Renda Fixa

Tesouro Direto: taxas de títulos públicos sobem com maior aversão ao risco

Mercados acompanharam reunião da OMS, que declarou emergência global de saúde devido à epidemia de coronavírus

notas de 100 e 50 reais
(Shutterstock)

SÃO PAULO – As taxas dos títulos públicos negociados no Tesouro Direto, programa que possibilita a compra e venda de papéis por investidores pessoas físicas por meio da internet, fecharam o pregão desta quinta-feira (30) em alta, em meio a um ambiente de maior aversão ao risco.

À tarde, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou emergência global de saúde devido à epidemia do novo tipo de coronavírus que atinge a China. Com isso, uma ação coordenada de combate à doença deverá ser traçada entre diferentes autoridades e governos de diversos países.

Nos Estados Unidos, o Produto Interno Bruto (PIB) teve um avanço de 2,3%, o menor ritmo em três anos. Em 2018, a economia americana cresceu 2,9% e em 2017 a alta foi de 2,4%.

No Brasil, a agenda de indicadores trouxe o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), que apresentou alta de 0,48% em janeiro, desacelerando sobre o avanço de 2,09% registrado em dezembro. O resultado veio abaixo do esperado pelo consenso Bloomberg, que era de alta de 0,54%.

Leia também:
Número de investidores no Tesouro Direto aumenta em 415 mil em 2019
Tesouro pretende lançar título prefixado com vencimento acima de 10 anos

No Tesouro Direto, o título prefixado com vencimento em 2022 pagava 4,96% ao ano, ante 4,94% a.a. na abertura do dia. O investidor podia adquirir o título integralmente por R$ 911,74 ou aplicar uma quantia mínima de R$ 36,46 (recebendo uma rentabilidade proporcional à aplicação).

O papel com juros semestrais e vencimento em 2029, por sua vez, oferecia um prêmio anual de 6,69%, ante 6,65% ao ano anteriormente.

Entre os títulos indexados à inflação, o Tesouro IPCA+2024 pagava 2,32% ao ano, ante 2,28% a.a. pela manhã, enquanto o retorno do Tesouro IPCA+2035 avançava de 3,36% para 3,38% ao ano.

Confira, a seguir, os preços e as taxas dos títulos disponíveis no Tesouro Direto:

Fonte: Tesouro Direto

Invista a partir de R$ 100 no Tesouro Direto com taxa ZERO: abra uma conta gratuita na Rico

Baixo risco, liquidez e acessibilidade

O Tesouro Direto é considerado a opção de investimento com o menor risco no Brasil e com ampla acessibilidade, dado o investimento mínimo a partir de R$ 30. Outra vantagem do programa diz respeito à liquidez, com a possibilidade de recompra diária dos títulos públicos pelo Tesouro.

O investidor pode aplicar em títulos públicos diretamente pelo site do Tesouro, se cadastrando primeiro no portal e abrindo uma conta em uma corretora, como a Rico Investimentos, por exemplo, para intermediar as transações. Atualmente, a maior parte das instituições financeiras habilitadas a operar no programa não cobra taxa de administração.

O único custo obrigatório que recai sobre o investimento em títulos públicos pelo Tesouro Direto corresponde à taxa de custódia, de 0,25% ao ano sobre o valor dos títulos, cobrada semestralmente no início dos meses de janeiro e de julho.

Entenda tudo sobre Tesouro Direto neste guia completo:

Guias InfoMoney

Tesouro Direto  Tesouro Direto