Criptos hoje

Bitcoin cai com receio de aperto monetário mais drástico nos EUA; Dogecoin vai na contramão e sobe por Elon Musk

Nível de US$ 45 mil vem sendo mantido, mas especialistas apontam que nova alta só deverá vir com queda de rendimento real dos títulos do Tesouro americano

Por  Paulo Alves, CoinDesk -

O mercado de criptomoedas caiu forte na noite de ontem em movimento que se estendeu pela madrugada acompanhando o fechamento negativo dos principais índices de ações americanos, após a diretora do Federal Reserve, Lael Brainard, apontar um aperto monetário mais agressivo com aumentos recorrentes das taxas de juros e reduções aceleradas no balanço do Fed como medidas para combater a inflação.

O Bitcoin (BTC) recua 2,7% nesta manhã e vai a US$ 45.338, enquanto o Ethereum (ETH) sofre mais, com perdas de 4,8% nas últimas 24 horas, sendo cotado a US$ 3.347 às 7h15 de hoje. As 100 principais criptos do mercado perderam, juntas, 3,5% do valor em relação ao mesmo horário ontem, equivalente a US$ 77 bilhões.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Nem as notícias de que a MicroStrategy adquiriu mais 4.100 bitcoins, no valor de cerca de US$ 190 milhões, e de que a fundação que controla as reservas do projeto Terra (LUNA) prepara uma nova compra de US$ 230 milhões, foram capazes de segurar o preço do Bitcoin.

“O mercado é grande o suficiente para isso não importar muito”, disse Cory Klippsten, CEO da plataforma Swan Bitcoin, ao CoinDesk.

Ainda assim, o fato de o Bitcoin ter mantido até aqui o suporte (preço com alto interesse de compra) em US$ 45 mil é visto como positivo, e um sinal de que os investidores ainda estão dispostos a acumular criptomoedas esperando por uma valorização mais à frente.

Os investidores institucionais estão nesse grupo, apontou a casa de análise Glassnode em relatório.

“As entradas em wBTC [versão do Bitcoin na rede Ethereum], ETFs canadenses e acumulação geral de investidores na cadeia têm sido historicamente fortes, especialmente após as mínimas de preços locais estabelecidas em 22 de janeiro”, afirmou a nota.

Dados compilados pela empresa mostram que as exchanges de criptomoedas tiveram saques significativos de criptomoedas – só de Bitcoin, foram quase 96.000 unidades retiradas do mercado por mês desde o final do ano passado. A atividade, segundo os analistas da Glassnode, sinaliza que uma “acumulação historicamente forte” está ocorrendo.

Por outro lado, agentes de mercado seguem atentos ao aumento dos retornos dos títulos do Tesouro americano, que atinge diretamente ativos de risco. O rendimento real do títulos de 10 anos dos EUA subiu para -0,38% esta semana, o maior desde o início de junho de 2020 – embora ainda negativo, já registra disparada de 66 pontos-base em um mês.

Segundo especialistas, o Bitcoin deverá ganhar fôlego para uma nova subida apenas quando investidores tiverem perspectiva de desaceleração das taxas de juros e, consequentemente, dos retornos da renda fixa americana.

“Outra grande disparada para ouro e Bitcoin provavelmente ocorrerá quando os rendimentos reais pararem de subir. Ainda não chegamos lá”, disse o fundador e chefe de pesquisa da plataforma True Insights, Jeroen Blokland, em postagem no Twitter.

Criptos com menor valor de mercado e que vinham em alta até a manhã de ontem caem forte nas primeiras horas do dia, caso de Celo (CELO) e THORChain (RUNE), por exemplo, que registram perdas de 12% a 13%.

Entre as 10 mais valiosas, o destaque negativo fica com Solana (SOL) e Avalanche (AVAX), que recuam cerca de 6% em 24 horas. Já o melhor desempenho é o da Terra (LUNA), que se mantém praticamente estável em meio à chegada do produto de renda passiva da Anchor, que entrega quase 20% de retorno anual, aos clientes da Binance.

