Apetite ao Risco? O mito por trás do Perfil de Investidor.

Afinal, qual a real importância em conhecer o seu perfil de investidor? A História do Magrão nos ensina.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

O Futebol segue nos ensinando

Imagine-se na seguinte situação: Você está prestes a decidir a final de um importante campeonato e recebe a notícia de que o craque do seu time se lesionou, logo, você não poderá contar com ele na grande decisão.

Minutos depois o telefone toca e do outro lado, lhe oferecem como solução, um médico fumante e alcoólatra.

Médico e Fumante

PUBLICIDADE

Eu sei, a resposta mais óbvia seria desligar o telefone e pensar em uma outra alternativa menos arriscada, mas ao longo do texto, você perceberá que na verdade, está diante de uma grande oportunidade.

Chegaremos lá. 

Apetite ao risco

Você que acompanha o mercado financeiro e com alguma frequência lê artigos e notícias sobre investimentos, já deve ter se deparado inúmeras vezes com o conceito de “investir conforme o seu apetite pelo risco” ou investir conforme seu Perfil de Investidor.

Eu mesmo já fiz uso diversas vezes deste conceito e recomendo que meus leitores conheçam seu perfil de investidor, (se você não sabe o seu clique aqui) e ainda que possa parecer que o intuito deste texto seja desconstruí-lo, na verdade minha ideia é reconstruí-lo, ou melhorar as bases deste conceito.

Outra vez, o futebol nos ensina

No último artigo, quando falei sobre o retorno à média, tracei um paralelo com a nossa paixão nacional: O Futebol. Muitas pessoas gostaram da analogia e como se diz na gíria do esporte bretão: Em time que está ganhando, não se mexe.

Ao decidir escrever sobre este tema, lembrei de um grande personagem que me ajudará a reforçar o conhecimento mais profundo de seu perfil de investidor: O Doutor Sócrates.

PUBLICIDADE

Sócrates é considerado até hoje um dos jogadores mais cerebrais da história do futebol, tendo sido a única unanimidade em pesquisa da Revista Placar (2006), que escalou o maior time do Corinthians de todos os tempos.

Por que Sócrates?

Além da carreira de jogador, Sócrates formou-se em medicina e trabalhou também como músico, técnico de futebol, produtor teatral, comentarista esportivo e ator.

Conta a história que Sócrates era um tabagista inveterado e alcoólatra, características incomuns tanto para um atleta quanto para um médico. Percebam que é praticamente impossível traçar o perfil do “Magrão”, mas isso não foi impeditivo para o êxito de sua carreira.

Talvez eu tenha lhe induzido a pensar que voce não tenha nascido para ser um grande investidor, ou que faça parte da turma dos investidores conservadores ( a maioria dos iniciantes tem esta impressão).

Mas enquanto você não entende o seu perfil ou não o conhece, quero ajudá-lo a encontrar êxito nos seus investimentos.

Risco nos Investimentos e Perfil de Investidor

Quando você se depara com uma tabela sobre perfis de investidor, você começa a entender que naturalmente quanto mais à direita da tabela (exemplo abaixo), maior a quantidade de “investimentos arriscados”. E muitas pessoas pensam que quanto mais à direita da tabela você está, maior o seu “apetite ao risco”, modo de pensar que eu não gosto. Mas antes  de explicar o porquê, vale explicar melhor a palavra “risco”.

ConservadorModeradoAgressivo
Pouco ou nenhum investimento de riscoBalanceadoConsiderável quantidade de investimentos de risco

Risco

Quando falamos em investimentos de risco, logo pensamos no mercado de Renda Variável, cujo expoente são as Ações.

Neste mercado por exemplo, medimos risco pela volatilidade, que nos remete a uma combinação entre a probabilidade de ocorrência de um evento específico (aleatório, futuro e independente da vontade humana) e o impacto (positivo ou negativo) resultante, caso ele de fato ocorra. Traduzindo do linguajar “castiço” para o popular: Qual a chance de que aconteça alguma coisa que impacte de forma muito boa ou muito ruim o meu investimento?

Quando colocamos sob esta ótica, fica mais fácil explicar porque não gosto da expressão “apetite pelo risco” e prefiro a palavra aceitação de risco. Me parece ilógico pensar que alguém tenha apetite por um evento que possa aumentar a probabilidade de ter um impacto negativo na rentabilidade de seu dinheiro. Ou seja, alguém que torça por um evento que gere prejuízos.

O Gráfico abaixo ajuda a explicar a Volatilidade:

Imagine que a linha em Verde represente a Renda Fixa, seria um ativo que compramos por R$ 27,00 e sabemos que no final de 1 ano vai valer exatamente R$ 30,00, ou seja, não tem nenhuma incerteza, a sua previsão de retorno é fixa.

Já o ativo em Vermelho, representa por exemplo, um Fundo Multimercado, que comprado pelos mesmos R$ 27,00 pode terminar o ano entre R$ 39,00 e R$ 21,00. 

Finalmente temos o ativo em Azul, representando uma única ação, que pode terminar o ano entre R$ 48,00 e R$ 12,00.

O risco (medido pela volatilidade) no mercado de renda variável, é justamente a incerteza sobre o resultado do seu investimento ao final do período de observação, neste caso 1 ano. E não a chance de seu dinheiro ou investimento desaparecer.

Porém a palavra risco, entra pelos ouvidos dos investidores e vai diretamente ao estômago, gerando uma incômoda dor de barriga, pois é normalmente associada ao fato de uma perda de todo o seu capital ou desaparecimento dele.

Voltando à nossa história…

Você escalaria um médico fumante e alcoólatra para ser titular do seu time em uma final de campeonato?

Baseado apenas nesta premissa, se a sua resposta for sim, você realmente é uma pessoa com apetite ao risco, afinal, as chances de um médico possuir talento para a prática profissional do futebol são mínimas. Adicione o tabaco e as seguidas bebedeiras e teremos um cenário muito propício para o fracasso.

Assim como a maioria das pessoas, sua decisão provavelmente seria contrária à esta ideia, simplesmente porque naturalmente tende a tomar decisões mais lógicas e seguras.

Peneira é o processo de seleção onde garotos são escolhidos para começar na carreira como jogador.

O balizador do seu maior ou menor “apetite ao risco” atende pelo nome de Conhecimento. É ele (e apenas ele) que determinará as suas reais probabilidades de sucesso ou insucesso.

As tradicionais recomendações de carteira, que vêm junto com todos os Testes de Perfil de Investidor serão somente a “peneira” em sua jornada como investidor.

Se você tivesse estudado a carreira do Doutor Sócrates, saberia que ele foi um jogador completo, cobrador de faltas, cabeceador e dono do calcanhar mais famoso da história de futebol.

Agora, eu tenho certeza que você não só escalaria o Magrão, como também lhe concederia a braçadeira de capitão!

Neste caso, risco, seria não escalá-lo.

Avaliando o risco em sua carteira de investimentos

Um investidor com uma carteira posicionada 60% em renda variável, pode sim ter menos “apetite por risco” do que um iniciante posicionado em 10% no mercado de ações, contanto que o primeiro, conheça a fundo as empresas e os segmentos onde resolveu alocar seus recursos ou ainda (e não menos importante), esteja ciente dos prováveis rumos da economia (interna e externa).

Com este conhecimento, podemos investir com mais “segurança” no ativo em azul, pois apesar de não saber em que lugar o mesmo estará ao final do ano, podemos ter grande certeza de que será na faixa de cima.

Um bom exemplo são ações como as do Itaú (itub4), que em 2015 durante a última crise política, tiveram uma queda de 35% no valor de suas ações, gerados principalmente pelo “medo” gerado nos investidores com menos conhecimento.

O que poucos pararam para pensar é que a empresa estava batendo recordes de lucro, se tornando um investimento muito óbvio para aqueles que aceitassem a volatilidade ( ou risco ) até que a crise política terminasse.

Muitos reclamam sobre as altas taxas cobradas pelos bancos ou por suas lucratividades incríveis, mas poucos pensam que podem ser sócios dos mesmos.

Fonte: Fundamentus

Algo parecido, aconteceu nos últimos anos com o Magazine Luíza ( mglu3 ) e pode estar acontecendo com Brasil Foods ( brfs3 ) dependendo de como a empresa vai lidar com a atual crise. Escolher bem estas oportunidades, podem ser muito menos “arriscado” do que parece.

E tenho a ousadia de dizer que no atual nível das taxas de juros, ficar fora do mercado de ações, seja através de fundos de investimentos ou diretamente comprando ações de alguma empresa, pode ser extremamente arriscado. Afinal, com uma SELIC próxima a 6% e uma inflação projetando 4%, teremos apenas 2% de juros reais, muito longe das metas atuais de 6% acima da inflação, sugeridas para a maior parte dos poupadores garantirem a sua aposentadoria.

Dica aos iniciantes

Comece a investir de forma bastante conservadora, vá aprendendo, experimentando os investimentos de Renda Variável.

Em minha experiência atuando como assessor de investimentos, já sugeri reduções drásticas em posições de bolsa para clientes tidos como “agressivos”, por uma simples razão: Ao longo de nosso relacionamento, percebi que o mesmo, não estava confortável com a exposição em renda variável ou em fundos que alocavam boa parte de seus ativos nela.

A cada evento desfavorável aos seus interesses, pense se o mesmo não é uma oportunidade de comprar algumas pechinchas, ao invés de simplesmente correr em busca de segurança.

Veja o que diz Warren Buffet ( em tradução livre), um dos homens mais ricos do mundo e que conquistou a maior parte de sua fortuna comprando ações: A maioria das pessoas fica interessada em comprar ações quando todo mundo está. O momento certo é quando ninguém está interessado. Você não pode comprar ações quando isso é popular e se dar bem.

Forbes mais ricos

A já citada falta de conhecimento, faz com que muitos investidores abandonem suas posições em correções de curto prazo, quando o melhor momento para comprar este tipo de investimento é justamente nas correções.

Estes eventos costumam revelar que o agressivo é mais moderado do que aparentava e por sua vez o moderado, flerta deliberadamente com o conservadorismo. Mas em alguns poucos casos, vemos investidores que se consideram conservadores comprando investimentos em momentos de queda, mostrando-se sofisticados e agressivos.

Mas não se esqueça: Esta aptidão só vem com o tempo, com o aprendizado e na maior parte das vezes aprendendo com os erros.

A solução é diversificar

Resumindo, o seu “norte” é ter conhecimento o suficiente para acertar o momento de comprar o que ninguém está interessado, mas isso leva tempo. Então, o que fazer enquanto isso?

Independente do seu perfil e até mesmo do seu conhecimento, a palavra que permeará os seus investimentos principalmente em uma ano turbulento como o atual é: Diversificação.

Ou seja, uma carteira de investimentos com bons fundos multimercados, pós fixados, uma boa carteira de ações, o CDB nosso de cada dia, etc. De forma que mesmo que você não acerte o timming perfeito de suas compras, você vai participar da próxma grande alta, seja de que mercado ela for.

Lembre-se do nosso mestre da diversificação: o Doutor, jogador, músico, comentarista e produtor, Sócrates!

O que fazer com o meu perfil de investidor?

Traçar o seu perfil de investidor é importante sim, pois, através dele lhe serão indicados produtos que em tese, te deixarão mais confortável em relação a sua montagem de carteira.

No entanto, realizar um teste de perfil e montar uma carteira de investimentos de acordo com o resultado obtido, é apenas o pontapé inicial de uma longa jornada. Ainda não conhece seu perfil? Clique aqui.

A busca por conhecimento, além de auxiliá-lo na descoberta de novos produtos, moldará aos poucos sua carteira, de modo a lhe deixar tranquilo e confortável a respeito de sua alocação, independente de uma maior ou menor exposição a produtos de renda variável.

Lembre-se do provérbio atribuído a Sócrates (agora falo do filósofo grego, não o jogador) sobre àqueles que tentam ultrapassar o que são: Conhece a ti mesmo!

Entenda o meu trabalho

Se você precisa de ajuda para aprender a investir ou melhorar a sua maneira de investir, estou a disposição para ajudar. Além de escrever sobre investimentos aqui no Infomoney e em meu portal de investimentos: Euqueroinvestir.com, também atuo como assessor de investimentos ligado a XP Investimentos.

O meu serviço é gratuito para você investidor e para que possamos conversar mais sobre o meu trabalho, basta você preencher um formulário solicitando o meu contato no botão:

Quero convidar você também a nos seguir no Facebook , Instagram  e Twitter

Um forte abraço e até a próxima.

Conhece a ti mesmo

Juliano Custodio