Criptos hoje

Bitcoin sobe 5% e ameaça disparar, Zuckerberg confirma NFTs no Instagram e HSBC entra no metaverso

Salto vem após notícia de que US$ 1,2 bilhão em Bitcoin deixaram a Coinbase, sinalizando nova onda de adoção institucional

Por  Paulo Alves, CoinDesk -

O Bitcoin (BTC) ultrapassou a marca de US$ 41 mil depois de cair para US$ 37 mil no último fim de semana. Após o movimento arrefecer nesta manhã, a criptomoeda é negociada em alta de 5% nas últimas 24 horas, a US$ 40.552. O Ethereum (ETH) também opera em terreno positivo, subindo 6%, para US$ 2.686.

O aumento de preços coincidiu com o salto em ações chinesas na abertura dos principais mercados acionários da Ásia, ignorando os temores de contágio do conflito EUA-China. Investidores também seguem atentos à decisão do Fomc sobre o esperado reajuste na taxa de juros da economia americana.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

“Esperamos que muitas pessoas estejam dizendo: ‘talvez devêssemos adotar uma abordagem de esperar para ver”, disse Michael Safai, sócio-gerente da empresa de negociação quantitativa Dexterity Capital.

O especialista, no entanto, acredita que o aumento dos juros em 25 pontos-base já está precificado. “Sabíamos que essa taxa estava chegando há muito tempo. Os traders de criptomoedas são inteligentes”.

O salto no mercado cripto coincide com expectativa de alta após a notícia de que a Coinbase registrou retirada líquida de 31.130 bitcoins (US$ 1,2 bilhão) na última semana, o maior número semanal desde 2017.

“Visto que é a exchange com maior saldo de BTC e a ferramenta preferida para empresas com sede nos EUA, essa movimentação confirma a adoção do Bitcoin como um ativo macroeconômico por grandes instituições”, apontou a casa de análise Glassnode em relatório.

Na prática, a queda no saldo de Bitcoin disponível na corretora indica que menos criptomoedas estão disponíveis para liquidação, favorecendo a alta de preços mesmo que a demanda se mantenha.  Criptomoedas removidas de exchanges são, em geral, levadas para carteiras frias, desconectadas da Internet e basicamente inativas.

  • Assista: Inflação e crise global podem afundar o Bitcoin? Especialista conta no Cripto+

Traders experientes parecem ter previsto o salto de preços. Dados da ferramenta Skew apontaram um aumento da volatilidade de criptos, e logo corretoras de derivativos registraram um aumento na compra de contratos de opções de Bitcoin.

A suspeita é de que as compras se concentraram principalmente em calls (opções de compra) de longo prazo, de três meses a um ano, em sinal de busca de proteção contra o risco de uma alta repentina de preço nesse período.

Segundo o analista técnico Damanick Dantes, do CoinDesk, os indicadores técnicos do Bitcoin estão em sua maioria neutros e o volume de negociação está baixo, sugerindo que um movimento definitivo pode acontecer nesta semana – para cima ou para baixo.

O suporte (zona com muito interesse de compra) em US$ 37 mil segue forte, o gráfico mensal segue mostrando sinais de impulso negativos. Com isso, mesmo que a valorização da criptomoeda se prolongue no curto prazo, ela deverá estar limitada ao nível de resistência (zona com muito interesse de venda) de US$ 46.700.

Entre as altcoins, o destaque do dia é a The Graph (GRT), que sobe 16% em meio ao aumento da adesão de projetos à rede, com a promessa de oferecer “todos os dados públicos do mundo” via blockchain.

Outra que sobe é a Waves (WAVES), que avança 14,4% e já soma 30% de valorização nos últimos sete dias. O projeto ganhou notoriedade por ser fundada por um ucraniano e manter operações em território russo.

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 7h05:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC)US$ 40.552,71+5%
Ethereum (ETH)US$ 2.686,24+6%
Binance Coin (BNB)US$ 378,43+3,6%
XRP (XRP)US$ 0,771664+2,6%
Terra (LUNA)US$ 89,56-2,1%

As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

The Graph (GRT)US$ 0,416704+15,7%
Fantom (FTM)US$ 1,20+14,5%
Waves (WAVES)US$ 29,37+14,4%
Convex Finance (CVX)US$ 17,85+12,3%
Basic Attention Token (BAT)US$ 0,808664+10,1%

As criptomoedas com as maiores quedas nas últimas 24 horas:

THORChain (RUNE)US$ 6,98-11,7%
Humans.ai (HEART)US$ 0,04127654-4%
Xido Finance (XIDO)US$ 29,27-5,7%
Huobi Token (HT)US$ 29,27-2%
Terra (LUNA)US$ 89,56-2,1%

Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

ETFPreçoVariação
Hashdex NCI (HASH11)R$ 36,26+2,42%
Hashdex BTCN (BITH11)R$ 48,82+2,77%
Hashdex Ethereum (ETHE11)R$ 40,01+2,64%
Hashdex DeFi (DEFI11)R$ 37,77+4,91%
QR Bitcoin (QBTC11)R$ 13,00+5,77%
QR Ether (QETH11)R$ 9,94+5,29%
QR DeFi (QDFI11)R$ 6,61+4,09%

Veja as principais notícias do mercado cripto desta quarta-feira (16):

Zuckerberg confirma NFTs no Instagram

“Estamos trabalhando para trazer NFTs para o Instagram no curto prazo”, disse o CEO da Meta, Mark Zuckerberg, em um painel no festival South by Southwest, em Austinm, na terça-feira (15). O executivo, no entanto, disse que ainda não podia “anunciar exatamente o que vai ser.”

O fundador da Meta também comentou que espera que, nos próximos meses, os membros do Instagram possam cunhar seus próprios tokens não fungíveis dentro do aplicativo.

Em janeiro, o Financial Times informou que a Meta estava trabalhando em uma funcionalidade para permitir que usuários do Facebook e do Instagram pudessem exibir NFTs em seus perfis.

HSBC entra no metaverso de The Sandbox

O HSBC é o primeiro banco global a entrar no metaverso do Sandbox, disse a empresa de jogos blockchain em comunicado divulgado hoje.

O banco comprará um terreno no metaverso The Sandbox, que será desenvolvido para envolver os fãs de esportes, e-sports e jogos, diz a nota. Mais detalhes do desenvolvimento do HSBC no terreno virtual não foram anunciados.

Suresh Balaji, diretor de marketing do HSBC Ásia-Pacífico, afirma que o banco vê “grande potencial” na criação de “novas experiências por meio de plataformas emergentes”.

A parceria com o The Sandbox permitirá ao banco “criar experiências de marca inovadoras para clientes novos e existentes”, acrescentou.

Gucci, Warner Music Group, The Walking Dead, Snoop Dogg e Adidas estão entre as marcas globais que estão trabalhando com o Sandbox.

Em fevereiro, o JPMorgan disse que foi o primeiro banco a entrar no metaverso quando comprou um terreno na Decentraland para construir um lounge para clientes.

Banco do Brasil lança fundo com exposição a criptoativos

O Banco do Brasil anunciou ontem o lançamento do BB Multimercado Criptoativos Full IE, o primeiro fundo do banco brasileiro com exposição a criptoativos.

Destinado a investidores qualificados, o novo fundo tem gestão ativa e busca investir até 100% de seus recursos em ETFs e fundos de criptoativos internacionais.

Em nota, o BB afirma que o lançamento visa posicionar o banco no mercado cripto, citando o crescimento de 938% do número de investidores em criptomoedas no ano passado, segundo dados da Comissão de Valores Mobiliários.

“Recentemente, observamos que muitos investidores estão atentos a estas tecnologias disruptivas e gostariam de aproveitar o potencial de retorno desses ativos”, comenta Marcovistz, head de produtos, comunicação e marketing da BB DTVM.

“O mercado de cripto ainda é novidade para muitos investidores, mesmo entre os qualificados, por sua especificidade, além da alta volatilidade. Mas, ao mesmo tempo, é nesse cenário que podem surgir oportunidades para aqueles que topam assumir um pouco mais de risco em parte do seu portfólio”, aponta Eduardo Villela, gerente executivo de Captação e Investimentos do BB.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe