Criptos hoje

Bitcoin tem 2º dia de alta e tenta romper US$ 40 mil após Fomc; altcoins disparam e Tron promete “revolução”

Dados da economia americana foram recebidos com otimismo pelo mercado, que volta a apostar em ativos de risco

Por  Paulo Alves, CoinDesk -

Após flertar com os US$ 37 mil dois dias atrás, o Bitcoin (BTC) registra o segundo dia consecutivo de alta e tenta mais uma vez romper o patamar de US$ 40 mil, alcançado brevemente ontem assim que o o Federal Reserve anunciou as decisões tomadas na última reunião do Federal Open Market Committee (Fomc). Às 7h20 desta quinta-feira (5), a criptomoeda com maior valor de mercado é negociada a US$ 39.518, em alta de 1,5% no acumulado de 24 horas.

Apesar da alta histórica de 0,5% na taxa de juros nos Estados Unidos, o mercado reagiu bem à expectativa de recuperação da economia americana. Segundo comunicado do Fomc, “os ganhos de emprego foram robustos nos últimos meses e a taxa de desemprego diminuiu substancialmente” e os “gastos das famílias e o investimento fixo das empresas permaneceram fortes”.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

“Tanto a alta de 50 pontos quanto o ritmo de redução do balanço foram dentro do esperado e em linha com a expectativa geral do mercado”, afirmou, em nota, Alexandre Ludolf, Diretor de Investimentos da QR Asset Management. Para o executivo, também foi uma sinalização foi positiva a fala de Powell descartando alta de 75 pontos na taxa de juros.

“Até agora, o mercado reagiu bem a isso, com ativos de risco subindo após essa decisão. Ainda tem muito pra passar debaixo da ponte, e vai ser crucial avaliar a dinâmica inflacionária nos próximos meses”, pontua. Desse modo, a projeção de preços do mercado cripto nos próximos meses, avalia Ludolf, dependerá do ritmo de aumentos dos juros para conter a alta de preços na economia.

“Cripto não vai passar incólume a uma precificação maior de aumento de juros, mas acreditamos que projetos de cripto maiores, mais relevantes e mais maduros como Bitcoin e Ethereum, tem uma perspectiva melhor em um ambiente de maior inflação e necessidade de aumento de juros mais forte”.

O Índice do Medo e Ganância do Bitcoin, que mede sentimento de mercado, caiu para território de “medo extremo”, indicando um menor apetite por risco entre os traders de criptomoedas. O índice permanece no patamar de “medo” nos últimos meses, marcando uma mudança decisiva no sentimento de “ganância extrema” visto em novembro do ano passado.

Uma melhora do índice, de acordo com a Alternative.me, que constrói o indicador, exigiria um aumento no preço do Bitcoin com um aumento gradual no volume de negociação e na volatilidade. Geralmente, altos volumes de compra em um mercado que sobe diariamente indicam tendência de alta, diz a empresa.

Um dos componentes que puxam o índice, com peso de 10%, é a taxa de dominância do Bitcoin, que representa a fatia da criptomoeda no valor de mercado total das criptos. O BTC vem superando as altcoins até agora este ano, mas perdeu parte do ímpeto nos últimos dias. Para especialistas, o movimento pode indicar mais otimismo entre traders no curto prazo.

Nesta quinta, por exemplo, o respiro momentâneo do Bitcoin deixa investidores confortáveis novamente para apostar no Ethereum (ETH), que demorou mais para reagir em meio à incerteza no mercado. O ativo digital sobe mais forte que o BTC hoje e valoriza 3,2% em relação ao mesmo horário ontem, atingindo US$ 2.928 e abrindo caminho para ganhos de dois dígitos entre diversas altcoins.

O destaque do dia é a Ziliqa (ZIL), que vinha de correção após um rali que precedeu o lançamento de um projeto de metaverso, e volta a engatar forte alta de quase 30%. A criptomoeda é seguida de perto pela Waves (WAVES), outra que corrigiu recentemente e agora sobe cerca de 23% – ambas estão no zero a zero no acumulado da semana.

Já o Axie Infinity (AXS) sobe 13% nas últimas 24 horas, mas, ainda assim, não reverte totalmente as perdas dos últimos dias e ainda registra queda de quase 12% em sete dias.

Na ponta negativa, quem leva a pior são as criptomoedas ligadas a stablecoins que vêm de crescimento recente, mas agora parecem sofrer com a possibilidade de perda de usuários para a Decentralized USD (DUSD), da Tron (TRX). A Terra (LUNA), que alimenta a cripto pareada ao dólar Terra USD (UST), cai 1,6% hoje, e a Bonded Luna (BLUNA), que representa Luna depositada em produtos de rendimento (staking), cede 2%. Já a Frax Share (FXS), ligada à stablecoin Frax (FRAX), recua 0,8%.

