Você merece ter dinheiro?

Toda mulher merece ter dinheiro. Partindo desse princípio, escrevi um livro em homenagem a elas.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Poucas datas comemorativas são tão importantes quanto o Dia da Mulher. Digo isso porque o 8 de março não foi instituído como uma mera desculpa para aquecer o mercado; o dia vem carregado de lutas por igualdade social, por melhores condições de vida e de trabalho, enfim, por respeito. 

Então, juntei a minha imensa vontade de escrever um livro voltado ao público feminino com o desejo de homenageá-las e lancei a obra Eu mereço ter dinheiro! (Editora DSOP), na qual abordo o tema finanças em dez passos, trazendo dez personagens femininas dos contos de fadas infantis para mostrar o caminho para ter dinheiro de verdade e não cair na ilusão do “eu mereço” sem se esforçar – e se programar – para isso.
 
O assunto se faz extremamente necessário, uma vez que a mulher, hoje, representa a figura central de uma família e, muitas vezes, é a maior responsável pela vida financeira, seja administrando, seja contribuindo. Mas o que eu realmente procuro alertar é sobre os sonhos. A maioria das mulheres, depois que casaram e tiveram filhos, deixaram seus sonhos para segundo plano – ou até desistiram deles.
 
Como o mês da mulher está chegando, convido todas a pensarem nisso. Será que não estão vendo os dias passarem e esquecendo de viver? Se você sempre dá a desculpa de que não tem dinheiro ou que não sobra e não consegue poupar, é melhor refletir. Claro que, quando se tem família, quase sempre se pensa no coletivo, mas não se pode sucumbir todos os seus desejos individuais.
 
Sobre as finanças, comparo algumas mulheres com personagens de contos infantis. Será que você anda dormindo em vida como a inerte da Bela Adormecida? Ou deixando que outras pessoas lhe digam para onde ir como a influenciável Chapeuzinho Vermelho? Está esperando a chegada de um príncipe encantado para resolver a sua vida financeira como a Cinderela ou já se conformou em passar parte dos seus dias como a Branca de Neve, morando de favor na casa de sete anõezinhos mal-humorados que faziam com que ela lavasse, passasse, cozinhasse e costurasse em troca de um teto?
 
É um jeito bem-humorado que encontrei de falar dessa situação, mas a minha intenção é alertar. Já sonhou hoje? Se não, tente relacionar, no mínimo, três desejos: um de curto (até um ano), um de médio (de um a dez anos) e outro de longo prazo (acima de dez anos). Não importa o que seja – um par de sapatos novos, uma viagem, um carro –, o que você deve saber, antes de qualquer coisa, é o valor do sonho e quanto você poderá guardar por mês para realizá-lo. Para isso, é preciso estar no controle das finanças, ou seja, ter ciência de todos os ganhos e gastos. 
 
Sonhar é preciso e realizar é possível – com planejamento, é claro.  Não viva mais em um conto de fadas, esperando que as coisas aconteçam e se frustrando cada vez que não acontecem. Resgate a força e determinação que há em você!

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), autor de vários livros e criador da Metodologia DSOP de Educação Financeira.