"Grande Fusão"

Ethereum 2.0: como atualização pode atrair investimentos institucionais

Derivativos de staking de Ethereum oferecem muitas das qualidades buscadas por investidores institucionais

Por  CoinDesk -

À medida que a expectativa e a cobertura da mídia começam a crescer antes da atualização do Ethereum (ETH), chamada de “Grande Fusão”, marcada para junho de 2022, uma narrativa popular sobre o “staking” de ETH e seus derivativos está começando a tomar forma: ou seja, o ETH travado na blockchain pode ser um veículo de investimento ideal para grandes instituições que querem mergulhar os dedos dos pés em investimentos cripto.

Atualmente, o staking de ETH já é um investimento muito popular entre traders e investidores de criptomoedas, mesmo que os depósitos sejam ilíquidos e impossíveis de serem negociados até algum tempo após a atualização. Na prática, o staking consiste em manter criptomoedas em carteira com o objetivo de receber recompensas pela validação de operações.

As soluções de staking líquidas – serviços que oferecem aos usuários um token negociável representando esses depósitos no contrato de staking ETH 2.0 – atualmente representam cerca de US$ 20 bilhões em depósitos, quase 10% de todo o Valor Total Bloqueado (TVL, na sigla em inglês) de projetos de finanças descentralizadas (DeFi), segundo dados da plataforma de monitoramento de dados DeFi Llama.

O motivo para este sucesso é a forma como os derivados de staking de ETH oferecem oportunidades lucrativas aos investidores como parte de estratégias complexas. Os usuários podem, por exemplo, aproveitar um token stETH, derivado de ETH do protocolo Lido, como garantia para muitos projetos DeFi.

O maior “pool” do protocolo Curve, por exemplo, é o stETH, com US$ 4,91 bilhões em valor total bloqueado. Uma estratégia popular é depositar ETH no contrato de staking do Ethereum por meio do Lido e receber stETH de volta. O usuário então fornece seu stETH como garantia para emprestar mais ETH e voltar a fazer staking do ETH emprestado por mais stETH.

O usuário pode repetir esse processo diversas vezes, em grande parte porque o interesse obtido com o staking é muito maior do que as taxas de empréstimo nas plataformas DeFi.

Por exemplo, a taxa percentual anual de retorno para staking de ETH é de aproximadamente 4%, enquanto a taxa de juros variável do ETH é de 2,33% na plataforma de empréstimos Aave (AAVE), permitindo que eles criem uma posição de rendimento alavancada.

Embora as estratégias que as instituições e os investidores individuais sejam diferentes, as propriedades principais do staking de ETH atraem ambos por razões semelhantes.

Um ponto de discussão popular entre os maximalistas de Ethereum, que acreditam na total dominância do ativo digital, é o “triplo pela metade”: após a atualização, a taxa de inflação anual do ETH cairá de 4,3% para 0,43%, com novas emissões caindo de 12.000 para 1.280 ETH por dia.

Combinado com a atualização EIP 1559, que introduziu um mecanismo de queima de Ethereum, o argumento é de que a mudança para a prova de participação será o equivalente a três “halvenings” (corte automático na criação de novas moedas) de Bitcoin de uma só vez.

Enquanto traders estão empolgados com o próximo choque de oferta de ETH há anos (sem mencionar os retornos mais robustos de staking, que, segundo algumas estimativas, podem exceder 10%), as instituições também estão começando a entender o cenário.

Em março, o provedor de serviços de staking Staked lançou um fundo de staking de ETH com o objetivo de obter retornos de 8% anuais. Da mesma forma, em junho, o Sygnum Bank, com sede na Suíça, introduziu serviços de staking institucionais para seus clientes. Até o Goldman Sachs está entrando nesses ativos.

O mercado de criptomoedas pode ser intimidador para investidores institucionais porque raramente parece estar ligado a qualquer fundamento – a bagunça de moedas de cachorro, memecoins e golpes adiaria qualquer adoção que se preze. Mas, retornos rastreáveis, escassez comprovável e infraestrutura tecnológica são qualidades que grandes investidores podem apreciar.

Mais de 10 milhões de ETH no valor de US$ 34 bilhões estão atualmente depositados no contrato ETH 2.0. À medida que o burburinho da atualização aumenta em meio à proximidade do evento, a expectativa é de vermos mais manchetes sobre as principais instituições financeiras se envolvendo nesse mercado também.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe