Bitcoin falha em superar US$ 17 mil com investidores temendo queda de mais uma exchange

Forbes já zerou fortuna de Barry Silbert, CEO da Digital Currency Group, controladora da corretora Genesis

Paulo Barros CoinDesk

Publicidade

Investidores que esperavam por uma definição do Bitcoin (BTC) após a divulgação da ata do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc na sigla em inglês) tiveram que renovar a paciência: apesar de ameaçar um rali, a criptomoeda não conseguiu superar os US$ 17 mil e voltou a ser negociada na mesma faixa dentro da qual vem operando agora há 20 dias.

Às 7h, o BTC registrava leve queda de 0,3%, a exatos US$ 16.805, respondendo de maneira neutra a uma ata do Fomc  mais dura do que esperado, mas que não foi suficiente para impedir uma sessão positiva nas bolsas de Nova York.

O Fed diz que os aumentos de preços teimam em permanecer, e que “se mostram mais persistentes do que o previsto”. As impressões foram dadas na reunião que resultou no aumento de meio ponto percentual dos juros americanos, 0,25 a menos que nos quatro reajustes anteriores.

Continua depois da publicidade

Diante disso, agentes de mercado estão de olho na possibilidade de os ganhos nas bolsas serem devolvidos nesta quinta-feira (5), com futuros de Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq recuando 0,20%, 0,21 e 0,30%, respectivamente.

As criptomoedas alternativas ao Bitcoin, conhecidas como altcoins, seguem aproveitando o marasmo da principal cripto do mercado e estendem ganhos nesta quinta, com destaque para o avanço de quase 8% da Chiliz (CHZ), criptomoeda da empresa especializada em fan tokens Socios.com. Além disso, Ethereum Classic (ETC) e Ethereum Pow (POW), “clones” do Ethereum (ETH), sobem 5,6% e 3%, respecitvamente.

Investidores que enxergavam o aumento dos juros como a principal barreira para a recuperação de preços agora se voltam mais para crises internas do setor, de olho nos efeitos da queda do projeto Terra, do hedge fund Three Arrows e da corretora FTX.

Continua depois da publicidade

O temor da vez é de um novo evento de cisne negro provocado pela eventual quebra da gigante cripto Digital Currency Group (DCG). Ela é dona da maior gestora de ativos digitais do mundo, a Grayscale, cujos fundos estão com cotas altamente descontadas e poderia ser obrigada a liquidar ativos no mercado para cobrir um rombo supostamente deixado pela corretora Genesis.

A exchange, que faz parte do mesmo grupo e interrompeu saques de clientes em novembro, precisa de mais tempo para resolver a situação financeira da empresa, disse ontem o CEO interino Derar Islim.

A situação da Genesis e de sua controladora Digital Currency Group ganhou um novo capítulo nesta semana após o cofundador da ex-parceira Gemini, Cameron Winklevoss, criticar Barry Silbert, CEO do DCG, por “táticas de má fé” na tentativa de reestabelecer o funcionamento da corretora. Segundo Winklevoss, a Genesis deve US$ 900 milhões aos clientes da Gemini.

Continua depois da publicidade

Para a revista Forbes, que falou em dezembro sobre as perdas de bilionários cripto ao longo de 2022, Silbert perdeu completamente sua fortuna. “A Forbes estima que o valor atual da participação de 40% de Silbert na DCG seja de aproximadamente US$ 0. Os investimentos pessoais de Silbert não puderam ser determinados”, disse a publicação.

O DCG também é dono do CoinDesk.

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 7h:

Continua depois da publicidade

Criptomoeda Preço Variação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC) US$ 16.805 -0,30%
Ethereum (ETH) US$ 1.247 -0,20%
Binance Coin (BNB) US$ 256 +0,40%
XRP (XRP) US$ 0,340830 -2,70%
Dogecoin (DOGE) US$ 0,072978 +1,00%

As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

Criptomoeda Preço Variação nas últimas 24 horas
Chiliz (CHZ) US$ 0,112345 +7,70%
eCash (XEC) US$ 0,00002438 +7,30%
Ethereum Pow (POW) US$ 3,29 +5,60%
Near Protocol (NEAR) US$ 1,55 +3,70%
Ethereum Classic (ETC) US$ 18,63 +3,00%

As criptomoedas com as maiores quedas nas últimas 24 horas:

Criptomoeda Preço Variação nas últimas 24 horas
Huobi (HT) US$ 4,70 -10,40%
Aptos (APT) US$ 3,72 -6,10%
OKC (OKT) US$ 25,77 -5,90%
Solana (SOL) US$ 13,02 -5,40%
OKB (OKB) US$ 26,92 -4,70%

Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

Continua depois da publicidade

ETF Preço Variação
Hashdex NCI (HASH11) R$ 16,24 +2,78%
Hashdex BTCN (BITH11) R$ 21,78 +2,73%
Hashdex Ethereum (ETHE11) R$ 19,79 +3,99%
Hashdex DeFi (DEFI11) R$ 15,73 -0,69%
Hashdex Smart Contract Plataform FI (WEB311) R$ 12,05 +2,72%
Hasdex Crypto Metaverse (META11) R$ 27,15 +2,49%
QR Bitcoin (QBTC11) R$ 5,61 +2,18%
QR Ether (QETH11) R$ 4,71 +4,66%
QR DeFi (QDFI11) R$ 2,73 +6,22%
Cripto20 EMPCI (CRPT11) R$ 4,84 +1,89%
Investo NFTSCI (NFTS11) R$ 16,20 +0,93%
Investo BLOKCI (BLOK11) R$ 78,71 +4,51%

Veja as principais notícias do mercado cripto desta quinta-feira (5):

Binance termina 2022 com 92% de market share

O market share da Binance no volume de negociação de Bitcoin aumentou para 92% até o final de 2022, mostram dados levantados pela casa de análise Arcane Research.

A participação de mercado da bolsa era de apenas 45% no início do ano passado, mas a eliminação das taxas de negociação em junho, sem mencionar o colapso da rival FTX em novembro, serviu para empurrar os usuários para a Binance.

“Não importa como você olhe em termos de atividade de trading, a Binance é o mercado de criptomoedas”, escreveu a Arcane em relatório. “Depois de suspender taxas de negociação para seus pares BTC no spot (negociações à vista), a Binance dominou completamente a participação de mercado”.

Ações de empresas cripto respiram em Wall Street

Depois de um 2022 marcado por quedas de 80% a 90%, muitas ações relacionadas a criptomoedas iniciam 2023 em terreno positivo após nova sessão de ganhos na quarta-feira (4).

O melhor desempenho ficou com os papeis da mineradora de Bitcoin Marathon Digital (MARA), que dispararam 24% ontem. Já a Riot Platforms (RIOT), também especializada em mineração, subiu 15%.

A exchange cripto Coinbase (COIN) ganhou 12,2%, ajudada pelo rali geral e pelo acordo com autoridade do mercado financeiro de Nova York para encerrar uma investigação sobre falhas no compliance da empresa.

Ex-advogado da FTX colaborou com autoridades, diz Reuters

Um ex-advogado da FTX forneceu detalhes sobre os negócios da empresa durante uma reunião com funcionários do Departamento de Justiça dos EUA (DOJ), do Federal Bureau of Investigation (FBI) e da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (a SEC), informou a Reuters, citando uma pessoa familiarizada com a situação.

A reunião com o advogado Daniel Friedberg e os promotores ocorreu no escritório do procurador do Distrito Sul de Nova York em 22 de novembro, segundo a fonte. A Reuters informou que viu e-mails de agendamento entre os participantes.

Friedberg disse aos promotores o que sabia sobre o uso de recursos de clientes por Sam Bankman-Fried para financiar seu império de criptomoedas, disse a fonte.

Paulo Barros

Editor de Investimentos