Previdência: Investindo no longo prazo

Aprenda a escolher o melhor produto de previdência de acordo com seu objetivo

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

Um problema bastante comum para a maioria das pessoas é como formar reserva financeira de longo prazo para suas aposentadorias, mantendo o padrão de vida. Num primeiro momento, parece bastante simples: em geral as pessoas contratam produtos de previdência (PGBLs ou VGBLs) através de seus bancos.

A complexidade começa com as perguntas subsequentes: Como escolher a melhor alternativa? Que características estes fundos devem ter? Qual a melhor politica de investimentos para atingir o objetivo de preservação do poder de compra no longo prazo?

Ao longo dos últimos anos, o crescimento do total de recursos investidos em fundos de previdência foi impressionante, atingindo atualmente R$ 450 bilhões. 


Patrimônio dos Fundos de Previdência ( em milhões de reais ) – fonte: Anbima

Em geral, os fundos são classificados pela ANBIMA nas seguintes categorias:

  • Previdência Renda Fixa 
  • Previdência Balanceada – até 15%  de renda variável
  • Previdência Balanceada – de 15-30%  de renda variável
  • Previdência Balanceada – acima de 30%  de renda variável
  • Previdência Multimercados 
  • Previdência Data-Alvo 
  • Previdência Ações 

O patrimônio atual é distribuído da seguinte maneira:

 


Distribuição dos recursos por tipo de fundo – fonte : Anbima

Como pode ser visto, a maior parte dos recursos está nos fundos da categoria Previdência Renda Fixa. Esses fundos podem ter exposição aos seguintes fatores de risco: Juros do mercado doméstico, Crédito e Índice de Preços do mercado doméstico. Em geral, eles acompanham a taxa CDI.

No entanto, como podemos ver abaixo, a taxa CDI nem sempre consegue gerar retornos acima da inflação (mesmo desconsiderando eventuais custos de gestão, administração e custódia).


Retorno real do CDI – fonte : Vinci Partners

Acreditamos que os recursos investidos para o longo prazo devam ser capazes de gerar rendimentos acima da inflação, o que chamamos de “proteção contra a inflação”. Em nosso entendimento, esta característica deve permear os investimentos realizados pelos fundos de previdência. O retorno excedente, ou seja, o ganho obtido acima da inflação, é que garantirá o crescimento dos recursos para que no longo prazo a aposentadoria possa ser paga sem frustrações (e assim o investidor possa obter um fluxo de caixa como o imaginado no início dos investimentos e que preserve o padrão de vida do investidor quando de sua aposentadoria).

Assim, é importante mitigar o risco dos recursos investidos em previdência não serem capazes de gerar os rendimentos esperados pelos investidores.

O que procurar? Quais classes têm como característica a “proteção contra a inflação”?

Podemos destacar duas classes de ativos que têm esta característica e possuem muita liquidez:

1. Títulos Públicos – NTN-Bs (Notas do Tesouro Nacional – série B):

Este título proporciona rentabilidade real, ou seja, garante o aumento do poder de compra do dinheiro, pois seu rendimento é composto por duas parcelas: uma taxa de juros prefixada e a variação da inflação (IPCA). Desse modo, independentemente da variação da inflação, a rentabilidade total do título sempre será superior a ela. A rentabilidade real, nesse caso, é dada pela taxa de juros prefixada, contratada no momento da compra do título.

2. Renda Variável – Estratégia Dividendos:

Acreditamos que o investimento em ações boas pagadoras de dividendos, é atrativo, pois são de empresas com bom potencial de retorno no longo prazo e que apresentam menor volatilidade. Tais empresas, em geral, são maduras, com baixo risco de negócio, baixo risco de projeção, geram lucros e têm baixa necessidade de reinvestimento. Possuem geração sustentável de caixa e distribuição de resultados e também têm receitas com proteção contra inflação. Desta forma, são alternativas interessantes para a busca de retorno no longo prazo, ao mesmo com alguma proteção implícita contra inflação.

Acreditamos que Investindo em fundos que possuem estas características e/ou políticas de investimento similares, o investidor maximiza suas chances de obter retornos acima da inflação, evitando frustações quando for utilizar os recursos.

Equipe InfoMoney