Na ponta positiva, o projeto Stepn (GMT), que recompensa usuários por praticarem atividades físicas, e a Dogecoin (DOGE), que reage ao convite a Elon Musk para assumir uma cadeira no conselho do Twitter, remam contra a maré e registram ganhos de 24% e 4,3%, respectivamente.

  • Assista: Elon Musk e temporada de altcoins: veja análises de ETH, AAVE, DOGE, SOL e mais criptos

 

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 7h15:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC)US$ 45.338,07-2,7%
Ethereum (ETH)US$ 3.347,36-4,8%
Binance Coin (BNB)US$ 440,07-3,2%
Solana (SOL)US$ 124,16-6%
Terra (LUNA)US$ 115,06-0,5%

As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Stepn (GMT)US$ 2,68+24,2%
Dogecoin (DOGE)US$ 0,157173+4,3%
Ziliqa (ZIL)US$ 0,140938+2,3%
Humans.ai (HEART)US$ 0,04873084+1,8%
Mina Protocol (MINA)US$ 3,19+2%

As criptomoedas com as maiores quedas nas últimas 24 horas:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Frax Share (FXS)US$ 32,45-15,9%
Celo (CELO)US$ 4,26-13,5%
THORChain (RUNE)US$ 10,15-12,3%
Synthetix (SNX)US$ 6,12-9,5%
Lido DAO (LDO)US$ 4,09-9,5%

Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

ETFPreçoVariação
Hashdex NCI (HASH11)R$ 39,42+0,76%
Hashdex BTCN (BITH11)R$ 51,15-0,07%
Hashdex Ethereum (ETHE11)R$ 48,30+2,87%
Hashdex DeFi (DEFI11)R$ 45,00+0,82%
Hashdex Smart Contract Plataform FI (WEB311)R$ 49,66+2,34%
QR Bitcoin (QBTC11)R$ 13,58+2,33%
QR Ether (QETH11)R$ 11,80+0,42%
QR DeFi (QDFI11)R$ 8,49+0,59%

Veja as principais notícias do mercado cripto desta quarta-feira (6):

Produto de rendimento em cripto que entrega 20% anuais chega à Binance

O protocolo Anchor, que oferece renda passiva em criptomoedas com rendimento anual próximo de 20%, está agora disponível para os clientes da Binance.

Para obter retornos, usuários devem fazer staking (depósito em um contrato inteligente) da stablecoin Terra USD (UST). Tanto o Anchor quanto a UST rodam na blockchain Terra (LUNA).

A novidade traz a expectativa de aumentar a demanda pela stablecoin, o que pode impactar diretamente no preço do token Luna. A emissão de UST se dá pela queima (retirada do mercado) de Luna.

O produto que chega na Binance, no entanto, é mais limitado do que o oferecido pelo site da Anchor. Pela comodidade de não ter que lidar com uma carteira de criptomoedas convencional e os riscos do DeFi, o usuário só pode obter a taxa mais alta de rendimento, de 19,63%, com depósitos de até US$ 200 por 90 dias.

Os  retornos caem para 16,85% para staking de até US$ 2 mil (60 dias), e para 13,98% para valores até US$ 30 mil (30 dias).

O acesso ao produto não é regulado no Brasil e, portanto, não está disponível oficialmente para residentes no país.

Novo protocolo promete transformar Bitcoin em espécie de rede Swift

A startup Lightning Labs, criadora da Lightning Network, anunciou um novo protocolo chamado Taro, voltado para transferências rápidas e baratas de stablecoins.

A promessa do produto é oferecer um canal seguro para transferir criptos pareadas a moedas nacionais por meio da rede do Bitcoin.

Na prática, o novo software transforma a blockchain do Bitcoin em uma espécie de híbrido entre correspondente bancário e rede Swift.

“As pessoas poderão alternar perfeitamente entre Bitcoin e, digamos, uma stablecoin em dólares, peso, euro, ou iene, etc. E eles podem enviá-los globalmente, instantaneamente e com taxas extremamente baixas”, disse Elizabeth Stark, CEO da Lightning Labs, à CNBC.

O protocolo ainda está em desenvolvimento e não tem previsão de lançamento para o público final.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe