Renda fixa

Tesouro Direto: taxas de títulos públicos têm alta em dia de decisão do Copom

Investidores aguardam anúncio sobre a taxa Selic; corte esperado é de 0,5 ponto percentual

arrow_forwardMais sobre
Calculadora e notas real
(Shutterstock)

SÃO PAULO – As taxas oferecidas pelos títulos públicos negociados no Tesouro Direto, programa que possibilita a compra e venda de papéis por investidores pessoas físicas por meio da internet, apresentam alta na tarde desta quarta-feira (11).

Hoje, investidores seguem no aguardo pelas decisões de política monetária do Banco Central, no Brasil, e do Federal Reserve, nos EUA, que irão decidir o rumo das taxas de juros nos respectivos países. Por aqui, a expectativa unânime de gestores de fundo macro, segundo levantamento da XP, é por um corte de meio ponto percentual da Selic, levando a taxa básica de juros para 4,5% ao ano.

Na visão dos gestores, a Selic deve sofrer mais um corte no ano que vem, encerrando 2020 em 4,25% a.a.

Já nos Estados Unidos, o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) decidiu manter a taxa de juros na faixa entre 1,50% e 1,75%. Em comunicado, os dirigentes indicaram que não mudarão as taxas em 2020. “O Comitê julga que a posição atual da política monetária é apropriada para apoiar a expansão sustentada da atividade econômica, as fortes condições do mercado de trabalho e a inflação perto do objetivo simétrico de 2%”, escreveu.

Leia também:
Como e onde investir no Brasil com a Selic a 4,5% ao ano? Especialistas respondem
BlackRock diz que período de retornos ‘extraordinários’ em renda variável acabou
Os melhores fundos de ações e multimercados até novembro

No Tesouro Direto, o título prefixado com vencimento em 2022 pagava uma taxa anual de 5,21%, ante 5,18% a.a. na abertura do dia.  O investidor podia aplicar uma quantia mínima de R$ 36,05 (recebendo uma rentabilidade proporcional à aplicação) para investir no papel, ou adquirir o título integralmente por R$ 901,41.

O Tesouro Prefixado com vencimento em 2025, por sua vez, pagava 6,35% ao ano, ante 6,31% a.a. anteriormente.

Nos títulos atrelados à inflação, o com prazo em 2024 oferecia um prêmio anual de 2,22%, ante 2,20% a.a. pela manhã, enquanto o retorno dos títulos com vencimentos em 2035 e 2045 subia de 3,25% para 3,28% ao ano.

Confira, a seguir, os preços e as taxas dos títulos disponíveis no Tesouro Direto:

Fonte: Tesouro Direto

Saia da poupança e faça seu dinheiro render mais: abra uma conta gratuita na Rico

Baixo risco, liquidez e acessibilidade

O Tesouro Direto é considerado a opção de investimento com o menor risco no Brasil e com ampla acessibilidade, dado o investimento mínimo a partir de R$ 30. Outra vantagem do programa diz respeito à liquidez, com a possibilidade de recompra diária dos títulos públicos pelo Tesouro.

O investidor pode aplicar em títulos públicos diretamente pelo site do Tesouro, se cadastrando primeiro no portal e abrindo uma conta em uma corretora, como a Rico Investimentos, por exemplo, para intermediar as transações. Atualmente, a maior parte das instituições financeiras habilitadas a operar no programa não cobra taxa de administração.

O único custo obrigatório que recai sobre o investimento em títulos públicos pelo Tesouro Direto corresponde à taxa de custódia, de 0,25% ao ano sobre o valor dos títulos, cobrada semestralmente no início dos meses de janeiro e de julho.

Entenda tudo sobre Tesouro Direto neste guia completo:

Guias InfoMoney

Tesouro Direto  Tesouro Direto