatizações do primeiro governo Bolsonaro.

Guedes ainda reforçou que é favorável a fazer com a Petrobras o mesmo processo da Eletrobras. “O ciclo das grandes estatais no Brasil acabou”, enfatizou.

Cosan

A Cosan aprovou a distribuição de R$ 0,374619 por ação em dividendos intercalares, perfazendo o total de R$ 700 milhões.

Os referidos proventos terão como base de cálculo a posição acionária de 14 de dezembro. O pagamento dos dividendos ocorrerá no dia 28 de dezembro.

Bradesco

O Bradesco (BBDC3;BBDC4]) firmou ontem acordo de participação no programa de incentivos da Elo visando a incrementar as vendas de cartões da bandeira emitidos pelo Bradesco.

Segundo comunicado, o objetivo é aumentar o volume de transações nos cartões Elo. A vigência do contrato é de 10 anos contados a partir de 01 de janeiro de 2022.

Positivo Tecnologia 

A Positivo Tecnologia anunciou parceria com a NEXGO para lançamento de quatro modelos de terminais de pagamento.

Por meio da parceria estratégica com a Positivo Tecnologia, a NEXGO contribui para ampliar o portfólio da marca Positivo com dispositivos ofertados a preços competitivos em um momento de alta demanda gerada por adquirentes, fintechs, bancos digitais e subadquirentes.

Energisa 

A Energisa (ENGI11) iniciou ontem a oferta pública obrigatória de aquisição de ações de titularidade de funcionários e aposentados da controlada Energisa Acre (EAC).

O objeto da oferta é a aquisição de até 2.484.078.275 ações ordinárias e 953.652.585 ações preferenciais, de 1,42% do capital social total da Energisa Acre.

A vigência será pelo período entre 07 de dezembro de 2021 a 06 de janeiro de 2022.

Além disso, a Aneel aprovou ontem (07) novas tarifas para consumidores da Energisa Acre e Energisa Rondônia. O efeito médio para o consumidor será de 9,90% e 6,93%, respectivamente. As novas tarifas entram em vigor na segunda-feira (13) e afetam quase 1 milhões de consumidores no somatório dos dois estados

Unipar 

A Unipar (UNIP3) e suas controladas denominadas “Indupas” fecharam acordo junto a vendedora para o recebimento, pela Unipar, de US$ 80 milhões.

Foi acertado ainda, o pagamento do valor total da dívida contraída em 2016, por ocasião da aquisição das Indupas, no montante aproximado de US$ 140 milhões.

Smartfit

A Smartfit (SMFT3) apresentou em seus resultados operacionais de novembro uma recuperação pelo 6º mês consecutivo da base de clientes no país.

A base de clientes em academias atingiu 91% do patamar de março de 2020 (pré-pandemia), recuperando-se 4,7% ao mês nos últimos quatro meses.

Wiz

A Wiz (WIZS3) informou a constituição da  Wimo  Gestora  de Recursos, cujo capital social será de  50,1% da Wiz e 49,9% da Galapagos.

A  constituição da Wimo faz parte da estratégia da companhia de ampliação e  diversificação das frentes de negócios da Wiz.

Adicionalmente, a Wiz informa que a operação não está sujeita à aprovação do  Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).

Saneago

A Saneago (Saneamento de Goiás) aprovou nesta terça (7) o planejamento estratégico para o período de 2022 e 2026.

Os investimentos previstos para expansão de abastecimento de água (SAA) nos próximos 5 anos atinge o montante de R$ 1,51 bilhão.

Ao mesmo tempo, nos investimentos em expansão do esgotamento sanitário (SES) é previsto o valor de R$ 131,47 milhões.

Ecorodovias 

A Ecorodovias (ECOR3) informou que o volume de tráfego consolidado nas rodovias administradas pela companhia subiu 6,5% em novembro ante o mesmo mês de 2020, passando de 32.310 para 34.399 veículos.

Lojas Quero-Quero 

A Lojas Quero-Quero (LJQQ3) projetou abertura de 70 a 85 lojas no próximo ano.

GetNet 

A Getnet (GETT3) informou que Pedro Carlos Araújo Coutinho deixará o cargo de Diretor Presidente da companhia em  31 de março de 2022. O sucessor do atual  Diretor Presidente ainda será informado.

Analista da Rico Corretora ensina ferramentas práticas a extrair lucro do mercado financeiro de forma consistente. Inscreva-se Grátis.

Compartilhe