  • Assista: É possível se aposentar com Bitcoin? Investidores que miram no longo prazo defendem que sim (e que Buffet está errado)

 

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 7h20:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC)US$ 39.518,78+1,5%
Ethereum (ETH)US$ 2.928,25+3,2%
Binance Coin (BNB)US$ 399,73+2,4%
Solana (SOL)US$ 92,46+5,5%
XRP (XRP)US$ 0,6373793,1%

As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Ziliqa (ZIL)US$ 0,090621+29,2%
Waves (WAVES)US$ 16,03+21,1%
Lido DAO (LDO)US$ 3,20+13,1%
Axie Infinity (AXS)US$ 33,72+12,8%
Radix (XRD)US$ 33,72+12%

As criptomoedas com as maiores quedas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Bonded Luna (BLUNA)US$ 85,33-1,3%
Terra (LUNA)US$ 85,30-1,7%
Leo Token (LEO)US$ 5,57-1,5%
Frax Share (FXS)US$ 28,16-1%
Kucoin Token ([ativo=KCS])US$ 17,95-0,9%

Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

ETFPreçoVariação
Hashdex NCI (HASH11)R$ 35,59+5,04%
Hashdex BTCN (BITH11)R$ 46,41+1,12%
Hashdex Ethereum (ETHE11)R$ 41,61+2,36%
Hashdex DeFi (DEFI11)R$ 38,26+14,03%
Hashdex Smart Contract Plataform FI (WEB311)R$ 38,90+11,74%
QR Bitcoin (QBTC11)R$ 12,22+3,91%
QR Ether (QETH11)R$ 10,38+4,42%
QR DeFi (QDFI11)R$ 6,50+13,83%

Veja as principais notícias do mercado cripto desta quinta-feira (5):

Binance é primeira exchange a obter licença na França

A exchange de criptomoedas Binance anunciou ontem que é a primeira do mundo no ramo a obter uma licença de Prestadora de Serviços de Ativos Digitais regulamentada na França.

Em nota, a empresa explica que a liberação foi concedida pela Autorité des Marchés Financiers (AMF), que regula os mercados financeiros, com o aval da Autorité de Contrôle Prudentiel et de Résolution (ACPR), responsável por supervisionar bancos e seguros, para a subsidiária Binance France SAS.

Para a Binance, a licença “oferece proteção regulatória para os usuários locais, no que diz respeito à implementação” de políticas de combate à lavagem de dinheiro e de identificação de clientes.

“A regulação efetiva é essencial para a adoção em massa das criptomoedas. As regulações francesas de AML/CFT e as relacionadas às PSAD põe em prática requerimentos rígidos de prevenção à lavagem de dinheiro, para fazer jus aos padrões elevados que são necessários para ser regulamentado na França”, afirmou, em comunicado, o CEO da Binance, Changpeng Zhao.

Após o registro, diz a Binance, sua atuação na França “irá aumentar significativamente”. De início, a bolsa de criptoativos pretende contratar até 250 pessoas com foco no desenvolvimento de infraestrutura.

Tron promete “revolução” com nova stablecoin parecida com a TerraUSD

Tron, a blockchain fundada pelo empresário Justin Sun em 2017 para competir com o Ethereum, lançará sua stablecoin algorítmica chamada Decentralized USD (USDD) nesta quinta-feira.

Embora a empresa chame o novo ativo de “revolucionário”, analistas apontam forte similaridade do projeto com a stablecoin Terra USD (UST), marcada pelo forte crescimento nos últimos meses.

“É mecanicamente semelhante ao UST da Terra em termos de cunhagem e estabilidade de preços”, disse Dustin Teander, analista da plataforma de dados de ativos digitais Messari. Kevin Zhou, cofundador do fundo de hedge Galois Capital, chamou o lançamento de “clone do LUNA”, e Alex Krüger, um popular analista de criptomoedas, afirmou que a Tron está “copiando o dólar descentralizado da Luna: “Muito original”.

Gucci começa a aceitar pagamento com cripto nos EUA

A Gucci passou a aceitar criptomoedas em algumas lojas próprias em Los Angeles, Nova York, Las Vegas e outas cidades nos EUA, de acordo com uma reportagem da Vogue Business.

Vários ativos digitais serão aceitos, incluindo Bitcoin, Bitcoin Cash (BCH), Ethereum, Wrapped Bitcoin (WBTC), Dogecoin (DOGE), Shiba Inu (SHIB) e uma variedade de stablecoins.

Os pagamentos em cripto, segundo a Vogue Bussiness, serão convertidos pela Gucci para dólares.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe