Central de FIIs

Ifix fecha sessão com queda de 0,09%; FII BCRI11 é destaque de alta

O fundo Banestes Recebíveis Imobiliários (BCRI11) liderou a lista das maiores altas do pregão, com elevação de 2,11%

Por  Wellington Carvalho -

O IFIX – índice que reúne os fundos imobiliários mais negociados na B3 – fechou a sessão desta quarta-feira (03) com queda de 0,09%, aos 2.806 pontos. O fundo Banestes Recebíveis Imobiliários (BCRI11) liderou a lista das maiores altas do pregão, com elevação de 2,11%. Confira os demais destaques de hoje ao longo do Central de FIIs.

Quatro fundos imobiliários anunciaram, nesta terça-feira (2), a assinatura de contratos com novos locatários, reduzindo a vacância dos portfólios – e, em alguns casos, elevando a distribuição de dividendos.

Entre eles, está o Tellus Properties (TEPP11), fundo do segmento de lajes corporativas, que alugou três conjuntos do Edifício Passarelli e um do condomínio São Luiz, ambos imóveis localizados na capital paulista.

Os espaços representam uma área de quase 1,5 mil metros quadrados e serão locados para o Centro de Imagem Diagnóstica, mais conhecido como Alliar.

O contrato tem duração de 60 meses e prevê carência – sem recebimento de aluguel – de um semestre. Após o período, o fundo calcula um aumento na distribuição de dividendos de até R$ 0,03 por cota. A vacância da carteira cairá de 8,16% para 4,31%.

Já o FII Hedge Logística (HLOG11) assinou, nesta terça-feira (2), contrato para a locação de oito módulos do Galpão B, pertencentes ao Condomínio Citlog Viracopos, na cidade de Itupeva, em São Paulo.

As unidades totalizam pouco mais de 40 mil metros quadrados de área bruta locável (ABL), que representam 16% do portfólio do fundo, conforme aponta fato relevante.

De acordo com o documento, os espaços serão locados para a Coopercarga, operador logístico com mais de 30 anos de atuação, que ocupará os módulos durante os próximos 36 meses.

Apesar do novo contrato, o Hedge Logística não projeta alteração na distribuição de dividendos.

O terceiro fundo a anunciar novo inquilino foi o FII Edifício Galeria (EDGA11), que assinou contrato com a Marte Engenharia para a locação de parte do segundo pavimento do edifício homônimo.

A nova locação tem prazo de cinco anos e elevará a receita do fundo em aproximadamente 7,09%, sinaliza comunicado da carteira ao mercado.

O fundo é proprietário de 100% do Edifício Galeria, localizado na Rua da Quitanda, no Centro do Rio de Janeiro. O imóvel abriga oito pavimentos de lajes corporativas, cinco lojas, dois restaurantes com área de convivência, além de um mall localizado no térreo.

De acordo com o relatório gerencial divulgado no mês passado, a taxa de vacância do FII Edifício Galeria estava em 50,41%.

Finalmente, o FII Torre Norte (TRNT11) confirmou a Semp TCL Indústria e Comércio de Eletroeletrônicos como nova locatária do fundo. A empresa ocupará 1,5 mil metros quadrados de ABL do edifício que leva o mesmo nome do fundo e está localizado no Centro Empresarial das Nações Unidas, em São Paulo.

O novo contrato tem prazo de cinco anos e representa um acréscimo de 3,49% na receita da carteira, que apresentava uma taxa de vacância de 50,37%, de acordo com o último relatório gerencial.

Maiores altas desta terça-feira (02)

TickerNomeSetorVariação (%)
BCRI11Banestes RecebíveisTítulos e Val. Mob.2,11
XPML11XP MallsShoppings2,02
BTAL11BTG Pactual AgroOutros2
FCFL11Campus Faria LimaOutros1,75
HSAF11 HSI Ativos FinanceirosTítulos e Val. Mob.1,49

Maiores baixas desta terça-feira (02):

TickerNomeSetorVariação (%)
PVBI11VBI Prime PropertiesLajes Corporativas-3,23
XPPR11XP PropertiesOutros-1,56
ARRI11Átrio Reit RecebíveisTítulos e Val. Mob.-1,48
VCJR11Vectis Juros RealTítulos e Val. Mob.-1,41
BRCR11BC FUNDHíbrido-1,4

Fonte: B3

VBI Consumo Essencial (EVBI11) lança oferta para captar quase R$ 27 milhões

Em fato relevante divulgado nesta terça-feira (2), o FII VBI Consumo Essencial comunicou ao mercado a aprovação da sexta emissão de cotas do fundo, que pretende captar até R$ 26,99 milhões.

De acordo com o comunicado, o valor unitário para a subscrição das novas cotas foi fixado em R$ 98. Na abertura do mercado nesta quarta-feira (3), o papel estava sendo negociado a R$ 99.

Os atuais cotistas terão direito de preferência na oferta, na proporção de 20%, de acordo com dados do VBI Consumo Essencial.

Com patrimônio líquido de R$ 140 milhões, o fundo conta com cinco imóveis no portfólio que, juntos, somam uma ABL de 27.733 metros quadrados.

Os espaços estão localizados no Rio de Janeiro e São Paulo e quatro deles têm como locatário o Grupo Pão de Açúcar. A vacância do portfólio está zerada.

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Giro Imobiliário: Copom define novo patamar da Selic; cotistas querem trocar administradora e gestora do RBCO11

Banco Central deve elevar Selic para 13,75% na quarta, mas vai sinalizar fim do ciclo de alta dos juros?

A primeira sessão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, com a análise de conjuntura, começou nesta terça-feira (2), estendendo-se pela tarde de ontem e pela manhã desta quarta-feira (3).

Hoje à tarde, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, e os oito diretores da instituição têm mais uma rodada de discussões antes de indicarem o novo patamar da Selic (a taxa básica de juros), atualmente em 13,25% ao ano.

A expectativa majoritária do mercado financeiro é de alta de 0,50 ponto porcentual dos juros básicos, para 13,75% ao ano, conforme 49 das 51 instituições consultadas pelo Projeções Broadcast. Uma casa espera aumento de 0,25 ponto, a 13,50%, enquanto uma projeta a manutenção do patamar atual da Selic. O consenso Refinitiv com 34 instituições também projeta alta de 0,5 ponto nos juros.

A aposta quase unânime na elevação da taxa a 13,75% segue sinalização dada pelo Copom no último encontro, em junho. “Para a próxima reunião, o Comitê antevê um novo ajuste, de igual ou menor magnitude”, disse no comunicado da decisão passada, quando elevou os juros também em 0,5 ponto.

Caso esse aumento seja confirmado, os juros básicos atingirão o mesmo patamar de janeiro de 2017. Será a 12ª alta consecutiva neste ciclo de aperto monetário, que já é o mais longo da história do Copom.

Desde o primeiro movimento, em março de 2021, a taxa já subiu de 11,75 pontos porcentuais, o maior choque de juros desde 1999, quando, durante a crise cambial, o BC elevou a Selic em 20 pontos porcentuais de uma vez só.

Em junho, o BC ainda indicou que mirava numa inflação mais próxima do centro da meta de 2023 (3,25%) do que sua projeção de 4,00%.

Cotistas do FII de escritório RBCO11 querem trocar administradora e gestora do fundo

Investidores detentores de mais de 5% das cotas do FII RB Capital Office Income (RBCO11) defenderam, nesta terça-feira (2), a substituição da administradora e gestora do fundo, conforme sinaliza fato relevante divulgado pela carteira.

De acordo com o documento, o grupo de cotista solicitou a convocação de uma assembleia geral extraordinária (AGE) para discutir o assunto. Os investidores sugerem que a Hedge Investiments assuma a função da BRL Trust – atual administradora do fundo – e da RB Capital Asset – atual gestora.

Os atuais responsáveis pela administração do RB Capital Office prometem analisar o pedido para, em até 30 dias, realizar a AGE. A convocação estaria condicionada, entre outros pontos, a identificação dos solicitantes, como aponta o fato relevante.

“O fundo tomará as medidas cabíveis para realização da AGE mediante divulgação da identidade de tais signatários, em até 30 dias contados da data do recebimento do pedido, de acordo com o parágrafo único do art. 69, da Instrução CVM nº 555/2014”, pontua o texto.

A identificação de cotistas que solicitam a convocação de AGE ganhou destaque no mercado nas últimas semanas com o caso do FII Banestes Recebíveis Imobiliários ( BCRI11). Investidores teriam desistido do pedido após a carteira pedir o nome de quem estava solicitando a assembleia.

Em relação ao FII RB Capital Office, os investidores que propõem a troca da gestora e administradora se anteciparam e divulgaram as respectivas identificações, conforme sinaliza documento enviado ao fundo.

Compartilhe