Central de FIIs

Cotistas do FII de escritório RBCO11 querem trocar administradora e gestora do fundo; Ifix fecha em alta

Após polêmica com FII BCRI11, investidores solicitantes do RBCO11 se anteciparam e revelaram identidades

Por  Wellington Carvalho

 

Investidores detentores de mais de 5% das cotas do FII RB Capital Office Income (RBCO11) defenderam, nesta terça-feira (2), a substituição da administradora e gestora do fundo, conforme sinaliza fato relevante divulgado pela carteira.

De acordo com o documento, o grupo de cotista solicitou a convocação de uma assembleia geral extraordinária (AGE) para discutir o assunto. Os investidores sugerem que a Hedge Investiments assuma a função da BRL Trust – atual administradora do fundo – e da RB Capital Asset – atual gestora.

Os atuais responsáveis pela administração do RB Capital Office prometem analisar o pedido para, em até 30 dias, realizar a AGE. A convocação estaria condicionada, entre outros pontos, a identificação dos solicitantes, como aponta o fato relevante.

“O fundo tomará as medidas cabíveis para realização da AGE mediante divulgação da identidade de tais signatários, em até 30 dias contados da data do recebimento do pedido, de acordo com o parágrafo único do art. 69, da Instrução CVM nº 555/2014”, pontua o texto.

A identificação de cotistas que solicitam a convocação de AGE ganhou destaque no mercado nas últimas semanas com o caso do FII Banestes Recebíveis Imobiliários ( BCRI11). Investidores teriam desistido do pedido após a carteira pedir o nome de quem estava solicitando a assembleia.

Em relação ao FII RB Capital Office, os investidores que propõem a troca da gestora e administradora se anteciparam e divulgaram as respectivas identificações, conforme sinaliza documento enviado ao fundo.

“Como cotistas solicitantes, que autorizam desde já suas respectivas identificações, na qualidade de titulares de mais de 5% da totalidade das cotas emitidas pelo fundo, solicitam a convocação da assembleia”, aponta o texto.

Além da substituição da administradora e do gestor da carteira, o grupo de investidores também pede a redução da taxa de administração do fundo e a mudança do nome do FII, que passaria a ser Hedge Office Income.

O RB Capital Office iniciou operações em julho de 2019 e hoje conta com uma base de 8.653 cotistas e um patrimônio líquido de R$ 323 milhões.

O portfólio do fundo é composto por quatro edifícios – todos localizados na capital paulista – que somam uma área bruta locável (ABL) de 43 mil metros quadrados. A taxa de vacância atual está em 46%.

No próximo dia 12, o RB Capital Office deposita R$ 0,35 por cota, montante que representa um retorno mensal com dividendos de 0,89%.

Ifix hoje

O IFIX – índice que reúne os fundos imobiliários mais negociados na B3 – fechou a sessão desta terça-feira (02) com alta de 0,19%, aos 2.808 pontos. O fundo RBR Properties (RBRP11) liderou a lista das maiores altas do pregão, com elevação de 7,87%. Confira os demais destaques de hoje ao longo do Central de FIIs.

Maiores altas desta terça-feira (02)

TickerNomeSetorVariação (%)
RBRP11RBR PropertiesOutros7,87
VISC11Vinci Shopping CentersShoppings3,61
PVBI11VBI Prime PropertiesLajes Corporativas1,78
BLMR11Bluemacaw Renda+ FOFTítulos e Val. Mob.1,55
CARE11Brazilian Graveyard and Death CareOutros1,32

Maiores baixas desta terça-feira (02):

TickerNomeSetorVariação (%)
VINO11Vinci OfficesLajes Corporativas-2,79
HSAF11 HSI Ativos FinanceirosTítulos e Val. Mob.-2,05
KISU11KILIMATítulos e Val. Mob.-1,67
SARE11Santander RendaHíbrido-1,59
BLMG11Bluemacaw LogísticaLogística-1,17

Fonte: B3

FII Átrio Reit Recebíveis (ARRI11) executará garantias do CRI Ipatinga

Em fato relevante divulgado nesta segunda-feira (1), o FII Átrio Reit Recebíveis comunicou ao mercado que executará as garantias do certificado de recebíveis imobiliários (CRI) Ipatinga, que está inadimplente.

No mês passado, a carteira havia dado um prazo para a regularização da pendência, mas o pagamento não ocorreu, de acordo com comunicado emitido pelo fundo.

“Diante disso, iniciaremos a execução das garantias para resguardar os interesses do fundo e de seus cotistas”, pontua o documento.

No dia 15 de julho de 2022, o saldo devedor dos CRI na carteira representava R$ 4,69 milhões, equivalente a 4,29% do patrimônio líquido do fundo. As garantias oferecidas pelo título representam 181% do valor atual da dívida.

O Átrio Reit Recebíveis ressalta ainda que o empreendimento relacionado ao CRI Ipatinga está 100% finalizado conforme laudo de avaliação expedido por empresa independente, contratada pela securitizadora.

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Giro Imobiliário: cidade de Extrema vira berço do e-commerce e enfrenta déficit habitacional

Um em cada quatro produtos vendidos no e-commerce brasileiro sai de um centro de distribuição da cidade de Extrema, em Minas Gerais. Nos últimos anos, o município se transformou em expoente para o setor logístico e atraiu centenas de empresas. Por trás desse poder de atração está a combinação de posição geográfica – a meros 100 km da capital paulista, principal polo econômico do País – com tributo estadual mais favorável: a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) é pelo menos 50% inferior à de São Paulo para vendas interestaduais.

No período de pandemia, o e-commerce no Brasil deu salto, o que fez as empresas investirem nos seus centros de distribuição em Extrema. Diante desse cenário, a cidade viu sua população crescer, o que hoje já se reflete em uma crise imobiliária, dado o aumento na procura por casas, apartamentos e até de vagas em hotéis para os trabalhadores que querem se instalar no município.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que o município tinha, em 2021, 37 mil habitantes. Contudo, um levantamento feito pela prefeitura de Extrema mapeou aproximadamente 53 mil moradores na cidade, o que representa um crescimento populacional de 43% em dois anos. As informações foram compiladas pela Secretaria Municipal de Saúde para entender a quantidade de vacinas de covid-19 que seriam aplicadas.

Além de o número de moradores ter crescido exponencialmente, a cidade ainda recebe diariamente cerca de 10 mil trabalhadores flutuantes, ou seja, pessoas que trabalham em centros de distribuição locais, mas vivem nos municípios próximos. “As empresas têm um esquema de ônibus fretados que levam para as cidades vizinhas, como Itapeva, Pouso Alegre e Bragança Paulista. Há pessoas que vêm todos os dias de São Paulo para cá”, relata a gerente de desenvolvimento econômico de Extrema, Mônica Vieira.

Hoje, o município mineiro tem 6 mil CNPJs cadastrados, dos quais 300 são do setor industrial. “No começo, nós batíamos na porta da empresas, convidando-as a se instalar em Extrema. Agora, são elas que nos procuram para montar negócios aqui”, relembra.

Compartilhe