Podcast Outliers

Verde Asset: As convicções e as divergências de Luiz Parreiras e seu “mentor”, Luis Stuhlberger

Convidado do sétimo episódio do podcast "Outliers", Luiz Parreiras fala de sua trajetória e conta como a gestora tem passado pela crise

SÃO PAULO – Há quase 20 anos trabalhando diariamente ao lado de um dos mais renomados gestores brasileiros, Luiz Parreiras tem o desafio de gerir fundos da Verde com a cobrança pelo brilhantismo de Luis Stuhlberger e lidar com as inevitáveis comparações.

Mas ele está longe de se importar. Pelo contrário, transparece o orgulho de ter como exemplo o principal sócio e líder da Verde Asset e, ao mesmo tempo, deixa claro como tem liberdade para expor e debater suas ideias no dia a dia, sendo um dos responsáveis pela gestão de quase R$ 50 bilhões da casa.

Parreiras é o convidado do sétimo episódio do podcast “Outliers”, apresentado por Samuel Ponsoni, analista de fundos da XP.

No programa, o sócio e gestor de algumas estratégias de multimercados e previdência da Verde Asset fala de sua formação na engenharia, conta como foi o começo de sua carreira, quando “aprendeu como funciona a cozinha de um fundo de investimento”, e como foi construída sua relação com Stuhlberger. “Ele é um gênio, mas não se comporta como dono da verdade.”

Gestor experiente, Parreiras abordou como estão enfrentando a crise atual, admitiu que a Verde se antecipou ao investir no mercado acionário americano logo no início do estouro da pandemia e destacou que a gestora tem hoje uma posição menor nos EUA, ainda que acredite se tratar de um dos melhores mercados para se apostar, dados o tamanho dos estímulos adotados e a qualidade das empresas do país.

No Brasil, por outro lado, o maior grau de incerteza limita a exposição. “Ainda temos posições de Bolsa, mas não muito grandes”, contou Parreiras.

Leia também:
Apesar de retomada dos mercados, grau de incerteza aumentou significativamente, diz Verde

Prova da autonomia para gerir seus fundos, Parreiras e Stuhlberger têm visões diferentes sobre o câmbio, que se refletem atualmente sobre suas estratégias nos fundos Scena e de previência, tocados pelo primeiro, e no Verde, capitaneado pelo segundo.

“Acho que o dólar é o grande hedge disponível no mercado brasileiro”, afirmou o gestor. “O diferencial de juros e ser o hedge mais eficiente me fazem manter a posição comprada.”

Até a atual crise gerada pela pandemia do coronavírus, o último período de maior estresse dos fundos da Verde tinha sido em 2008. A crise financeira da década passada gerou um grande aprendizado para Parreiras, em especial em termos de caixa e liquidez dos ativos, assim como no que diz respeito ao relacionamento com os clientes em momentos de ânimos à flor da pele.

“Não existe gestor que acerta sempre. A gente sempre tem que minimizar o tamanho e o impacto dos nossos erros, e maximizar o tamanho e o impacto dos nossos acertos. E colocar isso dentro de um portfólio. É um aprendizado permanente.”

Confira a conversa completa para saber mais sobre o processo de gestão, os erros e os aprendizados em momentos de crise e os conselhos para os investidores mais novatos do mercado.

É possível seguir e escutar os episódios de Outliers por Spotify, Deezer, Spreaker, Apple e demais agregadores de podcast.

Confira também os convidados dos episódios anteriores, entre eles, André Jakurski, fundador da gestora JGP, Márcio Appel, fundador da Adam, e Mário Torós e Rodrigo Azevedo, sócios da Ibiúna.

O passo a passo para trabalhar no mercado financeiro foi revelado: assista nesta série gratuita do InfoMoney.